“E-health”: exemplo de Telemedicina

Por Dr. José Aldair Morsch, 1 de março de 2016
e-health

O governo espanhol quer poupar 558 milhões de euros em 3 anos com a implementação do e-health.

Além da redução de custos o país busca a melhora na qualidade nos cuidados com saúde de uma forma eficaz, especialmente nas áreas com baixa densidade populacional.

De acordo com um estudo realizado pela IESE Business School e pela Telefônica, mais e mais médicos e pacientes estariam dispostos a utilizar a Telemedicina se ela estivesse ao seu alcance.

No entanto, o mesmo relatório indica que apenas 7% dos médicos e entre 3 a 11% dos pacientes, utilizam sistemas de diagnóstico e tratamento  remotos.

Solicite um orçamento

Casos de sucesso usando o e-health

Embora os dados mostrem que ainda há um longo caminho para a implementação generalizada da e-health na Espanha, já existem  casos de sucesso.

Um exemplo é realizado pelo Hospital Gregorio Marañón Geral de Madrid que recentemente lançou dois projetos de Telemedicina pioneiros nas áreas de pediatria e autismo.

O centro estabeleceu para esses pacientes o monitoramento pela internet em tempo real para poupá-los de viagens desnecessárias e melhorar a sua qualidade de vida.

A ferramenta utilizada para isso é chamada de Telessaúde, uma plataforma capaz de agregar todos os serviços de saúde, indo desde a monitorização de pacientes, treinamento de paramédicos e estudo a distância.

Além disso, nos hospitais catalães há a implementação do projeto Teleictus que ajuda no atendimento de urgência em pessoas com acidente vascular cerebral.

O desenvolvimento deste projeto permite que os médicos dos centros regionais que na maioria dos casos não têm peritos específicos, se comuniquem através de videoconferência com neurologistas dos hospitais de referência na Catalunha.

Assim, é realçada a interação entre os profissionais, a visualização de exames médicos e aumento da  precisão no diagnóstico.

Neste caso a Telemedicina é usada como ferramenta exclusiva para a transmissão dos exames e laudos médicos com todo o sistema de segurança necessário.

Telemedicina na reabilitação para reduzir o tempo de espera

Outro centro que está apostando em Telemedicina é o Hospital Esperança, em Barcelona, ​​onde se realiza serviços de reabilitação.

Na maioria dos casos, o serviço é saturado, e apresenta longas listas de espera e movimentação de pacientes para centros médicos.

Nesta situação, o e-health se destaca como uma oportunidade para superar estas desvantagens e implementar novos métodos em que o paciente realiza parte de sua terapia na clínica e a outra parte em sua casa.

O procedimento é capaz de reduzir as listas de espera, os custos, o deslocamento. Com o e-health o cumprimento e a eficácia do tratamento é melhorada.

A cidade de Barcelona está desenvolvendo um projeto piloto com 100 pacientes para a melhoraria dos cuidados em casa para os doentes crônicos.

Este é o programa Beyond Silos, financiado pela Comissão Europeia, que visa promover a autonomia dos pacientes através de ferramentas tecnológicas instaladas em casa.

O programa prevê a instalação de itens tais como sensores de movimento e dispositivos de estimulação mental com o objetivo de melhorar a qualidade de vida dos pacientes e fornecer acesso aos profissionais de saúde e aos de serviços sociais.

Novas tecnologias médicas usando o e-health

Como podemos ver, as novas tecnologias, tais como a videoconferência não só trabalham para melhorar os sistemas de comunicação empresarial, mas apresentam também muitas melhorias quando introduzido em outras áreas, como a saúde.

Serviços de vídeo profissional na nuvem oferecem todos os benefícios de uma consulta presencial com qualidade de imagem HD e comunicação de som, de modo que os médicos e os pacientes sentem como se estivessem no consultório.

O e-health trabalha diminuindo as distâncias entre médicos e pacientes.

A Telemedicina no Brasil

Os brasileiros não ficaram atrás dessas inovações. Tanto o sistema público quanto privado investem alto em estruturas de Telesaúde em nuvem para atender regiões remotas que não disponibilizam de especialistas em tempo integral.

Dispomos tanto de Telesaúde para monitorização de sinais vitais, glicemia, saturação, tomada dos medicamentos usando aplicativos, prescrição médica digital, até a Telemedicina com todos os seus recursos para realização dos exames.

Modelos de serviços de Telemedicina disponíveis

Podemos dizer que já está disponível para todas as especialidades, derivando subespecialidades como teleradiologia, telecardiologia, teleneurologia entre outras.

É possível aproveitar os equipamentos dos clientes, sejam eles analógicos ou digitais onde recebem treinamento e em poucas horas estão prontos para suas atividades.

O comodato de aparelhos médicos como alternativa

Para instituições que não disponibilizam de recursos para compra de equipamentos, a Telemedicina Morsch oferece na modalidade de comodato.

Ao contratar esse serviço, o cliente paga uma mensalidade e recebe 30 laudos médicos gratuitos todos os meses.

Enfim, a Telemedicina é uma nova especialidade presente em todos os Países, com maior ou menor grau de complexidade. Tudo vai depender do nível de investimento e tecnologia de cada região.

É possível afirmar que para locais onde os recursos são escassos, certamente com a globalização os Países mais desenvolvidos fornecerão estrutura em nuvem para ser usada de maneira global.

E você? Quer saber mais sobre o assunto? Entre em contato conosco e continue acompanhando nosso blog e nossa página no Facebook.

 Dr. José Aldair Morsch – Cardiologista – Especialista em Telemedicina

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG - Fundação Universidade do Rio Grande - RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE

Entre em contato por WhatsApp
Enviar mensagem pelo WhatsApp