Prontuário digital: o que é, vantagens e como usar na telemedicina

Por Dr. José Aldair Morsch, 15 de abril de 2021
Equipe médica utiliza recursos do prontuário digital

Aderir ao prontuário digital pode ser a solução que faltava para tornar os serviços da sua clínica mais ágeis, integrados e confiáveis.

Afinal, já existem softwares pensados para a realidade dos profissionais e unidades de saúde.

São soluções que facilitam as rotinas do dia a dia e diminuem o tempo com o preenchimento de papéis.

No entanto, o prontuário eletrônico do paciente (PEP) vai além de uma simples versão digitalizada do documento impresso.

Ele inclui uma série de funcionalidades, que coletam, armazenam e protegem as informações com eficiência.

Também permite que os dados estejam sempre à mão, eliminando a necessidade de guarda por parte do paciente.

Além disso, oferece ferramentas para qualificar o diagnóstico.

Quer saber mais sobre os tipos de prontuário digital, seus benefícios e dicas para escolher o mais adequado às suas necessidades?

Então, continue lendo este artigo.

Vou começar com uma definição sobre esse sistema que tem impulsionado a digitalização de consultórios, clínicas e hospitais em todo o país.

Prontuário digital: o que é?

Prontuário digital é o documento que reúne o histórico médico do paciente, tendo sido criado ou armazenado em formato digital.

O nome também pode se referir ao PEP.

Nesse caso, estamos nos referindo a um sistema utilizado para armazenar eletronicamente os dados dos pacientes que recebem cuidados em uma unidade de saúde.

Ao utilizar essa plataforma, clínicas, consultórios e hospitais substituem o prontuário em papel por um software.

Dessa forma, otimizam o trabalho para organizar, guardar, conservar e acessar as informações contidas nele.

Prontuário digital agrega benefícios a médicos e pacientes

Relação entre médicos e pacientes é qualificada com o uso de prontuários digitais

Além disso, existem opções com armazenamento na nuvem.

Essa tecnologia reduz muito as chances de dados serem perdidos ou apagados depois de um tempo.

Outra possibilidade interessante é a integração com programas como plataformas de telemedicina.

Isso permite alinhar detalhes sobre exames, consultas e tratamentos com maior rapidez.

Nos próximos tópicos, vou explicar melhor sobre essas funcionalidades.

Diferenças para o prontuário em papel

Antes de falar sobre as diferenças, vale citar as semelhanças entre o prontuário eletrônico e o prontuário em papel.

Ambos reúnem as informações do paciente, obedecendo a regras sobre confidencialidade, arquivamento e disponibilidade estabelecidas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). 

Na Resolução CFM nº 1.821/2007, o órgão aprovou a digitalização dos prontuários dos pacientes.

Também disciplinou o uso de sistemas informatizados para sua guarda e manuseio.

Dessa forma, tanto os documentos em papel quanto os digitais devem conter informações básicas.

Isso inclui dados de registro, histórico, consultas, exames e tratamentos prescritos ao paciente naquela unidade de saúde.

Contudo, não dá para comparar um prontuário em papel ao eletrônico.

Primeiramente, porque a opção impressa limita a preservação e capacidade de armazenamento.

Em geral, ela corresponde a uma pasta em que são guardadas anotações sobre o histórico médico.

Tais dados podem se perder com anos de manuseio dos papéis, serem extraviados ou se tornarem difíceis de ler.

O sistema digital, por outro lado, conserva a integridade dos documentos.

Assim, eles são arquivados de modo organizado e padronizado.

Isso dispensa a necessidade de o paciente ter que carregar papéis para diferentes locais de atendimento.

Da mesma forma, há muito mais espaço para os arquivos digitais

E eles podem ser encontrados com facilidade por meio de pesquisas no software.

PEP reúne dados de consultas médicas

Informações de consultas médicas são incluídas no prontuário eletrônico do paciente

Como funciona um prontuário médico digital

O prontuário médico digital funciona como um programa integrado em que são inseridas informações dos pacientes.

Isso acontece cada vez que alguém recebe atendimento, passa por consulta, exame ou tratamento.

Todas essas ações são registradas no PEP e ficam disponíveis para acessos futuros.

Sem falar nas informações básicas sobre o paciente, como os dados pessoais, doenças crônicas e história familiar.

São itens que ficam armazenados no prontuário e podem ser visualizados com facilidade pelo médico ou profissionais de enfermagem.

Receituários, prescrições, medicações administradas e todo o progresso dos tratamentos também ficam salvos para consulta posterior.

Apesar da alta disponibilidade, esses dados só podem ser acessados por pessoas autorizadas.

Tanto é assim que é comum serem protegidos por mecanismos de segurança, como senhas e criptografia.

Seja em papel ou no formato digital, as informações de saúde pertencem ao paciente.

Por isso, sua reprodução, divulgação ou compartilhamento sem autorização expressa são passíveis de punição legal.

Lista de recursos

Como mencionei antes, o prontuário digital possui recursos que vão além da simples guarda de documentos.

Essa é uma ferramenta que possibilita interações e personalização para melhorar o serviço prestado ao paciente.

Confira, abaixo, uma lista com as principais funcionalidades:

  1. Módulos individuais das especialidades, como médicos, enfermagem, paramédicos
  2. Usabilidade para ter na tela todas as janelas na forma de abas
  3. Tabelas de medicamentos e fórmulas
  4. CID de todas as doenças em apenas um clique
  5. Assinatura eletrônica em todos os documentos
  6. Modelos de receitas, pedidos de exames e atestados personalizáveis
  7. Comunicação dinâmica com a equipe e o paciente
  8. Integração com ambulatório, internação e exames
  9. Alertas para várias atividades – tanto de equipe quanto para o paciente
  10. Histórico de atendimento, com lista organizada de problemas
  11. Área para anexar todos os exames do paciente para controle evolutivo, incluindo vídeos, imagens e fotos
  12. Gerencia o estoque de sua clínica
  13. Prescrição digital com QR Code
  14. Ferramenta de teleconsulta com videoconferência integrada.
O registro médico digital favorece comunicação com pacientes

Comunicação entre médicos e pacientes é uma das vantagens do prontuário digital

Vantagens dos prontuários digitais

Contar com prontuários digitais pode agregar diversas vantagens para os profissionais e unidades de saúde, independente da tecnologia envolvida.

Existem três modalidades de PEP, classificadas de acordo com sua base e disponibilidade.

Os prontuários digitais de base local ficam hospedados em um servidor do próprio estabelecimento de saúde, podendo ser acessados offline.

Os híbridos, por sua vez, combinam uma base de dados local a backups que alimentam informações hospedadas na nuvem.

Isso garante a continuidade dos serviços usando, ou não, a internet.

Por fim, os modelos mais populares são caracterizados pela hospedagem na nuvem.

Contam com uma base de dados online, que dispensa a realização de backups periódicos.

Vamos ver, então, quais são as suas principais vantagens.

Economia de tempo e espaço

Módulos personalizáveis do prontuário eletrônico permitem o preenchimento com maior rapidez.

Não por acaso, isso aumenta a produtividade dos profissionais da clínica.

Eles também não precisam passar horas organizando e arquivando manualmente os documentos.

Portanto, é diferente do que acontece com os prontuários em papel, que ainda ocupam espaço físico.

Optando pelo formato digital, é possível economizar com a compra de papel, impressora, tinta, móveis e a seleção de salas destinadas ao armazenamento dos prontuários.

Assim que é gerado, o PEP fica guardado em um espaço da internet – a nuvem.

Ali, pode ser consultado sempre que necessário, a partir de poucos cliques.

Preservam os dados com segurança

Foi-se o tempo em que salvar os arquivos online implicava em uma grande exposição das informações.

Essa questão foi solucionada com a seleção de locais específicos na nuvem, protegidos pelos mais modernos mecanismos de segurança.

Um deles é o acesso restrito, controlado por login e senha

Dessa forma, se evita que pessoas não autorizadas visualizem, compartilhem ou editem os dados.

Outro mecanismo de interesse é a criptografia, que codifica as informações, evitando que sejam reveladas diante de invasões ou ataques.

Quando comparamos essas tecnologias aos arquivos em papel, fica clara a superioridade do armazenamento na nuvem.

Afinal, ele preserva os prontuários digitais com maior segurança.

Integração e personalização

O Prontuário Eletrônico do Paciente é uma plataforma que pode ser integrada a diferentes programas.

Assim, pode otimizar o dia a dia das unidades de saúde, evitando retrabalho e erros por duplicidade de informações, por exemplo.

Outra vantagem está na personalização.

Há módulos, esquemas e páginas que permitem adequações que facilitam a vida de recepcionistas, secretárias, médicos e profissionais da enfermagem.

Tudo isso com a garantia de segurança.

Sem falar na facilidade para localizar as informações do paciente e do estabelecimento.

Podem ser acessados de diferentes dispositivos e locais

Os prontuários em papel exigem que o funcionário esteja em seu local físico de arquivamento.

Já os digitais ampliam a acessibilidade, podendo ser visualizados a partir de computadores, tablets e até smartphones.

Dependendo do tipo de PEP, a equipe pode acessar os dados de qualquer parte do país ou até do mundo.

Para isso, basta ter em mãos login e senha e um dispositivo conectado à internet.

Imagine o ganho para instituições que tenham mais de uma unidade?

Afinal, a tecnologia permite aos funcionários verificar informações geradas em outros lugares com agilidade.

Tem ainda a possibilidade de médicos auxiliarem em diagnósticos a distância.

É algo que qualifica o atendimento por meio do acesso ao histórico do paciente, via prontuário digital.

Uso do prontuário digital na telemedicina

Anteriormente, comentei sobre a possibilidade de integração do prontuário digital a outros softwares que otimizam o atendimento ao paciente e o trabalho dos profissionais de clínicas e hospitais.

Um desses sistemas são as plataformas de telemedicina, especializadas em ofertar serviços como laudos a distância e teleconsulta.

Com a tecnologia, sua unidade alcança maiores receitas e agilidade na entrega de resultados de exames de imagem.

Além disso, ter um PEP integrado à telemedicina eleva a eficiência desde as primeiras interações com o paciente até o diagnóstico, tratamento e cura.

Você pode contar com essa solução em duas frentes principais: teleconsulta e telediagnóstico.

Saiba mais sobre elas a seguir.

Teleconsulta

A teleconsulta corresponde a uma consulta entre paciente e profissional de saúde realizada a distância.

Sua realização se deve às tecnologias da informação e comunicação (TIC).

A grande vantagem é romper com a barreira geográfica.

Afinal, a consulta remota leva o atendimento para dentro da casa do paciente, com todo o conforto e comodidade.

A plataforma de telemedicina Morsch oferece opções para anexar documentos, receituários, encaminhamentos e um link direto para a sala virtual na qual a consulta é feita, simplificando o acesso.

Teleconsultas se beneficiam do prontuário digital

Consultas médicas remotas são qualificadas quando há um prontuário digital do paciente

Telediagnóstico

O telediagnóstico pode ser definido como a análise feita por médicos para identificar uma doença de forma remota, com o suporte da tecnologia, informações referentes ao histórico do paciente e sintomas atuais.

Além desses dados prévios, especialistas se beneficiam do laudo emitido via telemedicina, de modo rápido e preciso

Outra vantagem é a segunda opinião qualificada quando houver dúvidas sobre os resultados dos exames.

Como digitar o prontuário eletrônico

Existem prontuários digitais com campos e páginas personalizáveis.

Porém, é comum que tenham duas etapas básicas.

A primeira pede os dados pessoais do paciente, seu histórico familiar e estilo de vida. 

Os campos podem ser preenchidos de maneira sucinta, o que facilita a leitura breve posteriormente.

Na segunda fase, é hora de descrever, com mais detalhes, a condição clínica do paciente.

Dessa forma, é indicado relatar os sintomas, sua recorrência, tratamentos realizados e/ou em andamento.

Assinatura digital no prontuário médico

A fim de garantir a autenticidade e evitar fraudes, o sistema de prontuário eletrônico possui assinatura digital inserida em cada documento.

Isso vale para laudos, receituários, encaminhamentos e outros.

A assinatura digital obedece aos padrões de segurança da Sociedade Brasileira de Informática em Saúde (SBIS) e da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileiras (ICP-Brasil).

Assim, fica atestada a sua veracidade e a vinculação ao médico ou profissional de saúde que assina os documentos.

Também deve ser aprovada pelo CFM.

Melhor prontuário digital: como escolher?

Agora, você já sabe quais são as vantagens do prontuário digital.

Então, deve estar se perguntando sobre as funcionalidades e características mais importantes na hora de escolher um para a sua unidade de saúde.

Para começar, sugiro que priorize a simplicidade. 

Afinal, de nada adianta ter um sistema moderno e difícil de ser manuseado pela sua equipe.

Claro que os funcionários devem receber treinamento, que precisa ser oferecido pela plataforma.

Porém, procure optar por aquelas com design limpo e organizado, fáceis de acessar e que reúnam os módulos em tela única.

Assim, todos os dados do paciente e ações ficam concentrados em um mesmo local.

Isso diminui a complexidade da navegação ao prestar atendimento.

Dê preferência aos prontuários armazenados na nuvem.

Dessa forma, você dispensa a necessidade de servidores, redes de computadores e a realização de backup, salvando os arquivos de modo automático.

Eles também permitem que usuários entrem na plataforma usando qualquer dispositivo conectado à internet.

Por fim, mas não menos importante, leve em consideração os mecanismos de segurança do prontuário digital.

A plataforma escolhida deve respeitar as normas do CFM e outras autoridades, protegendo as informações do paciente e permitindo o acesso apenas por pessoas autorizadas.

Conclusão

O prontuário digital representa um grande avanço para o registro e armazenamento de informações do paciente.

Afinal, ele melhora a acessibilidade, a busca pelo histórico e a proteção dos dados.

Eleva, ainda, a produtividade das equipes das unidades de saúde.

É o fim daquele drama de gastar horas procurando e organizando documentos em papel.

Se você busca por uma solução completa, vale conhecer o Prontuário Eletrônico da Plataforma da Telemedicina Morsch, que inclui diferenciais como marketplace médico e multiagendas.

Clique aqui para saber mais.

Se achou este artigo útil, aproveite e se inscreva em nossa newsletter para receber mais conteúdos de qualidade em primeira mão.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE