Como ler e interpretar Eletrocardiograma: importância, passos e desafios

Por Dr. José Aldair Morsch, 14 de outubro de 2019
como interpretar eletrocardiograma

Para interpretar o eletrocardiograma, calcule a frequência cardíaca, analise o ritmo cardíaco, faça o cálculo dos intervalos PR e QT, estabeleça o eixo elétrico e busque alterações no segmento ST. Por fim, verifique outras alterações eletrocardiográficas.

Saber como interpretar eletrocardiograma é primordial para afastar ou confirmar o diagnóstico correto de cardiopatias em exames de rotina ou em casos de atendimento a pacientes em prontos-socorros e hospitais.

O Eletrocardiograma (ECG) é um exame de triagem básico e, com ele, é possível atestar ou contestar a saúde do coração do paciente, bem como encontrar indícios de que ele pode ter ou não problemas cardíacos.

O exame é tão importante que chega a ser exigido dos candidatos nos concursos públicos para cargos que requerem atividades físicas ou podem causar risco para as pessoas que dependem do serviço, como motoristas e pessoas que trabalham em altura.

Durante a leitura deste conteúdo, você entenderá quais são os passos para a interpretação do ECG. Também poderá baixar um e-book sobre como realizar o eletrocardiograma, além de um manual de interpretação de ECG muito prático. Aproveite!

Quais são os desafios de interpretar o eletrocardiograma?

Os desafios para Interpretar Eletrocardiograma

Nós médicos sabemos da dificuldade para um clínico afirmar se um ECG está normal ou alterado, visto que a formação em medicina não contempla preparar o profissional para ter essa segurança ou distinguir pequenas oscilações.

Tal destreza em predizer um diagnóstico a partir do ECG será adquirida com a experiência ao longo do tempo, mas isso requer atualização constante dos conhecimentos e dos equipamentos utilizados para essa finalidade.

Interpretar ECG normal é relativamente fácil para os médicos em geral. O problema surge nos casos de arritmias ou suspeita de infarto agudo do miocárdio, bem como diante de uma situação emergencial.

 

Outro ponto que requer muita atenção é que analisar e interpretar ECG são coisas bem diferentes e refletem em intervenções diferenciadas para o paciente dentro do contexto em que se encontra.

Além disso, fazer um plantão numa emergência sem o apoio de um cardiologista traz muito estresse para qualquer médico em início de carreira, de modo que, se houver uma maneira de amenizar esse problema, certamente todos ganham com isso.

Qual é a importância de interpretar o ECG?

As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte entre os seres humanos adultos. Além disso, elas também causam sequelas clínicas significativas, resultando em aposentadoria precoce e diminuição da qualidade de vida.

A partir dos 30 anos, recomenda-se que as pessoas façam o eletrocardiograma como um exame de rotina pelo menos uma vez ao ano. O objetivo é tentar detectar possíveis alterações ou doenças o mais cedo possível, tratando-as de maneira precoce.

Para pessoas acima dos 45 anos de idade, o exame é fundamental, principalmente se houver histórico familiar de DAC e AVC. Por isso, é importante realizar esse exame nos indivíduos mais suscetíveis.

Por que é importante realizar o ECG no paciente?

como interpretar eletrocardiograma

Realizar a  interpretação de um eletrocardiograma é essencial, mas também é preciso realizar o diagnóstico correto

Saber interpretar um eletrocardiograma é importante por diversos motivos. Entretanto, também é essencial fazer o diagnóstico correto e instituir intervenções custo-efetivas para o paciente.

Além disso, é fundamental discorrer sobre todas as variáveis cardiográficas para evitar condutas precipitadas que poderiam agravar consideravelmente o quadro clínico do indivíduo nesse contexto. Confira outros aspectos.

Fazer a medição adequada

A medição dos eletrodos para posterior análise é um dos pontos cruciais para os profissionais clínicos que atendem em centros de atenção primária e hospitalar. Qualquer anormalidade nessa medição pode conduzir a resultados discrepantes e impactar a sobrevida do indivíduo.

Já expliquei anteriormente como ler e interpretar o eletrocardiograma, mas caso ainda haja dúvidas, não hesite em recorrer ao cardiologista ou a um médico mais experiente, que trará mais confiabilidade ao resultado.

Em situações de insegurança, recorrer a um profissional mais experiente fará com que os erros preveníveis sejam evitados. Deixar essa precaução de lado pode acarretar problemas judiciais posteriormente.

Saber analisar variáveis

As variáveis eletrocardiográficas incluem conceitos de biofísica, raciocínio sobre o funcionamento do aparelho, avaliação de pequenas nuances consideráveis e distinção entre aquelas de menor importância.

Saber a funcionalidade de cada etapa, bem como aquelas consideradas limitantes para o processo, é importante para o médico priorizar as situações mais relevantes e desconsiderar as oscilações pequenas.

Além disso, o conhecimento aprofundado e a experiência adquirida com o passar dos anos serão duas habilidades a serem desenvolvidas ao longo do tempo, de maneira a formar um profissional mais adequado ao perfil assistencial.

Proporcionar diagnóstico precoce

A interpretação adequada de um eletrocardiograma fornece dados clínicos essenciais para a tomada de decisão, podendo descartar qualquer distúrbio cardioelétrico. Ao mesmo, fornece subsídios para a intervenção precoce, que poderá inclusive ser crucial para a sobrevida do indivíduo.

Sendo assim, uma interpretação adequada do exame prevenirá outras complicações advindas da demora para uma intervenção efetiva, que seja condizente com a situação clínica do paciente.

Como é realizado o ECG?

Como é realizado ECG no paciente?

O paciente deve ficar deitado durante toda a realização do exame, para que sejam instalados eletrodos nos pulsos, nos tornozelos e no tórax, em locais específicos. Tais eletrodos farão a detecção da atividade elétrica cardiovascular captada da pele do paciente, que será registrada por um computador ou smartphone.

Todas as regiões do coração serão avaliadas durante o procedimento, que é rápido, indolor e muito eficaz. Apenas exige-se do paciente que permaneça deitado e mantenha punhos, canelas e tórax expostos, permitindo a instalação dos eletrodos.

É recomendável também não realizar movimentos bruscos durante o exame, nem fumar por pelo menos meia hora antes do procedimento para evitar alterações no resultado que não condizem com a realidade clínica.

A pele deve ser limpa com algodão e álcool e, logo em seguida, deve-se utilizar uma gota de gel condutor de ECG em cada ponto em que serão colocados os eletrodos, visando melhorar a qualidade do ECG.

Verifique se o ECG apresenta boa qualidade para ser interpretado

 

Para interpretar um ECG normal, você deve seguir uma rotina de passos para validar o resultado. Para que seja interpretado de forma adequada, o eletrocardiograma deve apresentar precisão e eficiência desde a sua calibração até a maneira como foi realizado.

Para atestar a qualidade do ECG realizado, existem algumas técnicas importantes que devem ser levadas em consideração:

  • veja a velocidade e a amplitude do ECG no papel do exame ou na tela do computador;
  • em um eletrocardiograma bem-feito, a velocidade fica em 25 mm/s, enquanto que a amplitude deve ficar em 1 mV por 10 mm;
  • é necessário observar as 12 derivações do exame, além de avaliá-lo como um todo, em conjunto com os sintomas do paciente.

Caso o exame apresente características não satisfatórias para o estabelecimento de diagnósticos, é necessário repetir o eletrocardiograma.

Quais são os passos para interpretar o eletrocardiograma?

Passos para interpretar eletrocardiograma

A seguir, darei um passo a passo para que você entenda todas as informações que devem ser analisadas a fim de buscar as melhores evidências nesse exame. Acompanhe comigo!

Por onde começar a interpretar ECG

 

Uma vez que o eletrocardiograma cumpre o requisito básico de apresentar qualidade satisfatória, é o momento para fazer as análises em si. Veja qual é a sequência de dados que devem ser examinados ao longo da interpretação do exame. Faça o seguinte:

  1. calcule a frequência cardíaca;
  2. faça a análise do ritmo cardíaco;
  3. calcule o intervalo PR (linha que liga o fim da onda P ao início do QRS), e o intervalo QT (sístole elétrica ventricular);
  4. estabeleça o eixo elétrico e, na sequência, busque por alterações no segmento ST (período de tempo de não atividade entre a despolarização e a repolarização do ventrículo);
  5. busque outras alterações eletrocardiográficas.

Calcule a frequência cardíaca

como interpretar eletrocardiograma

O cálculo da frequência cardíaca é o primeiro passo ao interpretar um  eletrocardiograma

O primeiro passo para interpretar um eletrocardiograma é o cálculo da frequência cardíaca, o que envolve detectar quantas vezes o coração bate em um minuto. Inclusive, tal cálculo se torna mais fácil se o coração estiver operando em um batimento regular.

No papel do ECG, cada minuto equivale a 300 “quadradinhos”. Para calcular a frequência cardíaca, basta contar quantos quadrículos existem entre um topo e outro da onda R no desenho projetado pelo batimento cardíaco.

Em uma lógica matemática, se houver um quadradinho entre cada onda, o coração está operando a 300 BPM. Caso haja dois, o batimento estará em 150 BPM, e assim sucessivamente. A regra que usamos é 300/150/100/75/60/50/30/20/10.

Se o batimento for irregular, lembre-se de que cada 30 quadros grandes equivalem a 6 segundos. Assim, conte os “topos” das ondas R dos complexos projetadas sobre o papel e, em seguida, realize uma média simples.

É importante detectar a frequência cardíaca para observar possíveis taquicardias ou bradicardias. Assim, esse cálculo permite detectar patologias no batimento cardíaco e seu nível de gravidade.

Verifique o ritmo sinusal

Após verificar a frequência do batimento cardíaco, o médico deve aferir se o ritmo cardíaco do paciente está adequado. Para isso, basta analisar o tamanho das ondas, seu desenho e o espaço de quadrículos ocupado.

Para que o coração esteja em ritmo regular e em ritmo sinusal, basta verificar se a distância entre os complexos QRS são semelhantes e se a onda P é gerada no nó sinusal.

Para analisar os intervalos PR e QT, meça os intervalos a partir do desenho do ECG. Um intervalo PR normal gira em torno de 0,12 s e 0,20 s. O intervalo QT, por sua vez, costuma se posicionar entre 350 ms e 450 ms.

Calcule o eixo elétrico do coração

Antes de calcular o eixo elétrico do coração, é necessário compreender que cada uma das derivações do ECG é um ponto de vista diferente sobre o estímulo elétrico que passa pelo músculo do coração.

Tais pontos de vistas podem ser expressos por um gráfico feito na forma de um plano cartesiano. Uma vez que o eixo elétrico do eletrocardiograma é calculado, os valores dos ângulos que podem apontar saúde ou irregularidades são:

  • de -30° a 90° — eixo normal, esperado;
  • entre -30° e -90° — eixo desviado à esquerda;
  • entre 90° e 180° — eixo desviado à direita;
  • entre -90° e -180° — desvio extremo do eixo elétrico.

Ao determinar alterações do segmento ST, a análise adequada deste intervalo pode denunciar alguma cardiopatia isquêmica no paciente. Por isso, examine com atenção. O segmento ST deve ser isoelétrico, sendo mensurado do fim do complexo QRS até a onda T. Compare o desenho aos segmentos PR ou ST para assegurar a exatidão do diagnóstico.

Não deixe de analisar todos os outros intervalos e ondas ao interpretar o eletrocardiograma. A correta análise do ECG envolve um olhar geral sobre todos os aspectos e derivações do exame. Portanto, não deixe de dar importância a qualquer alteração percebida nas ondas anteriores e em como elas podem afetar o desempenho no exame.

Como interpretar o eletrocardiograma de forma exata?

Aprofunde-se no caso clínico

A premissa de que a clínica é soberana vale muito na cardiologia. Devemos valorizar as queixas do paciente e procurar fazer uma história clínica completa para então buscarmos especificamente na interpretação do ECG os pontos mais importantes, como arritmias cardíacas, bloqueios cardíacos, infarto prévio ou isquemias.

Verifique as configurações do aparelho de ECG

Os técnicos em enfermagem não têm conhecimento suficiente para configurar o aparelho de ECG nos quesitos velocidade do papel, calibração, tamanhos dos complexos QRS, entre outros, e isso interfere de maneira significativa no registro do eletrocardiograma.

Atente-se à posição dos eletrodos

A troca de eletrodos nos braços e nas pernas e a colocação dos eletrodos pré-cordiais em locais errados acaba criando doença onde não existe. Ou seja, na interpretação de ECG isso faz toda a diferença.

Já imaginou fazer um diagnóstico de bloqueio de ramo direito que faz pensar em CIA (comunicação interatrial) em uma pessoa saudável? Se colocarmos V1 e V2 acima do 4º espaço intercostal, estaremos produzindo uma doença de maneira iatrogênica. Imagine o que o paciente não poderá fazer com esse laudo de ECG que foi emitido de maneira totalmente equivocada!

Neste vídeo eu comento sobre as posições dos eletrodos no tórax do paciente:

Como descrever o resultado de um eletrocardiograma?

como interpretar eletrocardiograma

Interpretar um eletrocardiograma envolve a definição de todas as ondas e intervalos. Confira abaixo nosso exemplo:

A forma mais completa e detalhada de se relatar um eletrocardiograma normal em um diagnóstico envolve a definição de todas as ondas e intervalos. Segue um exemplo de como se relatar um ECG:

  1. eletrocardiograma com ritmo sinusal;
  2. frequência cardíaca de 70 bpm;
  3. onda P positiva em todas as derivações, exceto aVR;
  4. QRS largo, com eixo elétrico do QRS normal, cerca de 45°;
  5. intervalo PR considerado normal, em 0,15 s;
  6. QT corrigido normal em 400 ms;
  7. segmento ST é isoelétrico e sem alterações relevantes;
  8. onda T é positiva em todas as derivações, excetuando aVR;
  9. não há onda Q patológica;
  10. conclusão do eletrocardiograma: exame dentro dos limites da normalidade.

Qual é o papel da telemedicina no auxílio ao paciente?

Como é possível perceber, o ECG conta com uma linguagem própria, que normalmente é melhor entendida por especialistas desse setor da medicina, principalmente os especialistas dessa modalidade.

No entanto, o ECG de repouso é um exame fundamental, e nem sempre o cardiologista está à disposição do consultório, da clínica ou do hospital para fornecer um diagnóstico preciso adequadamente.

O especialista pode não estar presente de corpo, mas pode estar presente de maneira virtual. E hoje essa comunicação virtual tem proporcionado muitas discussões clínicas em tempo real, algo impensável nas décadas passadas.

Com a telemedicina, especialistas podem analisar o resultado de exames de ECG digital e oferecer um diagnóstico preciso e eficaz mesmo a quilômetros de distância, tornando a conduta mais adequada para aquele paciente.

Tais técnicas auxiliam ao mesmo tempo pacientes e médicos, possibilitando uma análise precisa mesmo que a localidade não tenha médicos especialistas disponíveis, oferecendo laudos de qualidade enviados por meio de plataformas digitais.

Quais são as vantagens da telemedicina na interpretação do eletrocardiograma?

Vantagens da telemedicina na interpretação do Eletrocardiograma

A tecnologia possibilitou a criação da telemedicina, o que resolve um problema frequente nos serviços de saúde: a falta de profissionais qualificados para interpretar um ECG. Isso amplia a participação dos médicos por meio de plataformas virtuais.

Mesmo que um clínico geral estude profundamente os manuais de interpretação de ECG, sempre aparecerão dúvidas de interpretação do exame nos casos complicados, que poderão ser sanadas por cardiologistas situados em outras localidades.

Se o local onde o profissional de saúde trabalha disponibilizar internet, basta usar o celular e mandar a imagem do traçado de ECG a um portal telemedicina. Em 30 minutos o médico já terá em mãos o laudo liberado por um cardiologista, o que leva a um maior desempenho na clínica ou no hospital.

Com essa forma de produzir laudos, o médico não precisa pagar pelo equipamento. Afinal, a Telemedicina Morsch cede o aparelho em regime de comodato, sendo necessário apenas o pagamento pelos laudos.

Todos os registros são transferidos com extrema segurança, contando com assinatura e certificado digital que garante autenticidade, sigilo e agilidade no envio e no recebimento de informações, todas protegidas por login e senha e disponibilizadas para os médicos e demais usuários da plataforma de telemedicina.

Veja mais vantagens:

  • interpretação de ECG em tempo integral, 24 horas por dia, o ano inteiro;
  • segunda opinião para discutir o resultado do exame;
  • sugestão de conduta nos casos graves, como indicação de marca-passo ou internação nos casos de infarto agudo do miocárdio;
  • relatórios completos dos exames realizados;
  • guarda dos laudos para sempre em nuvem;
  • disponibilidade de integrar com o prontuário eletrônico do paciente;
  • possibilidade de dividir a responsabilidade do laudo com um especialista;
  • baixo custo cobrado por laudo emitido, sem mensalidade;
  • possibilidade de obter o aparelho de ECG em comodato.

Telemedicina Morsch: empresa laudo à distância para médicos e pacientes

Quais as vantagens da Telemedicina?

A Telemedicina Morsch, empresa prestadora de serviços de laudos a distância, oferece diagnósticos para as seguintes especialidades: cardiologia, neurologia, pneumologia e radiologia.

São laudos médicos oferecidos em poucos minutos por profissionais extremamente capacitados e que podem facilitar muito a vida de médicos e pacientes, trazendo praticidade, eficiência e comodidade.

A telemedicina não se restringe a interpretar ECG normal ou alterado. É possível expandir seus serviços para todas as especialidades, sem a presença do especialista.

Seus técnicos são treinados pelo suporte da Telemedicina Morsch em tempo integral e estarão sempre habilitados a realizar exames com qualidade. É claro, é preciso lembrar que, em função da rotatividade de funcionários, novos contratados também precisarão ser treinados e nesse ponto somos muito eficazes.

Como implantar o laudo à distância?

 

Todos os profissionais da Morsch têm registro regular no CFM e estão disponíveis para segunda opinião. Nós negociamos os valores de acordo com a necessidade de cada clínica e médico, e podemos oferecer preços especiais, por exemplo, se o consultório já tiver um aparelho, necessitando apenas dos laudos.

A seriedade da Telemedicina Morsch também se traduz na preocupação da empresa com o resultado de seus serviços. Oferecemos suporte e capacitação constante para um melhor uso dos laudos emitidos. É possível ainda realizar pagamentos em regime pré-pago, caso haja a impossibilidade de pagamentos posteriores em função de matrícula em sistemas de proteção ao crédito.

Saber como interpretar um eletrocardiograma é uma tarefa importante para os profissionais clínicos, o que resulta em um atendimento mais apurado, intervenções mais adequadas, menor possibilidade reações adversas e complicações, e mais qualidade de vida para o paciente.

Agora que você já entendeu como interpretar um eletrocardiograma e quais são as vantagens da incorporação da telemedicina nesse contexto, assine nossa newsletter e fique por dentro de tudo o que eu publico por aqui!

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE