Laudo de eletrocardiograma: o que é, para que serve e como é feito?

Por Dr. José Aldair Morsch, 20 de abril de 2020
laudo de eletrocardiograma

O laudo de eletrocardiograma expressa o resultado desse importante exame cardiológico.

Por exigir conhecimentos aprofundados sobre o aparelho cardiovascular e especificidades dos gráficos do ECG, esse documento só deve ser elaborado por cardiologistas qualificados.

Porém, graças à telemedicina, mesmo clínicas e hospitais que não contam com esse especialista podem obter o laudo médico em poucos minutos.

Neste artigo, trago um passo a passo para interpretar o exame, informações indispensáveis ao laudo e como otimizar esse processo via telemedicina cardiológica.

Continue lendo e veja como ter acesso ao serviço.

O que é laudo de eletrocardiograma?

Laudo de eletrocardiograma é o documento médico que mostra o resultado do exame de forma padronizada.

Trata-se de um relatório contendo detalhes sobre a atividade elétrica do coração, avaliada a partir de batimentos captados durante o eletrocardiograma.

Eles são convertidos em gráficos em linha, que oferecem os dados necessários para que o especialista aponte um resultado normal ou alterado.

Como adiantei na introdução do artigo, essa atividade é restrita a cardiologistas especializados na área do exame, como exige o Conselho Federal de Medicina.

Entretanto, outros médicos e técnicos de enfermagem podem realizar o eletrocardiograma, desde que tenham treinamento para isso.

Nesse caso, eles deverão solicitar ao cardiologista local a interpretação dos registros, ou contar com o suporte de um especialista a distância.

Essa opção, viabilizada via sistema de telemedicina online, supre a carência por cardiologistas disponíveis para emitir o laudo médico em tempo hábil.

Para que serve o laudo de eletrocardiograma?

O laudo de ECG oficializa o resultado do eletrocardiograma, apresentando as informações roteirizadas e em linguagem médica.

Nesse contexto, o documento oferece suporte diagnóstico na suspeita de doenças cardiovasculares.

Além de servir como ferramenta de medicina preventiva, oferecendo informações para o check up cardiológico, liberação de atividade física e monitoramento de patologias crônicas.

Confira 15 aplicações do laudo do ECG a seguir:

  1. Avaliação do estado das coronárias, revelando se houve algum entupimento importante
  2. Potencial de arritmia ou disritmia
  3. Identificação de crescimento de alguma cavidade do coração, como a hipertrofia ventricular esquerda (HVE)
  4. Identificação de doenças nas válvulas cardíacas, a exemplo da insuficiência mitral
  5. Análise do funcionamento de marcapassos
  6. Estudo do funcionamento de desfibriladores implantáveis
  7. Diagnóstico de bloqueio de ramo direito ou esquerdo do feixe de His
  8. Panorama da atividade elétrica cardíaca por meio do resultado do holter 24 horas
  9. Apoio na realização de ergometria
  10. Acompanhamento de distúrbios hidroeletrolíticos, como hiperpotassemia
  11. Orientação em relação ao grau de complicação de pericardites
  12. Avaliação do ritmo cardíaco nas miocardiopatias
  13. Monitorização cardíaca de pacientes em UTI
  14. Apoio na decisão por solicitar, ou não, o ecocardiograma
  15. Monitorização de pacientes durante algumas a ressonância ou tomografia cardiovascular.

A seguir, entenda como o eletrocardiograma é realizado para a coleta dos dados.

Como o eletrocardiograma é feito?

O objetivo do eletrocardiograma, ou ECG, é mensurar a atividade elétrica do coração.

Ele parte da compreensão anatômica de que os impulsos elétricos são necessários para a contração do miocárdio, o músculo cardíaco.

Qualquer doença cardiológica que interfira nesses impulsos, portanto, pode resultar em alterações eletrocardiográficas.

A realização do ECG é feita com o suporte de um aparelho chamado eletrocardiógrafo

Sua tarefa é mensurar os potenciais elétricos nos eletrodos, que são posicionados em locais predeterminados no corpo do paciente.

Assim, é possível ter uma visão da atividade cardíaca a partir de diversos ângulos.

O eletrocardiograma convencional é composto por 12 derivações: as 6 principais são calculadas a partir dos membros do paciente, e as demais são chamadas de derivações precordiais.

As principais são chamadas de I, II, III, aVL, aVR e aVF. O prefixo “a” significa “aumentado”, visto que essas derivações são obtidas pela combinação das outras 3. 

As derivações precordiais são chamadas de V1, V2, V3, V4, V5 e V6.

Para a realização do ECG, basta posicionar os eletrodos nos locais corretos e conectar os cabos do equipamento.

Assim que é ligado,  o aparelho de eletrocardiograma faz a leitura dos impulsos elétricos e desenha o traçado eletrocardiográfico em um papel específico.

Ou mostra os gráficos diretamente na tela do computador, se for um eletrocardiograma digital.

Laudo de ECG

Detalhes sobre o Laudo de Eletrocardiograma

Como interpretar o eletrocardiograma?

A interpretação do ECG só pode ser realizada por um cardiologista.

No entanto, é fundamental que todo médico conheça os elementos básicos dessa tarefa, que inclui a avaliação de alguns parâmetros.

Os principais são:

Ritmo

O eletrocardiograma é o principal aliado dos arritmologistas.

Afinal, esse é o principal exame utilizado para acompanhar o ritmo cardíaco e evidenciar arritmias como a fibrilação atrial, bloqueios de ramo, taquiarritmias e bradiarritmias.

O ritmo cardíaco pode ser regular ou irregular

Nos regulares, a distância entre cada impulso ventricular é constante, e nos irregulares, ela varia.

Os ritmos irregulares podem ser, ainda, divididos em regularmente irregulares ou irregularmente irregulares. O exemplo clássico deste último ritmo é a fibrilação atrial.

No laudo, o cardiologista descreverá o ritmo e a frequência cardíaca.

Caso haja alguma alteração, o traçado pode sugerir outras doenças, como os bloqueios atrioventriculares

Para cravar o diagnóstico, é preciso suprir critérios específicos para cada doença.

Para isso, o médico observa se a condução elétrica está normal.

Ondas e intervalos

O eletrocardiograma normal é composto por três elementos centrais: a onda P, o complexo QRS e a onda T. 

Entre elas, estão os intervalos PR e ST.

Cada um desses elementos tem seus próprios valores de referência em relação à amplitude e à duração.

É tarefa do cardiologista mensurar um a um e verificar se eles estão dentro do padrão esperado.

Existem várias doenças que podem alterar esses elementos no ECG — daí a importância de observá-los atentamente.

O exemplo mais clássico é visto no infarto do miocárdio, que é classificado conforme as alterações do segmento ST.

Além de definir o protocolo de tratamento, ainda é possível estimar qual região foi acometida e qual artéria provavelmente está ocluída.

Alterações anatômicas

Como mencionei acima, qualquer fator que afete a transmissão do impulso cardíaco pode alterar o ECG.

Por isso, na interpretação eletrocardiográfica, não poderiam faltar as alterações anatômicas.

Uma das mais comuns é o desvio de eixo cardíaco.

A partir dos gráficos do exame, é possível observar a posição do coração e identificar alguma doença que a altere.

Outras alterações observáveis são as hipertrofias, ou seja, o aumento de tamanho do músculo cardíaco.

Geralmente, essas alterações precisam ser analisadas em conjunto com o quadro clínico do paciente.

Por isso, constá-las no laudo é de grande importância para o clínico assistente.

Como fazer um laudo de eletrocardiograma?

O processo começa com a solicitação de exames, que é feita a critério do médico assistente para afastar ou confirmar uma hipótese diagnóstica.

A partir do resultado do exame clínico, o profissional pode pedir exames complementares como o eletrocardiograma.

Em seguida, o ECG é agendado ou realizado imediatamente, em caso de emergência ou urgência.

Os batimentos cardíacos são amplificados, coletados através dos eletrodos do eletrocardiógrafo e enviados ao monitor do dispositivo.

Seu sinal é convertido no traçado e ondas do eletrocardiograma, conforme expliquei anteriormente, e avaliado por um cardiologista qualificado.

O especialista deve preencher os seguintes campos básicos do laudo:

  • Nome completo do paciente
  • Nome e endereço do local onde o exame foi feito
  • Nome do médico solicitante
  • Data de realização do exame
  • Justificativa para a solicitação do procedimento
  • Conduta e descrição detalhada do ECG
  • Hipótese diagnóstica
  • Informações adicionais sobre o paciente, como idade, peso, altura, etc.
  • Assinatura do médico responsável pelo laudo.
  • Aproveite para ler este artigo sobre como elaborar um bom laudo médico.

 

Como é um laudo de eletrocardiograma: quais as informações necessárias?

Nos trechos que descrevem a conduta do ECG, o relatório deve especificar algumas informações fundamentais para avaliar a atividade elétrica cardíaca.

É importante descrever:

  • Se o ECG tem ritmo sinusal ou alterado
  • Qual a frequência cardíaca (quantidade de batimentos por minuto)
  • Características da onda P (em condições normais, ela é positiva em todas as derivações, exceto aVR)
  • Detalhes sobre o complexo QRS (que deve ser largo, com eixo elétrico do QRS normal, de cerca de 45°)
  • Duração dos intervalos PR e QT corrigido 
  • Características do segmento ST (que é isoelétrico e sem alterações relevantes em condições normais)
  • Descrição da onda T (positiva em todas as derivações, excetuando aVR, em condições normais)
  • Presença de onda Q patológica
  • Conclusão do eletrocardiograma, classificando o exame como normal (dentro dos limites da normalidade) ou alterado, se houver indícios de patologias.

Veja um exemplo de laudo de eletrocardiograma:

Laudo de eletrocardiograma

Laudo de Eletrocardiograma a distância

Como solucionar a demora na entrega do laudo de eletrocardiograma?

Embora o ECG seja um dos exames cardiológicos mais populares, nem sempre existem cardiologistas por perto para produzir o laudo.

Mesmo nos serviços que contam com esses especialistas, eles costumam ter várias responsabilidades, deixando pouco tempo para se dedicarem à interpretação de exames complementares.

Pensando nessa situação presente na maioria dos serviços, foi criada a telemedicina e o laudo a distância.

Essa especialidade médica utiliza Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação (TDCIs) como a internet para entregar o laudo de eletrocardiograma a distância.

Para tanto, é utilizada uma plataforma em nuvem que recebe exames enviados de qualquer lugar do planeta.

Ela conecta a equipe médica local a um time de especialistas logados em tempo integral para liberar os laudos médicos com rapidez e praticidade.

Dessa forma, os resultados de exames ficam prontos em minutos, podendo ser impressos, compartilhados com o médico solicitante ou até com o próprio paciente sem complicação.

Nos casos de urgência, basta solicitar preferência e o cliente vai ter exclusividade em receber o laudo médico de forma imediata. 

Por ser um serviço 24/7 nos 365 dias do ano, seu serviço nunca vai parar. Isso certamente vai aumentar a produtividade e os lucros da sua empresa.

O laudo de ECG segue uma descrição sugerida pela Sociedade Brasileira de Cardiologia e é aceito em todo o território brasileiro.

Como funciona o laudo de eletrocardiograma a distância?

Uma vez que o ECG tenha sido realizado normalmente, o médico ou técnico de enfermagem podem compartilhar os gráficos do exame via software de telemedicina em nuvem.

Basta inserir login e senha a partir de qualquer dispositivo com acesso à internet para acessar o ambiente virtual e transmitir os registros do ECG.

Assim que visualiza o traçado, um cardiologista online o interpreta considerando a suspeita clínica e histórico do paciente.

Ela compõe o laudo online, assinado digitalmente para garantir a confiabilidade.

Depois, é só liberar o documento na própria plataforma de telemedicina, permitindo que seja baixado, encaminhado ou impresso.

Quem pode oferecer eletrocardiograma com laudo a distância para seus pacientes?

Qualquer consultório, clínica médica, de medicina do trabalho ou hospital pode contratar uma empresa de telemedicina e melhorar o atendimento aos pacientes.

Basta ter um técnico treinado com o suporte da parceira de telemedicina, o qual enviará os exames para a plataforma em nuvem a fim de obter o laudo em poucos minutos.

Como os arquivos dos exames e o laudo de eletrocardiograma precisam ser transmitidos usando a internet, é importante dispor de uma conexão estável.

Quais são os benefícios do laudo de eletrocardiograma a distância?

Graças à telemedicina, o laudo de eletrocardiograma se tornou disponível para pequenas clínicas e consultórios, resultando em assistência a pacientes de locais remotos, onde não há especialistas.

Assim,os pacientes não precisam aguardar por dias ou semanas para receber seus exames online, nem se deslocar para buscar o laudo médico em outros municípios.

Mas as vantagens também se estendem a gestores e profissionais de saúde, incluindo:

  • Economia de tempo e dinheiro que seriam gastos com deslocamentos
  • Laudo de ECG disponível em tempo integral, o ano todo, sem interrupção
  • Agilidade na entrega, com resultados liberados em minutos ou em tempo real para urgências
  • Resultados emitidos por cardiologistas registrados nos conselhos de medicina
  • Segunda opinião médica sempre que solicitada
  • Orientação no laudo de casos graves;
  • Treinamento permanente dos técnicos de enfermagem, por meio do ensino à distância (EaD)
  • Guarda dos laudos na nuvem, um local de armazenamento da internet protegido por senhas e criptografia
  • Ampliação do portfólio de exames ou especialidades atendidas, sem precisar contratar cardiologistas
  • Aumento dos lucros.

 

Dúvidas comuns sobre o laudo de eletrocardiograma a distância

Esclareço algumas questões recorrentes sobre o laudo a seguir.

Tenho um aparelho de eletrocardiograma antigo. Posso usar a telemedicina com ele?

Sim. A plataforma de telemedicina aceita imagens fotografadas ou escaneadas, que são interpretadas normalmente pelos cardiologistas da equipe.

Qualquer aparelho que faz eletrocardiograma está apto a fornecer registros que são aproveitados pelo sistema de telemedicina em nuvem.

Que marca de aparelho de eletrocardiograma é confiável?

Todas as marcas disponíveis no mercado e aprovadas pelas autoridades de saúde oferecem registros confiáveis. 

O que deve ser priorizado é que sejam registradas na Anvisa.

Naturalmente, quanto mais recursos o aparelho fornecer, mais detalhados e precisos serão os gráficos.

Não tenho fundos para comprar. Existe algum aluguel?

Sim, a telemedicina disponibiliza o aluguel em comodato

Funciona assim: o cliente faz um contrato e, ao receber o aparelho, paga uma mensalidade única e recebe de cortesia um número de laudos gratuitos todos os meses.

Não sabemos fazer o exame. É preciso fazer algum curso especial?

Comentei mais acima que o profissional responsável por conduzir o ECG deve ter treinamento.

Porém, a capacitação pode ser concedida pela parceira de telemedicina.

Empresas completas como a Telemedicina Morsch oferecem suporte permanente, o que inclui instalação do equipamento e treinamento da equipe para realizar o eletrocardiograma, enviar os exames e imprimir os laudos.

Telecardiologia

Laudo de eletrocardiograma é o documento médico que mostra o resultado do exame

Telemedicina Morsch: solução na emissão de laudos de eletrocardiograma a distância

Experiente na oferta de serviços cardiológicos desde 2001, a Morsch investe em tecnologia de ponta com uma plataforma de telemedicina em nuvem para fornecer o ambiente ideal para a interpretação de ECG com laudo à distância.

Nosso time de cardiologistas online fica disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana para atender à demanda da sua clínica, entregando laudos online em minutos.

Também disponibilizamos opções de comodato, segunda opinião qualificada e telediagnóstico para outras especialidades, apoiando a expansão do seu negócio.

Teste grátis nossa plataforma ou, se preferir, acesse esta página para conferir todos os benefícios para sua empresa!

Conclusão

O laudo de eletrocardiograma é uma das ferramentas mais utilizadas por cardiologistas e profissionais de outras especialidades. 

Realizá-lo a distância pode otimizar diversas rotinas na sua clínica, oferecendo exames mais rápidos, precisos e baratos.

Clique aqui e saiba mais sobre a telemedicina cardiológica.

Se gostou do conteúdo e quer continuar lendo artigos de cardiologia, acompanhe nosso blog.

 

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin