Motivando a equipe médica faz melhorar o seu desempenho

Por Dr. José Aldair Morsch, 3 de fevereiro de 2016
equipe médica

Ser responsável pelo desempenho de uma equipe médica é um trabalho desafiador. Tentar organizar a estrutura é ainda mais difícil.

Todas as empresas têm uma preocupação comum: a produtividade e a eficiência de seus funcionários.

Um dos principais fatores para o sucesso está em como trabalhar bem, como executar as tarefas corretamente e na metodologia da equipe médica.

Trabalho em equipe é mais do que controlar e monitorar uma equipe médica: envolve ativismo dinâmico, atitude colaborativa, envolvimento, comprometimento e em fornecer as ferramentas necessárias para nossos funcionários desenvolverem a suas tarefas com segurança e confiança.

Não é tarefa fácil de alcançar, pois observamos isso  na liderança de uma empresa de telemedicina onde precisa de mais conhecimento e habilidades do que nunca, além de estratégia e planificação.

Saiba como organizar sua equipe médica e melhorar o desempenho no nosso post de hoje!

A equipe médica compõe o cérebro da sua clínica

Na formação da equipe médica, devemos focar em funcionários que contribuam mais em nossas equipes, aqueles que ativam a criatividade e contribuem não apenas em suas próprias tarefas, mas em projetos gerais e colaboram com os colegas.

Eles são basicamente empregados com alto desempenho, com preparação e qualidades específicas que os tornam perfeitos para trabalhar com os outros e partilhar os seus conhecimentos.

Liderança na equipe médica

O envolvimento e compromisso com os colaboradores deve ser demonstrada sempre, mas lembre-se que a responsabilidade não se limita a controlar e monitorar, mas em melhorar e facilitar a produtividade e a eficiência dos funcionários.

Cooperação

A cooperação pode ser um diferencial para obter funcionários envolvidos em melhorar o desempenho e a produtividade, mas a implementação de um sistema colaborativo requer uma estratégia adequada desenhada única e individualmente para o seu negócio.

E acima de tudo, exige uma comunicação fácil que permite a todos estarem sempre na fase certa do projeto.

Distribuição de tarefas

A melhor maneira de assegurarmos que todos estão cientes dos objetivos da sua empresa de telemedicina, prazos e sua função ou papel na cadeia de trabalho colaborativo, é que as metas a curto, médio e longo prazos estejam claramente definidos e sejam conhecidas por todos através de uma distribuição de tarefas.

A distribuição deve ser definida com eficiência e atender necessidades não só do projeto, mas o perfil de quem a realiza.

Objetivos da equipe médica

Deve ser definida uma série de objetivos que temos de alcançar tanto individualmente, por cada um dos membros de nossa equipe médica, tanto em grupo.

Se todos sabem o seu objetivo e o dos outros, é mais fácil de trabalhar e estar consciente da importância do trabalho pessoal.

Incentive

Incentive os trabalhadores a trabalhar com os outros, a cooperar, compartilhar e cooperar com os colegas.

Reuniões da equipe médica

As reuniões são uma excelente maneira de interagir e fazer seus funcionários se sentirem parte de um projeto: também é em uma reunião que se pode obter feedback, brainstorm, facilitar a integração, a inovação, a criatividade e o intercâmbio de ideias.

A comunicação entre os membros da equipe médica é essencial para o seu funcionamento e, assim, para a produtividade e eficiência.

E lembre-se: Comunicação, comunicação, comunicação

Em resumo, para melhorar o desempenho da sua equipe médica para alcançar uma maior performance, produtividade e eficiência de seus funcionários e/ou colaboradores, deve-se incentivar sempre a comunicação entre todos os membros da equipe de trabalho.

Algo que poucos comentam é sobre participar da produtividade. Combinar uma porcentagem de participação nos lucros traz ainda mais motivação para o grupo.

Não esquece de compartilhar nas redes, assine nosso blog!

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE