Atribuições do técnico de enfermagem do trabalho nas empresas

Por Dr. José Aldair Morsch, 28 de janeiro de 2019
Guia basico de eletrocardiografia Atribuições do técnico de enfermagem do trabalho nas empresas

Antes de explicar quais as atribuições do técnico de enfermagem do trabalho, precisamos saber que essa é uma área essencial pois está diretamente ligada à segurança e saúde das pessoas no ambiente empresarial.

O especialista em enfermagem do trabalho pode atuar tanto em empresas quanto em clínicas de saúde ocupacional – que prestam atendimento às organizações.

Também pode trabalhar em organizações de setores variados, prestando auxílio a equipes médicas ou realizando procedimentos diversos.

Eles estão sempre disponíveis para atender em caso de contratempo relacionado à saúde, além de atuarem de forma preventiva.

Ou seja, oferecem soluções para que ocorram menos acidentes e, principalmente, afastamentos.

Solicite um orçamento

Neste artigo, explicarei o que faz um profissional de enfermagem do trabalho de nível técnico, além de destacar aspectos do mercado em uma área que cresce conforme mais empresas adotam ações de saúde corporativa.

Você também vai conhecer tecnologias disponíveis para reforçar o serviço de emissão de laudos, a exemplo da telemedicina.

Boa leitura!

Quem é o técnico de enfermagem do trabalho?

A prevenção de acidentes é uma das principais atribuições do técnico de enfermagem do trabalho

Além de prevenir acidentes, o técnico em enfermagem do trabalho também presta socorro e atua contra doenças

O técnico em enfermagem do trabalho é um dos profissionais que oferecem suporte no ambiente de trabalho, atuando com foco em socorro e prevenção de acidentes e doenças ocupacionais.

De acordo com a Associação Nacional de Enfermagem do Trabalho (Anent), o técnico está apto a realizar a maioria das atividades em sua área, exceto as privativas do enfermeiro do trabalho.

No caso, ele é responsável por prestar atendimento de urgência dentro do ambiente de trabalho, incluindo primeiros socorros em caso de mal súbito ou acidentes. 

É ele também que cria planos e estratégias visando reduzir os riscos de acidentes dentro das empresas, assim como avalia frequentemente as condições de higiene e periculosidade aos quais o colaborador está exposto.

Fatores como fadiga e insalubridade também são analisados por ele, visando preservar a integridade física e mental do trabalhador. 

Ainda segundo a Anent, o técnico de enfermagem do trabalho deve treinar os profissionais, seja instruindo-os sobre o uso de roupas e materiais adequados, quanto executando programas educativos.

Ou seja: divulgando conhecimentos e estimulando as pessoas a adotarem hábitos saudável para prevenirem doenças ocupacionais e melhorarem sua condição de saúde como um todo.

Em geral, esses profissionais estão presentes em empresas nas quais há ambulatório médico interno, compondo as equipes do SESMT (Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho).

Portanto, sua figura é considerada essencial, pois:

  • Garante a saúde do colaborador;
  • Influencia diretamente na sua produtividade;
  • Gera economia para as empresas, tendo em vista que reduz os afastamentos por acidente.

Legislação e normas para a enfermagem do trabalho

Existem 3 categorias diferentes dentro da área de enfermagem do trabalho

A atuação desses profissionais tem respaldo na lei, veja quais são!

Antes de comentar a legislação, vale lembrar que o setor de enfermagem do trabalho é composto por três categorias profissionais

  1. Enfermeiros do trabalho;
  2. Auxiliares;
  3. Técnicos em enfermagem do trabalho.

No caso dos profissionais com nível superior e especialização – os enfermeiros -, sua atuação está prevista na Lei nº 7.498/86, que aborda a enfermagem de forma geral, e tem complemento na Resolução Cofen nº 581/2018.

Nela, o Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) atualiza os procedimentos para registro de títulos de pós-graduação lato e stricto sensu concedidos a enfermeiros, e aprova a lista das especialidades – o que inclui a grande área da saúde coletiva, e a saúde no trabalho.

curso prático de ECG

Baixe esse kit para ajudar a realizar ecg na prática

Já os técnicos e auxiliares em enfermagem do trabalho têm respaldo na Resolução Cofen nº 238/2000, que fixa normas para qualificação em nível médio de enfermagem do trabalho.

Essa é a principal legislação que aborda as atribuições do técnico de enfermagem do trabalho e, atualmente, se encontra em consulta pública para revisão.

Ou seja, com o objetivo de atualizar a norma, o Cofen está recebendo sugestões de trabalhadores da enfermagem.

Em seguida, a instituição avaliará as sugestões e dará sequência ao processo, expedindo uma nova resolução.

Como citei acima, os profissionais de enfermagem do trabalho costumam fazer parte do SESMT e, portanto, a Norma Regulamentadora 04 do Ministério do Trabalho é outro documento importante.

No texto, estão especificadas as atividades do serviço nas empresas, as atribuições do técnico de enfermagem do trabalho, além da quantidade de profissionais que o compõem – exigida conforme o número de empregados e o grau de risco da companhia.

O que é preciso para ser um técnico de enfermagem do trabalho?

Ensino médico completo e graduação em curso técnico são formações obrigatórias

Ensino médico completo e graduação em curso técnico são formações obrigatórias

Primeiro, é preciso ter concluído o Ensino Médio e, em seguida, realizar curso técnico em enfermagem do trabalho.

Antes de realizar a matrícula, porém, é importante verificar se o curso é reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC).

Portando o certificado de conclusão do curso de qualificação, o profissional pode solicitar registro no Conselho Regional de Enfermagem (Coren) de sua jurisdição.

Outras recomendações estão na Resolução Cofen nº 418/2011.

E para ser um enfermeiro do trabalho?

O enfermeiro do trabalho é aquele que cursou uma graduação em Enfermagem e, portanto, possui registro no Conselho Regional de Enfermagem (Coren).

Após isso, ele se especializou em enfermagem do trabalho, ou seja, passou por uma pós-graduação lato sensu na área. 

Esse curso consiste em uma carga horária de 360 horas, onde teve acesso a disciplinas essenciais, como:

  • Políticas públicas de Saúde do Trabalhador;
  • Toxicologia ocupacional;
  • Educação em saúde ocupacional;
  • Atendimento aos acidentes de trabalho e doenças ocupacionais;
  • Segurança e higiene do trabalho.

Ele pode ser concluído em aproximadamente 12 a 18 meses.

Mercado de trabalho do enfermeiro e técnico de enfermagem do trabalho

Mercado de trabalho do enfermeiro e técnico de enfermagem do trabalho é amplo

Desde o setor público até empresas privadas, o técnico de enfermagem do trabalho pode atuar em diversas áreas

Sabemos que os profissionais de enfermagem do trabalho podem compor as equipes do SESMT, mas isso não é regra.

Dependendo da atividade principal da empresa e da quantidade de funcionários, a NR-04 exige a presença de enfermeiros, técnicos e auxiliares em enfermagem do trabalho.

Portanto, o mercado de trabalho é amplo e variado, já que organizações de muitos setores possuem SESMT.

Construção civil, engenharia e indústria são alguns setores que costumam contratar enfermeiros e técnicos em enfermagem do trabalho.

Isso porque esses segmentos estão enquadrados nos graus de risco mais altos (3 e 4), o que significa maior exposição de trabalhadores a riscos de acidentes e doenças ocupacionais.

Assim, a presença de profissionais de saúde especializados no atendimento dos colaboradores se torna essencial para evitar ou impedir o agravo de patologias relacionadas ao trabalho.

Técnicos em enfermagem do trabalho também podem atuar em clínicas especializadas em medicina ocupacional, prestando apoio aos médicos e realizando exames simples.

Ele também pode atuar em:

  • Escolas;
  • Comércios;
  • Sindicatos;
  • Empresas de todos os portes e segmentos que tenham uma quantidade considerada de colaboradores. 

Quais são as principais atribuições do técnico de enfermagem do trabalho e do enfermeiro do trabalho?

O técnico de enfermagem do trabalho tem o papel de prezar pela saúde e bem-estar dos colaboradores

Prestação de primeiros socorros, curativos, administração de medicamentos são alguns exemplos do trabalho do enfermeiro do trabalho

Neste tópico, vou detalhar um pouco mais as atribuições do técnico de enfermagem do trabalho e também do enfermeiro do trabalho.

Dentro das empresas, esses profissionais atuam, basicamente, na prevenção de patologias, mas também oferecem um primeiro atendimento a ocorrências como acidentes de trabalho.

Neste último caso, eles podem fazer curativos ou imobilizações especiais, bem como administrar medicamentos e tratamentos – encaminhando o profissional para posterior atendimento médico adequado. 

Junto aos demais profissionais do SESMT – médico do trabalho, engenheiro de segurança do trabalho e técnico de segurança do trabalho -, promovem ações para manter os ambientes ocupacionais seguros e saudáveis.

Portanto, a maior parte das atribuições dos enfermeiros e técnicos em enfermagem do trabalho está no campo da prevenção de doenças.

Cabe ao enfermeiro do trabalho avaliar as condições de segurança na empresa, a fim de que tenha informações para elaborar planos de proteção à saúde dos trabalhadores.

Ele é responsável pela execução e análise desses planos, avaliando a presença de fadiga, fatores de insalubridade, riscos e condições de trabalho do menor e da mulher.

Também compete a esse profissional o planejamento e execução de programas educativos, visando a manutenção da saúde e prevenção de doenças entre os empregados.

Como profissional mais qualificado, o enfermeiro organiza as atividades de enfermagem nas organizações, treinando e supervisionando auxiliares de enfermagem.

O registro de dados estatísticos de patologias e acidentes de trabalho é outra atividade realizada por ele.

Atividades e atribuições do técnico de enfermagem do trabalho

A Anent orienta que os técnicos participem da maioria das atividades realizadas pelo enfermeiro.

Isso inclui as seguintes atribuições do técnico de enfermagem do trabalho:

  • Planejamento, programação e orientação das atividades de enfermagem do trabalho
  • Desenvolvimento e execução de programas de avaliação da saúde dos trabalhadores
  • Elaboração e execução de programas de controle das doenças transmissíveis e não transmissíveis e vigilância epidemiológica dos trabalhadores
  • Execução dos programas de higiene e segurança do trabalho e de prevenção de acidentes e de doenças profissionais.

As ações de coordenação ou atendimento de urgência em casos complexos só devem ser realizadas por enfermeiros do trabalho.

Apesar de terem a prevenção como objetivo principal, enfermeiros e técnicos em enfermagem do trabalho podem prestar os primeiros socorros diante de ocorrências dentro das organizações.

Essa prática é mais comum em empresas que possuem ambulatórios ou enfermarias, locais onde os profissionais podem realizar os atendimentos iniciais.

Qual o papel do técnico de enfermagem do trabalho na realização de exames?

Aplicação de exames complementares pelo técnico de enfermagem do trabalho

Em relação a exames, o técnico em enfermagem do trabalho auxilia os médicos e pode realizar testes

Visando ampliar a atenção à saúde, empresas podem contar com estrutura para a realização de exames laboratoriais e de diagnóstico por imagem.

Nesses casos, uma das atribuições do técnico de enfermagem do trabalho é auxiliar os médicos do SESMT, orientando pacientes quanto ao preparo para cada procedimento e até realizar os testes mediante treinamento.

O mesmo ocorre em clínicas especializadas em medicina e saúde no trabalho.

Essas clínicas médicas são contratadas pela maioria das organizações que não possuem ambulatório interno, com o objetivo de realizar exames ocupacionais.

Técnicos em enfermagem do trabalho devidamente capacitados podem conduzir um eletrocardiograma, por exemplo.

O que eles não podem é laudar qualquer um dos exames, pois a análise e emissão de resultados é de competência apenas de médicos especialistas na área do teste.

No caso do eletrocardiograma, apenas um cardiologista com especialização no exame pode produzir e assinar o laudo médico.

Aqui, uma estratégia muito utilizada é a Telemedicina. Através dela, é possível encaminhar automaticamente os exames para serem laudados à distância por especialistas.

Tudo de forma virtual e ágil, obtendo resposta em até 30 minutos – ou em tempo real, dependendo a urgência. 

Quais exames complementares podem ser realizados pelo técnico de enfermagem do trabalho?

Embora várias empresas não se enquadrem na obrigatoriedade de manter um SESMT, todas aquelas que têm funcionários devem custear exames na admissão, demissão, retorno ao trabalho, mudança de função e também periodicamente.

Descritas no Art. 168 da CLT, essas avaliações servem para atestar a aptidão ao trabalho, além de prevenir, rastrear e diagnosticar doenças ou agravos à saúde relacionados à atividade profissional.

Cada avaliação é composta por:

  • Uma entrevista com o trabalhador (anamnese);
  • Exames de laboratório e de diagnóstico.

Considerando a área de atuação, idade e condições de trabalho do empregado, a legislação ou o médico do trabalho solicitam exames complementares.

Um exemplo reconhecido em todo o mundo é o raio X de tórax padrão OIT, utilizado para rastrear pneumoconioses entre trabalhadores expostos a poeiras minerais, como amianto e sílica.

Pneumoconioses são doenças ocupacionais que acometem os pulmões, causando dificuldades respiratórias. Algumas podem levar ao endurecimento dos órgãos e à morte.

Por se tratar de um exame radiográfico, o raio X de tórax padrão OIT só pode ser feito por radiologistas ou técnicos em radiologia.

Mas os exames de outras especialidades – cardiologia, pneumologia e neurologia – podem ser conduzidos por técnicos em enfermagem do trabalho, desde que laudados por médicos especialistas.

O eletrocardiograma pode ser realizado por um técnico em enfermagem do trabalho

Um dos testes complementares mais populares, o eletrocardiograma pode ser realizado por um técnico em enfermagem do trabalho

Eletrocardiograma (ECG)

Responsável pelo bombeamento do sangue por todo o corpo, o músculo cardíaco se movimenta a partir de impulsos elétricos.

A quantidade, frequência e intensidade desses impulsos são identificadas, monitoradas e registradas através do eletrocardiograma.

Por ter um papel relevante no diagnóstico de males cardiovasculares, o ECG é um dos testes complementares mais solicitados por médicos do trabalho.

Eletroencefalograma (EEG)

De forma resumida, o mesmo princípio dos impulsos elétricos está por trás do funcionamento do cérebro, que comanda cada atividade do organismo.

Através de eletrodos fixados na cabeça do paciente, o EEG colhe e registra as informações sobre a atividade cerebral, sendo útil na detecção de doenças neurológicas e distúrbios da consciência.

Espirometria

Também chamado de prova de função pulmonar, o teste mostra a capacidade dos pulmões do trabalhador, indicando possíveis doenças respiratórias, como a asma ocupacional.

A asma é uma inflamação crônica que leva ao estreitamento das vias aéreas e que pode causar falta de ar grave.

Telemedicina como solução na interpretação dos exames complementares

Telemedicina como solução na interpretação dos exames complementares

Em um país com carência de mão de obra para laudar exames, a telemedicina é uma solução segura

Vimos que o treinamento de técnicos é uma solução para reforçar a realização de exames complementares, sendo umas das atribuições do técnico de enfermagem do trabalho.

No entanto, o país não conta com muitos médicos que cumprem as exigências do Conselho Federal de Medicina para laudar esses testes.

O próprio CFM divulgou dados que reforçam a carência de mão de obra médica, especialmente longe dos grandes centros urbanos.

Para se ter uma ideia, a pesquisa Demografia Médica 2018 revelou que 60% desses profissionais estão concentrados em apenas 39 cidades brasileiras, todas com mais de 500 mil habitantes.

O cenário poderia ser ainda pior se não existissem soluções como a telemedicina, que, como comentei acima, permite a emissão de laudos médicos à distância.

Por meio desse serviço, tanto empresas quanto clínicas de saúde ocupacional podem realizar exames e deixar a análise e interpretação a cargo dos especialistas da empresa de telemedicina.

Basta que os testes sejam feitos com equipamentos digitais, capazes de enviar os dados colhidos a um computador.

Depois, o técnico compartilha as informações via plataforma de telemedicina.

Portando login e senha, os especialistas acessam os dados e interpretam os exames à distância, emitindo o laudo online, que é assinado digitalmente.

Assim, ambulatórios e unidades de saúde ganham agilidade, reduzem custos e ampliam o portfólio de serviços, gerando mais lucro.

Como treinar o técnico de enfermagem do trabalho para realização de exames complementares?

Treinamento do técnico de enfermagem do trabalho pode ser realizado à distância

Com uma plataforma online, os técnicos de enfermagem do trabalho podem se capacitar para realizar exames complementares

Se a organização ou clínica não mantiver especialistas na realização de todos os exames ofertados, como capacitar os técnicos de enfermagem do trabalho adequadamente?

A solução para isso também já existe.

Empresas como a Telemedicina Morsch pensaram nessa dificuldade, que pode ser solucionada com treinamentos à distância.

A dinâmica é simples: mediante login e senha, o técnico acessa capacitações disponíveis na própria plataforma de telemedicina.

Além da praticidade, os treinamentos não interferem na rotina de trabalho do profissional, pois ficam disponíveis 24 horas por dia.

Os conteúdos são atualizados e contemplam procedimentos básicos durante o exame, preparo, boas práticas e manuseio de aparelhos digitais.

A Telemedicina Morsch como parceira na emissão de laudos a distância

Com a Telemedicina Morsch, exames são laudados em até 30 minutos

Com uma plataforma de telemedicina completa, é possível ter exames laudos em 30 minutos e equipamentos com regime de comodato

A emissão de laudos e a disponibilidade de um treinamento online são alguns benefícios da telemedicina. Mas não é só isso.

Mesmo clínicas que possuam um time de médicos do trabalho podem melhorar os serviços a partir dos laudos à distância, que são emitidos em minutos.

Com a Telemedicina Morsch, demandas de urgência são analisadas em tempo real.

Essa agilidade auxilia na redução de filas, tempo de espera e, por consequência, no início do tratamento após a confirmação de uma doença.

Livres da tarefa de emitir laudos, os especialistas in loco podem se dedicar a um atendimento mais humanizado, gestão das equipes de saúde, elaboração de documentos e realização de exames complexos.

Quando precisarem se ausentar, como nos períodos de férias, podem ser cobertos pelos especialistas da telemedicina, evitando gastos na contratação de substitutos e o acúmulo na demanda por laudos médicos.

Clientes da Telemedicina Morsch também podem pedir uma segunda opinião qualificada para esclarecer dúvidas sobre exames e alugar aparelhos digitais por regime de comodato.

Ele garante o uso de dispositivos digitais gratuitamente, pagando apenas pelos laudos contratados.

A modalidade é ideal para quem deseja economizar na aquisição de equipamentos digitais, que sempre exigem um investimento alto.

A importância de contar com a enfermagem do trabalho!

Conhecemos, neste artigo, as atribuições do técnico de enfermagem do trabalho e do enfermeiro do trabalho e o funcionamento do seu mercado de trabalho.

Além das atividades de prevenção e socorro aos funcionários, esses profissionais podem conduzir exames complementares, que serão laudados por especialistas.

Deixe que a Telemedicina Morsch seja parceira da sua empresa ou clínica de medicina ocupacional, fornecendo laudos à distância com qualidade e segurança.

Conheça as opções disponíveis no site, faça contato conosco e solicite um teste grátis da nossa plataforma.

Baixe agora mesmo nossos e-books sobre gestão!

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG - Fundação Universidade do Rio Grande - RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE

Entre em contato por WhatsApp
Enviar mensagem pelo WhatsApp