Teste de Romberg: conheça esse exame neurológico

Por Dr. José Aldair Morsch, 14 de julho de 2021
Teste de romberg

Conhecer o teste de Romberg é importante na hora de avaliar o equilíbrio estático de uma pessoa.

Simples e rápido, o procedimento pode sinalizar problemas para que o paciente se mantenha de pé, em especial quando ele não tem o suporte da visão.

Dessa forma, o teste auxilia no diagnóstico de problemas neurológicos, permitindo a adoção de tratamento e cuidados para evitar quedas, por exemplo.

Se você quer aprofundar os conhecimentos sobre esse tema, veio ao lugar certo.

Nas próximas linhas, explico o que é o teste de Romberg, quando é indicado e seus possíveis resultados.

Também trago um bônus para quem deseja qualificar o diagnóstico ou esclarecer dúvidas com agilidade, obtendo uma segunda opinião com o uso da telemedicina.

Vamos lá?

O que é o teste de Romberg? 

Teste de Romberg é uma avaliação clínica que revela alterações no equilíbrio estático do paciente.

O procedimento permite a análise de 3 bases neurofisiológicas que possibilitam o equilíbrio: sistema vestibular, sistema visual e sistema proprioceptivo.

De forma simplificada, podemos dizer que o sistema vestibular foca na orientação da cabeça em relação ao ambiente em redor.

Já o sistema proprioceptivo permite nossa orientação quanto ao corpo e seus movimentos no espaço.

Por fim, o sistema visual coleta e apresenta uma série de informações sobre o ambiente, reforçando nossa capacidade de equilíbrio.

Junto ao meio ambiente, eles são responsáveis por relacionar atividade sensorial e motora para permitir que o corpo se mantenha ereto.

Em artigo, os pesquisadores Antonia Dalla Pria Bankoff e Rafael Bekedorf recordam que:

“Quando se refere a equilíbrio, especifica-se aquela situação na qual o corpo adota uma determinada posição em relação ao espaço, o qual a cabeça é dirigida para cima e a face para frente com ereção do corpo todo com o intuito de posicionar a cabeça na parte alta, essa posição em pé é a posição ortostática ou ereta.”

Então, apesar de parecer algo simples, a tarefa de se manter em pé é bastante complexa.

E o teste de Romberg existe para investigar perturbações que atrapalhem essa tarefa, com impacto negativo nos sistemas vestibular, visual e proprioceptivo.

Exame neurológico

O teste de Romberg serve para investigar obstáculos à tarefa de se manter em pé

Quando o teste de Romberg é feito?

O teste pode ter abordagem preventiva ou para diagnóstico de problemas neurológicos.

No primeiro caso, costuma ser indicado para funcionários contratados para atuar em ambientes perigosos, por exemplo, no trabalho em altura.

O objetivo é evitar quedas que, nesse contexto, podem levar a acidentes de trabalho graves ou até mesmo à morte.

Assim, os empregados passam pelo exame nas clínicas de medicina do trabalho, a fim de conferir se estão liberados a assumir a função, recebendo o atestado de saúde ocupacional (ASO).

Fora do ambiente profissional, alguns grupos de risco recebem recomendação para Romberg com frequência, como os idosos.

Neste estudo, grupos da terceira idade são avaliados pelos fisioterapeutas William Akira Lima Shimizu, Edna de Souza Cruz Uematsu, Caroline Beserra Petelin, Rose Maura dos Santos Brito.

Seu propósito foi rastrear disfunções no sistema vestibular dos pacientes, que tendem a aparecer em decorrência de desgastes por causa do envelhecimento.

Além dos idosos, indivíduos com suspeita de males neurológicos que prejudicam o equilíbrio são candidatos ao Romberg para confirmar ou afastar a suspeita clínica.

Sintomas como tontura, quedas constantes, zumbido e dificuldades na autopercepção em relação ao espaço podem motivar a solicitação do teste pelo médico.

O exame também pode auxiliar no diagnóstico diante de sinais menos sugestivos, como falta de concentração, perda de memória e dificuldades no raciocínio.

Exame romberg

Além do diagnóstico de problemas neurológicos, o exame também pode ter caráter preventivo

O que caracteriza o Romberg positivo

A resposta mais simples para essa questão é: a perda de equilíbrio durante o procedimento.

Para explicar melhor, vou detalhar as etapas do teste de Romberg:

  1. Primeiro, o paciente é orientado pelo profissional que vai conduzir o exame, tomando ciência de que terá suporte se ameaçar cair
  2. Depois, deve se levantar e permanecer parado, em posição ortostática. Significa que deve estar com os pés unidos e os braços pendendo ao lado do corpo
  3. O médico ou técnico de enfermagem ficam ao lado do paciente, prontos para sustentá-lo caso ele perca o equilíbrio
  4. O paciente se mantém em posição ortostática, com os olhos abertos, por cerca de 1 minuto. Essa fase serve para avaliar seu equilíbrio na presença da visão
  5. Depois, deve fechar os olhos e permanecer parado por mais 1 minuto. Essa é a etapa reveladora, pois verifica sua capacidade de se equilibrar sem o apoio da visão.

 

Durante todas as fases, o paciente deve ser capaz de manter a postura ereta, ainda que com pequenas oscilações.

Esse quadro caracteriza resultado negativo para o teste de Romberg.

Já quando o paciente mostra tendência a cair para frente ou para os lados, o Romberg é positivo.

Essa situação pede mais testes para identificar onde está o problema, de que tipo é a lesão e qual a terapia adequada.

Teste romberg

A telemedicina permite consultas com especialistas de forma remota, além dos laudos digitais

Papel da telemedicina em exames neurológicos

Telemedicina é a especialidade médica que conecta pacientes e profissionais de saúde em diferentes localidades.

Usando tecnologias da informação e comunicação (TICs), essa disciplina permite consultas, exames e avaliações a distância, a exemplo do laudo online para exames de imagem.

Na área neurológica, os principais exames laudados de forma remota são eletroencefalograma (EEG) e polissonografia.

Ambos podem ajudar com o diagnóstico de distúrbios após avaliações clínicas como o Romberg.

Além dos laudos digitais, a telemedicina viabiliza o treinamento para o teste a qualquer hora do dia ou da noite, e segurança por meio da segunda opinião médica.

Diante de dúvidas ou resultados inconclusivos, é fundamental contar com a análise de especialistas experientes para qualificar o diagnóstico, concorda?

Sua equipe pode ter esse apoio de modo rápido e prático, acionando o time de especialistas da telemedicina Morsch.

Em minutos, você terá acesso aos conhecimentos de neurologistas prontos para identificar detalhes e auxiliar na tomada de decisões assertivas.

Acesse este link e comece a aproveitar as vantagens da Teleneurologia hoje mesmo!

Conclusão

Apresentei, neste texto, as características e finalidade do teste de Romberg, essencial para investigar problemas neurológicos que interferem no equilíbrio.

Tanto o treinamento quanto a segunda opinião para o teste estão disponíveis na plataforma de telemedicina Morsch para dar suporte a sua equipe.

Se gostou deste conteúdo, deixe um comentário.

Inscreva-se em nossa newsletter e receba as últimas novidades sobre medicina e tecnologia.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE