Telemedicina Cardiológica: o que é, vantagens e como funciona

Por Dr. José Aldair Morsch, 13 de julho de 2019
Telemedicina Cardiológica

A telemedicina cardiológica, também conhecida como telecardiologia ou telecardio, usa a tecnologia da informação para facilitar e permitir a interpretação e emissão de laudos médicos remotamente.

Essa dinâmica também possibilita a troca de informações entre médicos, profissionais de saúde e pacientes, e até a discussão de casos clínicos entre especialistas da área.

Isso tudo é feito a distância, trazendo maior agilidade na hora de diagnosticar uma doença cardíaca, emitir laudos de exames e estabelecer o protocolo de tratamento.

Por meio da telecardiologia, é possível monitorar parâmetros vitais a distância, como ritmo cardíaco, pressão arterial, realizar envio remoto de dados, compartilhar imagens, entre outras funcionalidades.

É dessa forma que a telemedicina melhora o atendimento ao paciente, que terá seu histórico médico analisado por especialistas com agilidade e qualidade, trazendo auxílio para o clínico geral.

Se você quer saber mais sobre o universo da telemedicina e suas aplicações na cardiologia, veio ao lugar certo.

Neste artigo, abordo as vantagens, aplicações e quais exames podem se beneficiar pela telemedicina cardiológica.

Vamos em frente?

O que é Telemedicina Cardiológica?

O que é Telemedicina Cardiológica?

O que é Telemedicina Cardiológica?

Telemedicina cardiológica é uma especialidade médica que disponibiliza a interpretação de testes cardiológicos a distância, resultando em laudos digitais, e avaliação imediata de urgências via teleconferência.

Trata-se de um suporte da tecnologia que agrega valor à rotina de clínicas e hospitais.

Médicos brasileiros conhecem as dificuldades de manter um cardiologista de plantão na clínica.

Por outro lado, é comum a presença de pacientes cardiopatas, que precisam desses especialistas para obter o diagnóstico e tratamento corretos.

Isso é ainda mais frequente em cidades distantes dos grandes centros, nas quais o acesso a um especialista torna-se muito difícil, devido ao deslocamento necessário.

Mas essa barreira pode ser superada com o apoio da telemedicina cardiológica.

Através dela, é possível transmitir os dados de exames realizados, como o eletrocardiograma (ECG), de maneira remota.

Eles serão analisados por um cardiologista e o laudo será emitido em minutos, por meio de uma plataforma de telemedicina online, a qual o cardiologista acessa de onde estiver.

Tudo isso com muita eficiência, possibilitando agilizar o diagnóstico e, consequentemente, o início do tratamento.

Qual a importância da telemedicina cardiológica?

Qual a importância da telemedicina cardiológica?

Qual a importância da telemedicina cardiológica?

O principal mérito dessa especialidade é a ampliação do acesso a testes de monitoramento cardíaco, como o eletrocardiograma e o MAPA de pressão arterial.

Esses exames são importantes na identificação e acompanhamento tanto de pacientes que já sofrem com males cardiovasculares, quanto daqueles que apresentam um ou mais fatores de risco.

A OMS alerta que as patologias cardiovasculares são a maior causa de mortes em todo o mundo, correspondendo a quase um terço dos óbitos em geral.

Para se ter uma ideia, só no Brasil ocorrem 300 mil infartos por ano, sendo 30% deles fatais.

Esse quadro remete à dificuldade no diagnóstico e atendimento precoce dos pacientes, evidenciando a carência de cardiologistas em locais afastados dos grandes centros urbanos.

Com a telemedicina, é possível reverter essa situação, conectando especialistas a qualquer ponto com internet e oferecendo laudos confiáveis a pacientes em áreas remotas.

Quais são as vantagens da telemedicina cardiológica?

Quais são as vantagens da telemedicina cardiológica?

Quais são as vantagens da telemedicina cardiológica?

A aplicação da telemedicina em cardiologia não é uma novidade.

Antes mesmo da popularização da internet, instrumentos como o telégrafo e aparelhos de fax viabilizavam a troca de informações e avaliação de achados do ECG a distância, permitindo que vidas fossem salvas e sequelas, minimizadas.

Com a regulamentação da telemedicina no Brasil, a partir dos anos 2000, a união entre essa especialidade e a cardiologia ganhou força, pois tanto a interpretação a distância do ECG quanto de outros exames simples passou a ser permitida pelo Conselho Federal de Medicina.

Segundo a entidade, testes de baixa complexidade podem ser conduzidos por técnicos em enfermagem treinados, sendo laudados remotamente por especialistas qualificados.

Nascia, então, uma opção mais barata e ágil para aumentar a oferta de exames cardiológicos em todo o Brasil, com o suporte da tecnologia.

Confira, a seguir, os benefícios para clínicas médicas e pacientes.

Vantagens da telemedicina cardiológica para as empresas

Consultórios, clínicas e hospitais que apostam na telemedicina conseguem otimizar a emissão de laudos, ofertando resultados de exames com rapidez e segurança, sem deixar de lado a qualidade.

Isso porque empresas de telemedicina mantêm cardiologistas focados na interpretação dos testes, que ficam prontos em menos de 24 horas.

Clientes da Morsch, por exemplo, recebem o laudo médico em poucos minutos, têm pedidos urgentes avaliados em tempo real e suporte 24 horas por dia.

Além disso, é possível economizar na contratação de cardiologistas in loco, delegando a avaliação de exames aos profissionais da telemedicina.

Mesmo os estabelecimentos que possuem cardiologistas locais podem se beneficiar, pois a emissão de laudos a distância cobre férias, folgas, eventos e outras ausências desse especialista.

Os laudos remotos também custam menos que aqueles elaborados na clínica.

Vantagens da telemedicina cardiológica para os pacientes

Uma das vantagens que já mencionei está na agilidade de entrega dos resultados, acabando com as filas de espera ou deslocamentos para buscar o laudo médico.

Assim, há economia de tempo e dinheiro.

Pesquisas também revelam que a telemedicina beneficia especialmente populações de cidades pequenas, facilitando seu acesso à avaliação cardiológica especializada.

Veja, por exemplo este estudo sobre a implantação do Projeto Minas Telecardio.

Ele mostrou as vantagens de um sistema público de telecardiologia de baixo custo em 82 municípios com menos de 10.500 habitantes.

Em pouco mais de dois anos, 62.865 eletrocardiogramas foram realizados, diminuindo em 70% a necessidade de encaminhamentos de pacientes para outros centros de referência.

Outra vantagem para pacientes é o armazenamento dos laudos na nuvem, que dispensa o arquivamento do prontuário em papel e permite que suas informações médicas estejam sempre disponíveis, bastando uma pesquisa na plataforma de telemedicina.

-> Solicitar um orçamento de telemedicina cardiológica para sua clínica 

Exames contemplados pela telemedicina cardiológica

Exames contemplados pela telemedicina cardiológica

Exames contemplados pela telemedicina cardiológica

Testes de diagnóstico simples que geram imagens e gráficos podem ser laudados a distância, com toda a comodidade e eficiência.

Abaixo, detalho quais exames cardiológicos são contemplados pela telemedicina.

1. Eletrocardiograma

Principal forma de monitorar os impulsos elétricos que fazem o coração bater, o ECG é simples, indolor, rápido e não invasivo.

Sua modalidade mais popular é o eletrocardiograma de rotina, que dura cerca de 5 minutos e serve para sinalizar anormalidades no ritmo cardíaco ou na trajetória da eletricidade pelo miocárdio.

Os dados são coletados por meio de eletrodos fixados no tórax do paciente, que enviam informações ao monitor do aparelho de ECG, formando gráficos em linha.

2. Exame MAPA

Como o nome sugere, a Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial em 24 horas (MAPA) é importante para estudar o comportamento da pressão durante um dia, estabelecendo padrões e identificando anomalias.

Em geral, o teste é solicitado para o acompanhamento de pacientes que sofrem frequentemente com pressão alta (hipertensão) ou baixa (hipotensão).

3. Holter

Esse teste pode ser definido como um eletrocardiograma de alta duração, pois monitora a atividade cardíaca por pelo menos 24 horas.

Assim como na MAPA, o holter colhe e armazena dados em um monitor fixado na cintura do paciente, a fim de estabelecer padrões e investigar sintomas que não aparecem no ECG de rotina.

Isquemia, angina e arritmias são alguns dos distúrbios em que o diagnóstico é favorecido com a realização do holter de ECG.

4. Teste ergométrico em esteira

Também conhecido como eletrocardiograma de esforço, corresponde a uma avaliação cardíaca do paciente enquanto ele se exercita em uma esteira.

A ideia é verificar o comportamento do sistema cardiovascular durante o esforço físico, quando é exigido melhor desempenho do músculo cardíaco.

5. Cálculo do risco cirúrgico pré-operatório

Um dos perigos mais relevantes para quem se submete a uma operação envolve a sobrecarga do aparelho cardiovascular, que pode apresentar mau funcionamento.

Portanto, é essencial verificar a saúde do coração antes de iniciar uma cirurgia.

Essa tarefa é realizada por meio do cálculo do risco cirúrgico pré-operatório, um algoritmo que segue padrões desenvolvidos por sociedades médicas para reduzir as chances de mortalidade.

O risco cirúrgico é calculado com base em entrevista com o paciente, avaliação física e exames subsidiários, como ECG e raio-X de tórax.

6. Tomografia Cardiovascular

Por gerar imagens transversais da região cardíaca, a tomografia é ideal para identificar doenças coronárias sem o uso de contraste.

O exame é indolor, rápido, não invasivo e adequado para pacientes que tenham problemas para se manter em câmaras fechadas – como durante uma ressonância magnética.

7. Ressonância Cardiovascular

A ressonância magnética é um exame mais específico, que produz imagens em alta resolução sem utilizar radiação ionizante.

Isso significa que o exame pode ser feito em crianças e até durante a gravidez, sem oferecer riscos ao paciente.

Normalmente, a ressonância cardiovascular é pedida para avaliar em detalhes a anatomia cardíaca, apoiando o diagnóstico de malformações e doenças congênitas.

Teleconferência na cardiologia

Teleconferência na cardiologia

Teleconferência na cardiologia

Além de ofertar laudos a distância, algumas empresas de telemedicina mantêm cardiologistas de plantão para emitir segunda opinião e avaliar casos urgentes por meio de teleconferência.

Afinal depois de receber o laudo, o médico in loco pode ter dúvidas sobre o diagnóstico, ou perceber que se trata de um caso complicado, a exemplo de infarto ou arritmia.

Nesse cenário, se o profissional desejar, pode entrar em contato com um cardiologista por meio da telemedicina cardiológica e solicitar uma orientação sobre qual a melhor conduta a ser adotada.

Os dois poderão discutir a situação do paciente e estabelecer, juntos, o melhor tratamento para a cardiopatia em questão.

É possível, inclusive, acessar online os dados do prontuário eletrônico do paciente – basta ter conexão com a internet.

Dessa forma, o especialista soluciona dúvidas a distância e fornece orientações tanto para o paciente quanto para o profissional que solicitou a teleconsultoria.

Monitorização cardíaca a distância

Monitorização cardíaca a distância

Monitorização cardíaca a distância

Este é outro serviço que permite um melhor atendimento a pacientes cardiopatas, principalmente aos que contam com implante de dispositivos cardíacos – marcapasso, desfibrilador, holter, medidor de pressão arterial, medidor de glicemia, etc.

A telemedicina permite que sejam acompanhados a distância, reduzindo o número de visitas hospitalares e gastos, além de agregar conforto e segurança para o paciente, que envia os seus dados para o especialista sem sair de casa.

A monitorização remota também é ótima para ambulâncias, UTI e hospitais, pois possibilita uma rápida avaliação cardiológica, mesmo durante emergências.

Como consequência, a fila de espera e as salas lotadas passam a não existir, pois muitos pacientes começam a ter esse atendimento em casa.

Os custos também diminuem, tanto para o paciente, que não precisa se deslocar, quanto para o hospital, que consegue controlar melhor o número de horas extras necessárias para atender às longas filas de espera por atendimento.

Telemedicina cardiológica no infarto agudo do miocárdio

Telemedicina cardiológica no infarto agudo do miocárdio

Telemedicina cardiológica no infarto agudo do miocárdio

O infarto do miocárdio é a morte total ou de parte do coração, provocada pela obstrução completa de uma artéria, impedindo a irrigação do músculo pelo sangue.

Essa condição causa distúrbios no ritmo cardíaco, que podem ser detectados rapidamente por um eletrocardiograma de rotina.

Entretanto, quanto maior a espera pelos resultados do ECG, menores as chances de recuperação do paciente, pois as consequências do infarto pioram com o tempo.

Pensando nisso, empresas como a Telemedicina Morsch criaram um sistema para atender esses casos imediatamente, disponibilizando o laudo de ECG em tempo real.

Dessa forma, o médico in loco pode decidir pela adoção de medidas como a trombólise (dissolução do coágulo na artéria por meio de medicamentos) ou angioplastia primária (dilatação do local obstruído através de um balão).

Essas ações contam com o apoio de entidades como a Socerj (Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro), pois melhoram o prognóstico a curto e longo prazo.

Como contratar a telemedicina cardiológica

Como contratar a telemedicina cardiológica 

Como contratar a telemedicina cardiológica

As empresas de telemedicina disponibilizam vários formatos de prestação de serviços para consultórios, clínicas e hospitais.

Essa opção é viável tanto para clientes que já possuem aparelhos digitais, quanto para aqueles que precisam adquirir equipamentos – que podem reduzir custos escolhendo o aluguel em comodato.

-> Solicitar um orçamento de laudo a distância de ECG para sua clínica 

Não sabe como funciona? Acompanhe no próximo tópico.

Contrate o aparelho de ECG digital em comodato

Se você precisa adquirir um ou mais aparelhos para exames cardiológicos, pode enxugar gastos optando pelo comodato.

Nessa modalidade, o cliente paga uma mensalidade por um pacote de laudos e pode utilizar equipamentos modernos, sem nenhum custo adicional, enquanto durar o contrato.

O cliente recebe aparelhos como o eletrocardiógrafo e holter de última geração em poucos dias, além de suporte remoto e treinamento a distância para usar os dispositivos.

Após receber os equipamentos, basta contatar a empresa de telemedicina para sua instalação remotamente, e o cliente já poderá começar a fazer exames.

-> Saiba mais sobre o comodato de equipamentos médicos

Consulte um cardiologista online para uma segunda opinião

Por fim, com a telemedicina cardiológica é possível se comunicar com médicos, profissionais de saúde e até pacientes para fazer recomendações.

Assim, caso haja dúvidas quanto aos laudos ou conduta a ser empregada, o cliente pode contatar um especialista de plantão via plataforma de telemedicina, e será atendido prontamente.

Sobre a Telemedicina Morsch

Sobre a Telemedicina Morsch

A Telemedicina Morsch é uma das pioneiras no segmento cardiológico, trabalhando na entrega de laudos médicos e aparelhos em comodato para todo o Brasil.

Atualmente, já auxiliamos mais de 700 unidades de saúde, que conseguiram resultados expressivos como economia de tempo e dinheiro, ampliação do portfólio e agilidade.

Para isso, oferecemos soluções completas em telecardiologia, que cobrem as mais variadas demandas, desde laudos até comodato e treinamento de técnicos de enfermagem para que realizem corretamente os exames.

Formada por boas práticas na condução do ECG, MAPA e outros testes, a capacitação é feita totalmente online, podendo ser acessada a qualquer hora do dia ou da noite através do portal de telemedicina, que funciona sem interrupções.

Nossa plataforma é intuitiva e segura, protegendo os dados médicos com criptografia e senhas.

Conclusão

Ao longo deste texto, apresentei as aplicações, exemplos e benefícios da telemedicina cardiológica, com destaque para a emissão de laudos a distância.

A interpretação remota de testes vitais para um bom prognóstico, como o ECG, faz da telecardiologia uma especialidade extremamente relevante no cenário atual, pois elimina barreiras geográficas e conecta unidades de saúde a cardiologistas de modo simples.

Se você planeja começar nessa área ou ampliar sua capacidade de atendimento, conte com a expertise da Telemedicina Morsch.

Entre em contato para mais detalhes, e aproveite para testar gratuitamente nossa plataforma.

Se gostou deste artigo, compartilhe!

Referências Bibliográficas

RIBEIRO, Antonio Luiz P.; ALKMIM, Maria Beatriz; CARDOSO,  Clareci Silva; et al. Implantação de um Sistema de Telecardiologia em Minas Gerais: Projeto Minas Telecardio. Arq. Bras. Cardiol. vol.95 no.1 São Paulo July 2010  Epub June 11, 2010.

Doenças cardiovasculares – OPAS/OMS. 2017.

Infarto do Miocárdio. Socerj.

Doenças cardiovasculares são principal causa de morte no mundo. Governo do Brasil. 2017.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG - Fundação Universidade do Rio Grande - RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE

Entre em contato por WhatsApp
Enviar mensagem pelo WhatsApp