Qual a diferença entre o laudo médico e atestado médico?

Por Dr. José Aldair Morsch, 26 de julho de 2015
diferença entre o laudo médico e atestado médico

laudo médico e o atestado médico estão no topo dos documentos utilizados nas consultas médicas regulares e de urgência.

A busca pelo conceito dos dois documentos é muito grande na internet, visto que ao consultar em qualquer serviço de saúde o paciente realiza exames e solicita um comprovante que esteve em consulta.

Acompanhe as principais diferenças entre laudo médico e atestado médico para saber exatamente o que você precisa na consulta ou mesmo empresas que buscam por laudo médico a distância.

O que é um laudo médico?

Laudo Médico de Telemedicina

Laudo médico de um eletrocardiograma onde descreve os achados encontrados no exame com a sua conclusão final de um exame normal.

O Laudo médico é um documento formal, mais conhecido como resultado de um exame médico como Eletrocardiograma, Eletroencefalograma preenchido por um médico especialista.

Solicite um orçamento

No laudo médico consta a descrição dos elementos encontrados no exame, seja a descrição normal do exame em questão, seja as alterações presentes de acordo com padrões estipulados pelas sociedades médicas que facilitam os médicos falarem a mesma linguagem.

São usados termos técnicos conhecidos pela classe médica e no decorrer do corpo do laudo toda a atividade normal ou alterada está disposta claramente.

O laudo é finalizado com uma conclusão que pode simplesmente estar escrito exame normal ou alterado, até um diagnóstico mais específico, como arritmia cardíaca.

Existem atualmente duas formas de assinatura dos laudos médicos

1- A tradicional com carimbo e assinatura

Neste laudo médico, o especialista está presente no serviço onde foi realizado o exame, analisa, interpreta, conclui e então imprime, carimba e assina com uma caneta em cima ou abaixo do carimbo.

2- A eletrônica ou digital

Usada na plataforma de telemedicina onde aumenta a segurança que é passível de invasão por Hackers e compromete a integridade dos dados.

Também acaba sendo impossível forjar um laudo médico assinado digitalmente, o que garante sua legitimidade.

Neste caso estamos falando de exames realizados através do sistema de telemedicina, onde o técnico realiza o exame numa clinica em qualquer lugar do planeta e envia o exame em arquivo pela internet usando a plataforma de telemedicina em nuvem.

Em tempo real os especialistas também acessam a mesma plataforma e fazem a análise dos exames, interpretando e emitindo os laudos médicos referentes a especialidade que ele domina.

No sistema de telemedicina, a única diferença é o local onde é feito o exame.

Todo processo de análise, interpretação, conclusão e liberação do laudo médico é igual, somente existe a discussão da forma de fazer a assinatura eletrônica.

Atualmente as empresas de Telemedicina usam dois padrões que são a A1 e A3.

De forma prática, a assinatura digital A1 é para uso de clínicas médicas com renovação anual e a assinatura digital A3 é a do médico especialista que assina com validade de 3 anos.

QUERO SABER MAIS SOBRE TELEMEDICINA

Para que serve o laudo médico?

A conclusão do laudo médico serve como documento formal para o paciente e para o médico que pediu o exame e tem que ser capaz  de satisfazer as necessidades  do médico que está investigando uma doença e de certa forma dar uma ideia para o paciente se é um exame normal ou alterado.

Logicamente a interpretação final sempre é do médico que pediu o exame, visto que ele conhece o paciente, escutou as queixas na consulta, examinou e na sua avaliação clínica  já tem formada uma opinião do que pode estar acontecendo.

O laudo médico serve neste caso para confirmar a suspeita do médico que atendeu o paciente.

O laudo médico na urgência

Não é incomum lermos na conclusão dos laudos médicos, principalmente na cardiologia como exames de eletrocardiograma onde o especialista recomenda que procure urgente um especialista por se tratar de um exame de risco.

São casos em que o paciente não pode ligar para o seu médico e simplesmente agendar uma consulta para uma semana, porque até o dia da consulta o paciente poderá não estar mais vivo.

Sempre precisamos levar em conta o local onde se realiza o exame médico, questionar a qualidade dos profissionais que ali trabalham, procurar se informar se o resultado do seu laudo médico foi emitido por um especialista certificado no Conselho Federal de Medicina.

Esteja atento a essas situações para não sair no prejuízo.

Imagine que esse exame feito irá se transformar num laudo médico exigido por uma empresa e o resultado não confiável, com resultado alterado por falhas no processo de realização, poderá influenciar na contratação, na demissão e assim por diante.

É possível o paciente entender o laudo médico fornecido pelo especialista?

Qualquer pessoa que faz um exame e recebe o resultado que chamamos de laudo médico tem a curiosidade e ansiedade de ler o resultado e se certificar que o exame deu normal.

A maioria dos exames concluídos como normais representarem a situação daquele órgão ou sistema envolvido como sendo normal, sem doença, mas pode não finalizar a investigação e apenas conduzir o médico para continuar solicitando outros exames mais profundos até encontrar o diagnóstico que estava procurando.

Deve-se sempre levar o resultado para o médico analisar mesmo que esteja normal para nos certificarmos que foi finalizada a investigação e que realmente está tudo bem.

Muitas doenças silenciosas como Hipertensão, diabetes, só irão se manifestar anos mais tarde quando pouca coisa poderá ser feita para ajudar esse paciente.

O atestado médico e sua relação com o laudo médico

Quando falamos em atestado médico, nos referimos a um documento específico fornecido exclusivamente por um médico, neste caso não importa se é clínico geral ou especialista.

Este documento tem um descritivo padronizado para que ocorra um entendimento entre empresas e órgãos públicos.

No atestado médico são fornecidas informações claras da condição de saúde do paciente, geralmente utilizado nos casos de justificativa de ausência no trabalho por doença, solicitação de auxílio doença nos órgãos públicos ou até mesmo aposentadoria por invalidez.

Quando é solicitado um atestado médico, a rotina do profissional é descrever que o paciente esteve presente na consulta médica, como exemplo na medicina do trabalho, que está sadio para casos de exames admissionais e demissionais  ou quando consultou com seu próprio médico por alguma doença e necessita de afastamento do trabalho para se recuperar.

É de direito do trabalhador que não apareça o nome da doença para não constrangi-lo, mas algumas empresas tem a política e direito que pelo menos o CID que é o código da doença apareça para que o médico da empresa possa acompanhar o processo de recuperação.

No momento em que o paciente procurou um atendimento médico se queixando de algo, seja dor, febre, falta de ar, etc… e o profissional suspeitou de alguma doença, é neste momento que o laudo médico se relaciona com o atestado médico.

Se ao realizar o exame solicitado e o resultado do exame, chamado laudo médico apresentar o diagnóstico da doença na conclusão, o profissional usa este documento para preencher o atestado médico e propiciar ao paciente alguns dias de afastamento do trabalho.

O atestado médico dá o direito ao paciente para ser recuperar ou até mesmo encaminhar auxílio doença em casos de longos afastamentos, usando o CID no atestado e anexando no momento da entrega ao paciente.

Existe total segurança no uso dos laudos médicos e atestados médicos? 

A resposta é não.

Como todos sabem, vivemos num mundo de gananciosos, de gente sem caráter e todo o processo desde a realização do exame médico para se obter o laudo médico até a própria formulação do atestado médico são passíveis de discussão.

Veremos alguns pontos tanto na emissão dos laudos médicos quanto nos atestados médicos.

6 situações que comprometem a qualidade dos laudos médicos

1- Aparelho usado no exame está ultrapassado

Não segue a tecnologia digital que existe ao nosso dispor

2- Técnico que realiza o exame mal preparado

Por estar desatualizado, não executa o exame com perfeição e não é fiscalizado

APROVEITE E BAIXE O CURSO GRATUITO DE ECG

3- O especialista que emite o laudo médico está desatualizado

Não participa de congressos, não se interagem com novas doenças

4- A empresa terceiriza mal a interpretação

Envia o arquivo digital para ser laudado por uma empresa de telemedicina que não soube escolher os profissionais que emitem os laudos e estão desqualificados.

SOLICITE UM ORÇAMENTO DE LAUDOS DA TELEMEDICINAMORSCH

5- Parcerias criminosas

Para forjar resultados de laudos médicos que possam servir para que o médico utilize o resultado para preencher atestados falsos para aposentadoria.

6- Falta de assinatura digital

Os laudos médicos que comprovam a doença devem ter autenticidade e segurança de quem forneceu o laudo médico, usando assinatura digital A1 ou A3.

4 situações que comprometem a qualidade do atestado médico

1- O médico se baseia num laudo médico de um exame mal feito

O exame mal feito e mal interpretado pode comprometer a decisão do médico que vai avaliar o paciente.

2- O paciente simula para o médico

Sintomas que induzem o médico a pensar em doenças mentais que não necessitam de exames complementares para se fazer um diagnóstico

3- O médico é induzido a fornecer os atestados

Nas consultas particulares especificamente o paciente pressiona o médico para se ausentar do trabalho com atestados sem fundamento.

4- Parcerias criminosas nos atestados

Todo o processo envolvido como:

  • A execução do exame que gera um laudo médico com diagnóstico fictício,
  • Profissional corrupto que forja o atestado se omitindo do compromisso de ética visto que tem um laudo médico alterado,
  • Advogado que orienta todo o processo para uma aposentadoria ou afastamento de longa data e que no final cada um dos envolvidos fique com uma fatia do bolo.

Para minimizar as perdas com esse tipo de seguimento na formulação de laudos médicos, aceitação pelos órgãos públicos como INSS desses atestados, cada vez mais processos são encaminhados para serem analisado por peritos federais especialistas autônomos daquela especialidade em questão.

Áreas  da Cardiologia, Neurologia ou qualquer outra, onde o especialista analisa todo o processo, examina o paciente, solicita novos exames se for necessário e se posiciona favorável ou não ao autor da ação que gerou o processo de solicitação do benefício.

Não precisamos pensar muito nem fazer muitos cálculos para perceber os gastos envolvidos neste processo.

Enfim, o conhecimento deste processo de laudo médico e atestado médico auxilia o paciente a se posicionar melhor junto aos serviços de saúde e junto ás empresas.

Também torna mais compreensível essa jornada de atendimento médico que rotineiramente acontece em todas as empresas, consultórios e hospitais deste País.

Para empresas que buscam laudo médico para seus exames, optem por serviços de Telemedicina com assinatura digital.

Gostou do artigo? Compartilhe!

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FURG - Fundação Universidade do Rio Grande - RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia pela PUC-RS. Pós-graduação em Cardiologia Pediátrica pela PUC-RS. Linkedin

COMPARTILHE

Entre em contato por WhatsApp
Enviar mensagem pelo WhatsApp