Como montar uma clínica radiológica: serviços, planejamento e normas

Por Dr. José Aldair Morsch, 21 de dezembro de 2018
Como montar uma clínica radiológica: serviços, planejamento e normas

Quer investir na área da saúde e deseja aprender como montar uma clínica radiológica?

Não há dúvidas de que um negócio promissor pode nascer aí, mas também cercado de grandes responsabilidades.

Uma clínica de saúde não deixa de ser uma empresa e, portanto, precisa de um bom planejamento, administração, serviços de qualidade e preço adequado para atrair clientes e gerar lucro.

Em se tratando de uma clínica de radiologia, unidade que envolve o uso de radiação, é preciso ter alguns cuidados a mais.

Mas não se preocupe, pois, neste artigo, trago um guia completo que ensina como montar uma clínica de radiologia médica.

Você vai saber quais são os passos para tirar essa ideia do papel, conhecer as normas para montar consultório médico e como usar a tecnologia para fazer da sua clínica um sucesso.

Ficou interessado?

Então, boa leitura!

O que é uma clínica de radiologia?

O que é uma clínica de radiologia?

O que é uma clínica de radiologia?

Clínica de radiologia é um estabelecimento de saúde voltado para atividades radiológicas, ou seja, que utilizam radiação para fins específicos.

Esse estabelecimento pode ter foco em radiologia médica, odontológica ou em exames de imagem.

A radiologia médica é uma especialidade que usa diferentes tipos de radiação com fins diagnósticos e terapêuticos.

A radiologia odontológica, por sua vez, usa a radiação para apoio ao diagnóstico odontológico, como em radiografias internas da boca.

Já uma unidade especializada em exames de imagem realiza mamografias, densitometria óssea e outros testes que dão suporte ao diagnóstico.

Quem pode abrir uma clínica de radiologia?

Quem pode abrir uma clínica de radiologia?

Quem pode abrir uma clínica de radiologia?

Como informa o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), os serviços de saúde – incluindo aí clínicas radiológicas – costumam ser bastante lucrativos.

No entanto, pela natureza das atividades, é necessário que o negócio esteja registrado no nome de um especialista em saúde.

Então, anote aí o primeiro requisito obrigatório sobre como montar uma clínica radiológica: o responsável deve ter registro no Conselho Regional de Medicina (CRM) ou no Conselho Regional de Odontologia (CRO).

Essa exigência agrega maior segurança para a empresa, funcionários e pacientes, pois o responsável tem formação em saúde.

Também facilita a fiscalização e rastreamento de irregularidades por órgãos públicos.

Principais serviços e exames de uma clínica radiológica médica

Principais serviços e exames de uma clínica radiológica médica

Principais serviços e exames de uma clínica radiológica médica

Como referi acima, a radiologia médica inclui procedimentos com fins terapêuticos, que podem ser minimamente invasivos.

Um exemplo é a biópsia, que colhe uma pequena parte de um tecido para analisá-la e, a partir desses dados, recomendar o tratamento adequado.

No entanto, os centros de diagnóstico por imagem, especializados em testes não invasivos, são maioria nesse segmento.

Isso porque, sem a oferta de procedimentos invasivos, não é necessário possuir grande estrutura, simplificando o atendimento nesses locais.

O risco de complicações e emergências também diminui quando não há exames invasivos.

Os centros de diagnóstico por imagem podem prestar serviços em parceria com convênios, com o Sistema Único de Saúde (SUS) e na rede particular.

A seguir, conheça alguns procedimentos comuns realizados nessas unidades e saiba como montar uma clínica de radiologia médica:

Radiografias

São testes que usam radiação ionizante para colher imagens de partes internas do corpo.

No raio X, as imagens aparecem em duas dimensões, mais claras ou escuras, de acordo com a densidade do tecido registrado.

Os ossos, por exemplo, por serem mais densos, aparecem em branco.

Já órgãos e partes moles são vistos em tons mais escuros.

Tomografias

Evolução da radiografia, a tomografia usa um aparelho com um tubo que gira 360 graus em torno do paciente, captando cortes da área estudada a partir de diversos ângulos.

Uma única tomografia colhe centenas de radiografias da área estudada.

Os tomógrafos mais modernos permitem, inclusive, que as imagens sejam sobrepostas, formando registros em 3D.

Densitometria óssea

Importante no rastreamento de doenças como a osteoporose, esse exame também usa radiação ionizante.

Sua principal função é medir a densidade do tecido ósseo, a fim de evidenciar áreas enfraquecidas ou outras anomalias.

Mamografia

Também chamado de radiografia das mamas, o exame usa radiação ionizante para avaliar o tecido mamário.

Devido à alta sensibilidade, alcançada principalmente pela mamografia digital, é amplamente utilizado no rastreamento e detecção precoce de câncer de mama, em diversos países.

Dados da Organização Mundial da Saúde alertam que o câncer de mama é o segundo mais comum entre as mulheres em todo o planeta.

A cada ano, são informados mais de 2 milhões de novos casos da doença que, quando descoberta precocemente, tem chances de cura superiores a 90%.

Ultrassom

A ultrassonografia utiliza ondas sonoras de alta frequência para obter imagens de áreas internas, estáticas e em movimento.

Esse teste é comum para a observação do funcionamento de órgãos, além do desenvolvimento fetal durante a gestação.

Um exemplo bem conhecido é a ecocardiografia, que usa ultrassom para colher imagens do coração.

Ressonância magnética

Esse exame é um dos mais modernos no campo da radiologia médica.

Um dos seus benefícios é que ele não utiliza radiação ionizante, e sim um campo magnético.

Na ressonância, são geradas imagens de alta resolução de várias partes do organismo.

Como montar uma clínica radiológica

Como montar uma clínica radiológica

Como montar uma clínica radiológica

Depois de conhecer os exames, é hora de descobrir como montar uma clínica radiológica e tirar esse projeto do papel.

Em primeiro lugar, saiba que será necessário fazer um bom investimento inicial.

Tome como exemplo esta reportagem, que mostra que abrir uma franquia de clínica de diagnóstico por imagem na área de odontologia custava entre 400 e 600 mil reais em 2013.

Na época, a taxa de franquia ficava em 50 mil reais, com um capital de giro de 25 mil.

São números de cinco anos atrás, portanto, servem apenas para conhecimento, não como referência.

Antes de dar início ao negócio, é importante realizar uma pesquisa aprofundada sobre o mercado. Vale conversar com possíveis fornecedores, parceiros e até concorrentes.

Isso sem falar nos aspectos legais, sobre os quais vou falar mais detalhadamente em seguida.

Mas, desde já, saiba que será necessário conseguir a licença de operação junto à prefeitura.

De acordo com a Portaria 453/98 do Ministério da Saúde, nenhum serviço de diagnóstico pode funcionar se não estiver licenciado pela autoridade sanitária local.

Vamos, então, começar a montar a sua clínica radiológica, iniciando pelo planejamento desse negócio.

Planejamento da clínica radiológica

Uma clínica radiológica é um negócio que engloba particularidades, muito em razão da radiação ionizante.

Também é preciso planejar com detalhes os procedimentos que serão realizados, a gestão, a organização financeira, a divulgação, as exigências legais, a estrutura, os recursos humanos e equipamentos.

A etapa de planejamento é o momento ideal para traçar metas e ações para o seu cumprimento.

O planejamento força a visão no longo prazo, tornando visível a decisão e alocação de recursos.

Assim, a clínica estará preparada para mudanças, sempre comuns no mercado.

Estrutura da clínica radiológica

A estrutura vai depender dos serviços ofertados, para quantos pacientes por dia e do que diz a legislação em cada caso.

Mas, de maneira geral, uma clínica de radiologia médica precisa ter sala de espera, recepção e área de registro para pacientes, escritório e vestiário.

Precisa contar, ainda, com salas especiais para os equipamentos e laudos, além de uma área separada para outros serviços.

O tamanho da clínica deve respeitar a legislação vigente, que considera o tipo e quantidade de aparelhos radiológicos disponíveis.

Assim, o mais comum é que sejam contratados profissionais especializados para a construção ou reforma do local onde a clínica vai funcionar.

Lista de máquinas e equipamentos para clínica de radiologia médica ou hospitalar

Lista de máquinas e equipamentos para clínica de radiologia médica ou hospitalar

Lista de máquinas e equipamentos para clínica de radiologia médica ou hospitalar

Conforme a Portaria 453/98 do Ministério da Saúde, todos os equipamentos médicos e hospitalares devem possuir registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Conheça alguns itens comuns nesses estabelecimentos e saiba como montar uma clínica de radiologia médica:

Profissionais necessários para o funcionamento da clínica radiológica

Este quesito também depende do tamanho e dos serviços prestados, então, vamos tomar como base uma pequena clínica.

Para funcionar, ela precisa ter uma recepção, agendamento de exames, limpeza e, claro, realizar os testes de diagnóstico.

Assim, será necessário contratar pelo menos um médico radiologista, que ficará responsável pela área técnica.

Como determina o Conselho Federal de Medicina, radiografias simples, que não utilizem contraste, incluindo a mamografia, podem ser realizadas por técnicos em radiologia.

Portanto, um ou mais técnicos deverão compor a equipe.

Recepcionistas, atendentes e profissionais de limpeza – que podem ser de uma empresa terceirizada – também farão parte do dia a dia na unidade de saúde.

Localização da clínica de radiologia

A localização será apresentada e validada pela Prefeitura e autoridades sanitárias locais, após a aprovação do funcionamento da clínica.

Isso ocorre por duas razões.

Primeiro, porque, no local, serão emitidas doses de radiação ionizante, que precisam ser isoladas e controladas.

Segundo, porque é interessante que a clínica seja instalada perto de algum hospital.

Caso ocorram acidentes durante os exames, o paciente será socorrido e encaminhado para um centro de referência rapidamente.

Normas do Ministério da Saúde para os serviços e clínicas de radiologia

Normas do Ministério da Saúde para os serviços e clínicas de radiologia

Normas do Ministério da Saúde para os serviços e clínicas de radiologia

As principais legislações que precisam ser observadas são a RDC nº 50/2012 da Anvisa e a já citada Portaria 453/98 do Ministério da Saúde.

A primeira aborda o regulamento técnico para planejamento, programação, elaboração e avaliação de projetos físicos de estabelecimentos de saúde.

O texto especifica como devem ser as construções e reformas.

Já a Portaria 453/98 do Ministério da Saúde aprova regulamento técnico com diretrizes básicas de proteção radiológica em clínicas de radiodiagnóstico médico e odontológico.

Ela contém informações sobre inspeções sanitárias, infrações e autoridades sanitárias em nível nacional (Anvisa), estadual e municipal.

Também estabelece exigências que devem estar presentes desde o projeto de construção ou reforma da clínica, a fim de reduzir as exposições à radiação ionizante.

Um exemplo é a blindagem de portas, paredes, piso e teto.

O estabelecimento deverá ter um responsável técnico – um médico ou odontólogo que responderá pelos procedimentos radiológicos no âmbito do serviço.

Um membro da equipe de saúde (o supervisor de proteção radiológica de radiodiagnóstico) deverá se responsabilizar pelas ações relativas ao programa de proteção radiológica.

Riscos e cuidados com a radioatividade

Riscos e cuidados com a radioatividade

Riscos e cuidados com a radioatividade

Entidades como a OMS e o Ministério da Saúde têm alertado sobre os perigos e efeito cumulativo da radiação ionizante nos seres vivos.

Essa radiação está relacionada ao desenvolvimento de vários tipos de câncer, pois é capaz de alterar as células.

Como muitos procedimentos radiológicos utilizam raios X, a legislação vigente contempla um programa para redução da exposição de funcionários, pacientes e comunidade no entorno das clínicas radiológicas.

Além da blindagem, os empregadores precisam adotar medidas como monitoramento e controle de saúde dos trabalhadores expostos, provendo equipamentos de proteção individual.

Vestimentas de proteção também devem ser disponibilizadas aos pacientes e acompanhantes.

As equipes da clínica precisam estar sempre atualizadas, de forma que consigam conduzir testes radiológicos com a mínima exposição necessária para registro das imagens.

Outro ponto importante é a calibração, controle de qualidade e operação dos equipamentos que usam raio X.

Como a Telemedicina e laudo a distância podem contribuir para a eficiência da clínica de radiologia

Como a Telemedicina e laudo a distância podem contribuir para a eficiência da clínica de radiologia

Como a Telemedicina e laudo a distância podem contribuir para a eficiência da clínica de radiologia

Como vimos até aqui, não há como montar uma clínica radiológica sem investir nessa ideia.

Mesmo que a estrutura seja pequena, os custos são altos.

O laudo a distância é uma facilidade que a Telemedicina Morsch oferece aos seus parceiros.

Os laudos são um reforço interessante para clínicas de todos os portes, suprindo a demanda da clínica e também liberando especialistas para outras atividades.

Enquanto isso, especialistas da empresa de telemedicina acessam a plataforma de maneira segura, e avaliam os dados de exame à luz da suspeita clínica e histórico do paciente.

Eles emitem o laudo online, e o assinam digitalmente.

Através da telemedicina, a equipe da clínica radiológica também pode contar com a segunda opinião qualificada, extremamente útil para esclarecer dúvidas quanto a alguns resultados.

Além disso, com a plataforma de telemedicina, as clínicas armazenam as informações de exames e pacientes na nuvem, de forma segura.

Quando necessário, esses dados podem ser encontrados facilmente através de pesquisa, além de serem cruzados, contribuindo para diagnósticos mais assertivos.

Essas são algumas das razões que têm levado clínicas de todo o país a firmar parceria com empresas de telemedicina.

Conclusão

Neste artigo, abordei como montar uma clínica radiológica, apresentando um passo a passo, dicas e informações valiosas para começar um negócio na área da saúde.

Como vimos, essa é uma ideia que exige um bom investimento, mas que pode se tornar viável graças ao apoio da tecnologia.

Conte com a Telemedicina Morsch para dar o suporte que você precisa na oferta de exames de imagem.

Fale conosco para conhecer serviços pensados para clínicas de radiologia e solicite um teste grátis da nossa plataforma.

Se gostou deste conteúdo, compartilhe com sua rede de contatos.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG - Fundação Universidade do Rio Grande - RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE

Entre em contato por WhatsApp
Enviar mensagem pelo WhatsApp