Como montar uma clínica com custo zero em equipamentos

Por Dr. José Aldair Morsch, 3 de outubro de 2019
Como montar uma clínica com custo zero em equipamentos

Quem pensa em empreender na área médica tem como compromisso inadiável aprender como montar uma clínica.

Abrir o artigo com essa ressalva é importante, porque nenhum negócio bem-sucedido nasce sem planejamento e organização.

Esses são dois elementos de presença obrigatória para iniciar qualquer empresa – e não seria diferente com uma clínica médica.

Fácil não é. Porém, você não precisa desanimar, ainda que não tenha muito capital para um investimento inicial no novo negócio.

Como você vai ver ao longo da leitura, existem formas de economizar na clínica sem prejuízos ao atendimento.

Solicite um orçamento

Com o apoio da tecnologia, inclusive, é possível ampliar a oferta de exames, maximizar os ganhos e reduzir despesas com folha de pagamento e equipamentos médicos.

É sobre isso que vou falar agora.

Se você quer saber como montar uma clínica médica com custo zero em aparelhos, acompanhe até o final.

Como montar uma clínica: planejamento e organização

Como montar uma clínica: planejamento e organização 

Como montar uma clínica: planejamento e organização

O primeiro ponto a ser considerado antes de abrir uma clínica é o planejamento.

Por planejamento, entenda a definição de estratégias e de uma sequência de ações elaboradas com base na análise do mercado, e não em achismos.

Para começar, busque levantar informações sobre o seu público-alvo, concorrentes, características da área de atuação e das especialidades que deseja oferecer, entre outros dados.

Nesse sentido, montar um plano de negócios pode ser uma ótima ideia, pois ele é um documento que irá ajudar a organizar melhor tudo o que você quer e precisa com a sua nova empresa.

Planejar os custos com equipamentos e contratação de pessoal, investimentos em manutenção, infraestrutura e divulgação são alguns dos pontos abordados nesse documento.

Além, claro, de trazer todos os objetivos e as etapas para que o seu negócio seja bem-sucedido.

Ele pode até parecer um pouco complicado para quem nunca teve experiência em gestão de empresas, mas é uma ferramenta extremamente útil para a organização e estruturação da sua clínica, além de auxiliar no cumprimento de exigências legais.

Uma boa prática é buscar o suporte do Sebrae, que disponibiliza um guia completo e também um software específico para ajudar na elaboração de um plano de negócios.

Qual o principal objetivo da clínica médica?

A clínica médica é uma empresa do ramo de saúde que tem como objetivo principal a realização de exames e consultas nas mais diferentes especialidades médicas.

Pode, também, direcionar seus serviços a apenas uma área médica, como Medicina do Trabalho, cardiologia, neurologia, pneumologia ou radiologia, entre outras.

Então, seja um estabelecimento mais genérico ou especializado, a missão será a mesma: atuar em prol da saúde e bem-estar dos pacientes, oferecendo as condições necessárias para que ele seja acolhido e bem atendido em suas necessidades.

Como administrar uma clínica médica?

Como administrar uma clínica médica?

Como administrar uma clínica médica?

Com o plano de negócios estruturado e em mãos, você terá muito mais controle e organização para administrar a clínica médica.

Isso porque, como vimos, o documento reúne todos os principais objetivos da sua empresa, traz uma análise de mercado e detalha todos os passos necessários para que a gestão seja bem-sucedida.

Também aborda informações sobre o cenário do empreendimento, sua área de atuação, os investimentos realizados e os que serão necessários, as atividades e os serviços prestados etc.

Ao ter todos esses dados organizados, é possível ter uma base muito mais sólida para gerenciar a clínica e tomar decisões quanto à sua instalação (que tipo de exames vai oferecer, por exemplo) e também sobre o seu futuro, como novos consultórios ou oferta de diferentes serviços.

Além disso, é essencial que você veja a sua clínica como um negócio que precisa cobrir custos e gerar lucros.

Quando o administrador não a enxerga dessa forma, ele se aproxima perigosamente do insucesso.

Outro ponto importante é sempre buscar novas formas e estratégias para atrair pacientes, qualificando o atendimento e ampliando a oferta de serviços.

Administrar uma clínica médica, portanto, exige saber lidar com aspectos operacionais e financeiros, mas também demandas de marketing e de recursos humanos, apenas para citar alguns exemplos.

Não é uma aventura, mas pode ser um desafio prazeroso e recompensador. Só depende de você.

No que eu devo investir para montar uma clínica?

No que eu devo investir para montar uma clínica? 

No que eu devo investir para montar uma clínica?

Saber como montar uma clínica médica passa, necessariamente, pelo aspecto financeiro.

Até porque há custos iniciais dos quais não se pode fugir, ou não haverá como oferecer exames e consultas ao público.

Estou falando, por exemplo, da contratação de profissionais qualificados (e especialistas nas áreas médicas de sua escolha) e da aquisição de equipamentos médicos, essenciais para a oferta de exames.

Equipe e estrutura, portanto, são os investimentos básicos que você precisa fazer.

Por um lado, eles podem ter uma exigência financeira tão alta que inviabilize a sua ideia de negócio.

Por outro, é justamente nesse ponto que estão as principais oportunidades de economizar.

Falarei mais sobre isso ainda neste artigo. Então, siga acompanhando.

Passos básicos para montar uma clínica médica

Passos básicos para montar uma clínica médica 

Passos básicos para montar uma clínica médica

Agora que você já sabe da importância de ter um plano de negócios e como administrar a sua clínica, veja alguns passos importantes que devem ser seguidos no momento de montar o seu novo negócio.

1. Definir a organização dos serviços da clínica e estrutura jurídica

Com o plano de negócios em mãos, é momento de definir qual será a área de atuação da clínica e, com isso, os serviços que serão oferecidos.

A categorização das unidades de saúde privadas no Brasil é realizada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (Anvisa).

A partir dessa definição, já é possível decidir como será a estrutura jurídica da empresa que será mais adequada: sociedade limitada, empresa individual de responsabilidade limitada ou outra.

2. Planejamento tributário da clínica

Saber qual será o planejamento tributário da clínica é essencial para entender alguns dos principais custos fixos do seu empreendimento.

Na área de saúde, o gestor que for abrir uma clínica pode optar pelo Lucro Presumido, Lucro Real ou ainda pelo Simples Nacional.

A escolha ocorre após a definição do registro na Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE).

Ela é uma lista criada e atualizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e que padroniza todos os critérios de tributação das empresas, de acordo com a sua atividade econômica.

No caso de consultórios médicos, quase todos se enquadram na Subclasse 86.30-5, que diz respeito às atividades de atenção ambulatorial executadas por médicos e odontólogos.

Após isso, o gestor saberá quais serão os impostos recolhidos e em qual periodicidade eles deverão ser pagos.

Nessa etapa, é fundamental ter o suporte de um contador ou escritório de contabilidade.

3. Definir custos e investimento

Esse passo torna-se mais simples quando os anteriores já foram realizados e você já possui um plano de negócios bem estruturado.

É importante levar em conta todos os custos que você terá com seu empreendimento, como aqueles já citados: investimento em equipamentos, infraestrutura, contratação de pessoal, documentação e taxas.

Existem algumas documentações obrigatórias e que são parte importante do custo fixo da empresa, como os impostos a serem recolhidos.

Agora, é um bom momento de começar a compreender o que é o fluxo de caixa e projetar receitas e despesas.

Essa ferramenta contábil auxilia no registro de todas as transações financeiras de um empreendimento.

4. Definir o local da clínica

A localização é um fator que deve levar em conta não apenas a facilidade de acesso ou a região em que a clínica será instalada, mas também a proximidade a hospitais para eventual necessidade de encaminhamento de pacientes.

Mas, mais do que isso, durante a escolha do local, devem ser observadas algumas regras que são importantes para o funcionamento adequado da clínica.

Falo, por exemplo, de restrições quanto a esse tipo de negócio.

Por esse motivo, é importante que um arquiteto ou engenheiro seja consultado, ainda mais que pode ser necessário que haja um responsável técnico pelo funcionamento do espaço.

5. Organizar a estrutura física da clínica e equipamentos

Definido o local, é momento de organizar a infraestrutura do seu estabelecimento.

Veja onde os equipamentos serão instalados, planeje os espaços para cada serviço e os locais e estruturas necessárias para que toda a operação aconteça de forma segura para funcionários e pacientes.

Nesse sentido, é importante observar as exigências das legislações e normas da Anvisa, como a RDC nº 50/2012 e a RDC 153/2017.

Ainda sobre o tema, recomendo a leitura do meu artigo que aborda detalhes a respeito das normas para abrir consultório médico.

6. Seleção, contratação de pessoal e treinamento

Os profissionais que atuarão na clínica são fundamentais para que você ofereça um serviço de qualidade.

Portanto, é necessário avaliar qual será a sua capacidade de atendimento e horário de funcionamento, os serviços que serão terceirizados e o seu orçamento.

Isso definido, é momento de selecionar os profissionais que atuarão em seu empreendimento, sejam eles da área de saúde ou administrativa. Depois, contratá-los e capacitá-los.

Treinamentos para atualização e padronização de procedimentos são fundamentais para que o serviço mantenha a mesma qualidade, tendo foco na satisfação dos pacientes.

7. Formalização e documentação da clínica

A abertura de uma clínica e a sua formalização envolve tarefas burocráticas e a obtenção de diversas documentações.

Além do alvará de funcionamento (que é emitido pela prefeitura) e do registro no CNAE, também são necessários:

  • Licença de funcionamento sanitária
  • Certificado de conformidade do Corpo de Bombeiros
  • Cadastro da clínica no departamento de limpeza urbana do município.

Outros documentos podem ser exigidos conforme o município ou estado de instalação da sua clínica médica.

E os equipamentos? Como montar uma clínica sem dinheiro?

E os equipamentos? Como montar uma clínica sem dinheiro?

E os equipamentos? Como montar uma clínica sem dinheiro?

Certamente, a parte mais cara e também a que leva mais tempo para ser montada nas clínicas médicas tradicionais é aquela que envolve a compra dos equipamentos.

Mas, como fazer isso quando não se tem verba para ter máquinas próprias?

Uma opção atual, que pode ser extremamente mais viável e atrativa, é utilizar a modalidade de aluguel de equipamentos em forma de comodato.

Você lembra que eu comentei antes que é nesse ponto que está uma bela oportunidade de economia?

Então, agora, chegou o momento de explicar.

O comodato é um aluguel sem custos de equipamentos médicos em contrapartida à contratação de outro serviço.

Para clínicas médicas, a oportunidade está na telemedicina. Assim, contratando um pacote de laudos de exames, você pode ter acesso ao comodato e não desembolsar nada com os aparelhos.

Funciona assim, por exemplo, para a realização de exames como eletroencefalograma, eletrocardiograma e espirometria.

A melhor parte é que esse tipo de equipamento ainda possibilita um laudo médico até mais rápido e eficiente.

Países como Estados Unidos e Europa já apostam na telemedicina há muitos anos e, certamente, estão economizando – e ganhando – muito dinheiro com isso.

Mas, no Brasil, a tecnologia e o comodato também já são uma realidade.

E isso ajuda a reduzir custos importantes ao montar uma clínica, além de permitir que os laudos médicos fiquem prontos com maior rapidez e de forma mais prática, sem perder a qualidade.

Como funciona a telemedicina ao decidir como montar uma clínica?

Como funciona a telemedicina ao decidir como montar uma clínica?

Como funciona a telemedicina ao decidir como montar uma clínica?

A partir de tecnologias de informação e comunicação, clínicas e hospitais podem se beneficiar da telemedicina.

Esse é um modelo de atendimento a distância que abrange várias especialidades médicas e que trouxe maior acessibilidade e praticidade para unidades de saúde em todos os cantos do país.

Mas, afinal, como ela funciona?

O cliente que contrata o serviço de telemedicina recebe treinamento para aprender a realizar os exames e enviar para a plataforma de telemedicina.

No ambiente online, especialistas da empresa parceira, fazendo uso de login e senha exclusivos, acessam as informações, interpretam os exames e registram suas conclusões em um laudo médico que é assinado digitalmente.

Em seguida, na mesma plataforma, o laudo é disponibilizado e pode ser acessado pelo médico solicitante do exame em até 30 minutos.

E o quanto vou economizar com isso?

E o quanto vou economizar com isso? 

E o quanto vou economizar com isso?

Será que você tem consciência dos valores praticados para a compra dos equipamentos para realização de exames em uma clínica médica?

Provavelmente você pagaria de R$ 7 mil a R$9 mil por um aparelho de espirometria, cerca de R$ 7,5 mil por um equipamento de eletrocardiograma e mais uns R$ 15 mil por um de eletroencefalograma.

É muito dinheiro, não é mesmo?

Então, considerando que estes são os equipamentos mais básicos para os laudos médicos de sua clínica, é certo afirmar que seriam suas primeiras aquisições para dar início às atividades da sua empresa.

Por esse motivo, como já destaquei anteriormente, você pode apostar na telemedicina com uma realidade viável e lucrativa, que te fará economizar muito mais.

E todo o valor que você iria gastar com a compra desses equipamentos pode ser revertido em estratégias de marketing, ações para melhoria da infraestrutura do local, gastos com documentação e outros.

Além disso, imagine ter a possibilidade de não precisar contratar um especialista com dedicação exclusiva para interpretar os exames em sua clínica.

Com a telemedicina e o aluguel de aparelhos em comodato, isso pode se tornar realidade.

E o melhor: você ainda recebe todo o suporte para o correto funcionamento dos equipamentos e do serviço em tempo integral.

Sobre a Telemedicina Morsch

Sobre a Telemedicina Morsch

Sobre a Telemedicina Morsch

Com uma plataforma de telemedicina moderna e eficiente, a Telemedicina Morsch possui uma equipe com profissionais especialistas em diversas áreas da medicina.

Ao oferecer um portal intuitivo e integrado, que é ideal para empreendedores que estão iniciando na área de saúde, ela permite que eles economizem e tenham um serviço de qualidade.

Isso porque, junto ao aluguel de equipamentos em comodato, a Morsch oferta a emissão de laudos com confiança, qualidade e segurança.

Além de possibilitar que novas clínicas não precisem investir na aquisição de equipamentos, a plataforma de telemedicina permite que elas também economizem com pessoal.

Com a Telemedicina Morsch, não é preciso arcar com os altíssimos gastos referentes à contratação de médicos e demais profissionais especialistas na interpretação de exames.

É toda a tranquilidade financeira que você precisa para montar uma clínica médica e fazer esse negócio decolar.

Conclusão

Neste artigo, apresentei como planejar e organizar a abertura de uma clínica médica, além de destacar o que é preciso fazer para administrá-la.

Além disso, mostrei os principais passos para que você possa montar a sua clínica com segurança e sucesso.

Mas, mais do que isso, destaquei a possibilidade de ter o seu empreendimento sem precisar ter custos com a compra de equipamentos.

Com o aluguel em comodato, é possível ter aparelhos de última geração em sua clínica sem que seja necessário um alto investimento para a sua compra.

Além de contar com o apoio de uma plataforma de telemedicina para a emissão de laudos e o apoio de uma equipe de especialistas nas mais diversas áreas da medicina.

Conte com a Morsch como a sua parceira nesse projeto.

Entre em contato para conhecer nossas soluções e faça um teste grátis da nossa plataforma.

Se o artigo foi útil, compartilhe.

Referências Bibliográficas

Tudo o que você precisa saber para criar o seu plano de negócio – Sebrae

Software Plano de Negócio 3.0 – Sebrae

Resolução RDC Nº 50/2002 – Anvisa – Dispõe sobre o Regulamento Técnico para planejamento, programação, elaboração e avaliação de projetos físicos de estabelecimentos assistenciais de saúde.

Resolução RDC Nº 153/2017 – Anvisa – Dispõe sobre a Classificação do Grau de Risco para as atividades econômicas sujeitas à vigilância sanitária, para fins de licenciamento, e dá outras providências.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG - Fundação Universidade do Rio Grande - RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE

Entre em contato por WhatsApp
Enviar mensagem pelo WhatsApp