O que é e como funciona o Telelaudo? Veja os benefícios

Por Dr. José Aldair Morsch, 22 de outubro de 2018
Saiba tudo sobre o telelaudo!

Considerado um dos principais serviços viabilizados pela telemedicina, o telelaudo tem ampliado o acesso a diagnósticos ágeis em todo o Brasil feitos à distância.

Mas o que é telelaudo enquanto tecnologia médica?

É o laudo médico gerado à distância, ou seja, produzido por um especialista que não se encontra fisicamente próximo ao local onde o exame está sendo realizado.

Com o laudo a distância, unidades de saúde e pacientes que vivem longe dos grandes centros urbanos contam com suporte de especialistas, não mais ficando a quilômetros da solução que precisam.

Para as clínicas, essa modalidade elimina a necessidade de contar com um profissional especializado presencialmente na área em questão. 

Assim, é preciso, apenas, que um técnico conduza o exame e envie as imagens para análise através da plataforma de telemedicina.

Mas os benefícios não se aplicam somente a esses casos, como irei mostrar neste artigo.

A partir de agora, vou explicar melhor como funciona o telelaudo, em que casos se indica o seu uso e quais especialidades a tecnologia atende.

E, para começar, uma breve definição sobre esse importante documento médico.

O que é telelaudo?

Em primeiro lugar, telelaudo é um laudo médico produzido a distância – o que é possível graças ao apoio de ferramentas tecnológicas, como a internet e plataformas de telemedicina.

Sendo assim, o documento reúne as mesmas informações sobre o paciente que constam nos laudos manuais, incluindo:

  • Exame realizado;
  • Hipótese diagnóstica;
  • Conduta médica utilizada;
  • Interpretação dos achados;
  • Conclusões.

Semelhante à sua versão tradicional, o telelaudo também deve ser assinado. A diferença, portanto, é que o especialista responsável faz isso digitalmente.

Ou seja, o telelaudo consiste em uma modalidade de laudo em que é dispensado o contato entre o especialista e o paciente, ou mesmo do médico com outros profissionais responsáveis pelos procedimentos de exame.

Apesar da sua popularização nos últimos anos, as suas origens são bastante antigas.

Assim, pode-se dizer que os primeiros laudos a distância surgiram bem antes da invenção da internet, usando instrumentos como o telégrafo, ondas de rádio e o telefone com fax.

Isto é, o telelaudo vem sendo utilizado no mundo desde o século XIX, quando a telegrafia foi criada.

No final daquele século, surgiram as redes de transmissão de dados com base em linhas telefônicas, que, junto a um aparelho de fax ou modem, permitiram transmitir os registros de eletroencefalogramas (EEGs) para salvar vidas em áreas rurais.

Desde então, se criou e empregou novas tecnologias da comunicação e informação (TICs) para melhorar os serviços de transmissão de informações de exames.

Atualmente, essa tecnologia evoluiu para o compartilhamento de dados e armazenamento em nuvem.

Isso ocorre quase que em tempo real, resultando em laudos online disponíveis em poucos minutos, em um ambiente totalmente seguro e de fácil acesso.

O que é telelaudo?

Com o telelaudo, as clínicas não dependem mais de profissionais alocados e presenciais para a interpretação de exames.

Qual é a importância e para que serve o telelaudo? 

De forma geral, o telelaudo tem como principal objetivo proporcionar a realização de laudos rápidos e especializados à distância.

Sendo assim, ele é importante tanto para clínicas e médicos independentes quanto para pacientes.

Para as clínicas, é uma alternativa para ampliar a gama de serviços oferecidos, tendo em vista que os laudos especializados são feitos à distância, através de uma plataforma de telemedicina.

Com isso, elas não precisam contar com profissionais alocados, o que reduz custos.

O mesmo se aplica para os médicos, que conseguem ter laudos de exames com mais agilidade e, assim, promover o diagnóstico de seus pacientes para iniciar o melhor tratamento.

Já para os pacientes, ela é importante porque agiliza todo o processo de diagnóstico.

Afinal, é possível obter o telelaudo em até 30 minutos, reduzindo o tempo de espera e, ao mesmo tempo, proporcionando diagnósticos precoces.

Por quais motivos se deve adotar o telelaudo?

Existem diversos motivos para adotar o telelaudo, com destaque para o fato da análise ocorrer em até 30 minutos e, em casos urgentes, em tempo real.

Inclusive, este pode se transformar em um diferencial da sua clínica, tendo em vista que o paciente pode obter diagnósticos precisos em um curto espaço de tempo.

Outros motivos são:

  • Possibilidade de fornecer uma maior quantidade de exames;
  • Menores custos por exames, afinal, paga-se apenas por laudo;
  • Aumento no portfólio de serviços e de atendimento;
  • Armazenamento seguro dos laudos do paciente.

Este último ponto é um dos diferenciais de todos os serviços oferecidos com o uso da telemedicina.

Logo, o registro de todas as informações é feito em uma plataforma segura, cujo acesso se restringe apenas aos responsáveis pelo atendimento – e que tenham login e senha. 

Como funciona o telelaudo ou laudo a distância?

O processo se parece com o do laudo convencional, mas, no caso do telelaudo, o especialista responsável não está na unidade de saúde onde é feito o exame.

Em geral, um profissional técnico é treinado para conduzir o procedimento, para garantir que as imagens serão captadas adequadamente.

Assim, ele realiza o exame por meio de um equipamento digital ou que tenha tecnologia capaz de converter os dados captados no exame em pixels – que são os menores pontos que formam uma imagem digital.

Além disso, os dados gerados após o exame são salvos em arquivos DICOM, JPEG, PDF ou outros formatos, de acordo com cada equipamento.

Então, os arquivos são enviados para uma plataforma de telemedicina e ficam disponíveis para a interpretação de um especialista em qualquer lugar do planeta e por qualquer dispositivo conectado à internet.

Todo esse processo dura apenas alguns minutos!

Afinal, o médico analisa as informações, considerando também fatores como suspeita clínica e histórico do paciente – que igualmente ficam disponíveis no prontuário eletrônico individual.

No mais, ele redige um laudo com a sua avaliação e o assina digitalmente. Em seguida, o laudo fica disponível para a clínica ou hospital de saúde que contratou o serviço de telemedicina.

Dessa forma, a realização do telelaudo pode ser descrita da seguinte maneira:

  • Paciente realiza o exame, com o apoio de médicos ou enfermeiros lidados para lidar com o equipamento de diagnóstico;
  • Após a coleta das informações, o próprio aparelho envia os dados para uma central de especialistas via internet;
  • Ao receber os dados, os especialistas elaboram o telelaudo em poucos minutos e os encaminham novamente para o solicitante;
  • Médico que solicitou o exame recebe o documento com assinatura digital e pode passar as informações para o paciente. 

Como se dá o envio dos laudos?

Somente quem possui credenciais pode entrar na plataforma de telemedicina

A plataforma de telemedicina possibilidade a integração das informações dos pacientes

O envio dos laudos é feito de forma segura e com comodidade, através de plataformas de telemedicina.

Disponíveis na web, esses portais permitem o armazenamento e compartilhamento de informações sobre exames médicos e os pacientes.

Além disso, o acesso se restringe a quem possui login e senha, para garantir a confidencialidade dos dados do paciente. 

Assim, os laudos online ficam disponíveis de forma ágil para médicos, outros profissionais de saúde e até aos pacientes, a qualquer hora e lugar.

Caso seja necessário, esses documentos também podem ser impressos.

Nesse sentido, uma das vantagens desse sistema é que todas as informações do paciente se integram, permitindo o monitoramento da sua saúde e agilizando o atendimento.

O passo a passo para o envio dos laudos é o seguinte:

  1. Envio do exame para a central de telemedicina;
  2. Recebimento dos registros pelo corpo médico, interpretação e análise dos exames. Após cerca de 30 minutos, os laudos ficam disponíveis na área de trabalho da clínica;
  3. Acesso aos laudos pelo solicitante, que pode imprimir e entregar ao paciente, bem como salvar no computador ou enviar por e-mail.

Simples e sem burocracia!

O telelaudo é confiável?

O telelaudo, assim como outros serviços de saúde prestados via internet, conta com o auxílio da tecnologia e regulamentação.

Isso porque sistemas para armazenamento e transmissão de dados de forma segura, como o PACS (Picture Archiving and Communication System) , dão suporte aos laudos a distância.

Dessa forma, tanto as informações compartilhadas com os especialistas quanto os próprios laudos online ficam em segurança.

No Brasil, as empresas responsáveis pela emissão desses documentos também precisam obedecer a uma série de exigências de entidades como o Ministério da Saúde e Conselho Federal de Medicina (CFM).

São exemplos de legislações na área de prestação de serviços diagnósticos a distância:

O que diz a legislação sobre a prática de telelaudo? 

Dentre as legislações que abordam o tema, vou destacar a Resolução 2.107, de 2014, pois ela aborda especificamente as boas práticas relacionadas à emissão de laudos radiológicos à distância. 

Segundo ela, o médico que desempenha a atividade deve avaliar os dados e imagens com cautela, emitindo relatório apenas se as informações forem suficientes para tal.

Assim, para que seja possível oferecer esse serviço, é imprescindível contar com uma boa infraestrutura tecnológica e obedecer às normas técnicas e éticas do CFM no que tange à guarda, manuseio e transmissão de dados.

Isso porque a confidencialidade, privacidade e garantia do sigilo profissional são fatores prioritários.

Ela determina, ainda, que a transmissão dos exames por telerradiologia deve vir com os dados clínicos necessários do paciente para a elaboração do relatório. 

Entretanto, é preciso que o paciente autorize essa transmissão por meio de consentimento livre.

E como a lei lida com a Telemedicina como um todo?

Apesar de os telelaudos contarem com o devido respaldo legal, eles representam apenas uma das áreas contempladas pela legislação da Telemedicina.

Muito além dos laudos, a medicina remota é um segmento amplo e repleto de possibilidades, que passou por diversas variações legais até atingir o padrão normativo dos dias de hoje.

Assim, a primeira regulamentação brasileira para a Telemedicina surgiu em 2002, com a Resolução nº 1.643 do CFM.

Nela, apenas o suporte entre médicos (inclusive para telelaudos) e o atendimento de casos emergenciais tinham permissão, com veto para todas as outras possibilidades na modalidade digital.

Porém, na medida em que a Telemedicina se desenvolveu e ganhou maior adesão ao redor do mundo, o CFM lançou em 2018 a Resolução nº 2.227, que trouxe regras mais precisas e a liberação das práticas de teleconsultas, telediagnósticos e telecirurgias.

Contudo, o avanço não foi adiante, sob o argumento de que as discussões a respeito do tema precisavam de aprofundamento.

Inclusive, o CFM realizou uma consulta com médicos e entidades de saúde para atualizar as normas da área, que se encerrou em fevereiro de 2020. Mas, antes do lançamento de uma nova e definitiva Resolução, a pandemia da COVID-19 começou.  

Em 2020, para garantir a devida atenção à saúde no contexto de isolamento social, se derrubou as limitações da Resolução nº 1.643, que deram lugar à Portaria nº 467 – o que logo avançou e se tornou a Lei nº 13.989/2020.

Nesse sentido, sua criação se deu como forma de ajudar no enfrentamento da pandemia do novo Coronavírus, permitindo que mais pessoas tivessem acesso a atendimento médico – sem que elas tenham que se deslocar e se expor ao vírus.

Quais as perspectivas legais para o futuro da área?

De caráter emergencial, a Lei nº 13.989/2020 permitiu outros serviços antes não regulamentados, como:

  • Teleorientação, para garantir o encaminhamento dos pacientes que se encontram em isolamento social;
  • Telemonitoramento, permitindo supervisionar o estado de saúde do paciente à distância, bem como promover orientações;
  • Teleinterconsulta, para que os médicos possam trocar informações, opiniões e experiências para auxílio diagnóstico ou terapêutico.

Por se tratar de uma medida de emergência, a previsão legal é que os efeitos da nova Lei da Telemedicina deixem de valer ao fim da pandemia.

Porém, é a própria norma que prevê que o CFM será responsável por regular a área depois do fim da legislação emergencial.

Assim, a perspectiva é que a antiga Resolução nº 1.643 do CFM seja revista, dando lugar a padrões e normas mais modernas e alinhadas aos avanços mundiais da medicina.

Isso porque, além da supracitada consulta pública feita pelo conselho, o atual contexto demonstrou como a medicina digital é vantajosa, viável e repleta de benefícios para médicos e pacientes.

Isso significa que a legislação própria da pandemia abriu um importante precedente para o avanço legal da área, já que a população e a grande maioria dos especialistas passaram a adotar a Telemedicina e dificilmente abrirão mão de suas vantagens!

Enquanto as novas normas não surgem, cada vez mais médicos aproveitam as possibilidades da medicina remota (que tendem a ser mais amplas) e dos telelaudos (que já possuem o devido respaldo legal e podem ser desfrutadas em caráter definitivo!).

Quais são os benefícios do telelaudo?

Principais benefícios do telelaudo

No Brasil há quase 20 anos, o telelaudo traz economia e comodidade para pacientes

Desde o seu surgimento, o telelaudo vem revolucionando não apenas o setor de medicina, como toda a área da Saúde.

Desse modo, tanto empresas quanto organizações e governos foram, aos poucos, percebendo as vantagens de incluir os laudos a distância em seus serviços.

Em geral, esses benefícios (que me aprofundarei melhor logo abaixo) se resumem em 3 frentes principais:

  • Maior qualidade dos laudos, que não só podem ser feitos com muito mais agilidade, como também são desenvolvidos com o apoio de especialistas de ponta, focados e qualificados para a elaboração dos documentos;
  • Menores custos para médicos e pacientes, já que os telelaudos são cobrados apenas pelos laudos emitidos e dispensam a contratação de uma equipe própria para laudar, ou mesmo de profissionais para escrever ou digitar as informações (o que também influencia o preço final pago pelo paciente);
  • Ampla disponibilidade para as escalas de atendimento, com especialistas disponíveis 365 dias por ano e 24 horas por dia, capazes de atender às demandas da clínica sempre que necessário, inclusive para casos emergenciais.

No Brasil, essa prática começou nos anos 2000, com a utilização da telessaúde para fortalecer o atendimento prestado pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Telessaúde é a prestação de serviços de saúde a distância – incluindo a telemedicina e laudos online -, através de tecnologias da informação e comunicação.

A seguir, destaco as principais vantagens do laudo a distância para o paciente e para as unidades de saúde. Confira!

Benefícios para o paciente

Como citei no início deste texto, um dos grandes benefícios do telelaudo é oferecer laudos de confiança, produzidos por especialistas, em qualquer hora e para qualquer localidade.

Isso resulta em uma democratização no acesso a esses serviços, antes disponíveis apenas em maiores centros urbanos.

Exames em locais próximos

Na prática, contar com exames laudados a distância reduz, ou até elimina, a necessidade de locomoção dos pacientes até centros de referência, presentes apenas em cidades maiores.

Com o laudo online, exames de diagnóstico podem ser oferecidos em clínicas pequenas, localizadas no município onde o paciente vive, desde que o estabelecimento os disponibilize.

Imagine o impacto dessa possibilidade para pessoas com mobilidade reduzida, ou pacientes fragilizados pelo efeito de tratamentos complexos, como a quimioterapia.

Menor custo

Justamente por eliminar a necessidade de deslocamento e consulta com especialistas em estabelecimentos distantes, o telelaudo representa uma economia importante para o paciente.

Laudos entregues online

Outra vantagem é a entrega desses documentos, que pode ser realizada via plataforma de telemedicina.

Basta que o paciente tenha internet e receba login e senha para acessar o sistema e visualizar os resultados.

Caso não tenha esse acesso, a clínica onde realizou os exames pode enviá-los diretamente para o seu e-mail.

Diagnóstico ágil para urgências

No caso de um acidente vascular cerebral (AVC) ou outras situações de urgência, o tempo de diagnóstico é decisivo para o sucesso do tratamento, evitando sequelas e até a morte do paciente.

Por isso, a telemedicina oferece agilidade nos laudos, que podem ficar prontos em apenas 30 minutos ou mesmo em tempo real – dependendo do caso.

O telelaudo traz benefícios tanto para pacientes quanto para clínicas

Possibilidade de uma segunda opinião rápida, agilidade na entrega de exames e redução de custos são os principais benefícios para empresas.

Benefícios para a empresa

Hospitais, clínicas e outras unidades de saúde podem se beneficiar dos laudos online, produzidos de forma ética e assinados por especialistas.

Agilidade

Não é apenas para situações de urgência: o telelaudo para exames de rotina também é entregue rapidamente.

Afinal, ao contrário dos profissionais multitarefas em unidades de saúde, os especialistas da empresa de telemedicina ficam dedicados somente ao serviço de análise e interpretação de resultados.

Ampliação de portfólio

Procedimentos radiológicos de rotina, como mamografias digitais e radiografias simples, não exigem a presença de um radiologista em tempo integral no local do exame.

Portanto, essa é uma oportunidade de ampliar os serviços oferecidos em clínicas e hospitais, combinando a realização desses testes aos laudos online.

Redução de custos

Se o laudo a distância traz economia ao paciente, esse efeito é ainda maior para as unidades de saúde que contam com o serviço.

Com laudos online, não será preciso contratar vários especialistas, de maneira que estejam presentes em tempo integral.

O telelaudo também pode ser usado para cobrir os especialistas durante férias, feriados, plantões e outros eventos.

Segunda opinião qualificada

Quando necessário, a equipe da unidade de saúde pode pedir que os especialistas da empresa de telemedicina reavaliem exames já laudados presencialmente, a fim de esclarecer dúvidas.

Com isso, torna o diagnóstico ainda mais preciso.

Telelaudo: quais exames podem ser laudados à distância?

Principais exames que podem ser interpretados pelos telelaudos

Diversas áreas da saúde se beneficiam dos telelaudos, conheça os principais exames!

O laudo a distância tem beneficiado diversas especialidades médicas, contribuindo para diagnósticos precisos e rápidos.

Os primeiros setores dentro da medicina a utilizar o telelaudo foram a Neurologia e a Cardiologia.

E não foi à toa, já que essas especialidades tratam de órgãos essenciais, o que envolve urgências que colocam a vida do paciente em risco.

Com o tempo e o aprimoramento de tecnologias, outros setores e exames de rotina também puderam adotar laudos online.

Vamos conhecê-los agora!

Na Cardiologia

O eletrocardiograma (ECG), exame que mede a frequência dos batimentos do coração, foi um dos pioneiros na utilização de laudos a distância.

A forma mais comum desse teste, chamada ECG em repouso, serve tanto para prevenção de doenças cardíacas como para identificar o local de um infarto.

O laudo a distância também pode ser solicitado para a interpretação do ECG de esforço e para o Holter de ECG digital.

Teste ergométrico, ou ECG de esforço, é aquele que monitora os batimentos do coração enquanto o paciente realiza um exercício, geralmente, em uma esteira ou bicicleta ergométrica.

O eletrocardiograma é um dos exames mais beneficiados pelos telelaudos

Nesse exame, os batimentos cardíacos são monitorados durante um esforço físico

Já o holter de ECG digital é um procedimento que estende o tempo em que o ritmo cardíaco é registrado, através de um dispositivo chamado holter.

Outros exames cardiológicos que podem se beneficiar do laudo online são:

  • Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial em 24 horas (MAPA), realizado por meio de um aparelho automático fixado no braço do paciente
  • Tomografia cardiovascular, que gera, através de feixes de raios X, imagens transversais do coração e vasos sanguíneos na área cardíaca
  • Ressonância cardiovascular, que permite ver imagens de alta resolução das estruturas anatômicas da área, através de um campo magnético.

Na Radiologia

Com um telelaudo, o especialista analisa o exame e envia o resultado em poucos minutos

Com a telerradiologia não é necessário usar filmes radiológicos nem produtos químicos

A união entre serviços de telemedicina e radiologia ganhou o nome de telerradiologia.

Essa especialidade tem promovido vantagens como a substituição de filmes radiológicos, usados para registro de imagens de exames em aparelhos convencionais.

Como o telelaudo requer imagens em pixels, ele tem reforçado a necessidade de utilização de equipamento digitais em todo o mundo.

Assim, não é mais necessário recorrer a filmes nem aos produtos químicos usados para revelação, o que ajuda a preservar o meio ambiente e elimina a necessidade de cuidados no armazenamento.

Mesmo os aparelhos de radiologia convencionais, como raio X, mamógrafo ou tomógrafo analógico, contam com tecnologia para converter os dados em pixels.

É a chamada radiologia digital indireta ou computadorizada (CR), que usa um scanner para transformar informações analógicas em digitais.

Veja os exames radiológicos que podem ser interpretados a distância:

Na Pneumologia

O principal exame laudado por meio da Telepneumologia é a prova de função pulmonar.

Também conhecida como espirometria, ela avalia a capacidade pulmonar do paciente, permitindo o diagnóstico de doenças como a inflamação dos brônquios (asma brônquica) e a DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica).

Na Neurologia

As diversas modalidades de eletroencefalograma – EEG clínico, ocupacional ou com mapeamento cerebral), além da polissonografia, são exames neurológicos que se beneficiam do telelaudo.

O EEG é usado para monitoramento da atividade elétrica cerebral, enquanto a polissonografia registra padrões e alterações de diversas partes do corpo durante o sono – como atividade do cérebro e respiração.

O que é e para que serve a telerradiologia?

A telerradiologia é uma importante categoria de telelaudo da área da telemedicina, que conta com procedimentos diagnósticos completamente digitalizados.

Nela, a tecnologia permite que os médicos avaliem resultados de exames, elaborem laudos e os forneçam à distância, por meio da internet.

De forma mais viável, prática e acessível, a telerradiologia permite que diversos tipos de exames sejam laudados, como:

  • Mamografias;
  • Tomografias;
  • Raios-X;
  • Ressonância Magnética;
  • Densitometria Óssea;
  • Entre muitos outros.

Como funciona a radiologia à distância?

Na telerradiologia, os exames feitos dentro das clínicas têm seus dados digitalizados pelos próprios equipamentos.

Através de uma plataforma de telemedicina, essas informações são convertidas em um arquivo de padrão universal, enviadas para um sistema homologado pela ANVISA e então encaminhados para o serviço de medicina à distância.

Feito isso, os radiologistas remotos recebem os dados dos exames para avaliação. Depois de analisá-los, esses profissionais disponibilizam o telelaudo por meio do sistema, que fica disponível em nuvem.

Dessa maneira, com especialistas disponíveis a qualquer momento para laudar, mais procedimentos são viabilizados, em qualquer lugar e sem limitações geográficas.

Em muitas situações, os telelaudos podem ser recebidos no mesmo dia dos exames ou mesmo em questão de horas.

Como a telerradiologia garante laudos precisos?

Para garantir que os telelaudos sejam confiáveis e atendam a todos os padrões e boas práticas, alguns diferenciais são importantes.

Primeiro, é preciso considerar que o uso de equipamentos de ponta garante que as informações nos exames sejam as mais precisas possíveis.

Com a comunicação em nuvem protegida por protocolos de segurança, esses dados podem ser passados para especialistas sem grandes preocupações.

Esses profissionais, por sua vez, contam com toda a experiência e qualificação necessárias para a emissão de telelaudos de excelência, precisos e seguros quanto os laudos “comuns”.

Isso é importante especialmente em termos de acesso à saúde, em que os melhores especialistas podem gerar telelaudos de qualidade até mesmo em áreas sem acesso a estruturas de atendimento.

Quais são as vantagens da telerradiologia para a área da Saúde?

Muito além de permitir a geração de laudos ágeis e seguros à distância, os telelaudos ainda agregam algumas vantagens muito significativas para a área da saúde.

Em primeiro lugar, é preciso destacar a otimização das funções dos especialistas, enfermeiros e técnicos, que passam a realizar exames com muito mais facilidade, não precisam digitalizar informações e ainda poupam tempo.

Outro ponto importante é o armazenamento das imagens e dados dos exames e laudos, que é feito online e em ambiente protegido.

Mais que otimizar a organização e poupar espaço físico, essa característica ainda atende a Resolução RDC/ANVISA n.º 302 de 2005, que exige que os laudos médicos sejam armazenados por até 5 anos nas unidades de saúde.

Por fim, o atendimento prestado aos pacientes também é significativamente melhorado, uma vez que a organização é aprimorada e os exames facilitados, o que favorece a atenção dedicada ao público. 

Quem assina o telelaudo?

Como citei anteriormente, existem leis e normas que garantem a segurança dos laudos online.

A legislação também exige que apenas médicos especialistas na área do exame possam se responsabilizar pelos laudos, sejam eles presenciais ou a distância.

Para grande parte deles, portanto, é necessário que o profissional médico seja especialista em radiologia.

Esses profissionais também precisam ter registro em seus conselhos de classe para laudar os exames.

Como deve ser a implementação de telelaudo?

Não é novidade que a Telemedicina é um segmento relativamente novo na saúde, por isso é comum que os médicos ainda tenham dúvidas e até certos receios quanto à implementação do telelaudo.

Contudo, vale destacar que o processo de adesão é extremamente simples, o que reforça a acessibilidade, viabilidade e ampla adesão dos laudos à distância.

Assim, para começar os seus serviços de telelaudo, duas etapas fundamentais precisam ser seguidas. São elas:

Opte por um bom sistema de Telemedicina

Lembre-se que somente um bom sistema de Telemedicina será capaz de viabilizar todas as demandas dos seus telelaudos.

É por meio dele que as informações são recebidas dos equipamentos, armazenadas e compartilhadas com os especialistas.

Também é através do software que o laudo eletrônico será devidamente elaborado, assinado digitalmente e encaminhado para o médico solicitante e seu paciente.

A escolha de sistemas de ponta é de suma importância, e vai além das ferramentas disponibilizadas para a prestação dos serviços de telelaudos.

Isso porque, nas melhores plataformas, tudo é feito por meio de tecnologia em nuvem, para que os processos sejam realizados e as informações acessadas de qualquer dispositivo autorizado, dando mais flexibilidade às rotinas médicas.

Além disso, esse tipo de tecnologia garante toda a segurança necessária para os dados, através de recursos que incluem criptografia de ponta, autorização de dois fatores e protocolos robustos de proteção.  

Garanta a integração entre o sistema e seus equipamentos

No item anterior, fiz questão de lembrar que uma das funções da plataforma de Telemedicina é receber as informações dos equipamentos médicos.

Isso significa que o seu aparelho de tomografia, Raio X, ou outro semelhante, precisa estar integrado com o sistema para fazer a captação das informações dos exames.

Por meio desse canal de informações, você evita ter que escrever ou digitar todos os dados.

Assim, todo o processo se torna mais rápido e prático, como os telelaudos devem ser!

O ideal é que a plataforma receba todas as informações diretamente do equipamento e as encaminhe para o médico especialista, que irá rapidamente elaborar o laudo e já encaminhá-lo para o profissional solicitante (também através do sistema).

Atualmente, os melhores aparelhos médicos disponíveis no mercado já contam com conexão à internet, o que permite essa integração.

Porém, caso o equipamento não tenha esse tipo de diferencial, há ainda a possibilidade de adaptá-lo com facilidade para que ele também passe a transmitir os dados online!

O papel da Telemedicina Morsch na emissão de telelaudos

Contrate a Telemedicina Morsch para seu serviço de telelaudos

Faça uma parceria com a Telemedicina Morsch e tenha laudos prontos em até 30 minutos

Para garantir laudos online produzidos com ética e confiabilidade, é importante contar com uma empresa de telemedicina comprometida com a legislação e qualidade.

Com a Telemedicina Morsch, unidades de saúde recebem laudos redigidos por especialistas capacitados, em conformidade com as exigências do Ministério da Saúde e do CFM.

Mas não é só isso!

Clínicas e hospitais podem aproveitar toda a expertise da Morsch para reduzir custos na contratação de especialistas, em períodos de alta procura por exames e laudos e na compra de dispositivos digitais.

Isso porque existe a opção de comodato, na qual o cliente contrata uma quantidade determinada de laudos online e pode usar o equipamento digital sem custos enquanto durar a parceria, pagando apenas pelos laudos.

Essa possibilidade tem levado serviços médicos a cidades pequenas e ao interior do Brasil, gerando impactos positivos em populações locais.

Além disso, a Telemedicina Morsch oferece todo o treinamento necessário, a fim de garantir que a ferramenta será utilizada da melhor forma possível.

Em resumo, o avanço gerado pelo telelaudo

Neste artigo, falei sobre o uso e vantagens do telelaudo para clínicas, hospitais e pacientes.

Ter esse serviço disponível faz a diferença na hora de diversificar o portfólio e democratizar o acesso a diagnósticos mais ágeis.

Para os pacientes, permite realizar exames na sua própria cidade, sem a necessidade de se deslocar para clínicas especializadas – que geralmente estão situadas nos grandes centros urbanos.

Então, deixe que a Telemedicina Morsch ajude a sua unidade de saúde nesse processo, garantindo laudos a distância com qualidade e por um valor que cabe no seu orçamento.

Entre em contato conosco ou deixe um comentário e conheça os benefícios da telemedicina na sua clínica.

Se gostou deste artigo, compartilhe nas suas redes sociais!

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE