Consulta com cardiologista: quando e como marcar a sua

Por Dr. José Aldair Morsch, 12 de agosto de 2021
Consulta cardiologista

A consulta com cardiologista deve estar entre os principais cuidados preventivos atualmente.

Isso porque tem aumentado a prevalência da hipertensão, diabetes, obesidade e outros males que afetam a saúde cardiovascular.

Muitos deles são silenciosos, manifestando sintomas somente quando já se encontram em estágio avançado.

Daí a importância de fazer um acompanhamento periódico, permitindo que anormalidades sejam identificadas durante consultas e exames de rotina.

Ao longo do texto, vou contar como acontece uma consulta com cardiologista.

Você também vai saber com qual periodicidade deve ser agendada e o que deve perguntar nesse encontro.

Leia até o fim para conferir de que forma inovações como a telemedicina deixam os cuidados cardiológicos mais simples.

Consulta ao cardiologista: uma necessidade de todo brasileiro

Você já deve ter ouvido falar que as doenças cardiovasculares estão entre as mais perigosas em todo o mundo.

Para se ter uma ideia, a Organização Mundial da Saúde aponta a doença cardíaca como a principal causa de morte no planeta nas últimas duas décadas.

Nos anos 2000, esses males provocaram mais de 2 milhões de mortes.

Dezenove anos mais tarde, o quadro se agravou: patologias cardíacas causaram quase 9 milhões de óbitos.

A situação do Brasil ilustra esse cenário alarmante, com males cardiovasculares ocupando a primeira e a segunda maiores causas de morte em 2019.

Segundo o relatório GBD (Global Burden of Diseases, Injuries, and Risk Factors Study), publicado no periódico The Lancet, o primeiro lugar ficou para a doença arterial coronariana (DAC) ou isquemia cardíaca.

A patologia dificulta a circulação sanguínea, que é bloqueada em trechos das artérias por placas de gordura, coágulos, entre outros itens.

Quando o bloqueio é total, o sangue deixa de irrigar uma parte do organismo, levando a eventos graves – por exemplo, a morte dessa área, também chamada de infarto.

A DAC está por trás de uma série de infartos do miocárdio.

Nesse contexto, o estudo não surpreende ao revelar que a isquemia cardíaca provocou o óbito de 171 mil brasileiros só em 2019.

Antes de uma ocorrência grave, porém, o corpo manda sinais.

É o caso da pressão alta constante (hipertensão) e alterações no padrão dos batimentos cardíacos (arritmias), que dificilmente vêm acompanhadas de sintomas.

Daí a necessidade de consultar um cardiologista regularmente. 

Assim, é possível detectar patologias de modo precoce, quando ainda não comprometeram o funcionamento do coração e vasos sanguíneos.

Também fica mais fácil prevenir essas doenças, contando com um atendimento personalizado de acordo com seu estilo de vida.

Quando consultar com cardiologista

Agora que você entende a importância da consulta com cardiologista, falo sobre as sete principais situações que motivam esse encontro.

Na presença de sintomas 

Este é o motivo mais evidente para se dirigir até um consultório, clínica ou hospital.

Dependendo do tipo e intensidade dos sintomas, inclusive, é preciso buscar ajuda no pronto socorro mais próximo para evitar complicações.

Isso porque, como expliquei acima, muitos males cardíacos só se manifestam em estágio grave.

Portanto, vá até um serviço de emergência se notar um dos sinais abaixo. 

O quadro é preocupante se houver a combinação de dois ou mais deles:

  • Dor no peito que persiste por mais de 10 minutos e não melhora com movimentos
  • Falta de ar
  • Suor frio
  • Palpitações
  • Dor na nuca
  • Dor de cabeça intensa e persistente
  • Formigamento na região do peito e braços
  • Dificuldades para falar
  • Sensação de desmaio
  • Tontura
  • Visão duplicada ou embaçada
  • Cansaço excessivo, mesmo em repouso
  • Veias dos olhos saltadas.
Telemedicina cardiológica

Idosos são mais propensos a desenvolver doenças do coração e devem consultar periodicamente

Quando existe histórico familiar de doenças cardiovasculares

Este é outro ponto de atenção, pois a hereditariedade aumenta as chances de desenvolver patologias cardiovasculares

Um exemplo é a pressão alta, mais comum entre quem tem pais ou parentes próximos que sofrem com a doença.

Portanto, vale procurar auxílio do cardiologista se souber de casos na família.

Conforme a idade avança

Uma combinação de fatores leva os idosos a terem mais problemas cardiovasculares.

Desgaste do aparelho cardíaco e enrijecimento das artérias (aterosclerose) são alguns deles, o que pede maior monitoramento com o avanço da idade.

O ideal é que esses cuidados iniciem próximo aos 50 anos, quando aumenta o número de casos de patologias cardíacas.

Quem tiver história familiar desses males deve iniciar o acompanhamento mais cedo, aos 35 anos.

Quando se está acima do peso

Sobrepeso e obesidade estão entre os fatores de risco para problemas no coração e vasos sanguíneos.

Geralmente, porque estão associados ao sedentarismo e maus hábitos alimentares, o que eleva o nível de colesterol e açúcar no sangue – dois vilões para a saúde.

Então, se estiver com o peso acima do ideal, consulte o cardiologista.

Não é à toa que uma dieta balanceada e a prática de exercícios físicos estão entre as recomendações para prevenir doenças cardiovasculares.

Quando o paciente tem doenças que afetam o sistema cardiovascular

Hipertensão, diabetes e doença arterial coronariana são só alguns exemplos.

Há muitos males que impactam o funcionamento do coração e vasos sanguíneos, ainda que parte deles pareça não ter relação direta com esses tecidos.

Se existe risco aumentado por causa dessas patologias, é necessário consultar o cardiologista com frequência.

Antes de iniciar uma nova atividade física

Seja um esporte, musculação ou alongamento, é recomendado passar por avaliação cardiológica antes de começar a se exercitar.

Tanto a consulta quanto exames como o teste ergométrico servem para confirmar a aptidão do candidato e excluir problemas de saúde.

Assim, dá para aproveitar apenas os benefícios da atividade física, sem impactos negativos.

Durante o checkup anual

Mesmo que você seja saudável, vai se beneficiar da consulta com cardiologista uma vez ao ano.

Nessa ocasião, o especialista solicita uma bateria de exames e verifica se está tudo ok com o músculo cardíaco, artérias e veias.

Como é a consulta com cardiologista

Embora seja indispensável na rotina de cuidados, a consulta com cardiologista pode gerar ansiedade em muita gente.

Por vezes, fica a impressão de que algo está errado com áreas vitais, como o coração, deixando paciente e familiares preocupados.

Mas é a falta de cuidados que deve ser temida.

É verdade que a consulta com cardiologista serve para identificar doenças, porém, também tem uma abordagem preventiva relevante.

Durante esse encontro, o paciente ouve orientações sobre hábitos, terapias e atividades que ajudam a prevenir patologias.

Também recebe suporte para investigar sintomas e melhorar a qualidade de vida, ainda que sofra com alguma enfermidade.

Cardiologista particular

Cardiologista faz avaliação física do paciente na consulta, o que incluir medir a pressão arterial

Tudo começa com a anamnese ou entrevista com o paciente, momento em que o médico coleta informações sobre queixas, sintomas, história familiar e motivos para a consulta.

Depois, o especialista faz uma avaliação física por meio da ausculta do coração, medição da pressão arterial e exame para verificar a condição clínica.

Essas informações são reunidas para chegar a uma suspeita ou hipótese diagnóstica, que pode pedir a realização de testes de imagem ou laboratório para ser confirmada.

Caso seja proveitoso, o cardiologista pode prescrever um ou mais medicamentos e medidas para alívio da dor e outros sintomas, controle da pressão sanguínea ou normalização do ritmo cardíaco.

Por fim, ele marca um retorno para acompanhamento do doente.

O que um cardiologista faz na primeira consulta?

A primeira consulta com cardiologista tende a ser um pouco mais demorada que as próximas.

Afinal, esse é o momento de médico e paciente se conhecerem para iniciar a construção de um relacionamento de confiança.

É, ainda, a oportunidade de obter um panorama sobre o estado de saúde do paciente, conferindo se está tudo em ordem no organismo.

Por isso, a entrevista tende a se estender para que o especialista colha dados importantes e identifique o perfil de seu cliente.

Uma das questões fundamentais que o cardiologista fará é o motivo da sua visita, a fim de saber quais os seus objetivos com o acompanhamento profissional.

Muitas pessoas só procuram esse atendimento quando o coração já foi afetado por uma doença. 

No entanto, há quem trabalhe a prevenção ou esteja no consultório porque precisa aprofundar a investigação sobre uma crise recente, tendo sido encaminhado por um clínico geral, pediatra ou geriatra.

A idade, comportamento, dieta, profissão, rotina e atividades de lazer também interessam para o monitoramento cardiológico.

Uma vez que tenha anotado essas informações no prontuário do paciente, o cardiologista parte para o exame físico, com direito à ausculta e análise dos valores de pressão.

Depois, é provável que solicite exames complementares para dar seguimento à assistência.

Os mais corriqueiros são:

  • Exames de sangue como glicemia, triglicérides, colesterol total e frações
  • Eletrocardiograma: teste rápido que utiliza eletrodos para captar e registrar a atividade cardíaca através de gráficos ou ondas do ECG
  • Teste ergométrico: é um tipo de eletrocardiograma dinâmico, em que o paciente tem o ritmo cardíaco avaliado enquanto faz esforço físico em uma esteira ou bicicleta ergométrica
  • Ecocardiograma: é um ultrassom que mostra o coração batendo, com detalhes da anatomia e do fluxo sanguíneo
  • Raio X do tórax: emprega radiação ionizante para tirar uma fotografia interna da região, incluindo o coração.

Se estiver tudo bem, o cardiologista pede um retorno dentro de um ano.

Se não, os testes dão detalhes para que sugira o melhor tratamento e monitoramento, evitando o agravo da patologia.

Lembre que, mesmo que descubra alguma anormalidade, esse é o primeiro passo para receber os cuidados necessários e levar uma vida mais tranquila.

Consulta em cardiologia

Papel do cardiologista é fundamental para esclarecer dúvidas e tranquilizar o paciente

O que falar na consulta com cardiologista?

Ao longo da consulta, procure responder às perguntas do médico com o máximo de sinceridade.

Isso ajuda o cardiologista a traçar o seu perfil e descobrir o que está por trás de sintomas e incômodos que esteja vivenciando.

Aproveite ainda para tirar suas dúvidas sobre o que o especialista disser, e outras que estejam em sua mente.

É natural questionar o seu estado de saúde, se o aparelho cardiovascular está funcionando normalmente e se há risco para alguma doença.

Efeitos de medicamentos e alimentos, benefícios da atividade física e qual a mais recomendada para você são outras perguntas válidas.

Não se esqueça de esclarecer os detalhes sobre exames e tratamentos para que a sua recuperação seja rápida e satisfatória.

Como funciona a consulta com cardiologista particular pela internet

Se você busca praticidade, vai gostar da consulta online com cardiologista.

Esse formato rompe com a barreira geográfica para conectar pacientes a especialistas de um jeito simples.

Basta clicar sobre um link para ser direcionado à sala virtual onde ocorre o encontro, recebendo assistência via videoconferência.

Dessa forma, o cardiologista tem condições de avaliar seu estado clínico para qualificar o diagnóstico.

Plataformas modernas como a da telemedicina Morsch permitem que ele visualize seu histórico, exames prévios e outros documentos de interesse.

Combinadas à anamnese e conhecimentos do especialista, essas informações dão respaldo para o encaminhamento a um encontro pessoalmente, solicitação de testes e análise da eficiência de uma terapia.

O prontuário digital é atualizado durante a teleconsulta, que também possibilita a emissão de receitas, pedidos de exames, atestados, etc.

Como marcar consulta com cardiologista online

Marcar uma consulta médica a distância é bastante simples.

No sistema da Morsch, essa tarefa é feita em apenas 8 passos:

  1. Acesse a página de agendamentos
  2. Use o campo de buscas para selecionar a especialidade Cardiologia e escolha o profissional de sua preferência
  3. Defina um entre os horários de agendamento, ao lado da identificação do médico
  4. Você será redirecionado para uma página de login. Se não tiver cadastro, selecione “Criar conta”
  5. Preencha o formulário com informações de identificação e prossiga
  6. Crie uma senha e acesse o sistema
  7. Confirme o horário da teleconsulta e faça o pagamento
  8. Meia hora antes do atendimento, você vai receber o link de acesso à sala virtual via WhatsApp ou SMS.

Conclusão

Gostou de saber mais sobre a consulta com cardiologista?

Então, é hora de incluir esses encontros na sua rotina de prevenção para se manter saudável e o mais longe possível de doenças graves.

Com a ajuda da plataforma de teleconsulta, essa tarefa ficou muito mais simples e rápida.

Você pode marcar sua consulta online a qualquer hora do dia ou da noite.

Clique aqui e comece agora com o suporte do software de telemedicina Morsch.

Se ficou alguma dúvida ou sugestão, escreva um comentário abaixo.

Também cadastre-se na newsletter para receber os próximos conteúdos em primeira mão.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE