Entenda a fibrilação atrial no ECG e como identificar esse achado

Por Dr. José Aldair Morsch, 6 de dezembro de 2021
Fibrilação atrial no ECG

Identificar a fibrilação atrial no ECG é de grande importância para um diagnóstico rápido.

Afinal, o eletrocardiograma costuma ser o primeiro exame realizado para confirmar ou afastar a suspeita de fibrilação atrial (FA).

Predominante entre idosos com histórico de doenças cardíacas, a FA aumenta o risco de eventos adversos como infarto e AVC, sendo a segunda maior causa de mortes no mundo.

Se quer entender melhor esse achado, suas características no ECG e qual conduta terapêutica adotar, avance na leitura.

Você também vai saber mais sobre como a telemedicina qualifica o diagnóstico dessa e de outras condições.

O que é fibrilação atrial no ECG?

Fibrilação atrial no ECG é um achado que sinaliza problemas com a contração das câmaras cardíacas superiores.

Devido a fatores diversos, os átrios recebem estímulos elétricos de maneira descontrolada, impactando na sua capacidade de contração.

Assim, em vez de completarem o movimento, os átrios parecem tremer, provocando palpitações no paciente.

O resultado é a diminuição da quantidade de sangue bombeada pelo miocárdio, ou seja, uma redução no débito cardíaco que pode chegar a 30%.

Outra indicação da fibrilação atrial é a elevação da frequência cardíaca, que pode ultrapassar os 180 bpm.

Vale lembrar que a frequência normal para um adulto jovem e saudável deve ficar entre 50 e 100 bpm.

Como a fibrilação atrial aparece no ECG?

A fibrilação atrial é um ritmo caracterizado por arritmia de padrão rápido (taquicardia) e anormalidades no traçado do eletrocardiograma.

No ritmo sinusal ou normal, cada batimento é formado por uma onda P, seguida por um complexo QRS e, ainda, uma onda T, sendo que:

  • A onda P normal nasce no nó sinusal, é arredondada e suave, durando menos de 0,10 segundo ou 2,5 mm. Sua amplitude ou voltagem máxima é de 0,25 mV. Essa onda revela a contração dos átrios ou sua despolarização
  • O intervalo entre P e R (PR) revela o tempo entre o início da despolarização dos átrios e a dos ventrículos
  • Já a contração dos ventrículos corresponde ao complexo QRS, composto por uma onda positiva (R) e duas negativas (Q e S). Sua duração fica entre 0,06 e 0,10 segundo
  • A onda T fecha o ciclo de cada batida do coração, mostrando a repolarização dos ventrículos.

Na FA, nota-se a ausência da onda P.

Por vezes, o ECG de um paciente com essa condição revela pequenas oscilações irregulares no lugar de P – as ondas F.

Outra anomalia é observada na medida entre um intervalo QRS e outro, chamado R-R, que se torna irregular.

Isso ocorre porque o excesso de impulsos elétricos enviados ao nó atrioventricular passa aos ventrículos de forma descoordenada.

Fibrilação no eletrocardiograma

Manter um estilo de vida saudável e consultas preventivas diminui as chances de complicações cardiovasculares

Conduta médica na fibrilação atrial

Antes de qualquer medida terapêutica, cabe ao médico confirmar o diagnóstico de fibrilação atrial, usando ferramentas como:

  • Anamnese: dados relevantes sobre sintomas e histórico de saúde são coletados durante a entrevista com o paciente
  • Exame clínico: por vezes, a simples medição do pulso dá pistas do diagnóstico
  • Eletrocardiograma: se realizado no momento das palpitações, o ECG é capaz de mostrar anormalidades que caracterizam a FA, como expliquei nos tópicos anteriores
  • Holter de ECG: episódios espaçados de palpitações requerem monitoramento do ritmo cardíaco por um ou mais dias.

 

Tratamento da fibrilação atrial

Uma vez diagnosticada, a fibrilação atrial exige agilidade no tratamento para diminuir a mortalidade por AVC e outros eventos.

Para tanto, as II Diretrizes Brasileiras de Fibrilação Atrial recomendam o uso de anticoagulantes para dissolver possíveis trombos que se formem em decorrência da arritmia.

Também é necessário estabilizar a frequência cardíaca, o que pode ser feito mediante cardioversão elétrica (choque).

Quando essa medida é ineficaz, podem ser administrados medicamentos de suporte para retornar ao ritmo sinusal.

Doentes jovens que não tenham histórico de males cardiovasculares costumam ter bom prognóstico mediante a realização de ablação por radiofrequência.

Nesse procedimento, o especialista usa um cateter para acessar o local de origem da FA por via intravenosa e o queima.

Recomendações ao paciente

Por fim, mas não menos importante, cabe orientar o doente para que adote um estilo de vida saudável, reduzindo as chances de novas complicações cardiovasculares.

Diminuir a ingestão de sal, açúcar e gordura auxiliam na prevenção ou controle da hipertensão e diabetes – dois fatores de risco para a fibrilação atrial.

Além dessas medidas, é inteligente evitar o consumo excessivo de álcool e manter uma rotina de consultas e exames preventivos para detectar alterações que sinalizem doenças cardíacas.

Resultado do eletrocardiograma

Com o auxilio da tecnologia, a telemedicina elabora laudos online com rapidez e agilidade

Telemedicina qualifica diagnóstico no ECG

Embora o eletrocardiograma seja um teste de simples condução, sua interpretação pode ser complexa.

Especialmente para médicos que não tenham se especializado na análise de exames cardiológicos.

A boa notícia é que existe suporte da tecnologia para qualificar o diagnóstico através do ECG.

Com o auxílio da telemedicina, você e sua equipe terão especialistas à disposição para avaliar os resultados e compor o laudo do ECG de modo assertivo.

Basta realizar o teste normalmente e compartilhar os resultados na plataforma de telemedicina, um ambiente seguro e intuitivo.

Assim que recebem os gráficos, o time de cardiologistas da Morsch inicia a interpretação à luz de informações prévias como a história familiar e sintomas.

Eles elaboram o laudo online em minutos, inserindo sua assinatura digital para garantir a autenticidade.

Assim, seu consultório ou clínica amplia o portfólio e ganha agilidade na entrega de resultados de exames de imagem.

Veja quais procedimentos podem ser laudados a distância na telecardiologia:

Fornecemos, ainda, equipamentos em comodato, um tipo de aluguel a custo zero quando você contrata um pacote de laudos online.

Aparelhos modernos de eletrocardiograma, holter de ECG e MAPA de pressão arterial estão disponíveis para impulsionar a realização de exames na sua unidade de saúde.

Conclusão

Neste artigo, abordei as principais características da fibrilação atrial no ECG, possíveis complicações e condutas diante desse achado.

Além do tratamento para reverter a arritmia, é fundamental a orientação do paciente e o acompanhamento para evitar novos eventos de saúde.

Manter uma rotina de consultas e testes, como o ECG, ajuda na prevenção desses e de outros problemas.

E você pode contar com a parceria da Telemedicina Morsch na entrega do laudo médico com eficiência.

Clique aqui para mais detalhes.

Se gostou deste texto e quer receber os próximos em primeira mão, assine a newsletter.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE