Bradicardia e taquicardia: tipos de frequência cardíaca e diferenças

Por Dr. José Aldair Morsch, 30 de junho de 2021
Batimentos do coração

Bradicardia e taquicardia descrevem alterações na frequência normal do coração, conhecida como ritmo sinusal.

Embora elas possam causar preocupação, muitas vezes são benignas, aparecendo como resposta a estímulos externos.

Um exemplo é a prática de exercícios físicos, que faz o músculo cardíaco bater depressa.

Ou de um repouso prolongado, que contribui para que os batimentos fiquem um pouco mais lentos.

Mas há casos em que é preciso buscar ajuda médica, principalmente quando há sintomas associados e alterações prolongadas.

Nas próximas linhas, detalho o significado das principais arritmias, sintomas e quando é preciso consultar um cardiologista.

Acompanhe!

O que são bradicardia e taquicardia?

Bradicardia e taquicardia são arritmias, ou seja, alterações que mudam o ritmo cardíaco normal.

Elas ocorrem quando há anormalidades na frequência cardíaca ideal que, em adultos saudáveis, costuma ficar entre 50 e 100 bpm.

Bpm é uma abreviação da unidade de medida mais comum na avaliação do ritmo do coração: batimentos por minuto.

Esse ritmo é determinado pela condução dos impulsos elétricos que percorrem o músculo cardíaco e fazem com que ele se movimente, a fim de bombear o sangue para todas as áreas do corpo.

Um impulso elétrico normal nasce no nó sinusal, localizado acima do átrio direito – uma das 4 câmaras cardíacas.

Ele passa, então, pelo átrio direito e esquerdo, seguindo para as câmaras inferiores: os ventrículos.

O processo faz com que o músculo se contraia e relaxe, formando os batimentos.

Cada batida leva somente 0,19 segundo para acontecer.

Quando há alterações na formação ou trajeto dos impulsos elétricos, isso pode desencadear bradicardia, taquicardia e outras arritmias.

Alteração na frequência cardíaca

São os impulsos elétricos que bombeiam o sangue para todas as áreas do corpo

Qual a diferença entre bradicardia e taquicardia?

A diferença entre bradicardia e taquicardia é que cada uma descreve um tipo de alteração na frequência cardíaca.

Exemplo de ECG com bradicardia sinusal

Frequência cardíaca inferior à 50 batimentos por minuto, indicando bradicardia.

A bradicardia se refere a um ritmo mais lento do que o normal, sendo observada quando as batidas ficam abaixo de 40 por minuto, num adulto em repouso.

Já a taquicardia define um ritmo acelerado, com batimentos que superam os 100 bpm em repouso.

Exemplo de Taquicardia sinusal

Frequência cardíaca superior a 100 batimentos por minuto, indicando taquicardia sinusal.

Vale lembrar que o ritmo do coração pode ser modificado brevemente por condições passageiras e estímulos externos, como mencionei no começo do artigo.

Consumo de álcool em excesso, estresse, raiva, uso de cigarro e a prática de atividade física são a razão de muitas arritmias de padrão rápido ou taquicardias.

Da mesma forma, dor, fome, problemas digestivos como diarreia, e cansaço podem provocar bradicardias ou arritmias de padrão lento.

E a arritmia?

Nas palavras da Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas (SOBRAC):

“Arritmia cardíaca é a alteração que ocorre na geração ou na condução do estímulo elétrico do coração e pode provocar modificações do ritmo cardíaco. A arritmia é o distúrbio na formação do impulso elétrico.”

Bradicardia e taquicardia são os dois tipos de arritmia cardíaca.

Seu diagnóstico deve ser dado por um cardiologista, após avaliação completa do histórico de saúde, hábitos e sintomas relatados pelo paciente.

Apesar de acometer pessoas de todas as idades, origens e estilos de vida, as arritmias são mais frequentes e perigosas para quem sofre com doenças cardíacas ou passou por eventos graves, como o infarto.

Lembrando que o infarto do miocárdio é a morte de células do coração, ocasionada pela interrupção de fluxo sanguíneo em uma ou mais áreas do órgão.

Sintomas de taquicardia e bradicardia

Muitas vezes, tanto a taquicardia como a bradicardia não provocam sintomas, passando despercebidas pelo paciente.

Daí a importância de investir em hábitos saudáveis, abandonando o cigarro, o consumo elevado de bebida alcoólica e o sedentarismo para prevenir problemas no coração.

Também é inteligente fazer check up uma vez ao ano, passando por avaliação física e por exames de rotina, como testes laboratoriais e de diagnóstico.

Ao fazer um eletrocardiograma (ECG), por exemplo, as alterações no ritmo cardíaco são detectadas, permitindo um tratamento precoce e melhorando o prognóstico.

Contudo, existem casos em que bradicardia e taquicardia causam sintomas, sendo os mais comuns:

  • Palpitações ou “batedeiras”
  • Dor no peito
  • Desmaios
  • Tontura
  • Fraqueza
  • Pressão baixa
  • Confusão mental.

 

Bradicardia e taquicardia

O check up é muito importante para o coração, com avaliações físicas e exames de rotina

Qual médico procurar e quando fazer isso?

Na presença de arritmias junto a um ou mais dos sintomas que citei acima, procure ajuda médica.

Caso a bradicardia ou taquicardia dure mais do que alguns segundos, também é preciso receber atendimento para evitar complicações.

Emergências podem ser atendidas no pronto-socorro mais próximo, enquanto o acompanhamento será realizado por um cardiologista.

Esse é o especialista que conhece os padrões e anormalidades do sistema circulatório, sendo capacitado para diagnosticar doenças e recomendar o melhor tratamento.

Geralmente, ele fará um exame físico e vai pedir testes complementares, como o ECG e o teste ergométrico, dependendo da suspeita clínica.

Pacientes que têm histórico familiar de patologias no coração devem redobrar a atenção diante de descompasso e arritmias.

Se possível, vale fazer um monitoramento preventivo junto ao cardiologista.

Com as ferramentas tecnológicas atuais, cuidar da saúde ficou ainda mais simples, pois dá para contatar o médico de sua confiança a distância.

Desde 2020, a teleconsulta foi aprovada no Brasil, conectando profissionais de saúde e pacientes através da internet.

Plataformas modernas, como a Morsch, oferecem um ambiente intuitivo no qual bastam alguns cliques para marcar as consultas online.

Veja como é prático:

  1. Acesse a página de agendamentos
  2. Use o campo de buscas para selecionar a especialidade Cardiologia e o profissional de sua preferência
  3. Confira os horários de agendamento, ao lado da identificação do médico, e escolha o mais adequado
  4. Você será redirecionado para uma página de login. Se não tiver cadastro, selecione “Criar conta”
  5. Preencha o formulário com informações de identificação e prossiga
  6. Crie uma senha para acessar o sistema
  7. Confirme o horário da teleconsulta e faça o pagamento
  8. Você vai receber o link de acesso à sala virtual via WhatsApp ou SMS, 30 minutos antes do horário marcado.

Conclusão

Na maioria das vezes, a bradicardia e taquicardia não indicam doenças, mas é preciso acompanhar sua evolução.

Se permanecerem por um longo tempo, forem frequentes ou aparecerem acompanhadas de sintomas, busque a avaliação de um cardiologista.

Você pode começar hoje mesmo a cuidar da saúde do coração, com o suporte da plataforma de teleconsulta Morsch.

Clique aqui e saiba mais.

Se gostou deste conteúdo, compartilhe!

Assine nossa newsletter para ficar por dentro de temas ligados a tecnologia e saúde.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE