Eletrocardiograma alterado, o que fazer?

Por Dr. José Aldair Morsch, 25 de agosto de 2013
Eletrocardiograma alterado
 O eletrocardiograma alterado está relacionado a qualidade do exame durante a sua execução, ou seja, um exame de ecg mal feito, alterações presentes desde o nascimento e claro, vários tipos de doenças.
Diante de tantas possibilidades, o que fazer? Confiar no serviço que executou o exame de ECG, procurar outro local e gastar ainda mais com isso, iniciar um tratamento sem a certeza do diagnóstico?
Discutiremos neste artigo as consequências de um eletrocardiograma mal feito, até as situações que realmente indicam necessidade de ir adiante na investigação.
Eletrocardiograma no tablet

Eletrocardiograma no tablet

Fique comigo e esclareça todas as dúvidas sobre seu eletrocardiograma alterado.

O que pode ser um eletrocardiograma alterado?

Diante de um eletrocardiograma alterado, devemos considerar várias possibilidades antes de aceitarmos o resultado como definitivo, veja a lista abaixo, é importante, procure ler até o final.

O que pode ser um eletrocardiograma alterado?

O que pode ser um eletrocardiograma alterado?

1. O eletrocardiograma mostrou muita interferência?

A falta de preparo adequado da pele implica em uma captação ineficiente da atividade elétrica cardíaca.

No traçado do eletrocardiograma podemos ver que a linha que mostra os batimentos é bem irregular, cheia de artefatos que prejudicam a análise do exame pelo Cardiologista.

2. O eletrocardiograma foi interpretado por um Cardiologista?

Neste quesito, vale lembrar que existem vários aparelhos de eletrocardiograma no mercado que são vendidos com a promessa de que o exame realizado no aparelho seja capaz de ser interpretado pelo próprio software disponível da fábrica.

Por percebermos que essa prática estava em crescimento no Brasil, com exames de péssima qualidade, decidimos fazer um trabalho científico comparando o resultado do laudo do aparelho com interpretações ás cegas feitas por Cardiologistas e concluímos que o laudo é falho, muito precário e não consegue substituir a interpretação feita pelo Cardiologista.

Acredite, muitos clínicos gerais usam esse tipo de aparelho, procure informação sobre como é feito o laudo médico na sua região.

Não temos Cardiologista na nossa cidade, como poderemos ter acesso a um laudo de eletrocardiograma confiável?

CLIQUE AQUI E CONHEÇA A TELEMEDICINA QUE FORNECE OS LAUDOS

Em nossa cidade não temos nem quem faça os eletrocardiogramas, como poderemos ter acesso ao exame morando longe dos recursos?

Iniciar um serviço de Eletrocardiograma é seguro e o cliente pode receber treinamento a distância para realizar os exames.

3. Eletrocardiograma alterado não é sinônimo de doença

Eletrocardiograma alterado não é sinônimo de doença

Eletrocardiograma alterado não é sinônimo de doença

Devemos sempre lembrar que nenhum ser humano é igual, por isso é frequente variantes de eletrocardiograma alterado que são na verdade considerados como normais.

Exemplo frequente é a presença de distúrbio de condução de ramo direito de His, considerado de nascimento em 0,3% da população sadia.

Se eu fosse descrever aqui todas, faria uma lista com mais de 50 possibilidades de alterações sem relação com doença.

Reforço que o contrário é muito verdadeiro, ou seja, podemos realizar um eletrocardiograma e receber um resultado normal dentro de uma situação onde a doença está escondida.

Neste caso, precisamos usar de outros exames para esclarecer os sintomas de um paciente com dor típica no peito. Rotineiramente indicamos uma ergometria.

Para auxiliar os médicos em geral, mas principalmente aqueles que trabalham com medicina ocupacional, criamos um manual de eletrocardiograma, com isso o médico poderá conduzir o diagnóstico de forma mais segura.

4. O eletrocardiograma mostrou distúrbio de condução, isso é grave?

É bom ficar atento a qualidade do serviço onde é realizado o eletrocardiograma.

Quando o preparo do exame não é adequado, ou seja, os eletrodos não são colocados na posição correta durante o exame, a tendência é aparecer alterações relacionadas á técnica em realizar o exame e não serem decorrentes de doença.

Como poderei saber se o eletrocardiograma foi bem executado?

Como poderei saber se o eletrocardiograma foi bem executado?

Como poderei saber se o eletrocardiograma foi bem executado?

Observe essa figura abaixo e na sequência o vídeo. Isso trará segurança em saber como anda a qualidade do exame de eletrocardiograma.

Eletrodos de ecg

Eletrodos de ecg no peito do homem

Passo a passo para aplicação correta do eletrocardiograma

Vídeo demonstrativo da posição correta dos eletrodos de ecg

Para discutirmos sobre ecg normal e alterado, precisamos ter total segurança que o exame foi executado de forma correta.

1. Preparo adequado da pele

É fundamental que o técnico em enfermagem utilize um algodão com álcool para tirar a gordura da pele do paciente antes do exame.

2. Retirada dos pelos no peito do homem

Muitos homens com excesso de pelos no corpo acabam sendo prejudicados e o fato de não cortá-los, acarreta um exame de baixa qualidade.

3. Conhecer a anatomia do tórax para colocação correta dos eletrodos

Na nossa empresa de Telemedicina, constatamos que a maiorias dos técnicos em enfermagem não sabe colocar de forma segura os eletrodos nos locais exatos indicados.

4. Entender o básico de um traçado de ECG

Nos cursos técnicos para realizar ecg, são mostrados ecg normal e alterado para que o funcionário saiba diferenciar e possa orientar o paciente a procurar rapidamente um especialista.

O problema está no momento da alteração no eletrocardiograma, onde o próprio técnico em enfermagem não se dedicou em aprender o que é exame mal feito, com interferências, de um ecg alterado.

5. Ter um responsável médico no serviço para acompanhar a qualidade dos exames

A maioria dos locais que realizam eletrocardiograma confiam na enfermagem, seja enfermeiro com formação universitária ou técnico em enfermagem.

Esse é o maior erro do serviço, visto que até um médico que não é cardiologista, não sabe fazer um exame médico com perfeição, muito menos saber sobre alteração no eletrocardiograma.

Como é possível monitorar a qualidade dos exames no serviço?

Ou a clínica disponibiliza o Cardiologista que fica presente alguns dias da semana no local dos exames, ou utiliza uma empresa de Telemedicina que dá suporte permanente de forma remota.

Falo sobre isso mais adiante em como é possível aproveitar essa benefício.

Resultados de eletrocardiograma normal e alterado

Resultados de eletrocardiograma normal e alterado

Resultados de eletrocardiograma normal e alterado

Um laudo ecg alterado não representa necessariamente que o paciente tenha uma doença no coração.

A alteração no eletrocardiograma pode ser decorrente de um exame mal feito, seja por falta de preparo adequado da pele do paciente dourante o exame, seja por posição errada dos eletrodos, até logicamente doenças graves.

Ecg alterado o que significa na prática?

A resposta é que pode doença como também pode ser normal. Vai depender exclusivamente do tipo de alteração descrita no ecg de repouso.

Descrevo as duas possibilidades, ecg normal e alterado para um melhor entendimento.

Perceba que irei descrever uma arritmia sinusal como sendo um laudo ecg normal.

Resultados de eletrocardiograma normal

Alguns exemplos de laudo ecg normal em que a descrição do laudo não necessariamente é concluída como exame normal:

1. Exame ecg normal

Ritmo sinusal normal, intervalos, segmentos e eixo elétrico normais. Conclusão: Exame dentro dos limites da normalidade.

Perceba que durante toda a descrição do exame, os termos se referem a condições normais no ser humano.

2. Arritmia sinusal

Ritmo sinusal, intervalo R_R variável. Conclusão: Presença de arritmia sinusal.

Apesar do nome arritmia sinusal ser indicativo de algum tipo de arritmia como doença, o termo se refere ao modo como o batimento do coração se comporta em relação á respiração.

É uma condição comum dos jovens, onde o ciclo respiratório interfere com o batimento, dando uma falsa impressão de arrtmia.

3. Bradicardia sinusal

Termo médico usado para descrever um batimento cardíaco inferior a 60 por minuto.

É normal na maioria das pessoas, principalmente em atletas e praticantes de atividade física regular que faz baixar o batimento.

Essa condição é benéfica ao nosso corpo, indicando que o sistema cardiovascular está condicionado.

É problema nos idosos e pacientes medicados com drogas que afetam o batimento cardíaco.

Resultados de eletrocardiograma alterado

A possibilidade de alterações no ecg são muitas, sendo que temos catalogado mais de 1000 possibilidades.

Descrevo á seguir alguns exemplos de alterações que podem ser normais para algumas pessoas, ou seja, de nascimento e a mesma alteração presente em outra pessoa, ser considerada doença.

1. Distúrbio de condução pelo ramo direito do feixe de His

O mais comum é se tratar de um exame de ecg mal feito, onde os eletrodos são colocados nos locais errados do tórax do paciente.

Mas digamos que tenha sido executado de maneira perfeita.

Pode ser de nascimento numa pessoa saudável e nunca se manifestar como doença, presente em 2% da população brasileira

Pode ser decorrente de uma doença congênita no nascimento, chamada de CIA (comunicação inter-atrial)

2. Bloqueio divisional ântero-superior esquerdo do feixe de His

Pode ser também uma situação normal de nascimento, onde jamais se manifestará como doença.

Está presente em pequena parcela da população brasileira.

No outro extremo, ou seja, indicando doença, se refere a desgaste do sistema elétrico dentro dos ventrículos provocado pela pressão alta sem tratamento.

3. BAV de primeiro grau

Também chamado de bloqueio atrioventricular de primeiro grau, está presente em uma parcela saudável da população.

É um marcador de envelhecimento do sistema cardiovascular e está presente nos idosos.

Tornas-se problema ao se somar com outros bloqueios como bloqueio divisional ântero-superior esquerdo do feixe de His ou até mesmo um bloqueio de ramo direito.

Nesses casos, o paciente acaba necessitando de uso de marcapasso cardíaco permanente e terá uma vida normal.

O BAV pode ainda ser de segundo e terceiro graus.

4. Sobrecarga de cavidades cardíacas

Presente no atleta que exagera nos exercícios e acaba hipertrofiando o músculo cardíaco.

Condição neste caso reversível.

Presente em hipertensos que não trataram adequadamente a pressão e tiveram um trabalho exagerado do coração com o seu crescimento.

Também presente em pacientes com doenças nas válvulas cardíacas.

5. Fibrilação atrial

Distúrbio do rítmo cardíaco frequente no idoso, sempre considerado doença, um tipo de arritmia cardíaca.

Essa alteração no eletrocardiograma traz riscos do paciente sofrer de derrame cerebral ou insuficiência cardíaca.

Sempre deve ser tratado.

6. Taquicardia sinusal

Situação comum em que o batimento do coração está acima de 100 por minuto.

Pode ocorrer em pessoas saudáveis, com ansiedade durante o exame, com anemia, com doença da tireoide, fumo, álcool e não estar relacionado ao coração.

Por outro lado, pode representar um coração em sofrimento, seja por isquemia, enfraquecimento, disfunção de uma válvula cardíaca e muito mais.

7. Zona inativa

Termo técnico usado para descrever um infarto antigo. O paciente teve um pequeno infarto no passado que foi confundido como se fosse uma congestão alimentar.

Ele pode ocorrer em várias paredes do coração, como septal, anterior, lateral, inferior.

Quem já teve infarto, tem um tempo de vida reduzido e a chance de novo infarto é bem maior quando comparado com a população em geral.

A qualidade do eletrocardiograma está boa no seu serviço?

A qualidade do eletrocardiograma está boa no seu serviço?

A qualidade do eletrocardiograma está boa no seu serviço?

Como anda a qualidade na execução do exame de Eletrocardiograma no seu serviço?

Será que o funcionário está qualificado para realizar o exame?

Costuma fazer algum treinamento regular para tirar os vícios que naturalmente ocorrem ao realizar os exames?

Estas são algumas perguntas que costumamos fazer e muitas vezes não se encontram na internet informações seguras.

A colocação muito alta de V1 e V2, por exemplo, acaba criando doença onde não existe.

O erro mais comum é receber um laudo com distúrbio de condução pelo Ramo Direito do feixe de His, também chamado de atraso de condução, sem que seja realmente a realidade do paciente.

Para auxiliar nessas necessidades, disponibilizo esse kit de eletrocardiograma gratuito para download.

O eletrocardiograma é o mesmo na mulher?

O eletrocardiograma é o mesmo na mulher?

O eletrocardiograma é o mesmo na mulher?

A anatomia da mulher é diferente do homem. Isso traz mais dificuldades em realizar o ECG.

É comum a pergunta se pode ficar com sutiã durante o exame e a resposta é não, os metais da roupa prejudicam a qualidade do exame.

Vale lembrar que muitas mulheres possuem a mama grande, isso torna o exame de eletrocardiograma ainda mais desafiador.

Devemos respeitar a linha hemi-clavicular e apenas descer um espaço intercostal para colocar os eletrodos abaixo da mama, assim não produziremos alteração no eletrocardiograma que deveriam ser normais.

Não temos aparelho de eletrocardiograma, como podemos adquirir?

Com o crescimento da telemedicina no mundo, muitas empresas desenvolveram o serviço de telecardiologia com fornecimento do aparelho de eletrocardiograma na forma de aluguel em comodato.

O cliente que adquire o aparelho em comodato paga uma mensalidade e recebe mensalmente 30 laudos de eletrocardiograma de cortesia.

CLIQUE AQUI E CONHEÇA MAIS SOBRE O COMODATO DE APARELHOS MÉDICOS

Se você é um paciente buscando informações na internet, procure sempre dialogar com seu médico depois de ler as informações disponíveis, visto que a interpretação dos conteúdos científicos pode não corresponder com o que foi entendido.

Se você é profissional da saúde, seja bem vindo ao mundo da telemedicina!

A Telemedicina com solução para o laudo de eletrocardiograma

A Telemedicina com solução para o laudo de eletrocardiograma

Para auxiliar consultórios, clínicas e hospitais, a Telemedicina surgiu como uma ferramenta digital disponível para qualquer serviço que tenha internet.

É possível ter um serviço com laudo de ECG em tempo integral, sem a presença do Cardiologista.

O CFM autoriza especialistas a interpretar exames com laudo a distância.

Através de uma Plataforma de Telemedicina em nuvem o cliente envia os registros dos exames realizados e recebe os laudos médicos assinados digitalmente por Cardiologistas em 30 minutos.

Todo o treinamento e suporte é feito de forma remota, permanente e sem custos adicionais.

A Telemedicina provou reduzir o custo dos laudos em 50% e com muito mais agilidade.

Conclusão

No artigo, descrevi as situações mais frequentes que ocorrem no ecg normal e alterado.

Foi possível verificar que a qualidade do exame reflete muito nas alterações e com isso, nem tudo é considerado doença.

Ainda descrevi com clareza a imensidão de possibilidades de resultados de ecg alterado e o que significam.

Mostrei como é possível utilizar de recursos tecnológicos com a Telemedicina para receber treinamento e suporte na realização de exames de qualidade, assim como na redução do custo e tempo de entrega dos laudos.

Recomendo que assine nosso blog, recebendo com isso, material informativo de alta qualidade para sua formação e aperfeiçoamento semanal na sua caixa de e-mail.

Se gostou do conteúdo, compartilhe com seus amigos e colegas!

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FURG - Fundação Universidade do Rio Grande - RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia pela PUC-RS. Pós-graduação em Cardiologia Pediátrica pela PUC-RS. Linkedin

COMPARTILHE

Entre em contato por WhatsApp
Enviar mensagem pelo WhatsApp