Situações que prejudicam a qualidade do Eletrocardiograma

Por Dr. José Aldair Morsch, 15 de março de 2015
fazer eletrocardiograma

Conheça as situações que prejudicam a qualidade do eletrocardiograma no momento de sua realização.

Pequenos detalhes que corrigimos trazem bons resultados e melhoram a apresentação do exame e sua credibilidade.

Para ajudar a descobrir as situações que prejudicam a qualidade do Eletrocardiograma, as empresas que fabricam os aparelhos de eletrocardiograma disponibilizam um software que mostra um  alarme visual de eletrodo inoperante.

O que interfere na qualidade do Eletrocardiograma?

Parece fácil num primeiro momento que olhamos como é realizado um eletrocardiograma, mas são os pequenos detalhes que trazem o registro de um traçado de qualidade para ser bem interpretado e entregar um exame de qualidade para o seu paciente.

Isso acontece por exemplo, quando há um eletrodo solto ou saturação dos amplificadores de captação de Eletrocardiograma.

Solicite um orçamento

Algumas condições devem ser observadas, vamos descrever os principais fatores neste artigo.

Eletrodo desconectado do aparelho durante o exame

O conector do cabo de paciente está mal conectado ou solto da garra ou presilha que se une ao eletrodo.

Quando preparamos o paciente para realizar o eletrocardiograma, colocamos os eletrodos nos punhos e tornozelos e depois usamos os eletrodos com ventosas para colocar no tórax do paciente.

Na pressa, sem perceber a garra ou presilha se solta do eletrodo e aparece uma linha reta na derivação correspondente, por exemplo, DI , V2 ou qualquer outra.

Alguns aparelhos avisam com um bip sonoro, outros não. Então, a regra é observar o traçado.

Isso altera e muito a qualidade do eletrocardiograma.

Outra situação pode dar uma linha reta na derivação correspondente, veja nos exemplos abaixo.

Solução: Conecte corretamente o cabo do paciente no eletrodo.

Eletrodo solto do peito durante o exame de ECG

O eletrodo não está devidamente fixado na pele do paciente, certamente a qualidade do eletrocardiograma ficará comprometida.

Nos casos em que o paciente tem muito pêlo no peito, acabam soltando o eletrodo e inviabilizando o exame.

Neste caso também vai aparecer uma linha reta na derivação correspondente, mas o motivo é o eletrodo solto e não o cabo do eletrodo.

Nestes casos recomendamos cortar os pêlos antes de realizar o exame. Lembre-se de não abusar no gel, pois também acaba soltando da pele com mais facilidade.

A regra é usar uma mini-gota em cada posição que vai o eletrodo.

Solução: Proceda novamente a limpeza da pele com algodão e álcool, aproxime cuidadosamente o eletrodo e caso perceba que linha reta permanece,  certamente é outro problema que iremos abordar na sequência do artigo. Vou te deixar na curiosidade.

Eletrodo seco, sem gel de condução

Situação muito comum e que altera a qualidade do eletrocardiograma é de acharem que o gel não é importante e acabam não usando, principalmente quando acaba e não repõe para a sala de exame.

Como o técnico em enfermagem que realiza o ecg não sabe as consequências disso, acaba não percebendo que os batimentos na tela do computador não aparecem e os complexos QRS ficam muito pequenos no traçado, inviabilizando uma boa análise do eletrocardiograma.

Está usando o gel mas não está dando o contato necessário entre o eletrodo e a pele do paciente.

Solução: Proceda novamente a limpeza da pele com algodão e álcool para tirar o excesso de gordura e troque o eletrodo caso necessário ou considere o cabo do paciente com problema.

Cabo do paciente com defeito

Há algum problema nos cabos condutores (fio partido, por exemplo). Isso acontece dentro do cabo, visto que existem milhares de filamentos que quebram com o uso inadequado e por não guardar o cabo de maneira correta.

Você vai perceber que a derivação correspondente ao cabo quebrado apresenta uma linha reta e nada do que faça para resolver vai mudar essa realidade.

Solução: Troque o cabo de paciente.

Caso não possa ficar sem o cabo por muito tempo para não deixar de fazer os exames, basta solicitar para nossa empresa, a Telemedicina Morsch que enviamos outro cabo em 24 horas para que o seu serviço não fique parado.

Atenção: Nunca use eletrodos ou cabos de marcas e modelos diferentes para tentar fazer os exames, nem mande consertar o cabo numa eletrônica, pois há necessidade de testes específicos para validar o uso em pessoas.

Tomada sem aterramento

Percebemos que o neutro da tomada que conectamos o computador não é ideal para ser considerado como aterramento.

Solução: Recomendamos que chame um eletricista e solicite que faça um aterramento específico para aquela tomada que é usada no exame.

Caso use um notebook com uma boa bateria, deve desconectar da tomada durante o exame, isso resolve o problema.

Neste vídeo demonstro a forma correta de guardar o cabo

Exemplo de cabo quebrado visto no traçado

No lugar de aparecer o batimento cardíaco, o traçado fica com falhas grosseiras como mostrado na figura abaixo.qualidade do eletrocardiograma

Cabo quebrado internamente

QRS pequeno e linha de base irregular

Exemplo de exame com pele mal preparada, onde cada batimento registrado fica de tamanho insatisfatório para ser analisado.

Se todas as linhas estiverem com aspecto irregular, diferente da tradicional linha lisa, reta que desenvolve a atividade regular de batimento cardíaco, indica que a pele não foi bem preparada.

Certamente em todos os casos a equipe de telemedicina que presta serviços é acionada e após a análise do traçado, sugere a melhor saída para solucionar o problema.

Ainda não usa os serviços de Telemedicina?

Para clínicas localizadas em locais remotos, sem especialista para interpretar os exames, a telemedicina é um excelente meio de enviar os exames e receber os laudos médicos em 30 minutos.

SOLICITE UM ORÇAMENTO DOS SERVIÇOS DE TELEMEDICINA

Conclusão

Neste artigo procurei descrever de forma simples algumas alterações vistas no registro de ecg decorrentes de problemas técnicos ao realizar o eletrocardiograma.

Qualquer técnico que preste atenção nos registros de ecg vai perceber que existe uma harmonia nos batimentos, uma repetição do padrão em todos os exames.

Ao perceber que o traçado está muito diferente do tradicional, sugiro que pergunte para nosso suporte como está a qualidade dos exames.

Finalizar um exame de ecg mal feito e liberar o paciente vai trazer trabalho dobrado.

O exame não ajudará na interpretação e terá que ser repetido. Isso traz muito desconforto para o paciente.

Este artigo ajudou no seu serviço?

Ficou alguma dúvida para discutirmos? Escreva pra mim logo abaixo que responderei pessoalmente em pouco tempo.

Compartilhe com seus amigos nas redes sociais!

Assine nosso blog e receba conteúdo relevante semanal em seu e-mail!

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FURG - Fundação Universidade do Rio Grande - RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia pela PUC-RS. Pós-graduação em Cardiologia Pediátrica pela PUC-RS. Linkedin

COMPARTILHE

Entre em contato por WhatsApp
Enviar mensagem pelo WhatsApp