Afinal, será que o atendimento médico online é mesmo o futuro?

Por Dr. José Aldair Morsch, 11 de agosto de 2020
Atendimento médico online é o futuro?

A busca por atendimento médico online cresceu muito em 2020, especialmente devido ao cenário de pandemia causado pelo novo coronavírus.

A flexibilização na disponibilidade dessa modalidade de atendimento deve-se a uma lei extraordinária, mais precisamente a Portaria 467.

Através dela, ficou definido que as consultas online seriam permitidas em todo o cenário nacional.

Logo, os médicos passaram a atender e repassar orientações e prescrições eletrônicas, assim como realizar encaminhamento à distância.

O atendimento médico online permite realizar diagnósticos mais ágeis e precoces, assim como auxilia a desafogar o sistema de saúde.

Mas engana-se quem acredita que o atendimento médico online é algo recente. A telemedicina e teleconsulta foram regulamentadas em 2002, mas passou por uma série de atualizações para chegar até o momento atual.

A grande questão, porém, é a seguinte: será que o atendimento médico online seguirá em crescimento nos próximos anos? É essa reflexão que eu pretendo levantar neste conteúdo!

Para isso, mostrarei o que a nova resolução do CFM aborda sobre a teleconsulta e de que forma se dá o relacionamento entre paciente e profissional de saúde.

Abordarei também as principais vantagens do atendimento médico online e como escolher a melhor plataforma de telemedicina.

Boa leitura!

Afinal, o que é e como funciona o atendimento médico online?

Também conhecido como teleconsulta, consiste na consulta médica realizada de forma remota, usando-se de tecnologias seguras de comunicação e interação online.

De maneira geral, o atendimento médico online pode ser realizado das seguintes formas:

  1. Entre médico e paciente: Realizado de forma direta, sem a mediação de outro profissional da saúde;
  2. Entre médicos: Quando um clínico geral busca uma segunda opinião de um especialista, por exemplo, para chegar a um diagnóstico mais preciso ou no tratamento mais adequado. O paciente pode ou não participar;
  3. Síncrona: A interação é imediata através de vídeo-chamada ou videoconferência ou então a resposta é fornecida em um curto espaço de tempo;
  4. Assíncrona: Quando não há interação direta entre o paciente e o médico, sendo a comunicação realizada em horários diferentes.

O atendimento médico online pode ser inicial (primeiro atendimento), de monitoramento do estado de saúde, urgência ou, ainda, de supervisão, em que há a troca de experiência entre os profissionais.

Além disso, pode contar com atendimento de diversas especialidades médicas, incluindo:

  • Cardiologia;
  • Neurologia;
  • Radiologia.
O atendimento médico online otimiza e amplia o tempo do profissional

Com o atendimento online, o médico não fica limitado pelas barreiras geográficas e pode atender pacientes de outros estados e até países.

Para que serve o atendimento médico online?

Essa modalidade tem como objetivo principal ampliar a capacidade de atendimento médico e, ao mesmo tempo, proporcionar que pessoas que moram em locais remotos tenham acesso a especialistas.

Geralmente, as especialidades médicas são mais fáceis de serem encontradas em grandes centros – o que requer que moradores de outras regiões tenham que se deslocar para obter esse atendimento.

A teleconsulta rompe as barreiras geográficas, permitindo que pacientes conversem com profissionais de saúde de forma remota, necessitando apenas de um dispositivo com acesso à internet.

Para os profissionais, o atendimento médico online favorece a uma melhor organização da agenda, tendo em vista que conseguem atender uma quantidade maior de pacientes.

Além disso, podem reduzir seus custos com infraestrutura, caso tenham uma clínica física e desejem migrar para a modalidade online.

O que a lei aborda em relação ao atendimento médico online?

A primeira lei que regulamentou a prática da telemedicina foi a Resolução CFM 1.643/02.

Até hoje, são as suas regras que definem a atividade, apesar de, desde então, terem sido criadas outras resoluções.

Vou abordar a seguir as 3 principais normas do CFM e o que cada uma estipulou em termos de atendimento médico on-line:

1 – Resolução 1.643/02

Define que a telemedicina deve, acima de tudo, favorecer a relação entre médicos e pacientes.

Logo, deve facilitar o atendimento, permitindo um diagnóstico preciso sem que seja necessário se deslocar a uma clínica ou hospital.

Ela esclarece que, o ideal, é que o primeiro contato seja realizado de forma presencial, mantendo o acompanhamento posterior à distância.

Um dos temas mais abordados diz respeito ao cuidado com as informações que recebe, que devem ser o mais precisas possíveis.

Caso elas sejam insuficientes, o profissional não deve realizar o diagnóstico de forma precipitada, e cabe a ele solicitar a realização de exames e procurar auxílio de outros especialistas.

O sigilo dos dados particulares dos pacientes é outro assunto pertinente que é definido pela resolução.

No caso, eles apenas podem ser repassados a outro profissional com a prévia autorização do paciente.

2 – Resolução CFM 2.227/18

À medida que o atendimento médico online se expandia e as tecnologias foram evoluindo, o Conselho Federal de Medicina sentiu necessidade de definir outros critérios para a sua prática.

Foi aí que ele criou o Resolução 2.227/08, onde foi estabelecido que era possível oferecer atendimento remoto com a finalidade de:

  • Assistência;
  • Promoção de saúde;
  • Prevenção de lesões e doenças;
  • Ampliação da educação;
  • Pesquisa na área da saúde.

Ela detalhou os requisitos necessários para a realização dos procedimentos vinculados à telessaúde, incluindo:

  • Teleconsulta;
  • Teleinterconsulta;
  • Telediagnóstico,
  • Telecirurgia,
  • Teleconferência;
  • Teletriagem médica;
  • Telemonitoramento;
  • Teleorientação;
  • Teleconsultoria.

Destes pontos, é importante reiterar que, pela primeira vez, o termo teleconsulta entrou oficialmente em pauta, permitindo que as consultas fossem realizadas à distância, mediadas por tecnologias.

O mesmo se aplica ao telediagnóstico, que consiste na “emissão de laudo ou parecer de exame por meio de gráficos, imagens e dados enviados pela internet”.

A preocupação com os dados segue recebendo grande importância nesta resolução.

Segundo ela, é preciso contar com uma infraestrutura que assegure a guarda, manuseio, integridade, veracidade e confidencialidade dos dados e imagens dos pacientes – seguindo à risca os preceitos do sigilo médico.

Apesar da importância e clareza das informações, a lei foi revogada em 2019, após a solicitação de diversas alterações por parte dos profissionais da área da saúde.

3 – Portaria 467

Devido à crise gerada pelo novo coronavírus, o CFM viu a necessidade de retomar alguns pontos importantes da resolução que foi revogada a fim de agilizar e contribuir para o atendimento médico online.

De caráter emergencial, a portaria permite que os profissionais de saúde realizem:

  • Teleorientação, para garantir o encaminhamento dos pacientes que se encontram em isolamento social;
  • Telemonitoramento, permitindo supervisionar o estado de saúde do paciente à distância, bem como promover orientações, quando necessário;
  • Teleinterconsulta, para que os médicos possam trocar informações, opiniões e experiências para auxílio diagnóstico ou terapêutico.

Ainda segundo ela, é essencial que o especialista deixe claro para o paciente as limitações do atendimento médico online, como a impossibilidade de realizar exames físicos.

Essa lei tem caráter temporário, ou seja, tem vigência enquanto durar o combate à pandemia da COVID-19.

Apesar disso, ela poderá servir como um teste, permitindo que novas regras sejam futuramente criadas para ampliar e flexibilizar a telemedicina no país.

De que forma ocorre a interação entre médicos e pacientes através do atendimento médico online?

Todo o atendimento é realizado à distância, mediante o uso de uma plataforma de teleconsulta.

Usando um login e senha previamente disponibilizados, é possível acessar a página específica de cada paciente – conhecida como prontuário eletrônico.

Nele, ficam dispostas todas as informações relacionadas ao indivíduo em uma espécie de histórico, para facilitar o controle do seu estado de saúde, especialmente em um futuro atendimento médico online.

É importante destacar que as plataformas atuais permitem que haja a interação entre as partes através de videochamada.  

Isso ajuda no diagnóstico mais preciso, pois permite que o médico obtenha o máximo de informações a respeito das suas queixas, histórico familiar e doenças anteriores, entre outros.

A teleconsulta pode trazer vantagens tanto para médicos quanto pacientes

Consultas com especialistas, segurança e precisão de diagnóstico são algumas das vantagens.

Principais vantagens do atendimento médico online

Eu acredito que a teleconsulta é uma modalidade que veio para ficar – e justifico essa afirmação pelas diversas vantagens que ela possui para pacientes e médicos, especialmente.

Os principais benefícios são:

Ampliação da capacidade de atendimento

Quem conta com uma clínica física, costuma atender pessoas que moram nas proximidades ou que têm facilidade de deslocamento.

No caso da teleconsulta, essas restrições deixam de existir, pois é possível atender pacientes de outras cidades, estados ou mesmo países.

Além disso, como as informações são integradas em uma plataforma de telemedicina, o profissional investe menos tempo em cada atendimento – tendo em vista que muitas dúvidas já estarão esclarecidas no prontuário.

Logo, sua capacidade de atendimento é ampliada.

Acesso remoto disponível 24 horas por dia

Uma das principais vantagens da teleconsulta é o fato de ser possível acessar a plataforma 24 horas por dia.

Isso significa que se uma pessoa mora em outro país, com diferente fuso horário, é possível oferecer atendimento médico online no horário que for mais conveniente para ela.

Marcação de consulta com especialistas na teleconsulta médica

Como já mencionei, uma das maiores dificuldades do sistema de saúde do Brasil é oferecer atendimento especializado a uma grande quantidade de habitantes.

Geralmente, os especialistas ficam dispostos nos grandes centros ou em cidades que contam com hospitais com mais estrutura.

Com o atendimento médico online, é possível ampliar o acesso a especialistas a qualquer pessoa que tenha acesso à internet, o que é benéfico pensando no telediagnóstico.

Isso porque a pessoa pode realizar o exame em qualquer clínica que conte com os aparelhos necessários e enviar as imagens para serem laudadas por um especialista, também à distância.

Desta forma, as informações são todas centralizadas em uma única plataforma, permitindo um acompanhamento muito mais conciso, completo e, claro, especializado.

Rapidez para obter diagnósticos precisos

Como a teleconsulta permite que os médicos obtenham uma segunda opinião e troquem conhecimento com outros especialistas igualmente conectados à plataforma, o diagnóstico tende a ser muito mais preciso.

Além disso, diferentemente dos atendimentos presenciais, o diagnóstico é obtido rapidamente, permitindo iniciar o tratamento mais adequado  – quando necessário.

Diminuição dos gastos com a operação

Outra vantagem importante do atendimento médico online é a otimização de tempo e custos com a operação.

Enquanto uma clínica precisa contar com uma infraestrutura física e recepção, por exemplo, na teleconsulta é necessário apenas uma plataforma de telemedicina.

Outro detalhe importante é que as informações são todas dispostas na nuvem. Isso elimina a necessidade de contar com espaço para armazenamento das informações.

Comunicação humanizada e eficiente no atendimento médico online

Muitas pessoas imaginam que, por se tratar de um atendimento remoto, ela acaba sendo distante e menos preocupada – se comparada com a modalidade presencial.

Porém, a ideia é que a consulta seja muito mais humanizada e eficiente, mesmo com a distância física.

Para isso, cabe ao profissional de saúde prestar atenção a tudo que o paciente fala e, preferencialmente, anote mesmo os detalhes aparentemente menos importantes.

São esses detalhes que farão a diferença em um novo atendimento médico online, pois o indivíduo verá que o médico se importou e cuidou da sua condição.

Como escolher uma plataforma de atendimento médico online?

Existem diversas plataformas disponíveis no mercado para oferecer atendimento remoto.

Na hora de escolher, é importante ficar atento a alguns pontos que o sistema oferece ou não – pois eles farão toda a diferença.

A plataforma deve armazenar as informações de forma segura, para que pacientes e médicos tenham a garantia de que todos os dados estão protegidos.

Para isso, o ideal é que a solução conte com um sistema de criptografia e atue apenas na nuvem.

Ela deve contar com profissionais sempre disponíveis, para o caso de ser necessário realizar a teleinterconsulta.

Neste ponto, avalie se a plataforma dispõe de especialistas experientes e de diversas áreas sempre de prontidão, para garantir um diagnóstico mais preciso.

Avalie, ainda, se a empresa por trás da plataforma é referência em inovação tecnológica.

Isso porque a medicina está em constante evolução e é importante se certificar que você estará sempre atualizado.

Conte com a Telemedicina Morsch!

A Telemedicina Morsch é a parceira ideal para que você comece a oferecer atendimento médico online para os seus pacientes – bem como amplie a quantidade de pessoas alcançadas.

Ela conta com uma plataforma completa, composta por atendimento especializado, laudos remotos, opção de comodato de equipamentos e todo o suporte necessário para usá-la integralmente.

Além disso, ela é totalmente segura, garantindo a confidencialidade dos dados.

Conclusão

O atendimento médico online tem tudo para ganhar ainda mais visibilidade no futuro!

Por romper as barreiras geográficas e garantir um diagnóstico mais rápido e preciso, a tendência é que mais pessoas busquem esse tipo de atendimento e mais médicos se adaptem a essa nova modalidade.

Para que a teleconsulta seja eficiente, porém, é importante contar com uma plataforma completa, que ofereça a possibilidade de conversar com os pacientes em tempo real, bem como registrar todas as suas informações no prontuário eletrônico.

Nesse cenário, a Telemedicina Morsch surge como uma ótima opção, tendo em vista que atua nesse segmento desde 2005 e conta com especialistas das principais áreas sempre à disposição.

Quer se aprofundar ainda mais sobre o assunto? Baixe agora mesmo o e-book gratuito Teleconsulta: tudo o que você precisa saber.

E não esqueça de compartilhar com seus colegas de profissão e amigos para que eles também conheçam as vantagens de oferecer atendimento médico online!

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE