A importância da telemedicina para dar atenção primária à saúde

Por Dr. José Aldair Morsch, 28 de agosto de 2020
Relação da telemedicina com a atenção primária à saúde

A atenção primária à saúde é um desafio no sistema brasileiro, uma vez que existem pessoas que moram em locais ribeirinhos, com difícil acesso às equipes de saúde.

Mas o que é atenção primária à saúde? É um conjunto de ações com o intuito de garantir os cuidados essenciais à saúde.

Ele é o primeiro contato que as pessoas têm com o Sistema Único de Saúde (SUS), sendo considerado essencial dentro de um processo contínuo de atenção.

Apesar da saúde ser um direito de todos, ainda há grande desigualdade no acesso a um serviço especializado, uma vez que ele se concentra especialmente nos grandes centros.

Apesar de a estimativa ser que a atenção primária à saúde no Brasil esteja presente em cerca de 95% dos municípios, ainda é difícil fixar profissionais nas áreas rurais e/ou isoladas – seja por questões financeiras ou mesmo por falta de infraestrutura adequada.

Nesse cenário, a telemedicina vem se mostrado uma grande aliada, visto que permite que esse atendimento inicial, que podemos até chamar de triagem, ocorra à distância.

Assim, os médicos conseguem conhecer melhor os indivíduos, suas necessidades, restrições e problemas que podem afetar sua qualidade de vida.

Tudo de forma remota, bastando contar com uma tecnologia que permita a realização de videochamadas, bem como o registro de todos os dados coletados.

Este último ponto é ainda mais importante, tendo em vista que o objetivo da atenção primária à saúde não é simplesmente realizar um primeiro contato, mas também criar uma espécie de histórico dos pacientes, de forma a facilitar o atendimento nos casos de atenção secundária e terciária.

Mas afinal, o que é e quais são as características e funções da atenção primária à saúde?

É o que vou explicar neste artigo. Boa leitura!

O que é atenção primária à saúde?

É um estágio onde se encaixam os casos mais simples, ou seja, de complexidade mais baixa, com o intuito de promover saúde e garantir a atenção aos pacientes ao longo do tempo.

O seu foco é realizar consultas e exames considerados básicos, como a realização de curativos e radiografias.

Também são consideradas de atenção primária de saúde as campanhas de vacinação e de combate à dengue e todas as ações que visam promover bem-estar para as pessoas em geral.

Esse trabalho costuma ser desenvolvido pelas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e determina tudo que será preciso realizar nos demais níveis do sistema de saúde, permitindo uma melhor organização dos recursos.

As principais características da atenção primária à saúde são:

  • Porta de entrada: Consiste no primeiro atendimento, que irá determinar a atuação dos demais níveis do sistema;
  • Continuidade: Visa proteger, restaurar e equilibrar a saúde dos brasileiros como um todo;
  • Integralidade: A atenção é dada de forma oportuna e sistemática;
  • Coordenação: A comunicação e interação é feita com os demais níveis de atenção à saúde, de forma a prestar um atendimento organizado e justo;
  • Custo adequado e sustentável: A atenção primária à saúde favorece ao controle de desperdícios no sistema de saúde, uma vez que procura evitar maiores problemas logo no início;
  • Resolutividade: O tratamento é adequado e efetivo, identificando previamente os riscos, necessidades e demandas dos pacientes de forma individualizada e familiar.
Diferentes tipos de atenção à saúde

A atenção secundária envolve especialistas e terciária tem relação com procedimentos essenciais para a vida.

Qual a diferença entre atenção primária à saúde, secundária e terciária?

Como já mencionei, a atenção primária à saúde é a porta de entrada do paciente no Sistema Único de Saúde, sendo o atendimento realizado nas Unidades Básicas de Saúde (UBS).

Nesta etapa, são agendados consultas e exames mais simples, bem como realizados procedimentos de baixa complexidade.

Devido à dificuldade de acesso, alguns atendimentos são realizados pelos agentes de saúde em centros comunitários e escolas ou mesmo em visitas domiciliares.

Atenção secundária à saúde

A atenção secundária costuma ser oferecida nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA).

No local, o paciente passa a ter acesso também a especialistas, como:

  • Cardiologista;
  • Neurologista;
  • Oftalmologista;
  • Ginecologista.

No caso, após um atendimento primário, ele é encaminhado para uma próxima etapa, recebendo uma atenção mais específica e de acordo com o seu caso.

Ainda na atenção secundária, é possível realizar intervenções focadas em doenças agudas e crônicas, bem como atendimentos de emergência, pois os profissionais contam com suporte e infraestrutura mais adequados.

Atenção terciária

Esta etapa abrange os grandes hospitais, onde há tecnologias mais avançadas, bem como uma gama de especialistas ainda maior.

O objetivo nesse momento é garantir a realização de procedimentos para a manutenção dos sinais vitais do paciente.

A tecnologia possui papel fundamental na prestação do socorro, especialmente recursos como prontuário eletrônico e sistema de agendamento, pois permite obter informações precisas em relação ao histórico da pessoa, bem como dar prioridade a ele.

Qual a importância de contar com níveis de atenção à saúde?

Esse modelo de divisão dos serviços oferecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) por categorias foi uma orientação da Organização Mundial de Saúde (OMS).

O objetivo dessa determinação foi promover, restaurar a manter a saúde dos indivíduos através de uma triagem mais eficiente.

No momento em que o paciente muda de um nível para outro, ele tem a garantia de que haverá profissionais disponíveis para prestar o atendimento necessário.

Claro que apenas contar com diferentes níveis de atenção à saúde não é suficiente. É preciso que as etapas sejam executadas adequadamente e que a gestão hospitalar conte com um acolhimento humanizado.

Ou seja, é preciso dar a atenção que o paciente necessita, pois é isso que irá garantir um diagnóstico preciso e uma adequação quanto ao tipo de atendimento que ele deve receber de fato.

Uma alternativa para aperfeiçoar os processos internos é adotar a automatização do atendimento, através de ferramentas da chamada telemedicina – assunto que iremos abordar a seguir.

Quais tecnologias podem otimizar a atenção primária à saúde?

Existem diversos recursos tecnológicos que podem ser aplicadas na atenção primária à saúde, assim como nas demais etapas.

Conheça alguns deles!

Prontuário eletrônico

Trata-se de uma ferramenta que aumenta a qualidade hospitalar e agiliza os atendimentos.

Com o prontuário eletrônico, é possível registrar, armazenar e disponibilizar as principais informações relacionadas a um paciente, incluindo exames e diagnósticos, criando uma espécie de histórico clínico.

Desta forma, sempre que a pessoa for atendida em uma das instituições vinculadas ao SUS, o profissional poderá conferir seu histórico e, assim, promover orientações ainda mais precisas.

Sistema de agendamento

Apesar de ainda não ser realidade na maioria das instituições públicas do país, trata-se de um sistema muito útil, que ajuda, inclusive, a redução das filas.

Isso porque ele permite que seja realizado o agendamento online, de acordo com a agenda disponível na instituição.

Uma das vantagens desse sistema é que reduz a taxa de não comparecimento às consultas de forma significativa.

Afinal, ele envia automaticamente um SMS e e-mail para lembrar o paciente sobre o horário ou procedimento agendado.

Beira-leito

Essa ferramenta de checagem foi criada para diminuir o número de falhas hospitalares. Ela é responsável pela gestão dos medicamentos, sendo de grande valia especialmente para os profissionais da enfermaria.

Isso porque garante maior segurança na aplicação dos medicamentos, otimiza os processos e, ainda, melhora o desempenho financeiros das entidades – pois evita equívocos ou desperdícios.

Papel da telemedicina na atenção primária à saúde

A telemedicina auxilia na abrangência do acesso ao atendimento

Qual o papel da telemedicina na atenção primária à saúde?

A telemedicina vem dando um apoio importante à prática, especialmente em tempos de crise, uma vez que diminuiu a distância entre médicos e pacientes, aumentando o acesso a especialistas.

Ela possibilita diagnosticar, preservar e promover a saúde dos indivíduos em qualquer lugar e hora, já que todo o atendimento é prestado de forma remota, com a mediação de uma tecnologia.

Entre os seus principais benefícios está o de oferecer agilidade no diagnóstico de exames, graças ao telelaudo.

No caso, após a realização de um exame no local, ele é encaminhado para um especialista cadastrado na plataforma de telemedicina, que irá analisar, laudar e devolver em cerca de 30 minutos.

Assim, quase que instantaneamente, é possível prescrever tratamentos mais adequados, ajudando a presentar a saúde dos pacientes.

Além disso, ela permite ter uma visão estratégica da população de qualquer região, ou seja, ter um panorama geral de localizações específicas.

A telemedicina é capaz de entregar ao núcleo de atenção primária à saúde:

  • Equipamentos médicos de última geração;
  • Plataforma completa e intuitiva;
  • Laudos de exames à distância, feitos por especialistas nas principais áreas;
  • Segunda opinião sobre um diagnóstico, para que o médico possa orientar o paciente com mais precisão ao longo da sua jornada de saúde.

É importante reiterar que é na atenção primária à saúde que é capaz de produzir resultados concisos para a saúde da população como um todo.

Logo, é importante que ela seja cada vez mais ágil e efetiva, para evitar que mais pessoas adoeçam e precisem de atendimentos especializados.

Como funcionam as teleconsultorias na atenção primária à saúde?

Esse tipo de consulta à distância é realizado entre o profissional da área e gestores.

Intermediado por tecnologias de comunicação, eles avaliam em conjunto melhores condutas diagnóstica e terapêutica, usando as evidências da medicina e experiências para chegar a um denominador comum.

A teleconsultoria ocorre mediante solicitação que podem ser respondidas de forma síncrona ou assíncrona, em até 72 horas, por profissionais especializados, como cardiologista e neurologista.

No formato assíncrono, os questionamentos podem ser encaminhados por e-mail ou qualquer outra ferramenta de atendimento remoto que permita a transmissão de dados clínicos.

Na atenção primária à saúde, as áreas que mais solicitam a teleconsultoria são os clínicos gerais (72,5), seguidos por enfermeiros (19,3%) e cirurgiões dentistas (4,2%).

Entre as principais vantagens da teleconsultoria na atenção primária à saúde, destaco o fato de reduzir os gastos do sistema de saúde, pois reduz a necessidade de encaminhamentos para outros níveis, bem como a realização de exames desnecessários.

Afinal, é possível obter auxílio sobre a melhor conduta a ser adotada para cada paciente.

Quais os tipos de telemedicina disponíveis para esse pronto-atendimento?

A telemedicina é um termo que pode resumir qualquer prática médica realizada à distância – independentemente do meio utilizado.

Logo, ela possui diversas modalidades que podem ser benéficas na entrega de uma boa atenção primária à saúde. 

Conheça algumas:

Teleconsulta

É a consulta médica realizada de forma remota, com médicos e pacientes localizados em diferentes espaços geográficos.

Para que ela ocorra, é importante contar com uma tecnologia específica, que permita realizar videochamadas e registrar as informações de forma organizada.

Teleinterconsulta

Consiste na troca de informações, opiniões e experiências entre médicos – com ou sem a presença do paciente.

Ele é muito utilizado para auxiliar no diagnóstico ou na recomendação terapêutica e cirúrgica.

Telediagnóstico

É o diagnóstico feito pelo médico à distância, seja ela geográfica ou temporal.

No caso, as imagens e os dados são encaminhados para um especialista, para que possa emitir um laudo ou um parecer médico sobre o caso.

Telemonitoramento

Consiste no acompanhamento ou vigilância de parâmetros de saúde ou doença de um paciente à distância.

Isso pode ser realizado através da aquisição direta de imagens e dados de equipamentos ou dispositivos implantados no paciente que se encontra internado, por exemplo.

Com isso, é possível realizar intervenções imediatas, caso seja notada alguma alteração anormal.

Telelaudo

Como já mencionei, é o laudo especializado realizado à distância.

Alguns equipamentos possuem a funcionalidade de encaminhar as imagens captadas diretamente para a plataforma, agilizando o acesso às informações e, principalmente, na obtenção dos resultados.

Quais as principais vantagens na atenção primária à saúde?

Agora que abordei a saúde na era digital e como as tecnologias podem ser benéficas para o andamento dos processos, é importante entender porque a atenção primária à saúde deve ser tratada como prioridade.

Eu destaco como principais vantagens os seguintes pontos:

  • Atendimento fácil, rápido e preciso;
  • Redução dos gastos com especialistas;
  • Diminuição no volume de internações;
  • Melhora o bem-estar do paciente;
  • Baixo custo para clínicas e hospitais.

É na atenção primária à saúde que acontecem os melhores e mais ágeis resultados. Portanto, é importante que essa etapa seja cada vez mais aprimorada, garantindo atendimento à população como um todo.

Conte com a Telemedicina Morsch para automatizar seu atendimento!

A Telemedicina Morsch está à disposição de clínicas e hospitais que querem se adaptar a essa nova demanda de atendimento remoto.

Referência no assunto no país, conta com especialistas das principais áreas médicas e um serviço de telelaudo que garante laudos de exames em menos de 30 minutos. 

Ela conta, ainda, com uma plataforma completa, composta por marketplace médico e prontuário eletrônico, opção de comodato de equipamento e todo o suporte necessário para utilizar todos os seus campos integralmente.

E mais: é totalmente segura, garantindo o sigilo médico, essencial pensando na confidencialidade dos dados do paciente.

Conclusão

Neste conteúdo, expliquei o que é atenção primária à saúde no Brasil e porque essa etapa é essencial pensando no bem-estar da população como um todo.

Mostrei a diferença entre atenção primária, secundária e terciária e as principais tecnologias que podem tornar esses processos ainda mais organizados e eficientes.

Além disso, abordei o papel da telemedicina no incremento da atenção primária à saúde, uma vez que ela permite o contato entre médicos e pacientes de forma remota.

Para saber ainda mais sobre o assunto, baixe agora mesmo o meu Ebook gratuito Guia Prático da Telemedicina: Vantagens x Desvantagens.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE