Entenda o que é RIS e porque usar na radiologia

Por Dr. José Aldair Morsch, 22 de junho de 2021
O que é RIS e quais são as suas vantagens na radiologia?

Você sabe o que é RIS e qual a sua importância no segmento de radiologia?

Não é novidade que a expansão da tecnologia e a difusão de novos recursos digitais está impactando profundamente a área da Saúde.

Sendo assim, seja para otimizar o trabalho dos médicos ou melhorar a experiência dos pacientes, não se pode ignorar as constantes inovações. E o uso do RIS é uma tendência crescente entre os especialistas.

A seguir, entenda melhor o conceito, sua importância para as clínicas, uso, relação com PACS, vantagens e muito mais. 

O que é RIS? 

Em primeiro lugar, sempre que abordamos o que é RIS na radiologia, nos referimos à sigla Radiology Information System.

Basicamente, ela se aplica aos sistemas de gerenciamento de informações radiológicas, que organizam imagens clínicas e outros dados importantes para os atendimentos.

Assim, seu principal uso é no acompanhamento de imagens radiológicas, bem como no faturamento dos exames que os profissionais de saúde solicitam.

Além disso, o software RIS pode gerir e realizar marcações de consultas, cadastro de pacientes, levantamento de procedimentos, rastreamento de dados, entre outras possibilidades. Nesse sentido, elas conferem mais praticidade, organização e eficiência para as rotinas médicas.

Qual é a importância do sistema RIS? 

O uso do sistema RIS no cotidiano de uma clínica de radiologia gera enormes vantagens aos pacientes e profissionais envolvidos.

Tudo começa na recepção, onde os clientes cadastram seus dados, que dão base para todas as demais fases da jornada de atendimento.

Assim, médicos e enfermeiros só precisam validar as informações ao receber cada paciente. Além disso, todo cadastro cria uma lista de atendimentos que sinaliza suas prioridades, laudos pendentes, entre outros dados relevantes.

No mesmo software, os próprios pacientes acessam seus exames com mais facilidade, usando login e senha através de um site específico. 

Assim, o envio de exames se torna mais simples e barato e favorece o fluxo de procedimentos. Isso desde as operações internas da clínica até o momento em que os pacientes checam seus resultados. 

Dessa maneira, os atendimentos ganham mais qualidade, agilidade e os serviços prestados pela unidade agregam valor. 

Muito além de só integrar e gerenciar as imagens radiológicas, o RIS trabalha com registros exclusivos para cada paciente. Isso gera ganho de eficiência operacional e consequentes reduções de custos.

Além disso, graças à digitalização, os diagnósticos não só se tornam mais fáceis e rápidos, como também eliminam a necessidade do uso de filmes radiológicos – que são caros e provocam impactos ambientais.

Para que serve o sistema RIS? 

Para que serve o sistema RIS?

Um sistema RIS oferece diversas funcionalidades que se voltam à melhoria da experiência dos médicos e pacientes, bem como à otimização dos serviços clínicos. Dentre suas funções mais comuns, destacam-se:

Registro e agendamento

Deixando as dificuldades dos registros em papel de lado, o RIS permite cadastrar todos os dados dos pacientes de maneira digital, de forma mais prática e integrada.

Com o cadastro do nome, endereço, motivo da consulta e outras informações necessárias para o andamento dos procedimentos, todos os detalhes relevantes sobre os pacientes ficam à disposição dos profissionais, garantindo um atendimento humanizado.

Além disso, os próprios pacientes podem agendar seus horários via internet, sem precisar se deslocar ou ligar para os recepcionistas.

Uma vez que o horário está garantido, o próprio sistema envia lembretes de consulta e links para confirmação com possibilidade de reagendamento, evitando faltas e problemas na organização da agenda. 

Fluxos internos

Outra função importante do RIS é o controle dos fluxos de trabalho, com acompanhamento do status de cada serviço e seu respectivo paciente. 

Portanto, dos médicos ao técnicos e recepcionistas, todos podem organizar uma lista de atividades no sistema, ganhando mais eficiência no gerenciamento de suas rotinas. 

Gestão financeira

Muitos sistemas RIS já integram ferramentas de gerenciamento financeiro, que permitem um controle completo dos custos, investimentos, entradas e saídas da unidade. 

Ao centralizar as informações e automatizar cálculos, como o de fluxo de caixa, o software facilita todo o controle monetário, garante uma visão mais precisa sobre a realidade do negócio e confere uma gestão segura dos seus recursos.

Gerenciamento de estoque

Entre as possibilidades de gestão oferecidas pelo RIS, também está o controle de materiais e insumos. Isso permite manter os estoques sempre em dia, evitar atrasos nas compras, realizar o planejamento e controlar a viabilidade de seus gastos.

Esse gerenciamento pode englobar todas as questões de estoque relevantes para o funcionamento e a viabilidade da clínica, desde as folhas de papel usadas na recepção até os EPIs dos técnicos.

Worklist dos equipamentos

O sistema RIS pode se integrar diretamente aos equipamentos de radiologia e enviar um worklist com os detalhes dos exames feitos diretamente aos técnicos. 

Ao receber as informações automaticamente, os técnicos garantem a qualidade dos procedimentos, evitam retrabalhos e têm mais praticidade, com um fluxo contínuo. 

Laudos eletrônicos

Mais que facilitar a elaboração dos documentos e poupar custos com impressões, os laudos digitais são excelentes para todo o processo de entrega de resultados.

Isso porque o RIS disponibiliza um portal para que pacientes e médicos solicitantes tenham acesso ao documento a qualquer hora e lugar.

Assim, o público da clínica pode retirar seus resultados de forma simples, segura e sem a necessidade de deslocar-se, podendo consultar o histórico de atendimentos no sistema.

Por sua vez, os médicos solicitantes podem lidar com as informações junto ao centro de imagem, aumentando a fidelização dos pacientes que usam seus serviços e da própria parceria entre as empresas.

Telerradiologia

Ao contar com laudos eletrônicos, as clínicas ainda podem desfrutar dos benefícios da telerradiologia – uma modalidade da Telemedicina que se volta ao segmento radiológico. 

Nela, é possível contratar uma central de especialistas para realizar os laudos, tornando os processos internos muito mais ágeis e práticos. Além disso, ainda é possível poupar custos com um corpo médico para laudar.

Na modalidade, os equipamentos se conectam à internet e os técnicos os utilizam normalmente com os pacientes. 

A diferença é que, uma vez coletadas, as imagens vão automaticamente para a central, que conta com médicos especialistas disponíveis para interpretar e elaborar o laudo.

Uma vez pronto, se envia o documento novamente ao sistema, e a unidade já pode disponibilizar o laudo para os solicitantes. 

Além de ser um serviço viável e de ótima qualidade, a radiologia online permite que sua clínica amplie a oferta de exames, sem que precise investir em novos profissionais.

Inclusive, muitos fornecedores oferecem a opção de comodato, em que você contrata um pacote de laudos e recebe os equipamentos para coleta sem custos.

Qual é a diferença entre RIS e PACS? 

Quando abordo o conceito de RIS, muitos acabam confundindo sua utilidade com a de um sistema PACS na radiologia. Contudo, ambos contam com usos diferentes.

Qual é a diferença entre RIS e PACS?

A grande diferença entre o que é PACS e RIS é que o primeiro se volta ao gerenciamento de imagens médicas, enquanto o segundo realiza a gestão de todos os demais dados dos pacientes.

Ainda que existam sistemas híbridos, com PACS agregando algumas funcionalidades de RIS, o segundo oferece possibilidades mais completas. Além disso, o ideal é usá-los de maneira integrada. 

Sobre a integração entre RIS e PACS 

Os sistemas PACS e RIS se voltam à otimização das clínicas de radiologia, e a integração de ambos pode proporcionar muitos benefícios para os profissionais da área. 

Um exemplo é a possibilidade de uniformizar o acesso às informações dos pacientes, com imagens do exame junto aos dados de cadastro dos pacientes no mesmo ambiente.

Sem a integração, o médico que consulta as imagens no PACS precisaria deslogar do sistema. E então, acessar o RIS para ter acesso às informações do paciente e tirar conclusões completas, investindo mais tempo e esforço.

Outro ponto importante é que a falta de integração pode gerar duplicação nos cadastros, já que os radiologistas precisam cadastrar o mesmo paciente no outro sistema para lidar com as suas demandas após a coleta das imagens. 

A partir da união entre ambos, ganha-se muito em termos de produtividade, com a centralização de informações e maior segurança. Tudo isso sem a necessidade de compartilhar laudos manualmente ou retrabalhos, e assim por diante.

Principais vantagens do sistema RIS na radiologia 

Principais vantagens do sistema RIS na radiologia

Agora que você já sabe o que é sistema RIS e quais suas possibilidades na radiologia, confira um breve compilado dos seus benefícios mais significativos:

  • Ganho de eficiência, assertividade e agilidade nos atendimentos, graças às informações no sistema, que se compartilham e acessam com segurança entre todos os membros da equipe;
  • Otimização dos processos, que se tornam mais precisos graças às facilidades gerenciais do sistema, melhorando a qualidade geral dos serviços;
  • Diminuição de erros de registro, com o próprio sistema orientando os dados de cadastro, para que se esqueçam informações importantes;
  • Precisão diagnóstica, com integração entre RIS e PACS que confere um cadastramento único sobre cada paciente, com informações completas sobre sua evolução, exames, tratamentos etc;
  • Melhoria dos processos administrativos, com controles financeiros, de insumos, agendamento etc;
  • Diminuição de custos e aumento das receitas, graças ao nível de qualidade e otimização por conta dos benefícios mencionados até aqui. 

O papel da Telemedicina Morsch na evolução do setor

Desde 2005, a Telemedicina Morsch oferece o que há de melhor em termos de tecnologia e inovação para médicos e unidades de saúde.

Por meio da nossa plataforma, você agrega inúmeras facilidades, que vão desde um marketplace médico para ampliar sua oferta de atendimentos até funcionalidades de gestão, agendamento, financeiro, portal do paciente e muito mais.

Na área da medicina remota, temos um sistema de referência em teleconsultas e telemonitoramento, com recursos de receituário e prontuário online que enriquecem a experiência de todos os envolvidos.

Já na área de telediagnóstico com laudos à distância, levamos os benefícios dos sistemas RIS além para que a sua gestão se torne mais ágil, precisa, otimizada e lucrativa. 

Na oferta de telelaudos, somos parceiros de mais de 1000 clínicas em todo o país, entregamos 20.000 laudos mensalmente e temos mais de 50 especialistas em nossa central.

Graças aos nossos serviços, você pode aumentar seu portfólio de exames sem grandes investimentos, reduzir as filas de espera e aumentar significativamente suas receitas. 

Basta conduzir os testes de diagnóstico normalmente em seus equipamentos. Assim, todos os registros são enviados à nossa central por meio do software. 

Então, a plataforma armazena as imagens em nuvem e as envia para análise e interpretação. Em seguida, nosso time acessa os registros, analisa o histórico e a suspeita clínica e elabora o laudo do exame. 

Feito isso, se assina o documento digitalmente e libera no próprio sistema da Morsch em menos de 30 minutos (pedidos com urgência são feitos em tempo real). 

Além da qualidade e viabilidade, há também a agilidade. Com ela, pacientes e médicos solicitantes não precisam esperar os resultados por dias. 

Quer explorar nossas soluções e impulsionar a qualidade dos seus serviços? Clique aqui e saiba mais. 

Conclusão

O uso da tecnologia na área da Saúde é imprescindível para aprimorar os serviços médicos e a experiência do paciente. Nesse sentido, o uso de sistemas RIS merece destaque especial no segmento de radiologia.

Com ele, é possível centralizar todas as demandas gerenciais da unidade. Desde as informações fundamentais para a jornada de atendimento até a integração com PACS para acompanhar imagens, ferramentas de agenda, gestão de insumos e controles financeiros, entre outros pontos.

Se você gostou de entender melhor o que é RIS e quer continuar por dentro das principais inovações médicas, não perca os próximos artigos da Telemedicina Morsch.

Clique aqui para assinar a newsletter e compartilhe o conteúdo com os seus amigos.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE