Qualidade de vida no trabalho: como fazer a gestão na sua empresa

Por Dr. José Aldair Morsch, 26 de abril de 2022
Qualidade de vida no trabalho

Investir em qualidade de vida no trabalho (QVT) é fundamental para construir ambientes saudáveis.

Também é crucial para o sucesso de qualquer programa de saúde ocupacional, já que esse fator impacta diretamente no bem-estar dos colaboradores.

Especialmente no que diz respeito à saúde mental, que sofre a influência das percepções de cada um deles a respeito da organização e da rotina de trabalho.

Se quer saber como fazer uma gestão efetiva da qualidade de vida no trabalho, este texto é para você.

A partir de agora, falo sobre a importância, indicadores, boas práticas e a relação entre QVT e produtividade.

Leia até o final para conferir também alternativas para otimizar a emissão de documentos de saúde ocupacional por meio da telemedicina.

O que é qualidade de vida no trabalho?

Qualidade de vida no trabalho é um conjunto de fatores que interferem no bem-estar dos funcionários.

Como define a Organização Mundial da Saúde (OMS):

“Qualidade de vida no trabalho é a percepção que um indivíduo tem sobre a sua posição na vida, dentro do contexto dos sistemas de cultura e valores nos quais está inserido e em relação aos seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações”.

Ou seja, a QVT está diretamente relacionada à satisfação com o trabalho atual.

No Brasil, um dos indicadores que medem esse fator é o Índice de Qualidade de Vida no Trabalho da Sodexo.

Baseado em pesquisa conduzida pela empresa, o índice revela que 54% dos profissionais estão satisfeitos com o emprego atual.

O que pode ser animador, mas é preciso lembrar dos 46% restantes, divididos entre aqueles com impressão neutra (37%) e os insatisfeitos com o trabalho (9%).

Sua dedicação e comprometimento tendem a ser mais baixos, o que acaba impactando na lucratividade das organizações.

Importância da qualidade de vida no trabalho

A importância da qualidade de vida no trabalho está em sua relação com bem-estar, satisfação e produtividade.

Afinal, o trabalho pode ser tanto fonte de prazer quanto de sofrimento para os funcionários.

Cabe aos gestores, times de segurança e saúde no trabalho e Recursos Humanos, viabilizar as melhores condições possíveis para obter resultados de qualidade.

Isso depende do capital humano e intelectual disponibilizado pelos empregados.

Fica complicado aproveitar seu conhecimento e vivências num ambiente tóxico, sem espaço para feedback e repleto de práticas abusivas como bullying e assédio moral.

Assim como num local que foca somente na quantidade de horas trabalhadas, exigindo longas jornadas que impedem os colaboradores de descansar.

Ambos os cenários não apenas desestimulam que as atividades sejam feitas da melhor forma como também podem levar ao adoecimento dos funcionários.

O que eleva taxas como absenteísmo, presenteísmo e afastamentos que custam caro para as empresas.

Geralmente, a falta de QVT começa a se expressar através do presenteísmo, quando o colaborador está apenas de corpo presente.

Sua mente, porém, está longe, pensando em questões pessoais ou apenas se protegendo de abusos no trabalho.

Em seguida, seu descontentamento leva ao absenteísmo, elevando os atrasos e faltas.

Se nada for feito para reverter o quadro, pode haver sério comprometimento à saúde mental e até física, levando a afastamentos para tratar, por exemplo, transtornos mentais.

Qualidade de vida no trabalho x produtividade

A qualidade de vida afeta a produtividade de maneira profunda, pois contribui para a satisfação (ou insatisfação) no trabalho.

E sabemos que trabalhadores satisfeitos produzem mais, porque se sentem valorizados pela companhia.

Entre os estudos que relatam essa interação, está uma pesquisa realizada pela Universidade da Califórnia.

Dados coletados pelos pesquisadores mostraram que colaboradores que percebem mais qualidade de vida no trabalho:

  • São 31% mais produtivos

 

Qualidade de vida para o colaborador

Colaboradores exercem um papel vital dentro das empresas e, por isso, seu bem-estar deve ser valorizado

Saúde mental e qualidade de vida no trabalho

Mencionei anteriormente que a saúde mental do trabalhador também é influenciada pela QVT.

Principalmente porque ambientes tóxicos e que não reconhecem o valor das equipes contribuem para uma série de fatores prejudiciais à mente e emoções.

Isolamento, ansiedade e humor deprimido estão entre os principais.

Assim como o estresse que, segundo levantamento da International Stress Management Association (Isma Brasil), afeta 70% da população brasileira economicamente ativa.

Diante de metas inalcançáveis, alta competitividade, falta de segurança no trabalho e de tempo para cuidar da saúde, os profissionais chegam a atingir o esgotamento mental.

Está aí uma das razões por que a síndrome de burnout impacta 33 milhões de brasileiros, ainda segundo a Isma Brasil.

Outro dado alarmante mostra que o Brasil tem os maiores índices de ansiedade do mundo.

Quase 19 milhões de pessoas sofrem com essa condição, o que corresponde a mais de 9% da população, de acordo com a OMS.

Já a depressão afeta 16,3 milhões, ou pouco mais de 10% dos brasileiros com mais de 18 anos, conforme a PNS (Pesquisa Nacional de Saúde), realizada pelo IBGE.

O que é gestão de qualidade de vida no trabalho?

A gestão de qualidade de vida no trabalho pode ser descrita como uma combinação de medidas que possibilitam sua implementação, controle e avaliação de resultados.

Quando a gestão é realizada de modo contínuo, existe um programa de QVT, incluindo a qualidade de vida como um valor relevante para a empresa.

Nesse cenário, ações que promovem a QVT começam entre as lideranças e são multiplicadas até chegar à força de trabalho.

Os resultados são promissores, a partir da disseminação de boas práticas por todos os departamentos e níveis hierárquicos da organização.

Surgem, então, benefícios como:

  • Melhora no clima organizacional
  • Maior engajamento dos colaboradores
  • Redução de índices como turnover, absenteísmo e presenteísmo
  • Diminuição dos períodos de afastamento
  • Retenção de talentos
  • Maior produtividade
  • Produtos e serviços mais lucrativos.

 

Indicadores de qualidade de vida no trabalho

A QVT é um tema bastante popular entre pesquisadores de áreas como saúde e gestão de pessoas.

Portanto, os indicadores utilizados nas análises do nível de qualidade de vida no trabalho podem ser diferentes, dependendo da referência tomada.

Neste espaço, escolhi mencionar os seis componentes do modelo teórico utilizado pelo já citado Índice de QVT da Sodexo.

Acompanhe.

1. Reconhecimento

Esse item compreende as iniciativas que recompensam o trabalhador por seu esforço, conquista de metas etc.

O reconhecimento reúne desde medidas simples como o agradecimento em público até premiações, bônus, acesso a benefícios e acréscimos ao salário percebido.

Lembrando que o salário percebido vai além da simples remuneração mensal, englobando benefícios como vale-cultura, vale-alimentação e assistência médica.

Bem-estar no trabalho

Um dos indicadores mais importantes na promoção da QVT é o ambiente físico oferecido aos colaboradores

2. Facilidade e Eficiência

Esse componente se refere às características e rotinas da organização que surtem efeito sobre as entregas do colaborador.

Pouco adianta oferecer muitos benefícios se a empresa adota processos engessados, não dão espaço para feedback ou dificultam o acesso aos gestores.

Esses fatores acabam desestimulando profissionais de alta performance, que se sentem impedidos de fazer um bom trabalho.

3. Crescimento Pessoal

Educação continuada e outras ações que apoiam o aprendizado no trabalho integram esse indicador da QVT.

O aperfeiçoamento ajuda a dar um sentido maior à atividade laboral, que deixa de ser apenas um ganha-pão para se tornar vocação.

4. Saúde e Bem-estar

Esse item é essencial para a promoção da qualidade de vida no trabalho.

Como muitos funcionários passam a maior parte do dia trabalhando, a organização pode e deve incentivar que desenvolvam hábitos saudáveis.

Entram nessa lista todas as atividades que auxiliem a adoção de alimentação balanceada, rotina de exercícios físicos e boas noites de sono.

Organismos como SESMT e CIPA podem ajudar nesse quesito, acrescentando essas atividades a programas de saúde ocupacional.

5. Relações Interpessoais

As interações sociais também influenciam na produtividade e satisfação com o trabalho.

Daí a relevância de que a companhia implemente iniciativas para integrar diferentes departamentos e equipes.

Eventos, viagens, confraternizações e cursos podem ser usados para diminuir o isolamento e favorecer a construção de relações saudáveis no trabalho.

6. Ambiente Físico

Por último, mas não menos importante, vêm as condições físicas, mecânicas e ergonômicas do local de trabalho.

É preciso, por exemplo, garantir instalações elétricas seguras para evitar acidentes.

Assim como postos de trabalho adaptados ergonomicamente, a fim de prevenir esforços repetitivos e doenças como LER/DORT.

O conforto é outro item fundamental para a QVT, já que as pessoas passam longas horas trabalhando.

Espaços com decoração leve, máquinas de café ou lanches e locais de descanso para pausas são capazes de melhorar a percepção dos colaboradores e a QVT.

Ideias para qualidade de vida no trabalho

Veja agora sugestões que auxiliam na promoção da QVT para implantar na sua empresa.

Monitoramento do clima organizacional

Você já deve ter ouvido falar das pesquisas de clima organizacional.

Aplicar esses questionários periodicamente ajuda a conhecer a percepção dos colaboradores sobre o clima, corrigir falhas e melhorar a atmosfera de trabalho.

Assim como as interações, relacionamentos e atendimento ao cliente.

Caixa de sugestões

Esse é apenas um dos formatos que incentivam respostas dos funcionários, mostrando que o feedback deles é bem-vindo.

Disponibilizar espaços neutros, como caixas de sugestões, permite que os interessados mantenham o anonimato, diminuindo as chances de se sentirem constrangidos em participar.

Ginástica laboral

Implementar uma rotina de exercícios dentro dos escritórios é um jeito inteligente de estimular a atividade física entre os empregados.

Por isso, a ginástica laboral é uma ferramenta poderosa para elevar a QVT.

Pausas no trabalho

Pode parecer óbvio, mas existem períodos de atividade intensa, em que os próprios profissionais se esquecem de fazer pausas.

Isso é prejudicial ao seu desempenho, além de favorecer o adoecimento físico e mental.

Portanto, faz sentido criar e zelar por um cronograma de pausas no trabalho.

Palestras de conscientização

Apresentações são importantes para disseminar bons hábitos alimentares e de sono.

Procure delegar essa tarefa a especialistas que consigam aprofundar os temas, como nutricionistas, psicólogos, médicos e educadores físicos.

Reconhecimento personalizado

Em vez de oferecer a mesma premiação por esforços dos funcionários todo ano, reserve um valor para customizar a recompensa.

Dessa forma, os vencedores podem receber o que for mais relevante em seu momento de vida.

Enquanto um vai preferir uma viagem de férias, outro vai achar melhor pagar as mensalidades da faculdade ou pós-graduação.

Preocupação com o colaborador na saúde ocupacional

Muitos são os motivos para que a preocupação individualizada com cada funcionário seja uma premissa da gestão das empresas.

Nesse contexto, é imprescindível que os gestores confiram as ferramentas necessárias aos profissionais de SST, RH e membros da CIPA.

Afinal, fortalecer a atuação dessas equipes colabora para a melhoria contínua e a qualidade de vida no trabalho.

Vale ainda incentivar o envolvimento dos trabalhadores interessados, permitindo que sugiram e avaliem as medidas propostas e implantadas.

Assim, todos participam do processo de construção de ambientes mais seguros e saudáveis, que contribuam para alcançar a felicidade no trabalho.

Como a telemedicina pode ajudar?

Telemedicina é uma disciplina que nasceu para conectar profissionais da área da saúde em geral.

Incluindo os especialistas em saúde do trabalhador, como médicos do trabalho, enfermeiros e técnicos de enfermagem do trabalho.

Engenheiros, técnicos e outros profissionais de segurança do trabalho também se beneficiam das soluções da telemedicina para elaborar, armazenar e assinar documentos à distância.

Até porque especialistas em SST nem sempre estão disponíveis na mesma empresa durante toda a jornada de trabalho, o que pode atrasar a finalização de arquivos importantes.

Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP) e Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) estão entre os laudos ocupacionais que podem receber assinatura digital.

Com a plataforma de telemedicina Morsch, sua equipe ganha essa comodidade com toda a segurança de mecanismos como senhas e criptografia.

O serviço está disponível para os seguintes documentos:

Solicite já o seu orçamento, clicando aqui.

Conclusão

Aumentar a qualidade de vida no trabalho agrega benefícios não só para os funcionários, mas também para as empresas.

Com uma equipe produtiva e motivada, elevam-se a qualidade e a quantidade das entregas, assim como a lucratividade.

Tudo isso depende da atuação do RH e do departamento de segurança e medicina do trabalho.

Experimente simplificar o dia a dia dos seus profissionais de SST com a assinatura digital dos laudos via Telemedicina Morsch.

Assim, eles ganham mais tempo para elaborar, implementar e avaliar programas voltados à QVT.

Gostou deste conteúdo e quer ser avisado sobre os próximos? Então, assine nossa newsletter.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE