Tomografia computadorizada do crânio: o que é, como é feita e preparo

Por Dr. José Aldair Morsch, 21 de setembro de 2018
tomografia computadorizada do cranio

Não faz muito tempo que ouvir a indicação de tomografia computadorizada do crânio enchia o paciente de dúvidas e, principalmente, medo.

Afinal, esse era um exame até certo ponto desconhecido, sobre o qual as pessoas acostumaram-se a relacionar com o diagnóstico de tumores no cérebro.

De fato, a tecnologia é extremamente eficaz para esse propósito, mas a simples requisição de TC de crânio já não é mais vista pelo público leigo como certeza de câncer.

A mudança, é claro, passa pela informação.

Ao descobrir o que é tomografia computadorizada, mesmo quem não é da área médica entende a sua importância no auxílio a diagnósticos diversos, assim como na prevenção e monitoramento da saúde.

Já quem atua na área, tem no exame de tomografia um grande aliado, mas também um compromisso: alcançar resultados de maneira eficaz é fundamental, inclusive para descartar ou confirmar doenças mais graves.

Neste artigo, vou falar sobre como as inovações no campo da tecnologia favorecem exames e laudos de qualidade, com rapidez e profissionalismo.

Mas, primeiro, vamos conhecer melhor a tomografia computadorizada do crânio.

O que é tomografia computadorizada do crânio?

o que é tomografia computadorizada do cranio

Tomografia computadorizada do crânio é um exame que usa radiação para colher imagens internas da cabeça do paciente.

Apesar do nome relacioná-lo ao cérebro, o exame também pode registrar imagens de áreas como pescoço e orelhas, além dos seios da face e da mandíbula.

Também conhecido como TC de crânio, esse exame é essencial para o estudo da anatomia craniana – que, assim como as atividades do cérebro, é complexa.

Um dos objetivos da tomografia de crânio é ser uma solução que fornece, por si só, diagnósticos precisos de males que afetem a região, dispensando outros testes ou procedimentos complementares.

A criação do primeiro equipamento capaz de realizar uma tomografia computadorizada, em 1972, foi uma verdadeira revolução.

A máquina rendeu o Prêmio Nobel de Fisiologia para seus inventores, o sul africano Allan Cormack e o britânico Godfrey Newbold Hounsfield.

Se a realização do primeiro exame de tomografia teve efeitos para além da medicina mundial, a possibilidade de observar imagens internas mais claras da cabeça, graças à resolução superior à radiografia, por exemplo, significou um grande avanço.

Isso vale principalmente para diagnosticar doenças nos ossos cranianos ou no encéfalo.

Para que serve a tomografia do crânio?

para que serve tomografia computadorizada do cranio tc do crânio

A tomografia do crânio serve para auxiliar o médico no diagnóstico de lesões e tumores que possam afetar a região da cabeça e pescoço.

Como citado no início deste artigo, um pedido para a realização desse exame não significa que o paciente tenha alguma doença grave no crânio.

Assim como outros exames de imagem, a TC do crânio ajuda a investigar a possibilidade de doenças, exercendo um papel preventivo, portanto.

O teste pode ser indicado a partir de queixas comuns, como dores de cabeça, infecções, tonturas, náuseas, vertigens e fraquezas musculares.

Seja qual for o diagnóstico, é importante que ele ocorra de maneira precoce, permitindo o tratamento de doenças e aumentando as chances de recuperação.

Por outro lado, é claro que o exame também é indicado para casos graves, como na constatação ou suspeita de traumatismo craniano, tumores cerebrais, alterações no comportamento, aneurisma, ataques epiléticos ou hidrocefalia.

Convulsões, alterações motoras e sensitivas são outros sintomas que podem levar à recomendação de uma tomografia computadorizada do crânio.

Principais doenças investigadas pela tomografia computadorizada do crânio

tomografia computadorizada do cranio doenças

Bastante detalhado e confiável, o exame pode apoiar o diagnóstico de diversas doenças, como já comentei.

Isso é possível uma vez que muitos sintomas afetam a região do encéfalo, mesmo quando a patologia não está diretamente relacionada a essa área.

Neste tópico, vamos falar sobre algumas das doenças investigadas em uma tomografia computadorizada do crânio.

Acidente Vascular Cerebral

Conhecida também como derrame ou pela sigla AVC, essa patologia é caracterizada por danos ao cérebro, gerados a partir da interrupção do fluxo sanguíneo na região.

O derrame pode ser isquêmico, quando é provocado por uma redução brusca no fluxo de sangue em uma das artérias cerebrais.

Ou pode ser um AVC hemorrágico, que é a forma mais grave da doença. Nesse caso, houve uma ruptura de um dos vasos sanguíneos, causando hemorragias em regiões como o interior do cérebro.

Aneurisma cerebral

Ocorre quando uma parte frágil de um vaso sanguíneo na região do cérebro se dilata, ou seja, aumenta de tamanho.

Um dos principais riscos é o possível rompimento do aneurisma, provocando uma hemorragia cerebral.

Tumor cerebral

Assim como tumores em outras regiões do corpo, um tumor cerebral é formado a partir do crescimento anormal de células no interior do crânio.

Os mais de 100 tipos de tumores no cérebro podem ser classificados segundo a velocidade de desenvolvimento.

Como é de se imaginar, os mais perigosos e agressivos costumam crescer mais rápido.

Traumatismo craniano

É uma lesão na cabeça que pode variar quanto à gravidade, de acordo com as áreas afetadas pelo trauma.

Assim, ele pode impactar apenas o crânio (se for uma fratura), ou o cérebro, se for uma contusão, por exemplo.

Hidrocefalia

Ocorre quando há acúmulo de líquido cefalorraquidiano (do cérebro e da espinha) dentro do crânio, provocando um inchaço local.

Qual a diferença entre o exame de tomografia computadorizada e a ressonância magnética de crânio?

tomografia computadorizada do cranio tc do crânio

Tanto a tomografia computadorizada quanto a ressonância magnética são exames que produzem imagens de alta qualidade do crânio.

Ambos os testes utilizam um computador para gerar as imagens de alta resolução.

Então, são iguais? Não, não são.

No entanto, a ressonância magnética mostra estruturas internas dos órgãos com maior clareza, enquanto o tomografia computadorizada é mais indicada para verificar a anatomia do crânio.

Como citei alguns tópicos atrás, a tomografia é um tipo de radiografia ultrassensível, capaz de gerar centenas de cortes em minutos. Portanto, esse exame utiliza radiação para registrar as imagens.

Nos resultados de uma TC de crânio, líquidos e gases aparecem em preto, e ossos se mostram na cor branca. Dependendo de sua densidade e outros fatores, os órgãos apresentam tonalidades de cinza.

Já a ressonância magnética é uma espécie de foto tridimensional da parte interna da cabeça, que é registrada através de um campo magnético.

Ondas de rádio são mandadas para o crânio e, em seguida, a liberação de energia é medida com o auxílio de um computador.

Grosseiramente, a ressonância magnética consegue fazer cortes mais finos e assim, enxerga lesões menores que a tomografia.

Riscos vs Benefícios da tomografia computadorizada do crânio

riscos tomografia computadorizada do cranio beneficios tc crânio

Lembra o receio quanto à tomografia computadorizada do crânio, que comentei no início do artigo?

Ele se ampara muito nos riscos do procedimento. Embora não representem grande motivo de preocupação para o paciente, devem ser considerados e avaliados pelo médico, inclusive antes mesmo de solicitar o exame.

Vamos conhecer mais sobre eles e, na sequência, falar também sobre os benefícios da TC do crânio.

Riscos da tomografia computadorizada do crânio

Um dos riscos principais é a exposição à radiação que, no caso de uma tomografia, é muito maior que em uma radiografia.

Outro ponto de atenção diz respeito ao uso de contraste iodado, substância que deixa as imagens mais nítidas.

Vamos avançar sobre cada um deles.

Radiação na tomografia computadorizada do crânio

O índice de radiação em uma tomografia é 2,5 vezes maior do que o existente em uma radiografia tradicional, o popular raio-x.

Sua utilização se justifica porque os resultados da TC de crânio são muito superiores, já que são geradas centenas de imagens a partir do exame.

Por outro lado, pessoas expostas a quantidades maiores de radiação têm maior risco de desenvolver câncer, uma vez que a radiação pode provocar mudanças no DNA das células.

Nos Estados Unidos, um estudo realizado Unidos alertou sobre os perigos do aumento na quantidade de exames de tomografia.

A pesquisa mostrou que, de 1980 até 2006, a exposição média dos norte-americanos às radiações emitidas por exames de diagnóstico por imagem subiu 600%.

Segundo o órgão que regulamenta o setor de saúde naquele país (a FDA, Food and Drug Administration), uma em cada 2 mil pessoas tem chances de desenvolver câncer devido à superexposição aos raios da tomografia.

Você pode ler o artigo original sobre a pesquisa (em inglês), neste link.

Contraste na tomografia computadorizada do crânio

Os casos em que a TC de crânio necessita ser feita com contraste não são maioria.

Mas, quando é preciso recorrer ao contraste iodado, existe o risco, embora raro, de reação alérgica grave, com queda de pressão e até dificuldade respiratória.

Por isso, antes do exame, o paciente deve informar se já teve alguma reação alérgica a iodo ou mariscos.

Assim, se o exame for indispensável e não possa ser substituído, usamos um kit de medicamentos anti-alérgicos antes do exame, a fim de minimizar os riscos.

Benefícios da tomografia computadorizada do crânio

Não podemos analisar os riscos da tomografia de modo isolado.

Esse exame tem alta confiabilidade, pois gera imagens de qualidade.

A TC do crânio vem auxiliando médicos e outros profissionais da saúde em diagnósticos de doenças que afetam a região da cabeça e pescoço, desde a década de 1970.

Ou seja, contribui de forma decisiva para um diagnóstico mais assertivo e precoce.

Mas seus benefícios não param por aí, já que o teste é rápido, não é invasivo, não exige grandes preparos e nem causa dor ao paciente.

Embora seja emitida radiação, os tomógrafos atuais permitem ajustes para o mínimo possível de exposição aos raios-X.

No caso de investigação de tumores cerebrais, a TC de crânio é capaz de mostrar a localização, a forma e o tamanho do tumor.

O exame também pode ser realizado a fim de guiar a melhor posição para a agulha, diante da necessidade de uma biópsia.

Preparação para a tomografia do crânio

tomografia computadorizada do cranio preparação

A tomografia computadorizada de crânio só exige preparo quando precisar de contraste.

Nesses casos, o paciente deve estar em jejum há pelo menos quatro horas.

Nas demais situações, a alimentação ou ingestão de medicamentos (se houver) podem ser realizadas normalmente.

A exceção se aplica se o paciente for diabético e tomar medicações com metformina – o medicamento precisará ser suspenso 24 horas antes do exame.

Como é feita a tomografia computadorizada do crânio?

Para a realização do exame, o paciente se deita sobre uma mesa, de barriga para cima e com os braços ao lado do corpo, ou sobre o abdômen.

A cabeça fica apoiada em uma espécie de encosto, pois é essencial que ela permaneça imóvel durante o procedimento.

Em seguida, a mesa vai para trás e para a frente, deslizando pelo tomógrafo. Assim, a radiação emitida pelo aparelho capta imagens detalhadas de vários ângulos diferentes.

Os raios-X atravessam a cabeça e vão para um scanner, onde as imagens são registradas e transmitidas ao computador.

Tomografia do crânio com contraste

Já falei sobre o contraste em tópicos anteriores, mas por que e como ele é utilizado?

A ideia é deixar as imagens ainda mais nítidas, esclarecendo dúvidas e contribuindo para o diagnóstico.

Em geral, o contraste é indicado em casos que envolvem estruturas como tumores e abscessos cerebrais, que se tornarão mais visíveis a partir do uso da substância.

O procedimento é realizado da mesma forma que a TC de crânio comum, mas a administração do contraste iodado é feita antes de o paciente deitar na mesa.

A forma mais comum é injetando o líquido em uma veia da mão ou do braço.

Como já dito, existe um risco raro de reação alérgica ao contraste.

Mas algumas pessoas também podem sofrer com vermelhidão, coceira, náuseas ou indisposição.

Quanto tempo demora um exame de tomografia do crânio?

Você talvez lembre que, entre os benefícios da TC de crânio, mencionei a rapidez. E, de fato, ele é bastante rápido.

O exame pode durar de 10 a 30 minutos, dependendo de fatores como a administração de contraste e a idade do paciente.

Resultado da tomografia computadorizada do crânio

tomografia computadorizada do cranio resultado

O exame fornece imagens em tons de cinza, as quais serão interpretadas a fim de identificar qualquer alteração na anatomia do crânio.

Um resultado normal indica que as imagens estão dentro do padrão, e que não foram detectadas lesões, por exemplo.

Caso o exame mostre alguma estrutura diferente, como um nódulo, características como o tamanho e localização estarão descritas no laudo de TC de crânio.

Quem interpreta os resultados da tomografia computadorizada do crânio?

Esse é um ponto muito importante sobre o exame.

Embora a sua realização possa ser acompanhada por profissional técnico, a interpretação dos resultados, também chamada de laudagem, é de competência exclusiva de médico especialista.

É necessária uma combinação entre conhecimentos em Radiologia e Neurologia para interpretar uma TC de crânio.

Portanto, o laudo é assinado por um neurorradiologista.

Como a Telemedicina pode auxiliar na entrega do laudo de tomografia computadorizada do crânio?

A falta de especialistas é um problema antigo no Brasil, principalmente em locais mais afastados dos grandes centros urbanos.

Mas mesmo unidades de saúde localizadas em metrópoles podem enfrentar desafios em plantões, férias de profissionais e também nos feriados.

É aí que entra a telemedicina para garantir a manutenção dos serviços e o atendimento aos pacientes 24 horas por dia na interpretação de exames de TC de crânio.

A tecnologia permite o acesso e compartilhamento de resultados com neurorradiologistas de qualquer parte do mundo – basta acessar a plataforma online com login e senha, de forma totalmente segura.

No caso dos hospitais que possuem serviço de radiologia, também é possível integrar o PACS de sua rede com a telemedicina.

Mas as vantagens não param por aí.

Pela Telemedicina Morsch, além dos laudos à distância, também é oferecido treinamento para os profissionais que vão operar o tomógrafo e depois enviar os exames na forma de arquivos DICOM para o PACS da Telemedicina.

O ponto forte do uso da Telemedicina está em ter uma equipe de radiologistas de plantão 24 horas para interpretar os exames e liberar os laudos de Tomografia em até 24 horas.

Conclusão

tc cranio

Neste artigo, falei sobre a importância, riscos e benefícios da tomografia computadorizada do crânio.

Fica evidente que, assim como um exame de qualidade, um laudo emitido com precisão e agilidade é essencial para diagnósticos precoces e confiáveis.

Ao mesmo tempo, manter especialistas capazes de interpretar os resultados desse exame complexo pode custar caro e se tornar inviável, especialmente em locais remotos.

Mas já é possível expedir laudos assertivos de um jeito rápido, seguro e que cabe no seu orçamento através da telemedicina.

Permita que a Telemedicina Morsch ajude você nesse processo.

Saiba mais no site ou entre em contato conosco e solicite um orçamento.

Deixe a sua opinião ou dúvida nos comentários e compartilhe o artigo com a sua rede.

Assine nosso blog e receba novidades no e-mail toda semana!

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG - Fundação Universidade do Rio Grande - RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE

Entre em contato por WhatsApp
Enviar mensagem pelo WhatsApp