5 possíveis causas da depressão e como enfrentar a doença

Por Dr. José Aldair Morsch, 15 de abril de 2022
Causas da depressão

A busca pelas causas da depressão vem desde o século 19 quando o termo começou a aparecer nos dicionários médicos.

E ela segue até hoje.

O primeiro Manual de Diagnóstico e Estatística dos Transtornos Mentais (DSM) surgiu apenas em 1952.

A partir dele, foi possível classificar e catalogar uma série de doenças mentais, entre elas a depressão.

Mas a verdade é que o “Mal do Século“, como a depressão é considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), ainda é um transtorno envolvo em mistérios.

Parte disso se deve ao seu difícil diagnóstico.

Afinal, a doença não pode ser detectada apenas com a realização de exames clínicos.

É exigido dos profissionais de saúde um amplo conhecimento para que possam chegar ao diagnóstico correto através do cruzamento de diversos fatores físicos, biológicos e psicológicos.

Portanto, é imprescindível que, ao notar um ou mais sintomas mencionados neste artigo, o leitor procure ajuda médica especializada.

Continue lendo para entender mais sobre as causas da depressão e como enfrentar a doença.

Quais são as causas da depressão?

Se você chegou aqui achando que fatores psicossociais são as causas da depressão, venho te informar que hoje em dia entende-se exatamente o contrário. 

Na verdade, a patologia que é responsável por desencadeá-los.

A depressão é uma doença que pode ser ocasionada por uma disfunção bioquímica no cérebro devido a alterações nos neurotransmissores.

Os principais são a serotonina, dopamina e noradrenalina, responsáveis por proporcionar sensação de bem-estar aos indivíduos.

Mas não somente fatores biológicos podem levar a episódios depressivos.

A seguir, vou me aprofundar nas principais causas da depressão.

Ao ler, é importante que você tenha em mente que a combinação de alguns desses fatores é o que pode desencadear a doença, e não somente um fator isolado.

5 causas da depressão

Separei em cinco categorias de causas que são gatilhos para o desenvolvimento da depressão, principalmente quando associada a duas ou mais causas:

Causa 1: Genética ou histórico familiar

Sabe-se que pessoas cujos familiares de primeiro grau possuem quadros depressivos têm consideravelmente mais chances de desenvolver a depressão em algum momento da vida, sendo uma doença hereditária.

Causa 2: Temperamento

Pessoas que apresentam índices altos de neuroticismo (tendência a experimentar emoções negativas) são mais suscetíveis a desenvolver quadros de depressão em resposta às condições adversas da vida.

Causa 3: Condições ambientais

Também situações adversas ou potencialmente traumáticas podem gerar angústia, levando pessoas predispostas à depressão. 

Alguns eventos traumáticos como desemprego, mudanças bruscas e perda de ente querido podem provocar culpa, tristeza prolongada ou outros sentimentos que se juntam às causas da depressão. 

Causa 4: Sedentarismo e dieta desbalanceada

A falta de exercícios físicos pode ser uma das causadoras da depressão.

Isso porque os exercícios são responsáveis pela liberação de hormônios e neurotransmissores, como a endorfina, que promovem sensação de bem-estar aos praticantes. 

Já a dieta desbalanceada, com alta quantidade de alimentos pró-inflamatórios, como sal, açúcar e gorduras saturadas, também contribui para o desenvolvimento de sintomas depressivos.

Causa 5: Vícios e abusos de substâncias

Vícios em drogas lícitas ou ilícitas, jogos, internet e qualquer outros hábitos nocivos podem ser causadores de sintomas depressivos.

Esses vícios causam alterações no cérebro e proporcionam condições ideais para o desenvolvimento da patologia.

Fatores depressivos

Os sintomas de depressão são variados, e o principal tratamento é por meio da psicoterapia e psicofarmacologia

Atenção aos sintomas de depressão

Agora que já entendemos melhor as causas da depressão, vamos falar sobre os sintomas associados à doença.

O estado deprimido (sentir-se deprimido a maior parte do tempo, quase todos os dias) e a anedonia (interesse e prazer diminuídos para realizar a maioria das atividades) são alguns dos mais comuns.

Além deles, cabe destacar:

  • Cansaço excessivo, desânimo e necessidade de maior empenho para realizar as tarefas do dia a dia
  • Falta de motivação, apatia e desinteresse por tudo
  • Sentir-se com medo, insegurança, desesperança, desespero e sensação de desamparo
  • Dificuldade em se manter concentrado, com raciocínio mais lento e esquecimento
  • Dificuldade para dormir ou despertar matinal precoce
  • Aumento do sono, em situações menos comuns
  • Dores e outros sintomas físicos não justificados por diagnósticos médicos
  • Culpa excessiva, sentimento de inutilidade e tristeza persistente
  • Pensamentos recorrentes de suicídio e morte
  • Baixa autoestima, sensação de ruína e fracasso
  • Alteração da libido e diminuição do desempenho sexual

Na presença desses e outros sintomas associados, o principal tratamento é por meio da psicoterapia e psicofarmacologia, dependendo de cada caso. 

O médico psiquiatra é o especialista que conseguirá diagnosticar se os sintomas estão relacionados à depressão ou outras doenças.

Consulte com um médico online

Os quadros mais graves de depressão podem ser incapacitantes, dificultando a mobilidade da pessoa, mesmo para ir a uma consulta médica.

Por isso, a procura pela telemedicina tem aumentado. 

Além do conforto, agilidade e praticidade da consulta online, a telepsiquiatria e a teleconsulta com psicólogo são, muitas vezes, uma solução para pacientes que relutam em buscar ajuda.

Assim como em um atendimento presencial, o profissional realiza a anamnese, analisa laudos, diagnostica e prescreve medicamentos, se for necessário.  

A vantagem é que o paciente pode receber excelente atendimento médico sem sair de casa, contando com a plataforma de teleconsulta Morsch.

Quer saber como?

Siga o passo a passo para agendar uma consulta online:

  1. Acesse a página de agendamentos
  2. Use o campo de buscas para selecionar a especialidade desejada e escolha o profissional de sua preferência
  3. Defina um entre os horários de agendamento, ao lado da identificação do médico
  4. Você será redirecionado para uma página de login. Se não tiver cadastro, selecione “Criar conta”
  5. Preencha o formulário com informações de identificação e prossiga
  6. Crie uma senha e acesse o sistema
  7. Confirme o horário da teleconsulta e faça o pagamento
  8. Meia hora antes do atendimento, você vai receber o link de acesso à sala virtual via WhatsApp ou SMS.

 

Conclusão

A depressão é uma doença que em muitos casos pode ser silenciosa

O apoio de profissionais especializados, da família e o convívio social são fundamentais para uma boa recuperação.

Compreender a depressão é o primeiro passo para preveni-la, diagnosticá-la e buscar o tratamento correto com ajuda profissional.

Melhor ainda é quando essa ajuda pode ser feita a distância no sistema Morsch.

Gostou deste conteúdo? Compartilhe!

Para continuar atualizado sobre saúde e tecnologia, inscreva-se na newsletter.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE