Tomografia do tórax: conheça indicações e soluções para o exame

Por Dr. José Aldair Morsch, 11 de novembro de 2021
Tomografia do tórax

Pneumonia, fraturas e tumores são alguns dos males detectados com o auxílio da tomografia do tórax.

Graças à captação de diversos cortes ou radiografias combinadas, o exame permite um estudo detalhado de estruturas torácicas como os pulmões, costelas e tireoide.

Quando inclui o uso de contraste, evidencia a anatomia dos vasos sanguíneos e o fluxo normal desse líquido, possibilitando a identificação de doenças vasculares.

É por essas e outras razões que a tomografia de tórax é solicitada com frequência por médicos cardiologistas, pneumologistas, clínicos gerais, etc.

Construí este texto para quem deseja aprofundar os conhecimentos sobre esse importante teste de imagem e suas indicações.

Se o tema interessa, siga com a leitura e confira soluções para otimizar a oferta da tomografia na sua clínica, a exemplo da telemedicina.

Boa leitura.

O que é tomografia do tórax?

Tomografia do tórax é um exame que emprega radiação ionizante para obter cortes transversais dos tecidos localizados na área torácica.

O teste revela detalhes de ossos, veias, artérias e pulmões, além de partes localizadas na porção entre os pulmões.

Conhecida como mediastino, essa área comporta esôfago, traqueia, tireoide, paratireoide e timo.

Considerada uma evolução da radiografia convencional, a tomografia de tórax possibilita menor exposição aos raios X.

O que representa uma vantagem, já que esse tipo de radiação está relacionado ao câncer.

O procedimento dura apenas alguns minutos, é indolor e não invasivo, fornecendo uma espécie de fotografia interna do organismo.

Tomógrafos modernos são conectados a softwares capazes de sobrepor os cortes capturados, formando imagens em 3D.

Tanta inovação confere destaque ao exame, que qualifica o diagnóstico de patologias, viabiliza seu monitoramento e tem poucas contraindicações.

Tomografia do tórax com contraste

A tomografia de tórax com contraste é pedida quando o médico enxerga a necessidade de estudar os detalhes de uma estrutura.

Ou quando é preciso avaliar a trajetória percorrida pelo sangue.

Lembrando que o contraste é uma substância que realça determinados tecidos para que apareçam com maior nitidez nas imagens radiográficas.

Basicamente, o contraste altera a capacidade de absorção dos raios X emitidos durante o exame.

No caso da TC torácica, a substância utilizada é o contraste iodado, geralmente administrado por via intravenosa.

Para tanto, é comum pedir que o paciente faça jejum de 6 horas.

Meios de contraste iodados em solução hipertônica costumam provocar incômodos leves ao paciente, por exemplo, náuseas, calor e gosto metálico.

Casos mais graves podem desencadear reações adversas como falta de ar, insuficiência renal e edema de glote.

Daí a necessidade de que a tomografia de tórax com contraste seja conduzida em um serviço equipado para o atendimento a emergências.

Tomografia do tórax sem contraste

Se o objetivo é analisar as estruturas de forma ampla, o teste pode ser feito sem contraste.

Assim, diminuem o tempo do procedimento e os riscos ao paciente.

Também não será preciso qualquer período de jejum.

Tomo torácica

Tomografia computadorizada detalha a estrutura torácica, incluindo pulmões e costelas

Para que serve a tomografia do tórax

O procedimento permite o estudo das estruturas internas do tórax de modo não invasivo, ou seja, sem precisar de cirurgia.

Por meio da TC torácica, é possível investigar males que acometem o sistema respiratório, cardiovascular, digestivo e endócrino de um jeito simples e rápido.

Em apenas um minuto, o técnico em radiologia coleta uma série de imagens a partir de diferentes ângulos, que serão analisadas pelo radiologista.

Com alta precisão, os registros revelam até pequenas fraturas nas costelas, que não seriam visíveis no raio X.

Quadros inflamatórios e infecciosos como a pneumonia também são percebidos nas imagens, dando suporte para a escolha do tratamento adequado.

É por isso que a tomografia de tórax ganhou destaque no último ano, tornando-se um exame fundamental para o diagnóstico e monitoramento de casos de covid-19.

Afinal, por vezes o coronavírus se instala nos pulmões, provocando um tipo de pneumonia que incapacita o doente e pode ser silenciosa.

Nesse cenário, testes de imagem como a tomografia colaboram para acompanhar a evolução da doença e das terapias receitadas.

Outra contribuição da tomografia de tórax está no rastreio do câncer de pulmão em fumantes, pois o teste detecta tumores desde os estágios iniciais.

Partindo de um diagnóstico precoce, melhoram o prognóstico e as chances de cura da patologia.

Principais indicações

Suspeita clínica de patologias, rastreio e monitoramento de doenças estão entre as principais indicações para o exame.

No entanto, os registros da tomografia também podem ser utilizados para detalhar possíveis anormalidades.

Abaixo, listo as situações em que a tomografia de tórax costuma ser solicitada:

  • Na hipótese de doenças como pneumonia, tuberculose, tumores e problemas nos vasos sanguíneos que irrigam coração e pulmões
  • Para avaliar complicações durante crises de asma
  • Na investigação de sintomas como falta de ar, chiado, dor no peito, tosse, febre e cansaço crônico
  • Para verificar detalhes sobre achados em exames mais simples, como o raio X de tórax
  • Como suporte no diagnóstico e monitoramento de pacientes com covid-19
  • No rastreio de câncer de pulmão em pessoas com histórico de vício em cigarro e outros fatores de risco
  • No auxílio ao planejamento de tratamentos como a radioterapia.

 

Como é feito o exame de tomografia do tórax?

Entre preparo, realização do exame e liberação do paciente, o procedimento costuma durar 15 minutos.

Com exceção da tomografia de tórax com contraste, que requer mais alguns momentos para a inserção e retirada da agulha no braço do paciente.

Após retirar quaisquer objetos metálicos, ele se deita na maca do tomógrafo e o equipamento é ligado.

O técnico em radiologia vai para uma sala ao lado, onde fica instalada a estação de comando, contendo computador e software específico para processar os registros do teste.

Então, a maca desliza para dentro do grande tubo do aparelho, que contém a tecnologia de captação de imagens.

Basicamente, o equipamento usa um tubo capaz de emitir um feixe raios X que atravessa o corpo do paciente.

Na tomografia computadorizada (TC) torácica, é essa a região que recebe a radiação ionizante, com estruturas que absorvem mais ou menos raios.

Em seguida, a radiação restante atinge um conjunto de detectores posicionado sob o doente, formando um tipo de fotografia interna.

Tomografia computadorizada do tórax

Tomografia torácica é indicada em suspeitas de doenças, rastreio e monitoramento

A nitidez das estruturas na imagem depende de sua densidade.

Ossos e partes duras são mais densas e, portanto, absorvem mais raios X, aparecendo claros nas imagens da tomografia.

Já as partes moles como órgãos absorvem pouca radiação, aparecendo escuras.

É por isso que, muitas vezes, é necessário recorrer ao uso de contraste para conferir maior destaque a essas áreas.

Todos os registros são enviados automaticamente ao computador da estação de comando para serem processados e convertidos em imagens.

Durante a TC, o paciente deve ficar imóvel para garantir que os registros sairão com nitidez suficiente para serem interpretados pelo radiologista.

Para tanto, é normal que técnico e pessoa examinada possam se comunicar ao longo do procedimento.

Após coletar diversos cortes de imagens, o aparelho de tomografia é desligado e o exame, encerrado.

Qual o preparo para tomografia do tórax?

A necessidade de preparo nas horas anteriores ao procedimento depende da necessidade de contraste.

Se houver indicação no pedido médico ou chance de administração da substância, o paciente deve estar em jejum total por 6 horas.

A suspensão de medicamentos de uso contínuo só pode ser solicitada pelo médico que acompanha o doente.

Caso não haja restrição, os remédios são tomados normalmente, com um gole de água para facilitar a ingestão de comprimidos.

Também é importante comparecer ao serviço de saúde com um acompanhante.

Se a TC torácica for sem contraste, o preparo não é exigido.

Pouco antes do procedimento, o paciente deve retirar bijuterias, relógio, sutiã com aro e qualquer outro objeto que contenha metal.

Normalmente, ele se despe e veste um avental da unidade de saúde para evitar problemas.

Tomografia do tórax precisa de jejum?

Nem sempre.

Como expliquei acima, o jejum só é necessário quando houver uso do contraste iodado.

No entanto, há casos em que o pedido médico não requer contraste, mas a substância acaba sendo empregada durante o teste.

Ela serve para gerar imagens mais claras da estrutura avaliada que, dependendo da posição e densidade, pode não aparecer tão nítida no teste sem contraste.

Então, vale confirmar com o médico se pode haver a necessidade do líquido durante o procedimento.

Tc torácica

A telemedicina agiliza e qualifica o diagnóstico com laudo online de tomografias

Soluções em tomografia para clínicas e hospitais

Apesar da contribuição para qualificar o diagnóstico, a oferta de tomografia exige investimentos consideráveis por parte do hospital, clínica ou laboratório.

Afinal é preciso treinar técnicos em radiologia, adquirir o tomógrafo e contar com a expertise de um radiologista para interpretar e laudar o exame.

Nesse cenário, os custos chegam a inviabilizar a realização do teste em alguns serviços de saúde.

Contudo, nem sempre essa saída é a mais inteligente, pois quanto maior o portfólio, maiores as chances de gerar receitas e lucros.

Mas como atender a essa demanda sem sacrificar o equilíbrio financeiro da unidade de saúde?

Uma solução inovadora está na tecnologia disponibilizada por meio das plataformas de telemedicina.

Essa especialidade conecta pacientes e profissionais de saúde em diferentes localidades, reduzindo os gastos sem deixar a qualidade de lado.

Sistemas robustos como a Telemedicina Morsch oferecem um conjunto de serviços em um ambiente intuitivo, acessível de qualquer dispositivo ligado à internet.

O software permite o armazenamento de dados na nuvem com toda a segurança e acessibilidade apenas para pessoas autorizadas.

Outra vantagem é o treinamento online, disponível a qualquer hora do dia ou da noite para capacitar os técnicos em radiologia.

Assim, eles aprendem a conduzir a tomografia de modo a obter registros nítidos com a menor exposição possível do paciente aos raios X.

Completa, a plataforma ainda fornece opção para enxugar gastos com laudos a distância.

Falo mais sobre isso abaixo.

Resultado de tomografia do tórax

Expliquei antes que a TC pode ser feita por um técnico em radiologia, porém, sua interpretação é restrita ao radiologista.

Esse especialista é qualificado para analisar as imagens, identificar anormalidades e emitir conclusões no laudo médico.

Também cabe a ele emitir uma segunda opinião nas situações de dúvida a respeito de um diagnóstico ou do melhor tratamento.

Só que manter um time completo com radiologistas cobrindo todo o horário de funcionamento do hospital ou clínica pode sair caro.

E sobrecarregar um ou dois especialistas compromete sua produtividade, impactando na qualidade dos resultados.

De olho nessas dificuldades, empresas de telemedicina criaram o serviço de laudos a distância, solicitado via plataforma online.

Basta encaminhar os registros da tomografia para receber resultados com agilidade, em documentos assinados digitalmente pelo radiologista.

Na Morsch, entregamos o laudo médico em minutos, conferindo agilidade ao diagnóstico.

Veja, abaixo, um passo a passo para receber os resultados dos seus exames de forma simples:

  1. Treine o técnico em radiologia para conduzir a TC em tomógrafo digital
  2. Configure o aparelho para enviar os registros automaticamente ao sistema de telemedicina ou compartilhe as imagens pelo computador após o exame
  3. Não se esqueça de inserir exames passados e outros dados sobre o paciente
  4. Aguarde pela avaliação do radiologista online, que interpreta os registros sob a luz desses dados e do histórico de saúde do doente
  5. Receba o laudo digital via plataforma
  6. Imprima e/ou compartilhe o resultado com o paciente via e-mail.

Além da tomografia, o laudo digital está disponível para outros exames radiológicos, por exemplo:

 

Conclusão

Ao longo deste artigo, abordei como é feita, indicações e de que forma a tecnologia auxilia na entrega de laudos de tomografia do tórax.

Vale destacar o papel da telemedicina, que dá suporte aos resultados de forma ágil e a um preço que cabe no seu orçamento.

A área que interpreta a tomografia e outros testes radiológicos é chamada telerradiologia e está disponível para negócios de todos os portes e regiões do Brasil.

Com esse suporte, seu time pode ofertar mais exames e aumentar as receitas de um jeito inteligente.

Clique aqui para conhecer todas as vantagens dos laudos online emitidos pela equipe Morsch.

Se gostou deste artigo e quer receber os próximos, assine a newsletter.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE