Laudo de RX digital direto no PACS da Telemedicina Morsch

Por Dr. José Aldair Morsch, 3 de julho de 2019
Laudo de RX digital

O laudo de RX digital se tornou uma importante ferramenta para os mais variados diagnósticos, pois fornece resultados com qualidade e agilidade a um exame complementar indispensável para a prática médica em todo o mundo: o raio X.

Apesar de o exame ter sido realizado pela primeira vez há quase 200 anos, os avanços tecnológicos na área continuam em universidades, centros de pesquisa e, posteriormente, nas clínicas, à disposição dos pacientes.

Um deles é o sistema PACS, que provocou mudanças profundas no compartilhamento de imagens radiológicas e é um dos assuntos centrais deste artigo.

Lendo até o final, você ficará bem informado sobre o PACS e a tecnologia por trás dos raios X digitais, que apresentam inúmeras vantagens em relação à tradicional radiografia analógica.

Também conhecerá seus princípios de funcionamento, impactos para pacientes e profissionais e como o uso de radiografias digitais pode facilitar o trabalho de clínicas e o atendimento de pacientes com o auxílio da telemedicina.

Ficou interessado? Então, vamos em frente.

 Laudo de RX digital: o que é e como funciona

 Laudo de RX digital: o que é e como funciona

Laudo de RX digital: o que é e como funciona

O laudo de RX digital reúne informações de uma radiografia e seus resultados, sendo emitido a distância.

Esse documento segue uma série de protocolos e recomendações que visam garantir sua qualidade e evitar fraudes.

Assim como o laudo médico impresso, o digital só pode ser elaborado por um especialista qualificado na área do teste de diagnóstico, e deve conter sua assinatura digital para atestar a autenticidade.

Emitido remotamente, o laudo digital é uma ferramenta importante para democratizar o acesso aos exames radiológicos, especialmente para populações de cidades afastadas dos grandes centros urbanos.

O documento supre a constante carência de especialistas nessas áreas, viabilizando resultados com rapidez e eficiência através de serviços de telemedicina.

Atualmente, o laudo de raio X pode ser solicitado e disponibilizado por meio de plataformas ou portais de telemedicina, que agregam proteção e agilidade no compartilhamento dos registros dos exames.

Como funciona uma radiografia: aspectos técnicos

Como funciona uma radiografia

Como funciona uma radiografia: aspectos técnicos

A grosso modo, podemos dizer que a radiografia é como uma fotografia de parte do corpo humano.

Mas, em vez de utilizar luz para retratar a área, como as fotografias, a radiografia utiliza ondas que irradiam através do corpo humano: os raios x.

As radiografias são muito usadas para que médicos tenham uma visão interna de ossos, órgãos e outras estruturas do corpo humano, apoiando um diagnóstico preciso.

O seu princípio de funcionamento é bastante simples.

O paciente posiciona a parte do corpo a ser retratada sobre o suporte da máquina, que traz uma uma abertura por onde serão disparados os raios X.

Ao ativar a máquina, o conteúdo radioativo da estrutura é acionado e irradia as partículas em direção à abertura e, portanto, ao corpo do paciente.

Os raios atravessam o corpo do paciente e se chocam contra uma chapa de recepção sensível à radioatividade, que fica sob o corpo do paciente, formando a imagem da radiografia.

Como o corpo humano é formado por diferentes estruturas, sendo elas mais ou menos densas, a radioatividade atravessa os tecidos do paciente de formas distintas, de acordo com a densidade de cada tecido.

Tecidos mais densos (como os ossos) absorvem mais raios, que não chegam à chapa, enquanto os menos densos (como os órgãos) permitem a passagem de mais raios.

Os raios que chegam à chapa com mais intensidade queimam o material fotossensível, deixando-o escurecido.

Onde os raios não chegam, a coloração permanece clara, formando a imagem necessária para o diagnóstico.

Laudo de RX digital x Radiografias analógicas

Laudo de RX digital x Radiografias analógicas

Laudo de RX digital x Radiografias analógicas

As radiografias digitais e analógicas funcionam pelos mesmos princípios físicos e lógicos.

A diferença está na captação dos raios X pela chapa radiossensível.

Nos raios x analógicos, a chapa é composta por uma espécie de filme com um composto que contém prata, que dá a coloração à radiografia no resultado final.

Nas radiografias digitais, uma chapa eletrônica radiossensível é posicionada no lugar do filme, e sua interação com os raios x faz com que as informações sejam convertidas em impulsos elétricos e enviadas ao computador com agilidade.

Existem dois tipos de radiografias digitais:

  • Na direta, a chapa sensível envia os dados ao computador sem qualquer interferência humana
  • Na indireta, a chapa eletrônica precisa ser escaneada para que o computador possa receber as informações, também com precisão e a agilidade.

-> Solicitar um orçamento de laudo radiológico a distância para sua clínica 

Vantagens do laudo radiográfico digital

Vantagens laudo raio x digital

Vantagens do laudo radiográfico digital

Os raios x digitais apresentam grande vantagem de performance em relação às radiografias analógicas.

Mas, acima de tudo, oferecem maior segurança para o paciente, pois a radiação à qual a pessoa é submetida durante um raio x digital é muito menor do que na radiografia convencional.

Isso acontece por duas razões.

Primeiramente, na radiografia analógica, os detalhes da irradiação são definidos de maneira mecânica pelo profissional, o que pode resultar em um feixe com pouca precisão, ou com uma carga menor do que a necessária para atravessar o filme radiossensível.

Como resultado, não é raro que os pacientes tenham de repetir duas ou até mais vezes o processo, pois a radiografia não havia ficado nítida o suficiente para diagnóstico.

Desse modo, o paciente acaba sendo submetido a uma carga radioativa maior, que não chega a ser consideravelmente nociva, mas não é nada recomendável.

Afinal, a radiação emitida durante o exame tem efeito cumulativo e está relacionada a doenças, como o câncer.

Em segundo lugar, devido às características dos materiais utilizados no filme, uma radiografia analógica naturalmente precisa de uma irradiação de raio x muito maior do que uma radiografia digital para apresentar uma qualidade de imagem consideravelmente inferior.

O uso de radiografias convencionais também pressupõe a revelação dos filmes radiossensíveis.

Para isso, são necessárias mais substâncias e, em alguns casos, um segundo profissional apenas para realizar a revelação do negativo.

Além de ser pouco prático, esse processo demanda um tempo considerável, enquanto que, na radiografia digital, leva apenas alguns minutos.

As substâncias químicas necessárias para a revelação dos negativos também costumam ser tóxicas.

Se não forem bem manejadas pelos profissionais, podem trazer malefícios aos profissionais de saúde e ao meio ambiente.

Relação de custo e benefício do laudo de RX digital

A tecnologia da emissão de radiografias digitais tem particularidades.

Ela faz com que a instalação e a manutenção de estruturas em uma clínica ou hospital acabe custando mais caro do que a exigência para que se opere apenas com radiografias convencionais.

Por outro lado, a agilidade e qualidade dos raios x digitais são muito maiores, o que garante maior assertividade aos diagnósticos e acaba compensando o investimento realizado.

Além disso, com o avanço das tecnologias, a tendência é que as radiografias digitais se tornem cada vez mais baratas.

Elas permitem, ainda, uma integração mais eficiente e facilitada com instrumentos de tecnologia, simplificando a rotina na sua clínica.

-> Faça um teste gratuito de laudo a distância na sua clínica

Como a telemedicina fornece o laudo de RX digital?

Como a telemedicina fornece o laudo de RX digital

Como a telemedicina fornece o laudo de RX digital?

Outra vantagem do raio X digital é que ele pode ser mais facilmente aproveitado para uso na telemedicina.

Com a digitalização das imagens e o armazenamento no computador, se torna mais fácil gerenciar as informações e enviá-las imediatamente para uma empresa de telemedicina realizar o diagnóstico e oferecer os laudos médicos em pouquíssimo tempo.

Mas o que é telemedicina?

Telemedicina é uma disciplina que utiliza as tecnologias da informação e comunicação para possibilitar a oferta de serviços de laudos médicos a distância e segunda opinião qualificada.

Através dela, registros radiográficos são enviados para uma empresa com profissionais especializados que realizam a análise dos exames o devolvem o laudo médico completo para o médico solicitante.

A vantagem da telemedicina em relação à modalidade convencional é que, ao terceirizar a emissão de laudos, sua clínica não precisará mais contratar diversos radiologistas.

Uma empresa especializada vai entregar os resultados em muito menos tempo e com mais eficiência.

Perceba que todos saem ganhando com o emprego da telemedicina.

O paciente ganha porque tem o resultado de seus exames mais rapidamente.

A clínica se beneficia porque precisará armazenar menos papel e contratar menos profissionais para desempenhar o trabalho com mais eficiência e precisão.

O médico solicitante poderá otimizar sua agenda, baseando-se em uma emissão de laudos mais rápida.

Ou seja, os laudos digitais proporcionam economia de tempo, dinheiro, papel e recursos logísticos, melhorando o atendimento e deixando os pacientes satisfeitos.

O avanço da radiografia digital por meio do sistema PACS

O avanço da radiografia digital por meio do sistema PACS 

O avanço da radiografia digital por meio do sistema PACS

Como relata Edwar Barbosa Couto em seu estudo, a criação de sistemas PACS tem origem na necessidade de gerenciar, armazenar e distribuir as informações produzidas por centros de diagnóstico por imagem.

O tema começou a ser investigado mais efetivamente no final da década de 1970, quando diversos países passaram a vislumbrar uma forma de comunicação digital que integrasse diferentes sistemas radiológicos.

Antes disso, cada equipamento de testes de diagnóstico por imagem ficava isolado, conectado apenas a uma estação de trabalho e uma impressora, o que dificultava o compartilhamento e armazenamento de imagens em um computador ou na internet (nuvem).

Em 1982, dois grandes eventos mostraram a busca por uma solução viável: a primeira Conferência Internacional e Workshop sobre Arquivamento de Imagens e Sistemas de Comunicação (em Newport Beach, Califórnia) e o primeiro Simpósio Internacional sobre PACS e PHD (Personal Health Data), promovido na Europa e Ásia.

Foi durante a conferência nos Estados Unidos que surgiu o termo PACS (Picture Archiving and Communication System), mas a tecnologia em si ainda não havia sido desenvolvida.

Porém, naquele mesmo ano, o Colégio Americano de Radiologia (ACR) e a National Electrical Manufacturers Association (NEMA) fundaram um comitê para criar padrões para interconexão de dispositivos de imagem digital.

Os resultados começaram a aparecer em 1985, com a primeira versão do PACS – uma interface hardware com transmissão ponto-a-ponto, ou seja, a transmissão não ocorria em rede.

Três anos depois, a versão 2.0 aperfeiçoou regras para o envio de informações, que ainda era feito ponto-a-ponto.

A grande inovação chegou em 1992, quando a versão 3.0 permitiu a interconexão entre sistemas abertos e equipamentos de imagem em rede, por meio do protocolo DICOM (Digital Imaging and Communications in Medicine).

Anos depois, a inserção do PACS na nuvem revolucionou mais uma vez o sistema, viabilizando o acesso a partir de qualquer dispositivo conectado à internet.

Passo a Passo de como funciona a emissão de Laudo de RX digital via Telemedicina

Como funciona a emissão de Laudo de RX digital via Telemedicina

Passo de como funciona a emissão de Laudo de RX digital via Telemedicina

Como expliquei acima, PACS é o nome do sistema que viabiliza a transmissão de imagens radiológicas, e DICOM é o protocolo que devem seguir para que sejam compatíveis com o PACS.

Então, o primeiro passo para a emissão do laudo de raio X é a configuração do aparelho de radiografia para que as imagens em DICOM sejam enviadas ao sistema PACS da empresa de telemedicina, responsável por emitir o resultado do exame.

Clientes da Morsch tem acesso a esse suporte remotamente, sem que precisem receber um técnico em horário comercial.

Após a configuração, o equipamento de raio X já pode ser utilizado normalmente.

Um médico ou técnico em enfermagem ou radiologia conduz o exame na área determinada, gerando registros digitais.

Em seguida, esse mesmo profissional pode salvar os dados do exame e transferir, automaticamente, o arquivo DICOM para o PACS da Morsch, acessível por uma plataforma intuitiva na nuvem.

Ao receber os registros, radiologistas logados no portal avaliam os achados do teste e anotam as suas conclusões no laudo médico.

O documento é assinado digitalmente e liberado em seguida na plataforma de telemedicina.

Toda essa dinâmica leva apenas alguns minutos.

Benefícios da implementação do Laudo de RX digital nas clínicas

Benefícios RX digital nas clínicas

Benefícios da implementação do Laudo de RX digital nas clínicas

O laudo de raio X digital impacta profissionais, unidades de saúde e pacientes de forma positiva, levando resultados de qualidade a áreas remotas e diminuindo custos.

Confira, a seguir, as seis principais vantagens para clínicas e hospitais que aderem a essa modalidade de laudo.

1. Aumento da produtividade sem necessidade de contratar novos radiologistas

A interpretação de exames e composição dos laudos é uma tarefa que exige dedicação, ocupando boa parte das horas de trabalho do radiologista.

Afinal, é preciso analisar as imagens com calma, tendo em mente a suspeita clínica e consultando informações adicionais quando necessário.

Diante desse quadro, muitas unidades de saúde já perceberam que é preciso manter mais de um especialista para aumentar a produtividade, mas essa mão de obra tem um custo alto na folha de pagamento.

Mas, com o serviço de laudos a distância da telemedicina, estabelecimentos de saúde contam com um time completo de especialistas à disposição sem demandar grandes investimentos financeiros, liberando o radiologista in loco para outras tarefas e aumentando a produtividade.

2. O custo do laudo é menor quando comparado com o radiologista presencial

Acabei de citar que a contratação de um radiologista qualificado implica em custos altos, afinal, esse especialista desenvolve tarefas complexas.

O problema é que esses gastos acabam refletindo no preço final do laudo e do exame, restringindo o acesso de pacientes com menos recursos financeiros.

Já o laudo digital tem preços reduzidos, pois os radiologistas da empresa de telemedicina ficam dedicados apenas a essa tarefa, o que lhes confere aperfeiçoamento e maior rapidez na elaboração de laudos de qualidade.

3. Agilidade na entrega do laudo de raio x

De forma geral, os laudos a distância ficam prontos no mesmo dia do exame.

Pedidos urgentes são avaliados em tempo real, dando suporte a diagnósticos ágeis e assertivos.

4. Armazenamento em segurança na nuvem

A nuvem é um local utilizado para guardar arquivos digitais na internet.

Embora algumas áreas possam ser acessadas por muitas pessoas, o sistema PACS empregado pela telemedicina possui diversos mecanismos de segurança, a fim de preservar o sigilo médico-paciente.

A plataforma ou portal que permite a visualização e edição dos arquivos só se abre mediante login e senha específicos, e todas as informações são preservadas por criptografia.

Além disso, arquivos digitais dispensam o uso dos filmes radiológicos, sujeitos à deterioração ou alterações pelo manuseio incorreto.

Isso significa que as imagens digitais ficam totalmente preservadas e são armazenadas na nuvem por, no mínimo, 20 anos.

5. Laudo elaborado por radiologistas especialistas

Seguindo normas do Conselho Federal de Medicina, os laudos remotos são emitidos apenas por médicos especializados na área do exame – neste caso, radiologistas.

Concentrados na tarefa de interpretar os exames, esses profissionais executam o trabalho rapidamente, sem deixar a qualidade de lado.

Ferramentas disponíveis apenas para imagens digitais, como o zoom, auxiliam na composição de resultados assertivos.

Os radiologistas da empresa de telemedicina assumem a responsabilidade pelos laudos, através da assinatura digital.

6. Substitui o seu radiologista quando estiver ausente

Férias, folgas, doenças e outros eventos podem fazer com que o radiologista se ausente, prejudicando o funcionamento de clínicas e hospitais.

Essa questão é solucionada com o apoio da telemedicina, que mantém a rotina dessas unidades de saúde, cobrindo o radiologista quando preciso.

Dessa maneira, não há perdas ou atraso na entrega dos exames e início de tratamentos urgentes.

Mais informações sobre Telemedicina na Radiologia ou Telerradiologia

Informações sobre Telemedicina na Radiologia ou Telerradiologia

Mais informações sobre Telemedicina na Radiologia ou Telerradiologia

Regida pela Resolução CFM Nº 2.107/14, a telerradiologia permite o compartilhamento de informações radiológicas de forma remota, superando as barreiras geográficas.

Essa especialidade é caracterizada pelo uso de tecnologias de informação e de comunicação para o envio de dados e imagens radiológicas com o propósito de emissão de relatório, como suporte às atividades desenvolvidas localmente.

Além das radiografias, a telerradiologia permite que outros testes que empregam radiação para obter imagens sejam laudados a distância.

Veja, abaixo, os exames nessa área que se beneficiam do laudo digital:

Conheça e conte com os serviços da Telemedicina Morsch

A Morsch atua na área desde 2001, fornecendo serviços de telemedicina com ética, responsabilidade e, acima de tudo, compromisso com os profissionais atendidos.

A empresa se preocupa em oferecer um serviço de qualidade e diferencial no atendimento a pacientes e clientes, visando construir um relacionamento próspero e benéfico para todos.

Por isso, cada vez mais clientes aderem aos serviços de laudos a distância, segunda opinião qualificada, treinamentos, comodato e suporte oferecidos pela Morsch em todo o Brasil.

A empresa possui uma plataforma online simples, intuitiva e extremamente eficiente em disponibilizar os exames e seus respectivos laudos com a segurança e o sigilo necessários.

Todos os documentos são emitidos com o uso de certificado digital para garantir a integridade dos dados.

A Morsch atende a diversas especialidades – cardiologia, neurologia, pneumologia e radiologia -, entregando laudos médicos de exames em minutos.

Nossa equipe é formada por especialistas devidamente aprovados pelo CFM, que estão sempre à disposição para uma segunda opinião.

Que aparelhos são fornecidos em comodato pela Telemedicina Morsch?

Comodato é uma modalidade de aluguel que não envolve pagamento pelo uso de equipamentos digitais.

Contratando um pacote de laudos por mês, o cliente recebe dispositivos modernos, registrados na Anvisa e calibrados, sem pagar nada mais por isso.

Na Morsch, o comodato é válido enquanto durar o contrato.

Devido ao custo, equipamentos radiológicos, como o aparelho de RX digital, não estão disponíveis para comodato.

Mas essa pode ser a solução para você aumentar o portfólio de exames, ofertando novas especialidades médicas.

Aparelhos para eletrocardiograma, eletroencefalograma, espirometria e MAPA de pressão arterial são fornecidos pela Morsch em comodato.

Para oferecer uma experiência completa no serviço, a Morsch possui, ainda, suporte completo para a correta utilização dos equipamentos, gerando imagens de qualidade.

Se sua equipe não possui um técnico em radiologia ou enfermagem capacitado para conduzir os exames, ele pode realizar treinamentos a distância a qualquer hora do dia ou da noite, através da plataforma de telemedicina.

Conclusão

Laudo de RX digital direto no PACS da Telemedicina Morsch

Ao longo deste artigo, comentei sobre as principais aplicações, finalidades e benefícios do laudo de RX digital para unidades de saúde e pacientes.

A partir de um pequeno investimento, seu hospital ou clínica pode contar com essa opção moderna, agilizando os resultados das radiografias com o auxílio da Telemedicina Morsch.

Teste agora mesmo nossa plataforma, clicando neste link, ou entre em contato para saber mais.

Se gostou deste texto, deixe um comentário. Compartilhe com amigos e colegas.

Referências Bibliográficas

COUTO, Edwar Barbosa. PACS em Nuvem – Um Diagnóstico Estratégico para os Hospitais Universitários Geridos Pela EBSERH. 2018.

MARQUES, Paulo Mazzoncini de Azevedo; SALOMÃO, Samuel Cova. PACS: Sistemas de Arquivamento e Distribuição de Imagens. Revista Brasileira de Física Médica.2009;3(1).

Resolução CFM Nº 2.107/14 – Define e normatiza a Telerradiologia – Conselho Federal de Medicina.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG - Fundação Universidade do Rio Grande - RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE

Entre em contato por WhatsApp
Enviar mensagem pelo WhatsApp