Psicologia ocupacional e seu papel na saúde mental do trabalhador

Por Dr. José Aldair Morsch, 16 de março de 2022
Psicologia ocupacional

A psicologia ocupacional é uma área importante dentro da saúde do trabalho.

Suas ações contribuem para cuidar da mente dos funcionários.

Dessa forma, ajudam a prevenir transtornos emocionais como ansiedade e burnout.

Mas não é só isso.

Em uma ação conjunta com a equipe de SST, o psicólogo também colabora com a qualidade de vida no trabalho e potencializa os resultados com a gestão de pessoas.

Neste artigo, vou falar mais sobre a psicologia ocupacional e suas vantagens para as empresas e empregados.

Veja também como otimizar a emissão de laudos ocupacionais, usando uma plataforma de telemedicina.

O que é psicologia ocupacional?

Psicologia ocupacional é a ciência que busca compreender o comportamento humano no trabalho e sua interação com os elementos presentes nesse ambiente.

A partir dessa compreensão, é possível planejar e implementar medidas individuais e coletivas em prol da saúde mental dos colaboradores.

Nesse contexto, a especialidade pode ser chamada de psicologia organizacional e do trabalho (POT).

Segundo o site da American Psychological Association:

“A psicologia industrial/organizacional é definida como a aplicação da teoria e da metodologia psicológicas aos problemas das organizações e aos problemas de grupos e indivíduos nos ambientes organizacionais.”

O que faz a psicologia ocupacional

Como adiantei na abertura do texto, cabe à psicologia ocupacional zelar pelo bem-estar no trabalho, sob a perspectiva da saúde mental e emocional.

Para tanto, os profissionais da área realizam análises, planejam e implementam respostas aos fatores que possam desencadear problemas psíquicos relacionados à atividade laboral.

Afinal, o trabalho é fonte de prazer e sofrimento, simultaneamente.

Cabe ao psicólogo ocupacional reforçar a satisfação e felicidade aos trabalhadores, diminuindo seu desgaste emocional.

A seguir, vou comentar as principais maneiras que a psicologia colabora para esse objetivo.

Identifica fatores de risco para a saúde mental

O estudo do comportamento humano e da rotina da organização permite que o psicólogo identifique dinâmicas prejudiciais à saúde da mente.

Por exemplo, cobranças excessivas, jornadas de trabalho extenuantes e clima pesado, com falta de espaço para feedback.

Ou até mesmo práticas extremamente abusivas, como bullying, assédio moral e sexual, que tendem a isolar a vítima, minando sua autoconfiança e estabilidade emocional.

Propõe medidas de mitigação dos riscos

Obviamente, a atuação da psicologia ocupacional não se limita a observar e denunciar os fatores de risco.

É essencial apresentar respostas a esses problemas, propondo soluções que acabem com as práticas abusivas.

Afinal, esse tipo de postura não deve ser tolerado em lugar nenhum, muito menos no ambiente de trabalho.

Já outras dinâmicas que fazem parte da cultura empresarial pedem ações de longo prazo, a fim de corrigir comportamentos enraizados para criar ambientes saudáveis.

Acompanha e orienta colaboradores e gestores

Conhecendo o dia a dia da empresa, o psicólogo pode aconselhar as pessoas de forma individual ou em grupo.

Dinâmicas, palestras e outras ferramentas servem a esse propósito, melhorando a convivência no trabalho.

Trabalha pela mediação de conflitos

Se houver desentendimentos explícitos ou velados, o psicólogo pode atuar como mediador para que sejam solucionados.

Abrindo espaço para que todos manifestem seu ponto de vista, ficará mais simples formar e cultivar relações saudáveis entre os colegas.

Promove ações em prol da qualidade de vida no trabalho (QVT)

A psicologia ocupacional dá base para a implantação de medidas que reforçam a QVT.

Pausas no trabalho, ginástica laboral, rodas de conversa e minutos de relaxamento estão entre as ações que elevam a qualidade de vida.

Assim como incentivos para a alimentação saudável, práticas de exercícios físicos e redução do estresse.

Psicóloga do trabalho

Existem doenças ocupacionais psicológicas graves, por isso, esse apoio é fundamental ao colaborador

Dá suporte nas políticas de SST e retenção de talentos

As atividades do psicólogo ocupacional devem estar integradas a setores como segurança e saúde do trabalho, Recursos Humanos e Gestão de Pessoas.

Assim, é possível criar políticas que preservam o bem-estar mental e aumentam a motivação dos colaboradores, oferecendo benefícios atraentes.

Bônus, assistência médica e flexibilidade são alguns exemplos de benefícios populares que ajudam a reter talentos.

Doenças ocupacionais psicológicas

Doenças ocupacionais psicológicas são aquelas que surgem ou se agravam em decorrência da atividade laboral e condições de trabalho, afetando a mente e emoções do funcionário.

Diversas patologias podem ser enquadradas nesse universo, desde que fique estabelecido nexo com o trabalho.

Vou citar abaixo os principais males, tomando como referência o manual do Ministério da Saúde:

  • Demência
  • Transtorno cognitivo leve
  • Transtorno orgânico de personalidade
  • Alcoolismo crônico (relacionado ao trabalho)
  • Episódios depressivos
  • Estado de estresse pós-traumático
  • Neurastenia (inclui síndrome de fadiga)
  • Neurose profissional
  • Transtornos ansiosos
  • Transtorno do ciclo vigília-sono devido a fatores não-orgânicos
  • Síndrome de burnout ou esgotamento profissional.

 

A psicologia na saúde ocupacional

Investir em psicologia é importante para a saúde ocupacional, pois viabiliza a adoção de medidas preventivas.

Além disso, combate as fontes de risco antes que os trabalhadores desenvolvam transtornos mentais.

Essas ações são indispensáveis para reverter a atual epidemia de doenças psicológicas e seus efeitos.

Para se ter uma ideia, esses males provocaram 576 mil afastamentos do trabalho em 2020.

O número representa aumento de 26% em relação a 2019, conforme dados da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho.

Episódios depressivos e transtornos ansiosos são as principais causas não relacionadas a acidentes de trabalho para a concessão de auxílio-doença pelo INSS, respondendo respectivamente por 30,67% e 17,9% dos benefícios.

Para virar esse jogo, é necessário criar e manter ativas iniciativas como o Programa de Gerenciamento de Riscos (PGR) e o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO).

O que pede uma rotina de organização dos relatórios ocupacionais para facilitar o monitoramento dos colaboradores.

Telemedicina é aliada da empresa

Preencher, assinar e compartilhar os laudos ocupacionais fica mais simples com o suporte do sistema de telemedicina.

Softwares modernos como o da Morsch usam ambientes online seguros para conectar as equipes de saúde corporativa a médicos do trabalho, engenheiros e outros especialistas.

Desse modo, eles assinam digitalmente os documentos, conferindo agilidade aos registros de ações de SST – incluindo as voltadas à saúde mental.

Os serviços contemplam os seguintes documentos de saúde ocupacional:

Peça agora mesmo seu orçamento sem compromisso, clicando aqui.

Conclusão

Ao final deste artigo, espero ter deixado clara a relevância da psicologia ocupacional para o bem-estar mental e social dos colaboradores.

Se achou o texto útil, compartilhe nas redes sociais.

Aproveite para se inscrever na nossa newsletter e ficar por dentro das novidades de saúde e tecnologia.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE