Depressão no trabalho: o que cabe à empresa nesses casos?

Por Dr. José Aldair Morsch, 12 de julho de 2022
Depressão no trabalho

A depressão no trabalho vem se tornando uma questão recorrente que desafia gestores, equipes de RH e saúde do trabalhador.

Quem sofre com essa doença experimenta uma tristeza profunda, perda de interesse pelo mundo ao redor e angústia.

Também podem surgir sintomas físicos como falta de apetite, insônia e cansaço crônico.

Isso logo impacta as atividades laborais, levando à queda na produtividade e problemas para se relacionar com os colegas.

Lidar com esse cenário exige medidas de acolhimento e apoio psicológico ao colaborador, como explico neste artigo.

Continue lendo para conhecer medidas preventivas, causas e boas práticas para lidar com a depressão no trabalho.

Além de suporte para emitir e assinar documentos de saúde ocupacional com agilidade via sistema de telemedicina.

Depressão no trabalho: quais são os impactos?

Distúrbio psíquico caracterizado por desesperança e uma tristeza profunda, a depressão está cada vez mais presente na vida dos profissionais brasileiros.

Para se ter uma ideia, uma pesquisa divulgada recentemente pela Universidade de São Paulo (USP) revela que o Brasil está no topo do ranking de casos de depressão, com um percentual de 59%.

Dentre as 11 nações avaliadas, Irlanda e Estados Unidos completam o pódio depois do Brasil, com 57% e 55%, respectivamente.

Os dados alarmantes ilustram diversas situações vividas dentro e fora das empresas.

Afinal, a depressão corrói a autoestima, motivação e energia necessárias para que o colaborador se empenhe e seja produtivo.

No início, suas lideranças podem observar queda no rendimento provocada pela dificuldade de concentração e desinteresse por alcançar resultados.

Muitas vezes, o funcionário tenta seguir com a rotina normal, mas comparece ao trabalho somente para “bater ponto” ou cumprir sua jornada por obrigação.

Enquanto isso, a mente está longe, repleta de pensamentos negativos característicos do humor deprimido.

É o fenômeno conhecido como presenteísmo, que tende a se tornar absenteísmo em breve.

Se nada for feito, as perturbações mentais e físicas fazem com que aumentem as ausências no trabalho, reduzindo ainda mais as entregas.

Isso favorece o isolamento, reforça crenças de incompetência por parte da vítima e deteriora seus relacionamentos no trabalho.

O que causa depressão no ambiente de trabalho?

A depressão é uma patologia de causa multifatorial, partindo da combinação entre fatores genéticos, psicológicos, biológicos e ambientais.

Somados, eles provocam desequilíbrio na liberação de neurotransmissores como serotonina e noradrenalina, diminuindo a sensação de bem-estar do indivíduo.

Nesse cenário, certas rotinas e eventos são capazes de desencadear episódios depressivos ou agravar a doença, incluindo situações relacionadas ao trabalho.

Alguns exemplos são:

  • Sobrecarga de trabalho
  • Ritmo de produção frenético, sem pausas
  • Cobranças excessivas
  • Situações traumáticas, como acidentes de trabalho, assaltos à empresa, assédio moral ou sexual
  • Conflitos, perseguições e problemas de relacionamento nas equipes
  • Clima organizacional ruim
  • Falta de plano de carreira e objetivos claros
  • Atitudes desrespeitosas entre os funcionários, como bullying, ofensas e agressões.

Depressão adquirida no trabalho: o que fazer?

Diante da suspeita de depressão desencadeada pelas condições de trabalho, cabe à empresa agir rapidamente.

A primeira ação precisa focar no acolhimento da vítima, evitando posturas preconceituosas ou que tentem culpabilizar o empregado.

Isso porque cada pessoa reage de formas diferentes à pressão, cobrança por metas audaciosas, conflitos e provocações por parte dos colegas.

O ideal é encaminhar o funcionário a um serviço de saúde, que pode ser interno ou externo, a fim de confirmar o diagnóstico e dar início ao tratamento.

Como o trabalho tende a aumentar os níveis de estresse, é comum que a pessoa com depressão precise se afastar por algum tempo.

Caso isso não ocorra, é importante que o gestor, equipe de RH ou de saúde no trabalho revejam a rotina deste profissional e promovam as mudanças necessárias para que ele se sinta bem.

Isso pode incluir uma realocação, permissão para trabalho híbrido ou em home office, auxílio de colegas durante o tratamento, etc.

Aliás, é imprescindível conscientizar o time para que também acolha o colaborador fragilizado.

E repensar os processos e contextos que tenham relação com o adoecimento.

Depressão ocupacional

A depressão no ambiente de trabalho parte de fatores genéticos, psicológicos, biológicos e ambientais

Atestado por depressão no trabalho

O atestado por depressão no trabalho pode ser concedido para garantir a eficácia do tratamento.

Caso o afastamento do trabalho dure mais de 15 dias consecutivos, o paciente deve ser encaminhado ao INSS para emissão de laudo médico específico.

Quando o empregador se omite ou discrimina o funcionário doente, abre brecha para sofrer sanções e condenações na Justiça do Trabalho, como neste relato.

Como prevenir a depressão no trabalho

Veja agora quatro estratégias que ajudam a evitar essa doença e preservar a saúde mental dos funcionários.

Avalie a dinâmica de trabalho

Observe indicativos de sobrecarga de trabalho, como o acúmulo de horas extras, atrasos e insatisfação dos colaboradores.

Talvez seja preciso redistribuir as tarefas ou até contratar serviços adicionais para ajudar a desafogar as agendas.

Promova o feedback

Transtornos psíquicos como a depressão ainda representam um tabu em muitas organizações, fazendo com que empregados temam falar sobre o assunto.

Caixas de sugestões, espaços anônimos e lideranças preparadas para ouvir e acolher seu time ajudam a romper essas barreiras.

Estas medidas incentivam o feedback e, assim, a percepção de sintomas de doenças mentais precocemente.

Trabalhe o clima organizacional

Promover a colaboração e conscientização sobre males psíquicos auxilia no combate ao preconceito e na adoção de uma postura empática por parte dos colegas.

Desse modo, o clima fica mais leve, diminuindo as chances de adoecimento.

Ofereça suporte psicológico

Se puder, forneça consultas com psicólogos, aconselhamento profissional e pessoal e outros cuidados de saúde mental aos funcionários.

Telemedicina em apoio à saúde no trabalho

O monitoramento da saúde dos colaboradores é outro ponto relevante para prevenir patologias físicas e mentais.

Essa dinâmica inclui ações e documentos de saúde ocupacional, elaborados e assinados por especialistas em SST.

Por vezes, a entrega de laudos ocupacionais é atrasada porque esses profissionais nem sempre estão nas empresas durante todo o horário de funcionamento.

Mas existe uma solução simples e tecnológica para essa questão: a assinatura digital na plataforma de Telemedicina Morsch.

Usando um software seguro, sua equipe pode emitir e assinar digitalmente os seguintes arquivos:

Clique aqui para conhecer todas as vantagens de ter a Morsch como parceira da sua empresa!

Conclusão

Gostou de saber mais sobre os impactos e como evitar a depressão no trabalho?

Se ficou alguma dúvida ou sugestão, escreva um comentário abaixo.

Siga acompanhando o blog da Morsch para ficar por dentro de novidades em saúde corporativa e tecnologia.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE