Como aumentar a imunidade e quais são os sinais de alerta

Por Dr. José Aldair Morsch, 8 de fevereiro de 2022
Como aumentar a imunidade

Não há como aumentar a imunidade sem algum esforço e disciplina.

Para que o corpo consiga reagir aos incontáveis processos infecciosos e vetores de doenças diariamente, é preciso antes que certos cuidados sejam observados.

Lembre-se: o dinheiro pode comprar tratamento médico, mas não compra saúde.

Então, o melhor a se fazer é manter uma postura proativa em relação aos bons hábitos.

Alguns deles você vai conhecer neste conteúdo, além de ficar por dentro dos sinais de uma baixa imunidade.

Não perca essa chance de aprender a cuidar de si mesmo. 

Saiba, ainda, como a tecnologia é sua aliada nesse desafio.

Como aumentar a imunidade do corpo

A imunidade representa o conjunto de órgãos, células e tecidos responsáveis por defender o organismo das tentativas de invasão de agentes patológicos.

Ela também tem o papel restaurador, ao atuar sobre as partes do organismo danificadas em razão de doenças ou de ferimentos.

Mas, para funcionar bem, o sistema imunológico precisa encontrar certas condições, sem as quais a probabilidade de falhar aumenta.

Isso implica cuidar da alimentação e adotar um estilo de vida que afaste o risco de certas doenças e complicações.

Descubra agora como aumentar a imunidade.

1. Evite álcool e cigarro 

Segundo estatísticas recentes do Atlas do Tabaco, o cigarro causa mais de 7 milhões de mortes anualmente em todo o mundo.

É muito mais do que doenças incuráveis, como a AIDS, que mata cerca de 680 mil pessoas por ano, por exemplo.

Outra doença incurável, o alcoolismo, provoca cerca de 3 milhões de óbitos por ano, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Portanto, o melhor a fazer pela sua saúde é evitar essas substâncias, para as quais não pode ser assegurado um nível seguro de consumo.

2. Beba água sempre 

Sendo o nosso corpo formado basicamente por água, nem é preciso ir muito longe para saber que, sem ela, não há como ter saúde.

Beber pelo menos 2 litros diariamente é essencial para hidratar o corpo, garantindo assim o pleno funcionamento de seus órgãos vitais.

A água é tão importante que podemos ficar semanas sem comer, mas não sobreviveríamos se ficássemos mais de 5 dias sem ingeri-la.

3. Faça exercícios físicos

A OMS também alerta para os riscos à saúde gerados pelo sedentarismo.

De acordo com a entidade, aproximadamente 5 milhões de mortes poderiam ser evitadas todo ano se houvesse mais atividade física.

Por outro lado, a prática de esportes deve ser orientada para que não venha a agravar possíveis problemas de saúde ou condições de que uma pessoa seja portadora.

Sendo assim, o mais indicado é sempre buscar por orientação médica e de profissionais de Educação Física antes de começar qualquer atividade. 

Ouça este conteúdo no formato de podcast Morsch.

4. Discipline o seu sono 

A falta de sono é um problema que afeta 65% dos brasileiros, como mostra uma pesquisa da Associação Brasileira de Sono.

Não bastasse a alta incidência, boa parte dessas pessoas não sabe o que fazer para voltar a dormir bem.

Um ponto de partida para melhorar a qualidade do sono é disciplinar os horários, mantendo a mesma hora tanto para dormir quanto para acordar, inclusive nos dias livres.

5. Opte por remédios naturais 

Outro problema que afeta os brasileiros é o hábito da automedicação, praticada por 79% das população acima dos 16 anos.

O que talvez essas pessoas não sabem é que existem soluções naturais e de baixo risco para tratar de problemas de saúde comuns.

Como veremos mais à frente, os chás estão entre as mais indicadas, mas tem como aumentar a imunidade com uma série de compostos naturais, como a equinácea e o extrato de própolis.

Mas não custa lembrar: mesmo optando por soluções naturais, converse com seu médico primeiro.

6. Prefira as fontes naturais de vitaminas 

Embora não seja propriamente contraindicado, o consumo de vitaminas na forma de cápsulas ou drágeas não é o ideal.

Isso porque toda e qualquer vitamina pode ser obtida por meio da dieta equilibrada, em que alimentos variados estejam presentes.

Verduras, legumes, frutas e carnes são algumas das fontes naturais que, quando consumidas nas quantidades certas, garantem a oferta de nutrientes de que precisamos.

 

Sistema imunológico

Existem alguns alimentos que reforçam o sistema imunológico, oferecendo vitaminas que o corpo precisa

7. Exponha-se um pouco ao sol 

Uma das vantagens de ser um país tropical é a disponibilidade quase o ano todo de luz solar.

Essa é a principal fonte de vitamina D, a qual só é produzida nas quantidades adequadas quando nos expomos ao sol com certa regularidade.

Estima-se que o período ideal seja de 20 minutos diários, o que dá um total de 1h20 a cada seis dias.

8. Diminua o consumo de alimentos industrializados

Não é novidade que alimentos processados como presunto e frituras elevam o colesterol ruim, além de aumentar o risco de problemas cardiovasculares.

Eles estão também associados a diversos casos de câncer, portanto, devem ser evitados por pessoas e grupos de risco, como obesos e hipertensos.

9. Tenhas os chás como aliados 

Subestimados por parte da população, os chás podem ser aliados para melhorar a saúde e fortalecer o sistema imunológico.

Alguns deles são, inclusive, indicados por médicos em tratamentos para problemas como insônia, diabetes (por baixarem os níveis de açúcar) e para auxiliar o sistema digestivo.

Contudo, há chás que devem ser consumidos com moderação ou evitados, como o chá preto e chá mate, em razão dos altos níveis de cafeína que contêm.

Não custa repetir: sempre converse com seu médico antes.

10. Ignore as dietas milagrosas

Ainda que existam dietas eficazes para reduzir peso, a verdade é que a maioria delas não é sustentável.

A pessoa sai da dieta e todo o peso perdido volta, em alguns casos até em dobro, sem contar os impactos para o sistema imunológico.

Dessa forma, o melhor mesmo é evitar essas dietas, principalmente aquelas que são vendidas como solução instantânea para o sobrepeso.

Afinal, não há nada em relação ao peso e à imunidade que não possa ser equilibrado com alimentação regrada e prática de exercícios

Quer mais uma dica?

Consulte com nutricionista ou endocrinologista antes de iniciar qualquer tentativa de perder peso.

O que comer para aumentar a imunidade

A verdade é que a imunidade só se fortalece quando a oferta de nutrientes segue uma dieta equilibrada, na qual as refeições são feitas em intervalos regulares.

Lembre-se: alimentar-se bem não é comer muito de uma vez só e ficar longos períodos em jejum.

Tanto é que boa parte dos atletas de alto rendimento se alimentam em intervalos de 3 horas, pois assim garantem um suprimento constante de nutrientes.

De qualquer forma, esse é um ponto que deve ser sempre esclarecido com o seu médico nutrólogo ou nutricionista.

Veja a seguir que alimentos você pode comer para deixar o seu sistema imunológico sempre “alerta”.

Salmão

O salmão é bastante conhecido por ser rico em ômega-3, um ácido graxo com propriedades anti inflamatórias.

É considerado um nutriente essencial, portanto, nosso organismo não consegue produzi-lo, devendo ser obrigatoriamente ingerido na dieta.

Além de ajudar a melhorar as defesas do organismo, essa substância é uma poderosa aliada do sistema cardiovascular, prevenindo doenças cardíacas em geral.

Iogurte natural 

Os alimentos probióticos são aqueles que contêm as chamadas “bactérias do bem”, em razão do papel que desempenham para o bom funcionamento do trato digestivo.

Elas são importantes coadjuvantes para auxiliar órgãos como estômago e intestinos, sem contar a força extra que dão para nossas defesas.

Entre os alimentos ricos desses agentes, destaca-se o iogurte natural.

Frutas cítricas 

Você sabe o que frutas como limão, abacaxi, maracujá e laranja têm em comum?

Todas elas são ricas em vitamina C, um dos compostos mais importantes para o sistema imunológico, já que é a partir dela que produzimos os glóbulos brancos.

Basicamente, são esses glóbulos os principais agentes de defesa contra microrganismos infecciosos, já que atuam como “sentinelas” na corrente sanguínea.

Alho 

Muito utilizado como tempero, o alho é também um dos principais alimentos para fortalecer o sistema imunológico.

Ele contém, por exemplo, uma substância chamada alicina, que exerce ação antimicrobiana, impedindo assim que bactérias, vírus e fungos proliferem.

Isso sem contar o seu papel junto ao sistema digestivo, já que ajuda a limpá-lo das bactérias que desequilibram a flora intestinal.

Couve 

Outro alimento bastante presente na mesa do brasileiro é a couve. 

Ainda assim, nem todos sabem que ela é também uma fonte de vitamina C das mais importantes, ajudando assim a encorpar nossas defesas.

Também é rica em ácido fólico que, assim como a vitamina C, ajuda a melhorar a imunidade por atuar diretamente na formação dos glóbulos brancos.

Como aumentar a imunidade com outros alimentos

Vale destacar, ainda, os seguintes alimentos como fundamentais para ajudar o sistema imunológico a desempenhar bem o seu papel:

  • Gengibre 
  • Tomate 
  • Cenoura 
  • Amêndoas 
  • Linhaça.

 

 Imunidade do corpo

Através da telemedicina, médicos e nutricionistas podem orientar sobre imunidade em consultas remotas

Como aumentar a imunidade infantil

O organismo das crianças ainda não conta com defesas tão amadurecidas quanto as de uma pessoa adulta.

Por isso, a melhor maneira de garantir que elas estejam protegidas de doenças infecciosas e virais é manter em dia a caderneta de vacinação

Isso sem contar a alimentação equilibrada e a prática de exercícios, que deve ser estimulada com orientação do pediatra.

Consequências da imunidade baixa

Quando as defesas do organismo não estão “a postos”, ficamos vulneráveis a uma série de doenças oportunistas, infecções e complicações.

Veja algumas delas a seguir e de que forma elas se manifestam quando a imunidade está baixa.

Queda de cabelo  

Embora a queda de cabelo seja mais associada à calvície, em certos casos, ela tem ligação com a baixa imunidade.

É o que acontece, por exemplo, com portadores de doenças autoimunes como o lúpus eritematoso e infecciosas, como a sífilis.

Gripes e resfriados 

Coriza, espirros e tosse frequente são alguns dos sintomas de gripes e resfriados, duas das enfermidades mais comuns entre os que têm problemas de imunidade.

Vale destacar que os sintomas dessas doenças são similares aos de infecções mais graves, inclusive a Covid-19

Portanto, é sempre indicado evitar a automedicação para tratá-las, dando preferência à consulta médica para uma avaliação.

Irregularidade intestinal 

Existe uma ligação direta entre imunidade e a saúde do sistema digestivo.

Isso porque existem aspectos dos problemas imunológicos que têm relação com o funcionamento do trato intestinal. 

Alguns deles são:

  • Excesso de gases
  • Fezes mal formadas, com coloração diferente do marrom ou com sangue
  • Distensão abdominal.

 

Pneumonia 

A pneumonia é uma doença oportunista, que acomete o sistema respiratório de pessoas com baixa imunidade.

Defesas fortalecidas são fundamentais para evitá-la e mais ainda para o seu tratamento, uma vez que a pneumonia pode ser fatal quando a imunidade está baixa.

Infecções em geral 

Um organismo sem defesas é um organismo exposto a todo tipo de infecção.

Amigdalite, tuberculose e diarreia, entre outras, são alguns dos processos infecciosos que acometem aqueles que estão com problemas em seu sistema imunológico. 

Atenção aos sintomas de imunidade baixa

Fique atento, ainda, aos sintomas mais frequentes de imunidade baixa, tais como:

  • Cansaço excessivo
  • Náuseas e vômitos
  • Queda de cabelo acentuada
  • Manchas na pele, podendo ser brancas ou vermelhas
  • Febre constante.

 

Qual médico cuida da imunidade?

O especialista em imunidade é o médico imunologista

Contudo, antes de recorrer a esse especialista, você pode sempre contar com o clínico geral.

É esse médico que vai investigar possíveis doenças, solicitar exames e direcionar a outro profissional, se necessário.

Consulte online com a Morsch

A Telemedicina Morsch é sua parceira de sempre, levando atendimento médico onde você estiver.

Oferecemos atendimento via teleconsulta, facilitando o acesso aos primeiros cuidados médicos.

A consulta remota tem vantagens como a economia de tempo e dinheiro que seriam gastos no deslocamento até o consultório ou clínica, além da maior rapidez.

Veja como é fácil marcar consulta na plataforma Morsch:

  1. Acesse a página de agendamentos
  2. Use o campo de buscas para selecionar a especialidade e escolha o profissional de sua preferência
  3. Defina um entre os horários de agendamento, ao lado da identificação do médico
  4. Você será redirecionado para uma página de login. Se não tiver cadastro, selecione “Criar conta”
  5. Preencha o formulário com informações de identificação e prossiga
  6. Crie uma senha e acesse o sistema
  7. Confirme o horário da teleconsulta e faça o pagamento
  8. Meia hora antes do atendimento, você vai receber o link de acesso à sala virtual via WhatsApp ou SMS.

 

Conclusão

Neste texto, você aprendeu como aumentar a imunidade.

Cuidar das defesas do organismo é o primeiro passo para uma boa saúde e mais qualidade de vida.

Conte com a plataforma de teleconsulta Morsch para ter os melhores cuidados médicos, seja por contato direto com um especialista ou com um clínico geral.

Aproveite para assinar nossa newsletter e não perca nenhum dos nossos conteúdos sobre saúde e bem-estar.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE