Saiba agora qual é a diferença entre tomografia e ressonância

Por Dr. José Aldair Morsch, 5 de outubro de 2022
Diferença entre tomografia e ressonânci

Se quer entender a diferença entre tomografia e ressonância, este artigo é para você.

Fazer confusão entre os exames é comum, pois ambos utilizam tecnologias modernas para obter imagens internas de forma não invasiva.

Ou seja, mostram órgãos e outros tecidos sem precisar de qualquer cirurgia ou corte, de um jeito bastante seguro.

Mas isso não significa que tomografia computadorizada (TC) e ressonância magnética (RM) empreguem a mesma tecnologia, como eu mostro nas próximas linhas.

Leia até o final e confira ainda a contribuição da telemedicina para a emissão dos resultados desses exames com rapidez.

Qual é a diferença entre tomografia e ressonância?

Como mencionei na introdução deste texto, é natural confundir tomografia e ressonância.

Principalmente para quem não conhece detalhes dos equipamentos usados nesses exames radiológicos.

Basicamente, o aparelho de tomografia ou tomógrafo combina um tubo giratório a feixes de raios X para produzir um tipo de fotografia interna da área observada.

Enquanto o equipamento de ressonância se vale de um campo magnético e ondas de rádio para provocar reações nos átomos de hidrogênio, captando as imagens.

Outra diferença está no contraste adotado para cada procedimento.

Contraste é um composto que dá destaque a determinada parte do corpo, como vasos sanguíneos e órgãos.

Falo mais sobre as diferenças – e semelhanças – entre ressonância e tomografia a seguir.

O que é tomografia?

Tomografia é um exame de imagem que utiliza radiação ionizante e um tubo giratório para coletar cortes transversais de uma região do corpo.

O tomógrafo é uma evolução do equipamento de raio X, com a vantagem de obter várias radiografias num único procedimento.

Essas imagens podem ser sobrepostas, formando estruturas em 3D.

O procedimento funciona assim: o paciente se deita sobre a maca do aparelho de tomografia, que é ligado, emitindo feixes de raio X.

Essa radiação é direcionada à área estudada, atravessando os tecidos do corpo com maior ou menor dificuldade.

Tecidos densos absorvem a maior parte dos raios, enquanto os mais moles deixam muita radiação passar.

Em seguida, os raios restantes se chocam contra uma placa fotossensível, gerando as imagens em preto, branco e tons de cinza.

Ossos e outras partes duras são vistas em branco, enquanto órgãos, cartilagens e músculos aparecem em tons de cinza.

Já o ar aparece em preto nas imagens tomográficas.

Caso seja preciso evidenciar partes moles, a tomografia computadorizada pode ser realizada com uso de contraste à base de iodo.

O que é ressonância magnética?

Ressonância magnética é um método diagnóstico que emprega ondas de rádio e um campo magnético para produzir imagens em alta resolução.

Na hora do exame, o paciente também deve se deitar sobre uma maca que desliza para dentro do tubo do aparelho de RM.

O equipamento possui um grande ímã, responsável pela formação do campo magnético assim que é ligado.

Assim, o campo exerce influência sobre materiais com carga magnética – como os átomos de hidrogênio que compõem diferentes tecidos do organismo.

Os átomos são reorganizados pelo campo magnético e, em seguida, movidos de volta ao seu local de origem.

Contudo, o movimento é suficiente para emitir ondas de radiofrequência que serão registradas, colaborando para formar imagens diretamente na tela de um computador.

Quando existe a necessidade de visualizar detalhes, é usado contraste à base de gadolínio.

Tomografia e ressonância

O propósito principal da tomografia e da ressonância é permitir a visualização de partes internas do organismo

Para que servem a tomografia e a ressonância?

Seu propósito principal é permitir a visualização de partes internas do organismo de forma não invasiva.

Isso torna ambos exames de imagem indolores, seguros e de grande importância para uma série de diagnósticos e tratamentos.

Diferença entre tomografia e ressonância

Trago agora um resumo com as diferenças entre os exames:

  • A tecnologia empregada na tomografia utiliza radiação ionizante, enquanto a ressonância magnética usa ondas eletromagnéticas e de rádio
  • Por consequência, a tomografia é contraindicada para gestantes e crianças, a fim de evitar a exposição aos raios X, que tem efeito cumulativo e relação com diversos tipos de câncer
  • Já a ressonância pode ser feita por gestantes e crianças, mas nem sempre por pacientes que possuam próteses metálicas no corpo. Pessoas claustrofóbicas podem se sentir desconfortáveis durante a RM. Nesses casos, pode ser solicitada ressonância de campo aberto
  • Usado na TC, o contraste iodado pode provocar reações adversas, principalmente em pacientes que tenham alergia a frutos do mar
  • O composto à base de gadolínio da RM raramente causa efeitos colaterais, mas deve ser evitado por indivíduos com insuficiência renal.

Em razão dessas diferenças pontuais, os exames têm indicações variadas, como mostro a seguir.

Quais doenças podem ser detectadas pela tomografia e pela ressonância?

Os métodos diagnósticos auxiliam no diagnóstico de uma série de patologias.

Entre as doenças detectadas pela tomografia, vale citar:

  • Traumas e fraturas ósseas
  • Cálculos renais (pedras nos rins)
  • Pneumonia
  • Tuberculose
  • Covid-19
  • Quadros inflamatórios das vias aéreas superiores, como sinusite e rinite
  • Cirrose.

Já a ressonância ajuda a diagnosticar:

Agora que está clara a diferença entre tomografia e ressonância, vou abordar as contribuições da telemedicina para os exames de imagem.

Como a telemedicina agiliza os laudos de tomografia e ressonância

A telemedicina oferece vários serviços para conectar pacientes, médicos e outros profissionais de saúde.

Um dos mais relevantes é a interpretação de exames a distância, disponível para tomografia e ressonância.

Os procedimentos podem ser feitos por técnicos em radiologia, que captam e compartilham as imagens num sistema de telemedicina.

A plataforma Morsch fornece um ambiente protegido por mecanismos de autenticação e criptografia.

Nosso software pode ser acessado a partir de qualquer dispositivo com conexão à internet.

Uma vez que as imagens estejam em nosso sistema, um médico radiologista de plantão inicia sua avaliação, considerando informações do paciente e suspeita clínica.

Ele elabora o laudo online, assinado digitalmente e liberado na plataforma em minutos.

O documento pode ser impresso, enviado por e-mail ou acessado pelo paciente, usando login e senha.

Clique aqui e saiba mais sobre a emissão do laudo digital no software Morsch.

Conclusão

Finalizando a leitura do artigo que preparei, você já entende a diferença entre tomografia e ressonância.

Caso tenha ficado qualquer dúvida, é só deixar um comentário abaixo.

Aproveite para compartilhar este texto nas redes sociais e se inscrever em nossa newsletter para ser avisado sobre os próximos conteúdos.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE