Risperidona: para que serve, receita e como tomar

Por Dr. José Aldair Morsch, 8 de março de 2023
Risperidona

Risperidona é um medicamento usado no tratamento de psicoses e outros transtornos.

O remédio é vendido em comprimidos revestidos nas dosagens de 500 mcg a 3 mg.

E também como solução oral de 1 mg por ml.

Além disso, é comercializado um pó para solução intramuscular em dosagens de 25 mg, 37,5 mg e 50 mg.

Por representar risco de dependência, tem normas rígidas de comercialização.

Neste artigo, explico o que é a risperidona, sua forma de ação e em quais tratamentos esse remédio pode ser usado.

Ao final, apresento uma maneira rápida e barata de obter ou renovar sua receita com segurança e obedecendo às normas sanitárias.

O que é risperidona?

Risperidona é um estabilizador de humor da classe dos antipsicóticos atípicos, também conhecidos como derivados do benzisoxazol.

Portanto, é um medicamento psiquiátrico usado no tratamento de transtornos relacionados ao pensamento, emoções e comportamento.

Pode ser usado tanto para momentos de crise quanto para problemas de longa duração.

Para que serve risperidona

A risperidona atua como um antagonista seletivo das monoaminas cerebrais com propriedades únicas.

Sua ação bloqueia receptores específicos para restabelecer o equilíbrio dos neurotransmissores dopamina e serotonina do cérebro.

Desta forma, ele ajuda pessoas com transtornos psiquiátricos a controlar os sintomas e prevenir recaídas.

Assim, o paciente pode voltar às atividades habituais.

Principais indicações

A risperidona é indicada para o tratamento de vários casos de esquizofrenia.

Estão entre eles:

  • Primeira manifestação da psicose
  • Crise de esquizofrenia aguda
  • Esquizofrenia aguda e crônica
  • Transtornos mentais com sintomas positivos, como alucinações, ideias irracionais, hostilidade e desconfiança
  • Transtornos mentais com sintomas negativos, como falta de emoção, isolamento social e fala pobre
  • Sintomas de depressão, culpa e ansiedade relacionados à esquizofrenia
  • Prevenção a longo prazo de recaídas em pacientes com esquizofrenia crônica.

O medicamento também tem outras indicações:

  • Mania aguda ou episódios mistos relacionados ao transtorno bipolar
  • Agitação em pessoas com demência moderada a grave
  • Irritabilidade em crianças e adolescentes com transtorno autista, incluindo agressividade, autoagressão, raiva, angústia e mudanças bruscas de humor.

Embora não conste na bula, a risperidona também pode ser usada em pacientes com Alzheimer e Síndrome de Tourette.

Como tomar risperidona

A risperidona pode ser tomada durante as refeições ou entre elas, mas não misture com chá.

Confira as informações para uso conforme as diferentes formas de apresentação do medicamento.

Confirme sempre com seu médico as informações sobre como usar o medicamento.

Comprimidos revestidos

Os comprimidos revestidos de risperidona devem ser engolidos inteiros, sem mastigar, junto com bastante água.

Em pacientes com esquizofrenia, o tratamento começa com 2 mg por dia – podendo ser uma cápsula de 2 mg ou duas de 1 mg.

Já a dose habitual ideal é de 4 mg a 8 mg por dia.

Em pacientes idosos com esquizofrenia, a dose inicial recomendada é de 0,25 mg duas vezes ao dia.

A dose pode aumentar 0,5 mg duas vezes ao dia ou ser ajustada para 1 mg a 2 mg duas vezes ao dia.

Solução oral

A solução oral de risperidona acompanha uma seringa dosadora com capacidade de 3 ml.

As doses iniciais recomendadas são:

  • Esquizofrenia (adultos): 2 mg/dia, podendo chegar a 10 mg/dia
  • Esquizofrenia (idosos): 0,5 mg duas vezes ao dia, chegando a 2 mg duas vezes ao dia
  • Esquizofrenia (13 a 17 anos): 0,5 mg por dia, chegando a 6 mg/dia
  • Agitação, agressividade ou sintomas psicóticos (em pacientes com demência relacionada a Alzheimer): 0,25 mg duas vezes ao dia, podendo chegar a 1 mg duas vezes ao dia
  • Transtorno do humor bipolar (mania): 2 mg uma vez ao dia
  • Autismo (5 a 17 anos): 0,25 mg/dia para pacientes com menos de 20kg e 0,5 mg/dia para os demais.

A quantidade mínima que pode ser retirada do frasco é 0,25 mL.

Solução injetável

A solução injetável de risperidona requer uma injeção a cada duas semanas, com o conteúdo total do frasco.

Não reutilize o material descartável.

Para mais detalhes, consulte a bula do medicamento.

Receita de risperidona 

A risperidona é um medicamento de tarja vermelha com receita em duas vias, do tipo C1 branca (Venda Sob Prescrição Médica – Este medicamento pode causar Dependência Física ou Psíquica).

Cada receita tem validade de 30 dias a partir da data de emissão.

Além disso, a quantidade prescrita deve se limitar ao suficiente para 60 dias de tratamento – ou cinco ampolas, no caso do pó para solução injetável.

A primeira receita requer avaliação por um psiquiatra, que pode ser realizada presencialmente ou por telemedicina.

A renovação da receita também pode ser obtida de forma presencial ou online.

Em 2021, a Resolução CFM 2.299/21 do Conselho Federal de Medicina autorizou a prescrição e renovação de receitas médicas pela internet.

Para isso, o profissional precisa ter uma assinatura digital de acordo com as normas exigidas e atuar em uma plataforma inscrita no respectivo Conselho Regional de Medicina.

Desta forma, ele pode prescrever uma receita digital – desde que o medicamento não tenha tarja preta.

Caso contrário, uma receita física deve ser enviada por correspondência à residência do paciente.

Já toma risperidona e quer renovar sua receita? Faça agora com a Morsch!

Dúvidas frequentes sobre risperidona

Agora que você já tem as informações que precisa sobre risperidona, veja as respostas para as principais dúvidas que podem surgir quanto ao medicamento.

Por que risperidona dá sono?

A risperidona causa sonolência em alguns pacientes por ter efeito sedativo como um dos seus efeitos colaterais.

Como o medicamento costuma ser prescrito em doses baixas, porém, isso não costuma acontecer.

Portanto, nesses casos, a recomendação é procurar um médico.

Como saber se risperidona está fazendo efeito?

A única forma de ter certeza se a risperidona está fazendo efeito é conversando com o seu médico.

Faça isso quatro a seis semanas depois de começar a tomar o medicamento.

E nunca deixe de ir às demais consultas de retorno.

O que acontece se a pessoa parar de tomar risperidona?

Os efeitos de parar o tratamento podem variar conforme o transtorno que o paciente sofre.

Em geral, a tendência é que haja recaídas do quadro que levou o paciente a procurar tratamento.

Além disso, entre um e três dias depois da interrupção, podem surgir sintomas de crise de abstinência, como ansiedade, insônia, irritabilidade, explosões de choro, tontura e dor de cabeça.

Conclusão

Apresentei neste artigo as principais informações sobre risperidona, um medicamento usado em transtornos relacionados ao humor.

Agora, você já sabe que precisa de uma receita médica com duas vias para conseguir esse remédio, que é de uso controlado.

É importante ressaltar: não se automedique e não interrompa o tratamento por conta própria, pois isso pode ser perigoso para a sua saúde.

A Telemedicina Morsch possui uma equipe de especialistas qualificados para ajudar você naquilo que precisa.

Se deseja avaliar a necessidade de tratamento com risperidona, marque uma teleconsulta.

E você também pode renovar sua receita conosco em um processo rápido e fácil, com um preço que cabe no seu bolso e dispensa a consulta médica.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE