CID F20 – Esquizofrenia (distorções do pensamento e da percepção)

Por Dr. José Aldair Morsch, 7 de março de 2022
CID F20

CID F20 é o código para Esquizofrenia, conforme a Classificação Internacional de Doenças.

Neste artigo, vou falar sobre o significado e os subtipos da CID F20, bem como a conduta médica para casos assim.

Ao final, apresento soluções para qualificar a assistência médica.

CID F20: o que significa?

CID F20 – Esquizofrenia é uma condição caracterizada por “distorções fundamentais e características do pensamento e da percepção, e por afetos inapropriados ou embotados”, conforme o DATASUS.

A descrição acrescenta que o paciente se mantém consciente e intelectualmente capaz, mas alguns déficits cognitivos podem evoluir com o tempo.

É importante diferenciar de alguns outros transtornos:

  • Esquizofrenia aguda (indiferenciada) (F23.2)
  • Esquizofrenia cíclica (F25.2)
  • Reação esquizofrênica (F23.2)
  • Transtorno esquizotípico (F21).

Esta CID possui nove subcategorias:

  • F20.0: Esquizofrenia paranoide
  • F20.1: Esquizofrenia hebefrênica
  • F20.2: Esquizofrenia catatônica
  • F20.3: Esquizofrenia indiferenciada
  • F20.4: Depressão pós-esquizofrênica
  • F20.5: Esquizofrenia residual
  • F20.6: Esquizofrenia simples
  • F20.8: Outras esquizofrenias
  • F20.9: Esquizofrenia não especificada.

 

Conduta médica para o CID F20

Vou trazer agora algumas informações sobre diagnóstico e tratamento de CID F20, com base no Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Esquizofrenia, do Ministério da Saúde.

Acompanhe.

Diagnóstico

O diagnóstico de CID F20 se baseia em dois grupos: 

  • Sintomas (dividido entre os de maior e menor hierarquia)
  • Exclusão de determinadas condições.

Integram o grupo de sintomas de maior hierarquia:

  • Delírios de eco, inserção, roubo ou irradiação de pensamento
  • Delírios de controle, influência ou passividade
  • Vozes alucinatórias
  • Delírios sobre situações impossíveis ou inapropriadas culturalmente.

São sintomas de menor hierarquia:

  • Alucinações persistentes
  • Discurso incoerente ou irrelevante
  • Comportamento catatônico
  • Incongruência de respostas emocionais
  • Apatia
  • Mutilismo.

São cláusulas de exclusão diagnóstica: episódio maníaco, episódio depressivo ou misto.

A CID F20 também não é atribuível a:

  • Doença cerebral orgânica
  • Intoxicação, dependência ou abstinência de álcool ou drogas.

 

Monitoramento

Antes do início do tratamento, devem ser avaliados aspectos como:

  • Idade
  • Medidas antropométricas
  • Pressão arterial (medição em três datas)
  • Dosagens de colesterol total e frações
  • Triglicerídios
  • Glicemia de jejum
  • História familiar ou prévia de síndrome neuroléptica maligna, distonia/discinesia, tentativa de/risco de suicídio, obesidade, hipertensão arterial sistêmcia, diabete mélito e outras comorbidades clínicas.

As medidas antropométricas, a pressão e os exames laboratoriais devem ser monitorados ao longo do tratamento.

Medicamentos

O protocolo lista os seguintes fármacos para o tratamento do CID F20:

  • Risperidona: comprimidos de 1, 2 e 3 mg
  • Quetiapina: comprimidos de 25, 100, 200 e 300 mg
  • Ziprasidona: cápsulas de 40 e 80 mg
  • Olanzapina: comprimidos de 5 e 10 mg
  • Clozapina: comprimidos de 25 e 100 mg
  • Clorpromazina: comprimidos de 25 e 100 mg; solução oral de 40 mg/ml
  • Haloperidol: comprimido de 1 e 5 mg solução oral 2 mg/ml
  • Decanoato de haloperidol: solução injetável 50 mg/ml.

O documento indica que o tratamento seja feito com um medicamento por vez.

Serviços Morsch para o CID F20

Abordei neste conteúdo o significado e os subtipos de CID F20 e apresentei informações sobre diagnóstico e tratamento.

Depois de tudo isso, é importante lembrar que a Telemedicina Morsch conta com serviços sob medida para casos de necessidade.

Por exemplo, você pode encaminhar seu paciente para consulta com um especialista para ampliar a investigação.

Coordeno aqui uma equipe com especialistas em áreas médicas diversas.

Além de estarmos disponíveis para consulta à distância, também oferecemos uma segunda opinião médica.

Se o encaminhamento não for necessário, podemos debater diagnósticos e sanar dúvidas em uma teleconsultoria.

Também emitimos laudos de exames de forma ágil e segura.

Conheça a nossa plataforma gratuitamente ou entre em contato!

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE