Cetamina: para que serve, onde comprar e como tomar

Por Dr. José Aldair Morsch, 2 de outubro de 2023
Cetamina

Cetamina, ketamina ou escetamina é uma substância anestésica.

Recentemente, ela foi aprovada pela Anvisa também para tratar casos graves de depressão, como explico ao longo do artigo.

Continue lendo para entender como funciona, quais as indicações e precauções de uso.

Veja ainda informações sobre a receita de cetamina para entender sobre a sua aquisição.

Se precisar tirar outras dúvidas, você pode contar com orientação médica por meio da teleconsulta.

O que é cetamina?

Cetamina é um anestésico geral de ação rápida que também possui efeito antidepressivo.

Seu uso é restrito ao ambiente hospitalar, com a administração feita por um profissional de saúde treinado ou sob a supervisão dele (no caso do antidepressivo).

Atualmente, o medicamento usado como anestésico é vendido sob o nome Ketamin®, uma solução injetável de 50 mg/mL.

Já o fármaco antidepressivo se chama Spravato® e está disponível sob a forma de spray nasal de 0,2 mL.

Para que serve a cetamina?

Na verdade, o princípio ativo dos medicamentos que citei utiliza apenas um componente da cetamina, a escetamina.

Geralmente, é empregada em intervenções diagnósticas e cirúrgicas que não necessitem de relaxamento muscular.

De acordo com a bula do Ketamin®, esse medicamento é indicado para:

  • Parto vaginal ou cesárea
  • Complementar a anestesia com outros agentes de baixa potência como o óxido nitroso
  • Desbridamentos, curativos dolorosos e enxertos de pele em pacientes queimados, bem como em outras intervenções cirúrgicas superficiais
  • Intervenções neurodiagnósticas, tais como pneumoencefalografias, ventriculografias, mielografias e punções lombares
  • Intervenções diagnósticas e cirúrgicas nos olhos, ouvidos, nariz e boca, inclusive extrações dentárias
  • Intervenções diagnósticas e cirúrgicas na faringe, laringe ou árvore brônquica
  • Sigmoidoscopias, pequenas cirurgias do ânus e do reto e circuncisão
  • Intervenções ginecológicas extraperitoneais, como dilatação e curetagem
  • Intervenções obstétricas
  • Intervenções ortopédicas, tais como manipulação e redução de fraturas, colocação de pino femoral, amputações e biópsias
  • Anestesia de pacientes de grande risco, com funções vitais deprimidas
  • Cateterismo cardíaco.

Recentemente, vem sendo indicada como antidepressivo.

Cetamina serve para depressão?

Sim, desde que tenha a dose ajustada para essa finalidade.

Como mencionei acima, já existe um remédio à base de escetamina adaptado para produzir o efeito antidepressivo.

Segundo a bula, o Spravato® é indicado para tratar pacientes adultos com Transtorno Depressivo Maior com comportamento ou ideação suicida aguda.

Sua indicação é feita para casos que não tenham respondido adequadamente a pelo menos dois antidepressivos diferentes com dose e duração adequadas para tratar o atual episódio depressivo moderado a grave (depressão resistente ao tratamento).

Quando destinada a combater os sintomas de depressão, a cetamina é prescrita em combinação com antidepressivos orais (tais como ISRS – Inibidores seletivos da recaptação de serotonina e ISRSN – Inibidores da recaptação de serotonina e norepinefrina).

Como tomar cetamina?

Ambos os fármacos que possuem cloridrato de escetamina como princípio ativo só devem ser administrados em ambiente hospitalar.

Eles podem ser encontrados nas apresentações solução injetável de 50 mg/mL ou spray nasal de 0,2 mL.

Trago as principais recomendações de uso para cada versão abaixo.

Se precisar de mais detalhes, consulte seu médico e a bula do remédio.

Solução injetável

Esse formato é usado para anestesiar o paciente por via intravenosa – quando a substância é injetada diretamente na veia – ou intramuscular – quando a injeção é direcionada ao músculo.

Somente um profissional de saúde capacitado pode aplicar a cetamina injetável, pois é necessário dominar técnicas específicas.

Veja indicações de aplicação:

  • Via intravenosa: a dose inicial pode variar entre 1 mg/kg a 4,5 mg/kg. A dose média necessária para produzir anestesia cirúrgica, de 5 a 10 minutos de duração, tem sido de 2 mg/kg. Recomenda-se que o produto seja administrado lentamente num período de 60 segundos
  • Via intramuscular: a dose inicial pode variar entre 6,5 a 13 mg/kg. A dose de 10 mg/kg normalmente produz anestesia cirúrgica de 12 a 25 minutos de duração.

Consulte meu artigo sobre vias de administração de medicamentos.

Spray nasal

Para tratamento da depressão: a dose inicial é de 56 mg ao dia, com duas sessões durantes as primeiras 4 semanas.

Em seguida, na fase de manutenção, são administradas doses de 56 mg ou 84 mg uma vez por semana.

A partir da nona semana de tratamento, a dose fica em 56 mg ou 84 mg a cada 2 semanas ou uma vez por semana, conforme a prescrição médica.

Receita de cetamina

A aquisição da cetamina ou do componente escetamina exige que o comprador apresente a receita B1.

Isso porque se trata de remédios controlados classificados como psicotrópicos, tendo a capacidade de deprimir, estimular ou perturbar as atividades neuronais.

Marcados com tarja preta, esses fármacos são monitorados pela Anvisa e devem obedecer a regras rígidas de prescrição.

Portanto, a receita é emitida em duas vias, sendo que uma delas corresponde à notificação de receita azul, contendo dados do médico prescritor, paciente, comprador e fornecedor.

Onde comprar cetamina?

Por ser direcionada ao uso hospitalar, a cetamina só pode ser comprada em distribuidoras de produtos hospitalares.

Não há venda em farmácias e drogarias no momento.

Dúvidas frequentes sobre cetamina

Nesta seção, respondo a algumas questões comuns sobre o uso do medicamento.

O que a cetamina pode causar?

As reações adversas mais comuns ao anestésico (solução injetável) são:

  • Hipertensão (aumento da pressão arterial)
  • Aumento da frequência cardíaca
  • Delírio
  • Sonhos
  • Confusão mental.

Já para o spray nasal, vale mencionar os seguintes efeitos colaterais:

  • Dissociação (desorganização mental)
  • Tontura
  • Cefaleia (dor de cabeça)
  • Disgeusia (alterações na percepção do paladar)
  • Sonolência
  • Hipoestesia (redução da sensibilidade do tato)
  • Vertigem
  • Náusea
  • Vômito.

Em alguns casos, a substância pode provocar convulsões, arritmias (alterações na frequência cardíaca) e depressão respiratória.

Daí a necessidade de supervisão médica durante o uso.

Como age a cetamina na depressão?

O cloridrato de escetamina atua como um modulador do receptor de glutamato no cérebro.

Esse mecanismo de ação produz aumento na sinalização entre as células do cérebro, restaurando a função normal nessas regiões.

Quais as contraindicações da cetamina?

O paciente não deve tomar cetamina se:

  • For alérgico à escetamina, cetamina ou qualquer outro componente da fórmula
  • Tiver porfiria
  • Tiver sofrido com aneurisma (uma área enfraquecida na parede de um vaso sanguíneo que se dilata anormalmente) ou sangramento no cérebro
  • For gestante, salvo sob indicação do obstetra.

Cabe ao médico avaliar a prescrição de escetamina para pessoas hipertensas ou que tenham insuficiência cardíaca severa.

Conclusão

Gostou de saber mais sobre a cetamina e suas aplicações?

Ela só deve ser administrada por um profissional de saúde capacitado, a fim de evitar complicações decorrentes da automedicação.

Se estiver com sintomas de depressão, consulte um psiquiatra para receber o tratamento adequado.

Você pode usar a plataforma de Telemedicina Morsch para acelerar a marcação e realização da teleconsulta em poucos cliques.

É só acessar a página de agendamentos e utilizar o filtro de especialidades para escolher o profissional, data e hora de sua preferência.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE