Triglicerídeos alto: o que causa, riscos e como baixar esse indicador

Por Dr. José Aldair Morsch, 25 de fevereiro de 2022
Triglicerídeos alto

Quem identifica o nível de triglicerídeos alto em um exame precisa ligar o alerta.

Muito provavelmente, será necessário redobrar os cuidados com a saúde e mudar seus hábitos alimentares.

Essa, aliás, é uma realidade de boa parte dos brasileiros, segundo revela uma pesquisa do IBGE.

De acordo com o levantamento, a dieta do brasileiro continua pobre em verduras, frutas e legumes, alimentos essenciais para manter os triglicerídeos sob controle.

Nós médicos somos enfáticos com os pacientes sobre a necessidade de manter uma alimentação equilibrada.

Isso envolve não apenas ingerir os alimentos certos como também evitar aqueles que elevam os níveis de gordura no sangue.

Afinal, esse é um inimigo silencioso, que vai se acumulando com o tempo.

Sem avisar, pode trazer graves complicações para a saúde.

Felizmente, com algumas medidas relativamente simples e uma mudança de hábitos, é possível evitar esse acúmulo e levar uma vida com mais qualidade.

É sobre isso que falo neste texto, onde abordo causas, sintomas e tratamento para triglicerídeos altos.

O que é triglicerídeos alto?

Não é incomum confundir colesterol com triglicerídeos ou achar que é tudo a mesma coisa.

Embora ambos sejam gorduras, os triglicerídeos são um de um tipo distinto, que compõe a molécula do colesterol de densidade muito baixa, o VLDL.

A taxa considerada de risco é acima de 150 ml/dL em jejum.

Esse, então, é o nível de triglicerídeos alto, de acordo com os parâmetros aceitos para uma pessoa adulta.

Se essa condição for diagnosticada, as chances de a pessoa sofrer complicações são elevadas.

Níveis altos de triglicerídeos nas artérias são, em geral, causados pela má alimentação e sedentarismo, uma mistura “explosiva” que pode trazer sérios problemas de saúde no médio e longo prazo.

Existe ainda uma condição genética rara, a hipertrigliceridemia familiar, na qual a pessoa apresenta níveis altos de gordura no sangue de forma espontânea.

Nesse caso, os maus hábitos podem agravar ainda mais essa condição, causada por uma mutação genética.

Consequências de triglicerídeos alto

Já disse por aqui que com colesterol não se brinca e, para os triglicerídeos, vale a mesma recomendação.

Se considerarmos a prevalência alta de AVC no Brasil, estimada em 108 casos a cada 100 mil habitantes, fica evidente a necessidade de adotar uma postura preventiva em relação a esse indicador.

Essa é apenas uma das complicações decorrentes da taxa de triglicerídeos elevada, que pode provocar uma série de problemas graves.

Um deles é o risco de infarto e de desenvolver doenças cardíacas.

Segundo o estudo Estatística Cardiovascular – Brasil 2020, elas atingem 4,2% da população brasileira.

Vale destacar outra grave complicação, a esteatose hepática, que segundo o Hospital Albert Einstein, tem prevalência estimada de 18% no Brasil.

Nível de triglicerídeos alto é perigoso?

Não só é perigoso como pode ser fatal.

Ao que tudo indica, esse é um risco cada vez mais presente entre os brasileiros, inclusive a população jovem.

Como apontam os dados da Central Nacional de Informações do Registro Civil (CRC), as mortes por AVC vêm aumentando no país desde 2019 na faixa da população entre 20 e 59 anos.

A taxa de óbitos entre essas pessoas, que era de 18,5% em 2019, passou para 20% em 2021.

O AVC é uma complicação das mais terríveis, considerando que, das 15 milhões de pessoas que sofrem dela anualmente em todo o mundo, 5 milhões morrem e outras 5 milhões ficam incapacitadas de forma irreversível.

Nível de triglicerídeo

As consequências do triglicerídeos alto podem ser perigosas, com risco de infarto e doenças cardíacas

Triglicerídeos alto aumenta a pressão arterial?

Outra recomendação a todos os pacientes é que mantenham a vigilância sobre a pressão arterial.

Esse é um cuidado importante, afinal, a elevação dos triglicerídeos leva a alterações nesse indicador também.

Embora o ideal seja medi-lo em ambiente ambulatorial, nada impede que seja medido em casa.

Para isso, no entendo, é necessário que se saiba manusear o esfigmomanômetro (aparelho de medir pressão).

Lembre-se de que a pressão é avaliada por dois indicadores.

Uma é a pressão arterial máxima, ou sistólica, registrada quando o coração se contrai.

Outra, a diastólica, é medida quando o órgão relaxa.

Convencionou-se que os níveis ideais para esses dois indicadores são 120 mmHg para a pressão sistólica e 80 mmHg para a diastólica, o famoso “12 por 8”.

São parâmetros que podem variar de uma pessoa para outra, mas o ideal é que a pressão esteja sempre próxima disso.

Triglicerídeos alto em criança

A natural propensão das crianças em comer doces e guloseimas pode representar um risco em desenvolver taxas mais altas de triglicerídeos.

Vale observar ainda os níveis recomendados para crianças e adolescentes.

Acompanhe quais são os parâmetros:

Entre 0 e 9 anos:

  • Ideal < 75
  • Aceitável: entre 75 e 99
  • Alto => 100.

Entre 9 e 19 anos:

  • Ideal < 90
  • Aceitável: entre 90 e 129
  • Alto => 130.

Na infância, a taxa de triglicerídeos elevada pode levar a desenvolver resistência à insulina, o que, por sua vez, tem relação direta com o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

Para evitar o depósito de gordura nas artérias em crianças, é imprescindível controlar a alimentação e, assim como em adultos, estimular a prática de exercícios.

Triglicerídeos alto na gravidez

A gestação é um período no qual a mulher normalmente se encontra mais exposta a certas condições como pré-eclâmpsia, diabetes gestacional, hipertensão e níveis altos de triglicerídeos. 

O desenvolvimento de patologias está, inclusive, associado ao risco de problemas cardiovasculares futuros.

Embora sejam alterações até certo ponto esperadas, é preciso acompanhamento médico e controle rigoroso, a fim de que não evoluam para maiores complicações.

Assim como as outras pessoas, a gestante deve observar uma dieta saudável, além da prática de exercícios para diminuir a gordura nas artérias.

Para isso, a primeira medida a ser tomada, evidentemente, é eliminar os alimentos gordurosos, assim como zerar o consumo de álcool.

São iniciativas importantes para a saúde da futura mamãe e do bebê.

Sintomas de triglicerídeos alto

Taxas altas de triglicerídeos não provocam nenhum sintoma no curto prazo.

É aí que mora o perigo.

Afinal, por se tratar de um mal silencioso, quando leva a complicações, já pode ser tarde demais para tentar algum tipo de controle.

Novamente, destaco a importância de manter uma alimentação regrada, a prática de exercícios orientada e evitar o consumo de bebidas alcoólicas.

De qualquer forma, existem alguns sinais indicativos de que a pessoa pode estar com a taxa de colesterol ou de triglicerídeos elevada. 

Entre as mais evidentes, temos o xantelasma, espécie de placa amarelada e plana que se forma na região das pálpebras.

O acúmulo de gordura na barriga também é um indicativo de triglicerídeos em taxas elevadas, bem como os xantomas, pequenas bolsas de gordura na pele.

O que causa triglicerídeos alto?

A principal causa para o aumento nas taxas de triglicerídeos é, sem dúvida, a má alimentação.

Nesse sentido, o consumo de alimentos como açúcar, pães, massas e todos que contenham quantidades elevadas de carboidratos deve ser controlado.

O mesmo vale para alimentos processados e embutidos, como presunto, linguiça, salsichas, hambúrgueres e mortadela, entre outros.

Por outro lado, é preciso aumentar o consumo de alimentos que contribuam para reduzir a gordura nas artérias.

Entre os mais recomendados, estão peixes como atum, salmão e sardinha, assim como os alimentos integrais e todos que sejam ricos em fibras.

Marque uma consulta online com nutricionista para definir a dieta mais adequada ao seu perfil.

Além disso, outro fator de risco para a taxa de triglicerídeos alta é o sedentarismo.

Lembrando sempre que a prática de esportes deve ser orientada por um profissional de Educação Física e contar com a liberação do seu médico.

Como baixar o índice de triglicerídeos

Já que a má alimentação é a principal causa para o aumento nos triglicerídeos, a primeira medida para sua redução é modificar os hábitos alimentares.

Como já destaquei, é indispensável em primeiro lugar cortar da dieta os alimentos “vilões” da saúde, principalmente açúcar e álcool.

Em vez disso, prefira incluir na sua dieta mais frutas (com moderação, já que também contêm açúcar) e, principalmente, leguminosos e verduras.

Em relação ao arroz e macarrão, por estarem mais presentes na dieta, vale recorrer aos produtos integrais.

Farelo de trigo e aveia, por sua vez, são também alternativas saudáveis, por serem ricos em fibras.

São também indicadas sementes como gergelim, girassol, abóbora, chia e linhaça.

Além de ricas em fibras, elas contribuem para “limpar” as artérias, ajudando a controlar as taxas de gordura no sangue.

Triglicerídeos no sangue

O acúmulo de gordura na barriga pode ser um dos indicativos das taxas de triglicerídeos elevada

Dieta para triglicerídeos alto funciona?

Com certeza funciona, e é a principal maneira de controlar os níveis de triglicerídeos.

No entanto, não basta apenas cortar as gorduras e açúcares, deixando o corpo padecer com a falta de nutrientes básicos.

Por essa razão, também procuro orientar meus pacientes sobre a necessidade de acompanhamento de um nutricionista.

Somente esse profissional ou um médico nutrólogo são capazes de indicar a dieta mais adequada.

Para isso, levam em conta o perfil de cada paciente.

De certa forma, montar uma dieta sozinho é como incorrer no risco da automedicação.

Se a pessoa simplesmente come o que achar melhor, sem orientação profissional, estará sujeita até a piorar um quadro de triglicerídeos alto.

O que não pode comer com triglicerídeos alto?

A lista de alimentos a serem evitados tendo em vista a redução dos triglicerídeos é extensa.

Alguns deles eu já mencionei aqui, mas nunca é demais relembrar.

Veja abaixo o que não se deve comer quando a taxa de gordura no sangue encontra-se elevada:

  • Açúcar
  • Bebidas alcoólicas
  • Farinha de trigo 
  • Farinha branca 
  • Pizza
  • Salgados
  • Macarrão não integral
  • Pão não integral 
  • Biscoitos
  • Bolos
  • Refrigerantes
  • Doces e sobremesas
  • Sucos artificiais adoçados.

E quando os níveis de triglicerídeos estão adequados, esses alimentos são proibidos?

Não, mas é preciso sempre considerar que todos eles provocam a elevação súbita dos níveis de açúcar no sangue, o que, por sua vez, leva a sentir fome mais rápido.

Assim, vale aquela famosa frase que acompanha a publicidade de bebidas alcoólicas: “aprecie com moderação” (e sempre com a supervisão do seu médico).

Tratamentos para triglicerídeos alto

A partir do que vimos, a dieta e a prática de exercícios são a melhor forma de controlar as taxas de triglicerídeos.

Porém, em certos casos, ela encontra-se tão elevada que a única forma de reduzi-la é por meio de medicação.

Nesse sentido, vale destacar que o aumento nos triglicerídeos também pode ser causado pelo uso de certos medicamentos, tais como:

  • Anticoncepcionais
  • Antirretrovirais
  • Betabloqueadores como atenolol, propranolol, bisoprolol, metoprolol e carvedilol, entre outros
  • Ciclosporina
  • Corticoides
  • Diuréticos
  • Isotretinoína
  • Tamoxifeno.

Por isso, um tratamento à base de fármacos deve ser acompanhado de perto pelo médico, que vai avaliar os riscos da administração de outros remédios em paralelo.

O tratamento para um quadro de triglicerídeos alto pode ser feito com medicamentos da classe das estatinas, embora elas sejam mais comumente prescritas para reduzir o colesterol.

Entre os mais indicados, destacam-se:

  • Atorvastatina
  • Pravastatina
  • Rosuvastatina
  • Sinvastatina.

Podem ser prescritos ainda os fármacos da classe dos fibratos, como o Fenofibrato ou  Genfibrozila, esses sim, específicos para a redução das taxas de triglicerídeos.

Triglicerídeos alto: qual médico consultar?

O cardiologista é o médico mais indicado para diagnosticar e prescrever tratamentos para controlar os níveis de triglicerídeos.

Também são indicados o clínico geral, que pode prescrever as primeiras medidas de controle, e o nutricionista, para prescrição da dieta mais adequada.

Consulte online com a Morsch

Conte com a Morsch para levar o atendimento médico até você, em casa, no trabalho ou onde mais você precisar.

Com a Telemedicina Morsch, você marca sua teleconsulta com um clínico, cardiologista ou nutricionista de forma rápida e prática.

A consulta remota é a melhor forma de economizar tempo e dinheiro, como acontece normalmente em consultas médicas presenciais.

Veja como é fácil marcar consulta na plataforma Morsch:

  1. Acesse a página de agendamentos
  2. Use o campo de buscas para selecionar a especialidade e escolha o profissional de sua preferência
  3. Defina um entre os horários de agendamento, ao lado da identificação do médico
  4. Você será redirecionado para uma página de login. Se não tiver cadastro, selecione “Criar conta”
  5. Preencha o formulário com informações de identificação e prossiga
  6. Crie uma senha e acesse o sistema
  7. Confirme o horário da teleconsulta e faça o pagamento
  8. Meia hora antes do atendimento, você vai receber o link de acesso à sala virtual via WhatsApp ou SMS.

 

Conclusão

Alimentação equilibrada é a base para ter mais saúde, já que é a partir dela que evitamos o aumento nos níveis de colesterol e de triglicerídeos, com todas as suas complicações.

Conte sempre com a plataforma de teleconsulta da Morsch para ter acesso a especialistas que vão ajudar você a encontrar o tratamento e a dieta conforme as suas necessidades.

E para estar sempre por dentro de assuntos que dizem respeito à saúde, assine nossa newsletter e receba em seu email os conteúdos publicados aqui no blog.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE