Telemedicina no Nordeste: como se beneficiar com laudos à distância?

Por Dr. José Aldair Morsch, 7 de março de 2019
Telemedicina no Nordeste - como se beneficiar como laudos à distância?

A utilização da telemedicina no Nordeste vem gerando impactos positivos para hospitais e clínicas, médicos e demais profissionais da saúde, além dos próprios pacientes.

Todos são beneficiados pelo emprego da tecnologia em soluções que agilizam diagnósticos e, por isso, ajudam a salvar vidas.

E o que não falta na região são exemplos de sucesso entre aqueles que têm apostado nessa receita.

É exatamente isso que você vai descobrir neste artigo.

Por meio da tecnologia, cidades nordestinas têm se beneficiada com serviços de ponta, encurtando distâncias e melhorando a qualidade dos atendimentos.

Solicite um orçamento

Quer saber mais sobre como a região tem ganhado com os serviços de laudo à distância e a telemedicina?

Então, não deixe de ler o artigo até o final e descubra a contribuição da telemedicina no nordeste.

A saúde no nordeste brasileiro

A saúde no nordeste brasileiro

A saúde no nordeste brasileiro

Os desafios da saúde são enormes, e não apenas no Nordeste.

Já somos 208 bilhões de brasileiros e, segundo dados da pesquisa Demográfica Médica 2018, realizada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), no início de 2018, o país contava com 452.801 médicos.

Isso representa uma razão de 2,18 médicos por mil habitantes.

O agravante não está no número em si, mas na distribuição dos profissionais, que se mostra bastante desigual entre regiões, estados, capitais e municípios do interior.

No Nordeste, a razão de médicos por mil habitantes é de 1,41 – bem diferente da média nacional, portanto.

Dentre as unidades federativas, o Maranhão mantém a menor razão, com apenas 0,87 médico por mil habitantes.

Quando da divulgação da pesquisa, o presidente do Conselho Federal de Medicina, Carlos Vital, destacou que 39 cidades com mais de 500 mil habitantes concentram 60% dos médicos.

Já os outros 40% estão distribuídos no país para atender o restante da população.

“Há uma desproporção gritante entre as unidades da federação e as regiões”, comentou ele.

Enquanto que na região Sudeste, onde mora 41,9% da população brasileira, estão 54,1% dos médicos, a região Nordeste possui mais de 1/4 dos brasileiros (27,6% dos habitantes) e conta com 17,8% do conjunto de médicos.

Veja por esse dado como a situação da saúde no Nordeste é a que mais inspira cuidados.

Mas há pelo menos mais um aspecto que gera preocupação para a região, que é a razão entre médicos generalistas e especialistas.

No Nordeste, são 1,34 especialistas para cada generalista, enquanto que na região Sul, para efeitos de comparação, esse número é de 2,27.

Na prática, significa que faltam profissionais habilitados, por exemplo, para laudar exames de imagem fundamentais para diagnosticar e monitorar doenças.

Importância da Telemedicina no Nordeste e no interior do Brasil

Importância da Telemedicina no Nordeste e no interior do Brasil

Importância da Telemedicina no Nordeste e no interior do Brasil

Definida como o uso de tecnologias e aplicações de comunicação que permitem realizar ações médicas à distância, a telemedicina é uma ferramenta que soluciona parte do problema que acabamos de ver.

Ela representa o encurtamento entre a população e a área especializada de saúde.

Além de ajudar na transferência do conhecimento, possibilita que um paciente em um consultório no interior do país possa realizar um exame que, em poucos minutos, será avaliado por uma equipe de médicos especialistas a quilômetros de distância.

Tudo ocorre de forma rápida, prática e que necessita apenas de um equipamento que esteja apto a realizar esse tipo de serviço e uma conexão de internet.

No Nordeste, a tecnologia vem sendo empregada como forma de auxiliar no cuidado da saúde das pessoas, levando um serviço de qualidade para populações que antes precisavam se deslocar por grandes distâncias para realizar um exame ou consulta médica.

Além disso, a telemedicina tem possibilitado a troca de experiência com profissionais de outras regiões do país, suprindo a falta de especialistas que ocorre principalmente no interior, permitindo maior agilidade no diagnóstico e tratamento de pacientes.

Benefícios da Telemedicina no Nordeste

Benefícios da Telemedicina no Nordeste

Benefícios da Telemedicina no Nordeste

Como já destacado, a telemedicina possibilita a troca de informações entre médicos e outros profissionais de saúde, facilitando o diagnóstico, o tratamento e a prevenção de doenças.

Trazendo maior agilidade ao atendimento, a utilização de uma de suas funcionalidades, o serviço de laudos à distância, oferece benefícios para médicos, clínicas e hospitais e para o paciente.

Benefícios do laudo à distância para a população

A utilização da telemedicina para a realização de laudos à distância possibilita que a população seja atendida em seu local de origem.

Ou seja, os pacientes não precisam se deslocar para grandes centros ou capitais para realizar exames importantes, como eletrocardiograma, tomografia, eletroencefalograma, entre outros.

Outro benefício está na possibilidade de ter acesso a exames que antes não estavam disponíveis em sua cidade ou que só eram possíveis de ser realizado em clínicas particulares.

Benefícios do laudo à distância para o profissional de saúde

Agilidade na realização dos exames, equipamentos que qualificam o registro das informações e melhores ferramentas de trabalho.

Estes são os principais benefícios do serviço de laudo à distância para os profissionais de saúde.

Com isso, eles recebem informações de qualidade que permitem um diagnóstico mais assertivo.

Benefícios do laudo à distância para clínicas e hospitais

A telemedicina é a tecnologia que permite a clínicas e hospitais aumentar o portfólio e oferecer exames que antes não faziam parte do seu rol de serviços.

Também a utilização de laudos à distância aumenta a percepção dos pacientes e clientes sobre a qualidade dos serviços prestados.

Afinal, faz uso de equipamentos modernos que trazem agilidade na entrega de resultados.

Além disso, os estabelecimentos de saúde podem ter como benefício a redução de custos, pois não precisam investir na contratação de profissionais especializados apenas para laudar exames.

Outro ganhos se dá com a diminuição de filas e o custo no atendimento, uma vez que o serviço de laudos agiliza a entrega de resultados.

Telemedicina no Nordeste: Casos de sucesso

Telemedicina no Nordeste: Casos de sucesso

Telemedicina no Nordeste: Casos de sucesso

Alguns estados nordestinos já têm se beneficiado com a utilização da telemedicina para aproximar o interior das capitais e agilizar o diagnóstico e o tratamento de pacientes.

Vou apresentar agora alguns cases de sucesso da telemedicina no nordeste.

Hospital São Camilo no Ceará pela Telemedicina Morsch

Desde 2015, o Hospital São Camilo, localizado em Cratéus, no interior do Ceará, utiliza os serviços da Telemedicina Morsch.

Distante 353 quilômetros da capital, o estabelecimento foi criado em 2012 com o objetivo de melhorar a saúde na região, uma vez que o deslocamento de quem necessitava de atendimento médico até Fortaleza exigia uma viagem de aproximadamente 4h 30 min.

Com uma população de quase 90 mil habitantes, a equipe de 22 médicos que atuava no hospital inicialmente não estava sendo suficiente para atender à demanda.

Além disso, existia a falta de equipamentos, os altos custos de funcionamento e a ausência de especialistas para laudar exames.

Foi então que surgiu a oportunidade de utilizar a telemedicina por meio da plataforma de diagnóstico médico à distância.

O São Camilo realizou parcerias com outros hospitais, policlínicas e com a Unimed e, atualmente, por meio dos serviços da Telemedicina Morsch, já realiza mais de 2000 exames por mês.

Universidade Federal de Sergipe (UFS) e Cisco Systems

Iniciado como um projeto piloto com a Cisco Systems, a Universidade Federal do Sergipe (UFS) lançou em 2013 o Connected Healthy Children.

O projeto usa telepresença e consultas colaborativas em clínicas de saúde da família nos municípios de Lagarto e Tobias Barreto.

Para tanto, as comunidades receberam equipamentos e tecnologia para que pudessem transmitir áudio e vídeo em alta resolução.

A conexão para as consultas coube ao Hospital Universitário de Sergipe, onde especialistas estavam à postos para prestar apoio aos médicos das clínicas.

A telemedicina possibilitou a comunicação em tempo real e permitiu que as equipes compartilhassem conhecimentos, diminuindo as distâncias e minimizando os impactos do deslocamento dos pacientes.

Com isso, houve também uma redução nas solicitações de avaliações presenciais nas especialidades pediátricas que participaram do projeto, o que fez com que nenhuma criança precisasse ser deslocada até o serviço especializado na capital, Aracaju.

Outro benefício do projeto foi a diminuição no tempo de tomada de decisão, pois os planos terapêuticos foram implementados logo após a consulta clínica.

Atualmente, a UFS continua utilizando a telemedicina em benefício da população atendida.

A tecnologia está em funcionamento no Hospital Universitário de Lagarto e no Hospital Universitário de Aracaju para atender pacientes internados na clínica médica nas áreas de dermatologia, hematologia e pneumologia.

Telessaúde Brasil Redes no Nordeste

O Programa Nacional Telessaúde Brasil Redes, do Ministério da Saúde, já possui Núcleos Técnico Científicos em todos os estados do Nordeste do Brasil.

Seu objetivo principal é fortalecer e melhorar a qualidade do atendimento de atenção básica do Sistema Único de Saúde (SUS).

Para tanto, o programa integra ensino e serviços por meio de tecnologias de informação e comunicação para a realização de quatro atividades:

  • Teleconsultoria: consulta realizada entre profissionais e gestores da área de saúde para tirar dúvidas sobre procedimentos clínicos, ações de saúde e questões relativas ao processo de trabalho. Podem acontecer em tempo real, por meio de mensagens ou pelo telefone
  • Segunda Opinião Formativa: resposta sistematizada que foi construída tendo como base referências bibliográficas e as melhores evidências científicas e clínicas originadas das teleconsultorias
  • Tele-educação: conferências, aulas e cursos ministrados à distância
  • Telediagnóstico: realização de exames em uma localidade de remota e seu envio para emissão de laudo por um especialista vinculado ao programa.

Telemedicina em ambulâncias do SAMU da Bahia

Implantado em 31 ambulâncias de Unidades de Suporte Avançado (USA) do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) da Bahia, o projeto de telemedicina resulta de parceria entre o Ministério da Saúde, o Hospital do Coração (HCor) de São Paulo e a Secretaria de Saúde do Estado.

O objetivo é oferecer um laudo cardiológico rápido a pacientes que apresentam sintomas de infarto e outros problemas cardíacos em atendimento nas ambulâncias avançadas do serviço.

Com mais de 200 profissionais capacitados, entre médicos, enfermeiros e socorristas, em 22 municípios da Bahia, o Sistema de Tele-Eletrocardiografia Digital auxilia o diagnóstico precoce de infartos, isquemias, arritmias e outras patologias.

O sistema é digital e portátil e transmite o eletrocardiograma via internet para a Central de Telemedicina do HCor.

Lá, o exame é analisado e o laudo retorna para a ambulância de origem – processo que dura, em média, apenas cinco minutos.

A Central do HCor funciona 24 horas por dia e dispõe de 16 médicos especialistas para realizar a leitura dos eletrocardiogramas.

Além disso, o médico atendente pode discutir o caso com os especialistas de apoio no hospital.

Programa de Telemedicina do Piauí

O Programa de Telemedicina do Governo do Piauí foi lançado em maio de 2018 e possibilita integrar os hospitais públicos do Estado, unindo a capital e o litoral por meio da tecnologia.

O objetivo é melhorar a qualidade de vida da população permitindo que médicos e residentes dos hospitais regionais possam tratar sobre diagnósticos, procedimentos e prescrições via plataforma de telemedicina com outros profissionais.

Por meio da tecnologia, os médicos podem realizar debates, utilizar câmeras dentro de centros cirúrgicos para que outros profissionais acompanhem o procedimento, usar o recurso com alunos do curso de Medicina, entre outras atividades.

Inicialmente, o projeto conecta profissionais do Hospital Getúlio Vargas, localizado em Teresina, com o Hospital Regional Dirceu Arcoverde (Heda), em Parnaíba, e o Hospital Tibério Nunes, em Floriano.

Ele tem previsão de ser expandido para os hospitais regionais de Picos e Piripiri, assim que a tecnologia de fibra ótica chegar a essas regiões.

O programa é realizado por meio de parceria entre a Agência de Tecnologia da Informação (ATI), a Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (Sesapi) e a Fundação Piauiense de Serviços Hospitalares (Fepiserh).

Telemedicina nas UPAs de Maceió

Mais conhecido como Latin America Telemedice Infarct Network (Latin), o projeto de telemedicina em Maceió, Alagoas, tem o objetivo de promover a troca de informações médicas e agilizar o atendimento de pacientes infartados.

Ele é realizado por meio de uma parceria entre o Hospital Geral do Estado com a Fundação Cordial e a Secretaria de Estado da Saúde.

Implantado em duas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da capital, o programa consiste na utilização de dispositivos de telemedicina para conectar unidades de tratamento básico e ambulâncias a uma rede de centros de tratamento.

O eletrocardiograma do paciente é enviado ao centro de diagnóstico por meio da internet.

Lá, ele é avaliado e, caso o diagnóstico seja sugestivo de STEMI (elevação do segmento ST miocárdio), o sistema dá o alerta em menos de cinco minutos.

A partir desse momento, o paciente é movido para o centro de referência, que fica no Hospital Geral do Estado.

Com isso, o Latin permite diagnosticar, transportar e tratar o paciente em tempo hábil, diminuindo o espaço entre o primeiro atendimento e o início do tratamento de pessoas com infarto agudo do miocárdio (IAM).

Telemedicina Morsch como parceira em laudo à distância no Nordeste

Telemedicina Morsch como parceira em laudo à distância no Nordeste

Vimos ao longo deste artigo as contribuições da telemedicina no Nordeste.

Entre os casos de sucesso está o do Hospital São Camilo, no Ceará, que aumentou a capacidade de atendimento e expandiu seu portfólio por meio da tecnologia.

É esse o objetivo da Telemedicina Morsch, parceira do hospital no projeto: dar o suporte para melhorar o atendimento, diminuir custos e aumentar os ganhos.

Presente no mercado de telemedicina desde 2005, a Telemedicina Morsch é especializada em laudos à distância.

Com uma equipe de especialistas e aparelhos que podem ser alugados em regime de comodato, o sistema funciona por meio de uma plataforma 100% web que entrega os resultados em 30 minutos com garantia de eficiência e alta qualidade na interpretação.

Dessa forma, não é necessário arcar com a contratação de especialistas ou investir na compra de aparelhos para a realização de exames.

Já em urgências, o atendimento ocorre em tempo real.

Novamente, os ganhos se estendem da unidade de saúde para os pacientes, passando ainda pelos profissionais de saúde envolvidos.

Conclusão

Ao longo da leitura, você pôde descobrir os benefícios que a telemedicina trouxe para os estados do Nordeste e, principalmente, para as cidades do interior.

Por meio dessa tecnologia, uma parte importante da população nordestina vem tendo acesso à exames e especialistas que antes estavam fora de seu alcance.

Casos de sucesso, como o do Hospital São Camilo, servem de inspiração.

É possível levar tecnologia e saúde de qualidade para todos os municípios brasileiros. E você pode contar com a Telemedicina Morsch como parceira nesse desafio.

Conheça as nossas soluções, entre em contato conosco e solicite um teste gratuito da nossa plataforma.

Se o artigo foi útil, não deixe de compartilhar em suas redes sociais.

Referências Bibliográficas

Pesquisa Demográfica Médica 2018 – Conselho Federal de Medicina

História de Sucesso: Hospital São Camilo – E-book Telemedicina Morsch

Programa Nacional Telessaúde Brasil Redes – Ministério da Saúde

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG - Fundação Universidade do Rio Grande - RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE

Entre em contato por WhatsApp
Enviar mensagem pelo WhatsApp