CID R51 – Cefaleia (casos de dor de cabeça)

Por Dr. José Aldair Morsch, 27 de janeiro de 2022
CID R51

CID R51 é o código para Cefaleia, segundo prevê a Classificação Internacional de Doenças.

Neste conteúdo, falo sobre o significado, casos, cenários e conduta médica esperada para casos de R51.

Leia até o final e conheça também quais são as soluções que a tecnologia oferece para qualificar a assistência médica nesse tipo de atendimento.

CID R51: o que significa?

CID R51 – Cefaleia é uma condição comum, popularmente conhecida como dor de cabeça.

Pode ser classificada em dois tipos:

  • Primária: os episódios de dor são o principal sintoma, podendo ser enxaqueca com ou sem aura, em salvas ou tensional
  • Secundária: as dores são sintomas de doença subjacente, neurológica ou sistêmica, podendo ser acompanhada de sinais de alerta (listados no tópico seguinte).

O Protocolo Nacional para Diagnóstico e Manejo das Cefaleias lista quatro cenários para CID R51.

São eles:

  • Aguda Recorrente
  • Crônica Não Progressiva
  • Crônica Progressiva
  • Aguda Emergente.

 

Conduta médica para o CID R51

Agora, destaco quais são os procedimentos médicos desejados para casos de código R51.

Anamnese

Para ajudar no diagnóstico, é recomendável realizar uma anamnese médica com perguntas ao paciente.

Veja alguns exemplos:

  • Há quanto tempo a cabeça dói?
  • Dói um ponto específico? Se sim, qual?
  • Essa dor é contínua ou latejante?
  • Dói mais ao fazer esforço físico?
  • Você teve coriza ou nariz entupido?
  • Teve náuseas? Vômitos?
  • Ficou com os olhos vermelhos? Lacrimejou?

 

Exames

A anamnese deve ser acompanhada dos exames clínico e neurológico.

Exames complementares, como VHS, tomografia computadorizada ou punção liquórica, devem ser feitos apenas se houver ao menos um dos sinais de alerta:

  • Cefaleia relatada como primeira ou pior da vida
  • Sinais de infecção
  • Suspeita de sangramento ou inflamação
  • Suspeita de hipertensão ou hipotensão intracraniana
  • Déficits de nervos cranianos (quando a tomografia não esclarecer o diagnóstico e não contra-indicar a punção)
  • Pacientes com neoplasia ou AIDS.

 

Medicação

A medicação para CID R51 varia conforme o tipo e o cenário, de acordo com o Protocolo Nacional (consulte o documento para mais detalhes).

Para cefaleia do tipo tensional, é possível prescrever:

  • Analgésicos e anti-inflamatórios não esteroidais (AINEs)
  • Clorpromazina (para casos crônicos).

Em casos de enxaqueca com início há 72 horas ou menos, o protocolo prevê administrar:

  • Antiemético parenteral se vômitos ou uso prévio de medicações
  • Dimenidrato por via intravenosa (diluído em soro fisiológico) ou intramuscular
  • Dipirona
  • Cetoprofeno
  • Sumatriptano (se não houver melhora em uma hora).

Quando dor dura mais de 72 horas, a prescrição inclui:

  • Dexametasona com jejum e acesso venoso para reposição de fluidos
  • Clorpromazina (para casos crônicos).

Para cefaleia em salvas, pode ser necessário administrar oxigênio a 100%, em máscara sem recirculação, com fluxo de 10-12 l/min durante 20 minutos, ou sumatriptano 6mg por via subcutânea.

Nos demais cenários, a medicação dependerá da situação específica.

Consulte o Protocolo Nacional e, se necessário, encaminhe o paciente a um neurologista.

Serviços Morsch para o CID R51 

Neste artigo, expliquei o significado de CID R51, os tipos, cenários e a conduta médica esperada.

Se você ainda tem alguma dúvida, conte com as soluções sob medida da Telemedicina Morsch.

Coordeno uma equipe com especialistas em diversas áreas médicas, incluindo a Neurologia.

Por isso, se necessário, solicite uma teleconsultoria com um deles.

Trata-se de consulta via meios de comunicação bidirecional (internet, telefone, aplicativo…) entre dois profissionais de saúde.

Desta forma é possível solucionar sua incerteza sem a necessidade de encaminhar o paciente.

Entretanto, em caso de necessidade, oferecemos também a consulta com um especialista para ampliar a investigação e a segunda opinião médica.

Ainda emitimos laudos de exames de forma ágil e segura.

Conheça nossa plataforma em uma avaliação gratuita ou faça contato.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE