CID F40 – Transtornos fóbico-ansiosos (ansiedade antecipatória)

Por Dr. José Aldair Morsch, 16 de maio de 2022
CID F40

CID F40 é o código para Transtornos fóbico-ansiosos, conforme a Classificação Internacional de Doenças.

Neste conteúdo, explico o significado do CID F40, listo suas subcategorias e reproduzo algumas recomendações para esses casos.

Ao final, apresento soluções que podem dar mais qualidade ao seu atendimento médico.

CID F40: o que significa?

O CID F40 indica que o paciente sofre transtornos que provocam ansiedade diante de determinadas situações.

Isso acontece mesmo quando essas situações não representam um perigo real.

Consta na descrição do F40, segundo o DATASUS:

“As preocupações do sujeito podem estar centradas sobre sintomas individuais tais como palpitações ou uma impressão de desmaio, e frequentemente se associam com medo de morrer, perda do autocontrole ou de ficar louco”.

O paciente tende a evitar essas situações e apresentar ansiedade antecipatória diante da simples menção delas.

Este CID possui três subcategorias:

  • F40.0: Agorafobia
  • F40.1: Fobias sociais
  • F40.2: Fobias específicas (isoladas).

Além disso, exclui: quando associado aos transtornos de conduta classificados em F91.- (F92.8).

Conduta médica para o CID F40

Aqui abordo a conduta médica recomendada para casos de CID F40.

Diagnóstico

O código F40 costuma ser associado à depressão.

Por isso, a descrição do CID orienta a levar em conta:

  • A ordem de ocorrência dos transtornos
  • As medidas terapêuticas consideradas no momento do exame.

Esses fatores devem determinar se serão feitos dois diagnósticos (ansiedade fóbica e episódio depressivo) ou apenas um, para uma dessas condições.

Você encontra as recomendações para diagnosticar episódios depressivos no meu artigo sobre o CID F32.

Para a elaboração do diagnóstico do CID F40, a anamnese médica deve trazer perguntas como:

  • Você se sente tenso(a)? Costuma ter preocupações?
  • O que lhe dá medo?
  • As pessoas próximas a você também têm esse medo?
  • Esse medo causa alguma limitação em sua vida cotidiana?
  • O que acontece com seu corpo quando você tem medo?
  • Quanto tempo isso dura?
  • Você costuma beber? 
  • Você costuma tomar algum remédio ou usa alguma droga?

O exame físico deve ser realizado apenas se houver dúvida de patologia somática.

Especialidade

Pacientes com CID F40 devem ser encaminhados a um psiquiatra.

Consultas com psicólogo também podem ser eficazes, embora em alguns casos seja aconselhável a prescrição de medicamentos.

Terapia

Segundo manual da Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos (Abrata), o CID F40 está entre as condições que requerem terapia cognitivo-comportamental.

Esse acompanhamento psicoterápico tem duração entre seis meses e dois anos.

Após esse período, pode haver necessidade de retorno devido a alguma recaída.

Medicamentos

O documento afirma que o tratamento medicamentoso para CID F40, entre outros transtornos, pode ser eficaz.

Porém, alerta que este deve ser avaliado com cautela devido aos efeitos adversos e ao risco de dependência.

Além disso, a suspensão costuma favorecer o retorno dos sintomas, mas se o profissional entender que há necessidade, pode prescrever antidepressivos ou benzodiazepínicos.

Serviços Morsch para o CID F40

Falei aqui do CID F40, incluindo o significado e suas três subcategorias.

Além disso, listei recomendações para diagnóstico e tratamento.

Em casos assim, em que o encaminhamento a um psiquiatra pode ser necessário, conte com a Telemedicina Morsch.

Você pode encaminhar seu paciente para uma consulta com um especialista para ampliar a investigação.

Ou, se for o caso, solicitar uma segunda opinião médica.

Não havendo essa necessidade, você pode realizar uma teleconsultoria com um de nossos profissionais.

Também emitimos laudos de exames com agilidade e segurança.

Faça uma avaliação gratuita ou entre em contato.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE