6 principais benefícios da telepediatria para médicos e pacientes

Por Dr. José Aldair Morsch, 12 de fevereiro de 2021
6 principais benefícios da telepediatria

A telepediatria é uma área da Telemedicina voltada ao atendimento e ao controle do desenvolvimento das crianças.

Por meio dela, os pediatras podem atuar remotamente, permitindo que consultas sejam feitas de maneira mais prática e sem que os pais tenham que se deslocar até uma clínica ou hospital.

Assim, os responsáveis podem se comunicar com especialistas sempre que precisarem tirar dúvidas, não puderem comparecer às unidades de atendimento para consulta ou mesmo quando um caso de emergência surgir em casa, na escola ou em qualquer lugar.

Trata-se de um conceito que revolucionou a atenção à saúde infantil, apoiado nos principais avanços proporcionados pelas diferentes frentes da Telemedicina.

Por mais que a ascensão da medicina à distância tenha começado na década de 1990, é na atualidade que ela realmente passou a fazer parte das rotinas dos médicos e dos pacientes.

Com o avanço das tecnologias online, ficou muito mais fácil realizar:

  • Chamadas de vídeo (que permitem teleconsultas);
  • Enviar informações e imagens (para dados e telelaudos de exames);
  • Organizar e acessar arquivos de qualquer lugar (para otimizar as rotinas médicas);
  • Integrar diversas ferramentas (inclusive para facilitar atendimentos).  

Nesse contexto, em que o mundo digital já dita os comportamentos da sociedade, a Telemedicina representa uma tendência natural de avanço na área médica, capaz de torná-la mais segura, precisa, descomplicada e vantajosa!

Para que você entenda melhor o cenário da telepediatria no Brasil e no mundo, bem como suas principais práticas, possibilidades e benefícios, me aprofundei sobre as questões mais relevantes sobre o tema neste artigo.

Qual o contexto da telepediatria no Brasil?

Em pleno crescimento no mundo, a telepediatria recentemente acelerou a sua influência na rede de saúde do Brasil.

Desde 2002, com a Resolução 1643, diversas práticas de Telemedicina foram liberadas, com exceção da teleorientação, do telemonitoramento e da teleinterconsulta.

Porém, com a chegada da COVID-19 em 2020, o CFM passou a permitir essas modalidades antes proibidas, a fim de desafogar os postos de atendimento, garantir plena atenção aos pacientes em isolamento e agregar todos os benefícios da medicina remota em prol do combate da pandemia.

Assim, médicos e pacientes agora podem usufruir da Telemedicina em sua forma plena, inclusive na realização de diversos tipos de consultas em telepediatria.

Mesmo que seja uma medida de caráter excepcional, a tendência é que novas regulamentações surjam para liberar esse tipo de prática de maneira ampla e definitiva.

Isso porque, com o sucesso da liberação e com os benefícios percebidos por todos os usuários e profissionais das redes de saúde, a demanda nacional de Telemedicina cresceu exponencialmente e se tornou parte fundamental do segmento médico (como já ocorre em outros países).

Nesse cenário, mais que um benefício para os pacientes ou um diferencial competitivo para os médicos, a telepediatria é cada vez mais uma exigência para os especialistas que desejam atuar com excelência na área pediátrica.

Por que a telepediatria vale a pena?

Muitas são as aplicações da telepediatria, e elas vão muito além da quebra de barreiras na comunicação entre os médicos e seus pacientes!

O primeiro ponto a ser destacado é a economia de tempo e dinheiro que ela proporciona.

Afinal, com ela os pais podem abrir mão dos transtornos e das intermináveis filas no trânsito quando precisarem consultar um pediatra.

Nesse sentido, essa facilidade também é muito importante para situações de emergência. Dessa forma, o especialista pode fornecer informações imediatas enquanto os pais buscam por uma unidade de atendimento ou mesmo até que o socorro chegue.

Porém, não são apenas em casos excepcionais que a telepediatria é relevante e vantajosa!

Além de reduzir filas de espera e acelerar as rotinas de atendimento, ela também tem um acesso mais simples e facilitado.

Isso porque, pais podem marcar uma consulta, enviar uma mensagem ou realizar um atendimento remoto através de qualquer dispositivo móvel (o que também barateia os custos de ambos os lados).  

Com isso, os especialistas também podem ampliar o seu público e chegar a pacientes que não teriam acesso aos seus serviços, mas sem abrir mão da qualidade de cada atendimento.

Como se não bastasse, as atuais plataformas de Telemedicina agregam recursos cada vez mais completos, por meio de ferramentas que aprimoram as experiências das consultas, fidelizam os pacientes e aprimoram a carreira médica.

Os exemplos vão desde prontuários e receituários eletrônicos com assinatura digital, até:

Como a telepediatria funciona na prática?

As consultas em telepediatria sempre devem ser realizadas com o acompanhamento de ao menos um pai ou responsável.

Assim, o médico guiará a consulta junto ao adulto, que deverá saber quais são as condições da criança e informá-las com clareza ao especialista.

Características mais importantes da telepediatria!

Como o atendimento é feito por videoconferência, a plataforma de Telemedicina também permite que o profissional visualize e avalie o estado geral do paciente.

Sempre que o contato físico não for indispensável para a avaliação do quadro clínico, o médico poderá atuar de maneira tão completa quanto presencialmente, seja para verificar uma irritação de pele, observar o tamanho de um corte, o comportamento da criança, entre outros exemplos semelhantes.

Demandas pediátricas que a telepediatria pode contemplar 

  • Em consultas de rotina, de retorno ou para a observação de quadros leves;
  • Para atendimento imediato emergencial, em que o médico pode inclusive chamar uma ambulância e orientar os pais sobre como proceder na situação;
  • Na orientação sobre vacinas e prevenções ligadas a certas condições de saúde;
  • Como apoio na triagem e na orientação de intervenções presenciais;
  • No acompanhamento e monitoramento do desenvolvimento infantil;
  • Na introdução alimentar, aleitamento materno, entre outros casos semelhantes;
  • Indicação de medicamentos ou cuidados perante determinados quadros de saúde.

Por meio de bons sistemas de Telemedicina, os pediatras ainda podem elaborar prontuários eletrônicos com assinatura autenticada via certificado original.

Esse tipo de recurso organiza e armazena todas as informações com segurança, permitindo acesso facilitado ao histórico de cada paciente.

Isso também favorece a integração da pediatria com outras especialidades, pois os dados podem ser disponibilizados para outros profissionais autorizados na plataforma.

No mesmo sentido, receitas com assinatura digital também podem ser emitidas e enviadas via e-mail ou WhatsApp, e até laudos podem ser elaborados com o apoio de uma central de especialistas à distância!

Quais as modalidades mais conhecidas de telepediatria?

Como destaquei anteriormente, em 2020 o CFM permitiu que a Telemedicina atuasse também nas frentes de teleorientação, telemonitoramento e teleinterconsulta.

Por mais que a área antes já trouxesse outras ferramentas que aprimoram a atuação médica, são justamente essas 3 modalidades que permitem uma telepediatria mais completa e realmente focada nas necessidades dos pais e das crianças!

De forma resumida, cada modalidade pode ser conceituada da seguinte maneira:

  • Teleorientação: abrange as consultas à distância para orientações sobre determinadas condições de saúde e a triagem para encaminhamento de pacientes;
  • Telemonitoramento: inclui casos que necessitam de acompanhamento médico constante (como pacientes com doenças crônicas), e supervisões à distância sobre parâmetros de saúde (que podem inclusive ser feitas com equipamentos médicos portáteis);
  • Teleinterconsulta: não se refere ao contato do especialista com o público, mas sim à interação remota de diferentes profissionais de saúde, seja na troca de informações, na busca de uma segunda opinião médica, no auxílio para avaliações ou diagnósticos, entre outras situações do tipo.

Quais as vantagens mais significativas da telepediatria?

Agora que você já conhece as principais características e peculiaridades da telepediatria, vou me aprofundar sobre as vantagens mais importantes da área!

Em geral, a pediatria à distância garante os seguintes benefícios para médicos, pais e crianças atendidas:

Agilidade no atendimento

Não é novidade que qualquer bebê ou criança em situação enferma, assim como seus pais, podem sofrer ainda mais quando precisam lidar com longas distâncias até as unidades de atendimento e com intermináveis filas de espera.

Esse tipo de situação fica ainda pior quando o paciente está com dores severas, ansiedade ou mesmo precisa de atendimento de urgência.

Na telepediatria, o acesso às consultas é muito mais rápido e eficiente. Basta clicar no link enviado pela plataforma, começar a chamada e conversar com o médico.

Além de poupar tempo, isso favorece qualquer tipo de atendimento, desde os mais leves (que dependem apenas de orientações simples), até os mais severos (em que é possível adiantar a triagem e orientar os pais até que a devida assistência seja prestada).

O mais importante é que essa facilidade reduz o estresse entre os pais e as crianças, o que torna qualquer situação adversa menos desgastante e ainda favorece o andamento das consultas.  

Confiabilidade para os pais

Como a pediatria é uma área que exige um contato muito próximo entre os pais e os médicos, a telepediatria é de suma importância para que essa relação seja ainda melhor e facilitada.

Sempre que uma criança apresenta algum tipo de sintoma, isso pode ser fonte de grandes preocupações para os pais (especialmente para aqueles de primeira viagem).

Porém, a maior parte dos casos é simples e não está relacionada a problemas significativos de saúde.

Assim, muitas vezes a ida ao consultório é desnecessária, sendo que orientações simples e mais imediatas poderiam resolver o problema.

Com o apoio de teleconsultas e receituários à distância, a telepediatria garante uma fonte confiável para esse tipo de assistência. Dessa forma, pais e pacientes podem contar com a segurança de um especialista, mas com toda a tranquilidade e viabilidade de um atendimento remoto.  

Confiabilidade para os pais na telepediatria

A mesma lógica ainda poderia ser aplicada para casos especiais, como triagens, monitoramento e orientações emergenciais (que expliquei melhor anteriormente).

Encurtamento das distâncias

Como fiz questão de reafirmar ao longo do artigo, o encurtamento de distâncias está entre os benefícios mais valiosos da telepediatria.

Graças à Telemedicina, os médicos podem oferecer os seus serviços a um público mais abrangente. Enquanto isso, os pais e as crianças podem ter acesso a uma medicina de excelência, onde quer que estejam.

Mais que um diferencial competitivo para a sua clínica, esse é um recurso que democratiza a medicina, pois amplia o acesso às áreas sem especialistas e inclusive barateia os custos dos atendimentos.

Melhor relacionamento

Lembre-se de que a telepediatria não é voltada apenas ao tratamento de patologias, mas sim ao desenvolvimento, saúde e bem-estar das crianças.

Assim, estar sempre disponível para tirar as dúvidas e solucionar as demandas dos pais é fundamental para qualquer pediatra comprometido com os seus pacientes.

Com a Telemedicina, os especialistas podem estar mais presentes para acompanhar o desenvolvimento dos indivíduos e prestar assistência constante aos responsáveis.

Menor índice de sobrecarga

Nesse ponto, volto a destacar os incômodos e os problemas que podem ser gerados por filas de espera nos consultórios e pelos atrasos nos atendimentos.

Muitas vezes, as sobrecargas nas unidades de saúde são provocadas por um volume excessivo de demandas, que poderiam facilmente ser resolvidas sem a necessidade de um agendamento.

Os exemplos incluem idas ao consultório apenas para pegar uma prescrição, a avaliação de quadros simples como coriza ou tosses, avaliações muito breves de segunda consulta, retirada de laudos, entre muitos outros casos semelhantes.

Com as facilidades da telepediatria, é fácil reduzir a sobrecarga da sua clínica, já que a tecnologia auxilia em:

  • Desburocratizar processos;
  • Facilita o contato com os pacientes;
  • Limita a necessidade da estrutura física do consultório apenas para situações de estrita necessidade.

Segurança na teleconsulta

Por fim, é válido destacar que as principais plataformas de Telemedicina são alinhadas às exigências da LGPD e utilizam protocolos robustos de segurança para eliminar qualquer chance de violação ou vazamento de dados.

Dessa maneira, você garante que as informações dos seus pacientes estarão sempre seguras e disponíveis para o uso restrito de pessoas autorizadas.

Tenha em mente que aplicativos pessoais de comunicação (como o WhatsApp ou o Zoom) não são adequados para a prática da telepediatria.

Por isso, não abra mão dos melhores sistemas voltados à medicina remota, que priorizam servidores protegidos, criptografia de ponta e tecnologias seguras em nuvem.

Conclusão

A telepediatria não é apenas uma tendência para o futuro da medicina, mas sim uma realidade que já proporciona benefícios marcantes para médicos pediatras, pais e crianças com diferentes necessidades de atendimento.

Por eliminar barreiras geográficas, facilitar o acesso à saúde e garantir uma atenção mais plena aos pequenos pacientes, a área tem uma adesão cada vez maior entre os especialistas, bem como uma procura crescente por parte do público.

Assim, quando os devidos parâmetros médicos e o atendimento humanitário são priorizados, a Telemedicina é a solução ideal para garantir mais agilidade, confiabilidade e acessibilidade na pediatria, encurtando distâncias, aproximando pessoas, diminuindo esperas e garantindo mais vantagens para todos os envolvidos.

Quer ficar por dentro de ainda mais notícias e informações indispensáveis para o seu aperfeiçoamento médico? Assine a nossa newsletter e não perca o conteúdo exclusivo da Telemedicina Morsch! 

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE