Como a tecnologia médica pode mudar o futuro?

Por Dr. José Aldair Morsch, 23 de fevereiro de 2017
tecnologia médica: interpretação de rx

Será que estamos preparados para a nova Tecnologia Médica?

Desde seu surgimento, a medicina está atrelada a tecnologia. Para chegar até onde estamos atualmente, foram necessárias que diversas inovações tecnológicas surgissem para que novos métodos fossem descobertos.

De equipamentos para exames até a cura de doenças, o avanço da tecnologia médica proporcionou que a qualidade do trabalho na saúde melhorasse e, ainda hoje, exerce essa função.

Na era da tecnologia da informação, sua influência na área da medicina não poderia ser diferente.

Solicite um orçamento

O grande número de dados em relação a pacientes, patologias, entre outros âmbitos de alcance do campo, atualmente tem a possibilidade de receber um tratamento sistematizado, de modo que todo esse conteúdo seja documentado e interpretado de forma mais prática.

Hoje, existem inovações tecnológicas que ainda estão em fase de implantação, bem como sistemas que já atuam em milhares de consultórios no mundo.

Continue sua leitura e conheça alguns deles!

Tecnologia médica 1: computação cognitiva

A computação cognitiva é uma área da tecnologia médica em que computadores podem pensar semelhante aos seres humanos. Atualmente, o sistema já é utilizado em operações da bolsa, onde o computador avalia os melhores investimentos em tempo real.

Na medicina, a computação cognitiva também já contribui consideravelmente.

A Watson Oncology, por exemplo, é um sistema de computação cognitiva que avalia as possibilidades de um paciente possuir câncer através de exames que são realizados por um profissional da área de saúde.

Caso constatada uma chance alta da presença da doença, o aparelho também oferece opções de tratamento ao paciente.

Nesse caso, apesar de realizar um trabalho autônomo, o equipamento de computação cognitiva possui o aparato médico profissional para auxílio.

A computação cognitiva ainda está em fase de processo. Por representar um grande avanço na tecnologia médica, ainda faltam profissionais especializados e empresas que trabalhem no seu desenvolvimento.

No entanto, o crescimento é notável.

No Brasil, por exemplo, a computação cognitiva está começando a fazer parte de matérias de cursos de graduação e de pós-graduação.

No âmbito da medicina, a Watson Oncology é o expoente. Seu sistema está implantado em dois hospitais nos Estados Unidos, o MD Anderson e o Memorial Sloan-Kettering.

Ambos são referência no tratamento de câncer e prometem um desenvolvimento ainda maior através do banco de dados do sistema, que possibilita avaliações de longo prazo e contextualização com pesquisas científicas.

Tecnologia médica 2: Big Data

O Big Data é outra forma de interferência da tecnologia da informação sobre o campo da medicina.

Sua intenção é reunir dados em um grande banco com o objetivo de tornar os diagnósticos mais avançados e prever a proliferação de doenças, como no caso de epidemias.

Com dados de pacientes sistematizados em uma plataforma, é possível estruturá-los de forma que sejam relacionados ao ponto de estabelecerem padrões para diferentes casos.

Com o auxílio da computação cognitiva, o Big Data pode se tornar ainda mais forte, pois o trabalho de análise deixa de ser manual e passa a oferecer resultados mais rápidos.

O Big Data se trata, portanto, de uma plataforma de dados que pode abranger diversas áreas.

No campo médico, o sistema se assemelha a uma ficha médica, onde o profissional da saúde poderá encontrar todas as informações coletadas acerca do paciente.

No entanto, seu grande diferencial não é a análise individual, mas sim, coletiva dos dados.

Analisar os dados de forma sistematizada possibilita que o médico tenha uma visão ampla dos sintomas e características dos pacientes de determinada patologia.

Se associados, o Big Data tem a oportunidade de estabelecer novos padrões para pesquisas e para o desenvolvimento de tratamentos.

Como a Telemedicina Morsch pode auxiliar na tecnologia médica?

As soluções tecnológicas que facilitam o trabalho do médico, desde o atendimento ao paciente até a gestão dos consultórios estão disponíveis na plataforma da Telemedicina Morsch.

O cálculo do risco cirúrgico, por exemplo, é um processo que, tradicionalmente pode ser bastante demorado.

O paciente consulta o médico, que o recomenda a realização de um exame, e somente após esta realização externa o paciente retorna ao consultório com o laudo.

Se utilizado esse método, o cálculo de risco cirúrgico pode levar dias para ser efetuado, influenciando na condição de saúde do paciente.

No entanto, já existem alternativas para esse tipo de interpretação. A plataforma da Telemedicina Morsch executa o cálculo do risco cirúrgico.

Com a utilização da telemedicina, os exames podem ser realizados e enviados pela plataforma de telemedicina para o especialista que se encarrega de analisar os dados contidos e disponibilizar o laudo ao médico em minutos.

Este processo torna o cálculo de risco cirúrgico muito mais rápido, o que pode influenciar em um atendimento mais eficiente para o paciente.

O diferencial da Telemedicina Morsch é a proximidade dos usuários com os especialistas.

Cada médico que submete um exame a plataforma, tem a oportunidade de acompanhar e tirar dúvidas com o profissional especialista que realiza sua análise.

Por isso, o sistema se torna ainda mais confiável.

Os dados enviados são analisados em tempo real, o que reduz a espera.

Com grande abrangência, a Telemedicina Morsch atua em quatro áreas: cardiologia, neurologia, pneumologia e radiologia geral.

Se o problema é a falta de equipamentos para a realização de exames, os clientes da empresa podem alugar aparelhos para comodato.

Através dessa tecnologia médica, o tempo de espera para a realização de ambiente externo é evitado e o laudo pode chegar mais rapidamente.

Ao mesmo tempo em que analisa as informações de cada paciente, a telemedicina se encarrega de armazenar esses dados de forma sistemática.

Utilizando o sistema, o médico adquire uma plataforma de dados onde podem ser realizadas pesquisas e outras constatações.

O acesso é ilimitado, de modo que o médico tem a oportunidade de acessar os dados sempre que necessário.

Além disso, a ferramenta elabora estatísticas diferentes a níveis de tempo e de acordo com a necessidade de cada profissional.

Vantagens do uso da telemedicina – tecnologia médica

A plataforma de telemedicina é uma forma de tornar o trabalho de um consultório mais ágil e eficiente para os pacientes.

Enquanto investe em tecnologia, o médico também reduz custos na sua produção.

Ao invés de encaminhar os exames separadamente para análise, através da telemedicina, o médico tem acesso a um serviço completo com custo mais baixo, pois realiza as análises em grande volume.

Para os pacientes, o serviço só oferece vantagens. Com todo o processo de realização e laudo do exame realizados no consultório, o paciente não precisa se deslocar para outras clínicas.

O tempo de espera também é menor.

Como, em muitas situações, a espera pelas análises de exames e diagnósticos pode interferir em um agravamento da doença, a rapidez contribui diretamente para um aumento de qualidade de vida, através de uma constatação mais rápida e de uma prescrição de tratamento mais ágil.

Se você gostou do tema, assine nossa newsletter e acompanhe as próximas postagens!

Dúvidas? Deixe seu comentário! ?

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG - Fundação Universidade do Rio Grande - RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE

Entre em contato por WhatsApp
Enviar mensagem pelo WhatsApp