Bronquite tem cura? Saiba como é o diagnóstico e tratamento

Por Dr. José Aldair Morsch, 16 de junho de 2021
Bronquite tem cura

Afinal, a bronquite tem cura?

Essa é uma pergunta comum, em especial se você ou um familiar estiver sofrendo com sintomas como tosse e falta de ar.

Esses são dois sinais comuns de bronquite, doença que causa inflamação nas vias aéreas inferiores – os brônquios e bronquíolos.

A irritação nessas áreas provoca tosse carregada (com catarro),

Já a redução do espaço para a passagem de ar está por trás da dificuldade para respirar.

Embora esses processos sejam semelhantes em qualquer tipo de bronquite, a resposta para a questão lá do início pode mudar em casos agudos ou crônicos.

Quer entender melhor quando a doença gera preocupação e quais são os prognósticos?

Vou explicar os contextos em que a bronquite pode, ou não, ser curada ao longo deste texto.

Vale lembrar que, mesmo quando não há cura, existe tratamento para a doença, como explico mais à frente.

Acompanhe até o final e tire suas dúvidas sobre o assunto.

Bronquite tem cura, afinal?

Sem perder tempo, vou esclarecer se a bronquite tem cura.

E tudo vai depender do tipo de bronquite de que estamos falando.

Então, vou voltar um passo e recordar que bronquite é uma doença respiratória caracterizada pela inflamação dos brônquios e bronquíolos.

Eles são como tubos que transportam o ar até os pulmões.

A bronquite começa pela ação de um agente infeccioso, que pode ser um microrganismo ou uma substância.

De acordo com esse agente, o paciente vai desenvolver a forma aguda ou crônica da enfermidade.

A mais comum é a bronquite aguda, que aparece em decorrência de uma infecção por agente biológico, como vírus e bactérias.

Nesse caso, a doença tem cura. 

Inclusive, tende a sarar de forma espontânea depois de alguns dias.

Falo mais disso nos próximos tópicos.

Já a forma crônica é desencadeada pelo desgaste e deterioração das vias aéreas inferiores, levando a um quadro grave que pode até resultar em morte.

A bronquite crônica não tem cura.

Contudo, existem terapias que melhoram a capacidade respiratória e a qualidade de vida do paciente.

O que causa a bronquite?

Em resumo, a causa da bronquite está no agente infeccioso, que alcança brônquios e bronquíolos e provoca uma reação inflamatória.

Brônquios são tubos mais largos, enquanto os bronquíolos são como pequenas ramificações deles.

Ao chegar até essa região, o ar que respiramos é umidificado e aquecido para, em seguida, ser transportado aos pulmões.

Quando um agente infeccioso chega até os tubos ou vias aéreas inferiores, elas se inflamam e ficam inchadas, o que atrapalha a passagem do ar.

Como mencionei acima, na bronquite aguda, esse agente infeccioso é uma bactéria ou vírus que foi inalado, mas não eliminado dos brônquios.

A bronquite crônica, por outro lado, resulta da exposição contínua a substâncias nocivas para os pulmões.

As substâncias vão irritando e machucando as paredes dos bronquíolos, que aumentam de espessura de modo permanente.

Por isso, o dano não pode ser totalmente reparado.

Principais causas da bronquite

A bronquite é uma doença respiratória, causadas por inflamações nas vias aéreas

Sintomas de bronquite

Depois de entender quando a bronquite tem cura e quando não tem, identificando suas causas, é hora de conhecer os sintomas.

A doença pode apresentar sinais como:

  • Tosse carregada
  • Falta de ar
  • Pressão ou dor no peito
  • Dores de cabeça
  • Mal estar
  • Febre e calafrios (bronquite aguda)
  • Sensação de cansaço após fazer esforço físico, por exemplo, depois de uma caminhada.

Em quadros graves de bronquite crônica, a fadiga pode ser percebida mesmo em repouso.

Bronquite tem tratamento: como funciona?

A maioria dos casos de bronquite aguda não requer uma terapia específica, melhorando de forma espontânea depois de alguns dias.

Isso porque eles são causados por infecções virais.

De qualquer maneira, vale tomar medidas que ajudam na recuperação, como ingerir muito líquido, repousar, adotar uma alimentação leve e balanceada.

Em casos raros, a bronquite aguda pode ser provocada por uma bactéria, que deverá ser combatida por antibiótico.

Tanto o antibiótico quanto qualquer outro tipo de remédio devem ser receitados pelo médico.

A automedicação pode piorar o quadro clínico, porque não é possível obter um diagnóstico correto sem consultar o médico.

Casos crônicos pedem um tratamento combinado para evitar crises de bronquite ou episódios exacerbados.

Essa terapia envolve medicações e medidas de controle ambiental, por exemplo:

  • Parar de fumar
  • Não se expor à fumaça de cigarro de forma passiva e poluição
  • Evitar substâncias irritantes ao trato respiratório, como tintas, verniz e produtos de limpeza com cheiro forte
  • Prevenir a exposição ao ar frio
  • Adotar um estilo de vida saudável, unindo alimentação nutritiva e atividade física regular.

Os medicamentos são administrados de acordo com os sintomas e o nível de comprometimento das vias aéreas.

O mal-estar generalizado e as dores são tratados com analgésicos (dipirona, ibuprofeno, paracetamol), por vezes, junto a anti-inflamatórios.

O uso de broncodilatadores é frequente, pois esses medicamentos aliviam a falta de ar e a dor no peito ao aumentar o espaço para a passagem do ar aos pulmões.

Salbutamol, salmeterol e formoterol são exemplos das substâncias prescritas para combater esses sintomas.

Em algumas situações, o pneumologista pode prescrever expectorantes para aliviar a tosse na hora de dormir, ou corticoides para diminuir a inflamação nos brônquios.

Fisioterapia e exercícios de reabilitação pulmonar também são recomendados para melhorar a qualidade de vida do paciente.

Médico do pulmão indica tratamento e medicações

Falta de ar e tosse por mais de três semanas são alertas para procurar um especialista pulmonar

Quando procurar um médico para bronquite

Neste ponto, você sabe que a maioria dos casos de bronquite tem cura porque se enquadra na categoria aguda, que é mais branda e, inclusive, evolui de forma positiva espontaneamente.

Em geral, o paciente desenvolve sintomas como febre e tosse por alguns dias, melhorando de modo progressivo até sarar.

Mas há sinais de alerta de que é preciso buscar ajuda médica, tais como:

  • Febre que dura mais de 2 dias seguidos
  • Falta de ar que não passa depois de poucos minutos
  • Tosse que se estende por 3 semanas ou mais
  • Sibilo ou chiado no peito
  • Catarro de cor escura e/ou com sangue.

A melhor notícia para o paciente é que ele nem sempre precisa ir até um serviço de saúde para receber acompanhamento.

Sim, você pode contar com a consulta online.

Acessando a plataforma de teleconsulta Morsch, fica fácil se conectar ao clínico, pediatra ou pneumologista de um jeito rápido e sem filas.

É a assistência à sua saúde com qualidade e comodidade.

Clique aqui para agendar seu atendimento.

Conclusão

Nem toda bronquite tem cura, mas sempre tem tratamento.

Um episódio isolado dessa doença não representa grande risco.

Porém, é preciso ficar atento aos sinais de alerta.

E manter os cuidados de saúde em dia, é claro.

Essa rotina fica mais simples com a ajuda da telemedicina, que leva uma verdadeira clínica de saúde para dentro da sua casa.

Veja como funciona a plataforma Morsch e invista no seu bem-estar!

Aproveite para se inscrever na newsletter e receber conteúdos em primeira mão.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE