Por que a consulta com urologista é importante e como funciona?

Por Dr. José Aldair Morsch, 12 de novembro de 2021
Principais exames feitos na consulta com urologista

A consulta com urologista está entre os cuidados mais importantes para os pacientes. Inclusive, ela deve ser feita em todas as fases da vida. 

Muito associada à saúde do homem, essa especialidade ainda enfrenta certa resistência. Isso porque, o público masculino costuma se cuidar menos e a só procurar por auxílio médico quando já apresenta algum sintoma. 

Somado a isso, estão alguns tabus que não foram totalmente superados em nossa sociedade, como aqueles em torno do exame de toque, por exemplo.

Outro problema motivado pela falta de informação é o fato que grande parte do público não sabe que a consulta com urologista também é fundamental para as mulheres.

Isso porque, a área lida não só com o aparelho reprodutor masculino, mas com todas as questões que envolvem o trato urinário de ambos os sexos.

O desconhecimento pode ser bastante prejudicial para os cuidados da saúde da população. Afinal, quase 60% dos usuários do SUS não realizam atendimentos urológicos, segundo uma pesquisa do Instituto Lado a Lado pela Vida publicada no G1

Considerando esses fatores, e aproveitando a campanha do Novembro Azul, preparei este artigo para promover a conscientização sobre a importância do médico urologista

A seguir, entenda melhor porque a consulta com urologista deve ser feita, quando ela é indicada, a frequência ideal de atendimentos, como eles funcionam e seus principais exames. 

Por que a consulta com urologista é tão importante?

Acima de tudo, a consulta com urologista não é um cuidado restrito aos homens. Ela também tem extrema relevância para as mulheres.

Normalmente, o público leigo associa a especialidade apenas à prevenção do câncer de próstata, contudo, há mais ações que pode-se oferecer.

O médico urologista é um especialista cirúrgico que previne e trata todas as doenças que podem acometer o trato urinário masculino e feminino. 

Todavia, quanto aos tabus que ainda existem entre os homens, isso não está relacionado apenas ao exame de toque. Na verdade, tradicionalmente, eles se cuidam menos do que elas. 

Isso porque ainda existe a percepção ultrapassada de que “homem tem que ser forte” e que cuidar-se seria sinal de fraqueza.

Dessa forma, a boa notícia é que essa cultura está mudando, ao passo que cada vez mais, a população está consciente sobre a importância de adotar medidas preventivas e de diagnosticar patologias precocemente.

Nesse sentido, a consulta com urologista deve contemplar diferentes fases da vida. Os pais devem levar seus filhos ao especialista já na infância e os idosos não devem abrir mão da urogeriatria. 

A importância do médico urologista ainda é reforçada pela ampla gama de doenças que ele pode prevenir e tratar.

Isso inclui desde os distúrbios de micção, até cálculos renais, inflamações e infecções no trato urinário, cânceres e tumores, doenças sexualmente transmissíveis, infertilidade, distúrbios sexuais, e assim por diante. 

Ao longo dos próximos itens, me aprofundo melhor nos problemas específicos que a área atende junto aos homens e às mulheres. Abaixo, veja as principais recomendações para procurar os atendimentos.

Quando a consulta com urologista deve ser marcada?

Em primeiro lugar, tenha em mente que a consulta com ginecologista deve ser regular. Ou seja, é importante manter um acompanhamento constante para prevenir-se precocemente contra possíveis doenças. Inclusive, explico melhor essa frequência já no próximo item.

Dito isso, infelizmente, ainda é comum que as pessoas só busquem o médico urologista quando já sentem algum sintoma, como dor ou desconforto. 

Nesse contexto, reforço que você nunca deve recorrer ao tratamento por conta própria ou à automedicação. Se você perceber algum dos sinais abaixo, marque seu atendimento urológico imediatamente:

Desconfortos no abdômen

Em resumo, esse tipo de sintoma pode estar relacionado a pedras nos rins, infecções em geral e até mesmo a tumores. 

Dores lombares 

Estão mais relacionadas aos rins. Como resultado, as dores podem indicar desde a presença de uma pedra até tumores. Por sua vez, esses problemas só podem ser determinados com exames específicos. 

Maior frequência urinária ou presença de sangue na urina

Os dois sinais são típicos das infecções urinárias. Ou seja, eles exigem a consulta com urologista o quanto antes, para minimizar os desconfortos o quanto antes e prevenir agravamentos.

Indícios de doenças sexualmente transmissíveis

Indícios de doenças sexualmente transmissíveis

Sempre exigem consulta imediata dos homens. Como o médico urologista lida mais com o trato urinário de ambos os sexos e com o sistema reprodutor masculino, os sinais de DSTs nelas devem ser investigados por uma ginecologista. 

 

Dor no pênis, nos testículos ou disfunção erétil

Por falar no foco no sistema sexual dos homens, também existem sintomas que exigem atenção exclusiva deles. Isso inclui a disfunção erétil, a dor no pênis (relacionada à infecção urinária) e nos testículos (ligada a cistos, inflamações, tumores e outras condições da bolsa escrotal). 

Como qual frequência é indicada a consulta com urologista?

Como qual frequência é indicada a consulta com urologista?

Agora que você já sabe quais fatores podem motivar a consulta com urologista, reforço que esse cuidado deve ser frequente e visto como uma importante medida prevenção à saúde.

Para os homens, isso começa desde a juventude. Antes ou durante a puberdade, os pais devem ter consciência de levar os meninos ao especialista. 

Então, nessas situações, são feitos exames clínicos nos órgãos genitais. Eles servem para investigar e tratar possíveis torções nos testículos, hidrocele ou fimose. Esses são problemas que, se não solucionados na adolescência, podem gerar danos significativos na vida adulta. 

Ao longo da vida, a importância da consulta com urologista também é preventiva ou pode ser motivada pelo surgimento de alguns problemas. Isso inclui desde as análises de rotina sobre a saúde do trato urinário, até o combate de DSTs, problemas sexuais, na bexiga, rins, etc.

Para os homens que estão chegando à andropausa, aos 40 anos de idade em diante, a frequência dos atendimentos deve aumentar. 

Isso está relacionado principalmente à prevenção do câncer de próstata. Pacientes em grupo de risco devem investigar a doença todos os anos. Os que não estão precisam determinar junto ao médico urologista as medidas e a frequência mais adequada para as investigações.

Entretanto, no caso das mulheres, vale a recomendação de buscar atendimento urológico sempre que um sintoma urinário surgir ou de manter uma rotina de visitas ao especialista para prevenir-se contra o surgimento de possíveis doenças na área.

Do mesmo modo, é comum que elas façam a consulta com urologista por recomendação de outros médicos. Isso ocorre, normalmente, quando o clínico geral ou ginecologista encontra disfunções urinárias durante exames de rotina. 

Em todos os casos, quando falamos de prevenir-se, o ideal é prezar pelos atendimentos urológicos cerca de uma vez por ano para ambos os sexos.  

Como funciona a consulta com urologista? 

Ciente da importância e das recomendações para a consulta com urologista, confira mais detalhes sobre como ela funciona:

Para homens

Igualmente, expliquei no início do artigo, o acompanhamento do médico urologista é importantíssimo para todas as idades.

Nos homens, cada faixa etária possui necessidades próprias. A avaliação de uma possível fimose, por exemplo, pode ser inicialmente entre os 3 e os 5 anos.

Já dos 12 aos 18 anos, há o monitoramento do desenvolvimento dos órgãos genitais, de possíveis disfunções miccionais que surgem neste período, as prevenções e eventuais tratamentos de DSTs, além das orientações em geral sobre a vida sexual. 

Por sua vez, na faixa dos 20 aos 39 anos ocorre o início da prevenção contra o câncer de testículo. Somado a isso, há a manutenção das investigações e eventuais tratamentos de DSTs. 

Dos 40 aos 50 anos, inicia-se o período de prevenção contra o câncer de próstata. Conforme já expliquei, os exames devem ser anuais para os grupos de risco. Se não, precisam ter uma periodicidade definida junto ao especialista. 

Por fim, dos 50 anos em diante, não só os preventivos do câncer de próstata são mantidos, como também há uma atenção a outros problemas comuns da idade.

Isso inclui a identificação e tratamento do crescimento benigno da próstata, prevenção e combate a disfunções sexuais, diagnóstico e tratamento de doenças nos rins ou na bexiga, entre outras condições. 

Para mulheres

No caso das mulheres, o foco está na prevenção e no tratamento das doenças do trato urinário. O ideal é consultar-se regularmente para evitar o diagnóstico tardio. 

Além disso, a consulta com urologista também pode começar desde cedo. Isso porque, as pacientes do sexo feminino podem apresentar problemas urinários em qualquer fase da vida. 

Inclusive, sempre que um sintoma surgir, o médico urologista pode ser procurado imediatamente. O atendimento dispensa a recomendação prévia de outro especialista. 

As infecções e as incontinências urinárias sobretudo, são o que mais levam as mulheres ao urologista. 

A primeira tem como possíveis causas diferentes microrganismos. Se não tratada, pode atacar a bexiga e causar cistite. Ainda pode atingir os rins e gerar inflamação renal. 

Já a incontinência é mais comum entre idosas e pacientes de meia-idade. Ela se caracteriza pela perda involuntária de urina. Quanto mais cedo for o diagnóstico, menos invasivo é o tratamento.

Além dessas patologias, ainda existem outros problemas importantes a serem evitados e combatidos na consulta com urologista.

A princípio, Isso inclui a cistite intersticial, a bexiga hiperativa, pedras nos rins, entre outras que exigem um laudo preciso e um tratamento adequado para não comprometer a saúde e a qualidade de vida.

Principais exames feitos na consulta com urologista 

Principais exames feitos na consulta com urologista

Já está claro que a consulta com urologista não é restrita aos homens e não serve apenas para o exame de toque. 

Neste artigo, esclareci que a especialidade pode contemplar inúmeras questões reprodutivas masculinas e de saúde urinária de ambos os sexos.

Agora, ciente de algumas das principais condições atendidas pelo médico urologista, veja alguns dos procedimentos que podem ser incluídos nas baterias de exames da área:

  • Fluxometria urinária: exame não invasivo que permite avaliar o fluxo com que há a saída da urina;
  • Exames de sangue: voltados à avaliação dos parâmetros bioquímicos do trato urinário;
  • Biópsia vesical: trata-se da análise do tecido da bexiga, usada para confirmar o diagnóstico de câncer na área;
  • Espermograma: análise laboratorial que avalia a composição do sêmem e a fertilidade masculina;
  • Exames de imagem: incluem ressonâncias magnéticas e ultrassonografia de órgãos como bexiga e rins;
  • PSA: exame de sangue para identificar marcadores relacionados ao câncer de próstata;
  • Toque retal: avaliação clínica do tamanho da próstata para determinar riscos de câncer ou a presença de aumento benigno;
  • Biópsia da próstata: usado para confirmar o diagnóstico de câncer de próstata por meio da análise do tecido da glândula;
  • Cistoscopia: exame de endoscopia para identificar problemas na via urinária, como infecções, cálculos, além de tumores na uretra ou bexiga;
  • Mamografia masculina: apesar de mais raro, o câncer de mama pode atingir homens. Nestes casos, o urologista pode levantar a suspeita e pedir o exame;
  • Avaliação urodinâmica: avalia as condições funcionais do trato urinário, nas fases de produção, transporte e retenção da urina;
  • Entre muitos outros.

Nesse sentido, solicita-se cada análise de acordo com os sintomas e condições apresentadas pelo paciente. A partir do procedimento, o especialista determina o diagnóstico e então a melhor alternativa de tratamento. 

Como ocorre o diagnóstico na consulta com urologista?

Em síntese, o diagnóstico de doenças na consulta com urologista pode ser feito a partir de uma suspeita apresentada pelo paciente ou nos exames de rotina.

Em primeiro lugar, o homem ou a mulher relata suas queixas e o médico as avalia. No segundo, identificam-se as alterações nas rotinas de atendimentos e de exames.

Da mesma forma, nas duas situações, o especialista deve primeiro levantar o histórico clínico do indivíduo. Isso pode ser realizado por meio de entrevistas, exames anteriores ou registros em seu software médico.

Depois, dependendo do caso, é feita uma análise física para confirmar as possíveis suspeitas.

Feito isso, há a solicitação de exames específicos para cada condição. Em seguida, após a coleta, há a realização dos laudos  para que o médico urologista os analise.

A partir do laudo, há a confirmação do diagnóstico, Se houver a presença de um problema de saúde, o tratamento mais adequado ocorre de acordo com as condições e o perfil do paciente. 

Conclusão

A conscientização sobre a importância do médico urologista é algo indispensável para toda a sociedade.

Afinal, mais que eliminar a falsa percepção de que essa especialidade é voltada apenas para os homens ou ao combate do câncer de próstata, ela precisa ser valorizada em todas as etapas da vida (uma vez que os problemas reprodutivos e do trato urinário podem prejudicar o bem-estar, a qualidade de vida e a própria segurança dos pacientes).

Portanto, se você gostou de saber mais sobre a consulta com urologista, não perca os próximos artigos do blog dedicados ao Novembro Azul. Assine a newsletter para receber todo conteúdo em primeira mão. Além disso, não deixe de compartilhar este texto com os seus amigos.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE