Dúvidas ao realizar um Eletrocardiograma

Por Dr. José Aldair Morsch, 15 de março de 2015
dúvidas no eletrocardiograma

Para aqueles que estão se preparando para realizar seu primeiro check up, escrevemos este artigo para esclarecer as principais dúvidas no Eletrocardiograma.

Todo procedimento médico pode gerar ansiedade e nervosismo em alguns pacientes.

Embora seja um exame bastante simples, por envolver o coração, o exame pode ser fonte de dúvidas.

É necessário jejum? Se eu tiver algum pino no corpo vai interferir?

Sou mulher, preciso tirar a roupa de cima?

Essas são apenas algumas da milhares de perguntas que naturalmente fazemos antes de realizar o exame.

Uma das dúvidas no Eletrocardiograma é o que é esse exame?

O Eletrocardiograma é um exame que registra os impulsos elétricos do coração através de eletrodos colocados na pele do paciente.

O ecg de repouso útil para o cardiologista detectar diversos problemas cardíacos, como angina do peito, doença cardíaca isquêmica, arritmias, taquicardia, bradicardia, infarto do miocárdio , dentre outros.

Como devo me preparar para o eletrocardiograma?

Não é necessário nenhum preparo específico ou jejum antes da realização de um Eletrocardiograma.

Os medicamentos de uso contínuo devem ser tomados normalmente no dia do exame.

Os pacientes deverão comparecer ao local do exame com certa antecedência para que possam fazer o cadastro, retirar as roupas da parte de cima do corpo, jóias, relógios, objetos metálicos que possam causar interferências no exame.

SAIBA MAIS SOBRE INTERFERÊNCIAS NO ECG

Outra dúvida no Eletrocardiograma é: Mulher precisa tirar o sutiã para realizar o exame?

A resposta é sim, visto que o material usado para confeccionar o sutiã promove várias interferências no eletrocardiograma.

Também ocorre problemas de posicionamento na colocação dos eletrodos no tórax, visto que os locais exatos de colocação ficam embaixo do sutiã.

Na tentativa de colocar os eletrodos em locais alternativos acaba alterando o resultado do exame.

PRINCIPAIS ALTERAÇÕES NO RESULTADO DO ECG

Como é feito o eletrocardiograma?

As dúvidas no eletrocardiograma começam no momento de entender como é feito o eletrocardiograma.

Os eletrodos do aparelho de ecg serão posicionados na região anterior do tórax, tornozelhos e punhos expostos.

A instalação dos eletrodos é bastante simples: basta garantir o contato entre a pele e o eletrodo, junto com uma gota de gel.

Para isso, é importante remover a gordura da pele, pois ela gera ruído na transmissão do sinal elétrico.

Isso significa que o traçado gerado no computador vai ficar bem irregular e dificultar a interpretação do ecg pelo cardiologista.

Por isso, deve-se limpar a pele com algodão e  álcool com graduação acima de 90% .

Para os homens, em alguns casos, é preciso remover parte dos pelos no peito com lâmina ou cortador de pelos.

Meu eletrocardiograma deu normal, isso significa que sou saudável?

O primeiro ponto para enfatizar ao paciente é que, com a exceção de casos de suspeita de infarto, este é um exame preventivo.

Portanto, ele será utilizado para auxiliar no tratamento e prevenção de possíveis problemas futuros.

Outras dúvidas no eletrocardiograma se referem ao fato de saber se o exame realmente é suficiente para ter a segurança que está tudo bem.

Durante a consulta o médico vai fazer uma série de perguntas, vai examinar o paciente, medir sua pressão, ver seus exames de sangue e de acordo com as informações colhidas poderá aceitar o resultado de um eletrocardiograma normal ou indicar exames mais profundos.

Vale lembrar que o eletrocardiograma só consegue diagnosticar 35% das doenças cardíacas, ou seja, os outros 65% que fizeram o exame não apresentarão alterações no eletrocardiograma mas apresentam alguma doença.

Qual o melhor exame para avaliar o coração?

Depois dos 30 anos, está recomendado a realização de um teste ergométrico, também chamado de exame de esteira, exame de esforço ou ainda teste de esforço.

O Teste ergométrico é um exame mais profundo, envolve submeter o paciente a um estresse físico com caminhada e corrida numa esteira especial, controlada por um computador e a chance de diagnóstico de doença cardíaca sobe para 65%.

SAIBA MAIS SOBRE O TESTE ERGOMÉTRICO

Nas situações que temos dúvidas no eletrocardiograma em que o paciente não pode andar na esteira, o médico substitui o teste ergométrico por uma bicicleta ergométrica ou uma cintilografia miocárdica com dipiridamol.

Meu eletrocardiograma deu alterado, e agora?

O laudo do eletrocardiograma pode descrever várias alterações que não necessariamente indicam doença. Só seu médico para lhe ajudar.

O que pode ser descrito como normal para uma pessoa saudável, não corresponde a outra pessoa com múltiplas doenças como Hipertensão arterial sistêmica, colesterol elevado, diabetes.

Uma alteração de nascimento como atraso de condução pelo ramo direito pode ser normal para uns e indicar uma doença congênita como comunicação inter-atrial para outros.

A regra é simples, uma porcentagem da população saudável tem alterações iguais a muitos doentes, então, só o Cardiologista para diferenciar essa situação.

Tem algum risco em realizar um eletrocardiograma?

É importante enfatizar que realizar um Eletrocardiograma não acarreta nenhum risco ou complicação para o paciente.

Mesmo pacientes que usam aparelhos auditivos, ou qualquer outra situação envolvida com dispositivos médicos.

O aparelho de eletrocardiograma tem proteção contra choques, descargas elétricas ou qualquer meio que transfira energia para o paciente.

Qual o tempo de validade de um eletrocardiograma?

A validade do exame de eletrocardiograma vai depender da condição clínica de cada paciente.

Para exames de rotina em pacientes jovens, a cada 2 anos é um tempo razoável entre os exames.

Para pacientes cardiopatas, que já tiveram arritmia, infarto, problemas de válvulas cardíacas, o cardiologista poderá repetir o exame a cada 3 meses ou até antes.

Tudo vai depender do tratamento.

Que doenças o eletrocardiograma mostra?

Esta é uma pergunta muito frequente e que nos levou a escrever um artigo especialmente sobre o assunto.

CONHEÇA AS DOENÇAS VISTAS NO ECG DE REPOUSO

Como fazer ecg numa cidade sem cardiologista?

Para auxiliar cidades pequenas, zonas remotas sem especialistas, a Medicina aproveitou a internet e criou uma especialidade chamada de Telemedicina.

A Telemedicina é uma ferramenta útil para interpretar exames de pacientes que vivem em locais sem acesso de especialistas.

Na Cardiologia, utilizamos a Telecardiologia que se responsabiliza pela interpretação dos ecg com laudo a distância.

A Telemedicina Morsch é uma empresa pioneira nessa atividade e atende pequenos serviços de saúde em todo o Brasil.

Qualquer técnico em enfermagem é treinado pelo nosso suporte a distância e pode realizar o exame em sua cidade.

Depois de finalizar o exame, ele envia o arquivo para a nossa central de Telemedicina onde um Cardiologista logado no sistema vai interpretar e liberar o laudo médico com assinatura digital em 30 minutos.

Conclusão

Em resumo, o eletrocardiograma em repouso já é bem velhinho, tem mais de 100 anos e ainda é o principal exame realizado pelo cardiologista em sua rotina de atendimento.

A tecnologia permite que todos os pacientes possam ter acesso ao ecg digital, mesmo não tendo especialistas na sua região.

Não há riscos em se submeter ao ecg de repouso e com um laudo de ecg rápido interpretado pela Telemedicina Morsch, muito mais vidas podem ser salvas.

Ter na sua cidade um local para realizar os exames e ajudar no diagnóstico rápido de infarto agudo do miocárdio ou arritmias já é uma realidade.

Ficou com alguma dúvida? Pergunte, responderemos a todos!

Gostou do conteúdo? Compartilhe com seus amigos nas redes sociais!

Não esquece de assinar nosso blog!

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG - Fundação Universidade do Rio Grande - RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE

Entre em contato por WhatsApp
Enviar mensagem pelo WhatsApp