Crise de ausência: sintomas, tratamento e médico online

Por Dr. José Aldair Morsch, 14 de outubro de 2021
Crise de ausência

Você já presenciou uma crise de ausência

Durante esse episódio, o paciente se desliga do mundo exterior por alguns segundos.

Em seguida, ele retoma a atividade anterior, sem nem notar os momentos em que ficou “fora do ar”.

Somadas ao fato de essa condição ser mais comum em crianças, suas características dificultam a identificação pelas pessoas próximas.

Daí a necessidade de saber mais para procurar ajuda médica, recebendo o diagnóstico e o tratamento adequados.

Nas próximas linhas, trago as principais informações sobre as crises de ausência, sintomas e opções de consulta online com o neurologista.

Confira!

O que é uma crise de ausência?

Crise de ausência é um episódio em que há alienação completa em relação ao ambiente exterior.

Também chamada de “desligamento”, ela faz com que o paciente fique “fora do ar”, incapaz de responder a qualquer estímulo externo.

Em geral, esse tipo de crise convulsiva dura poucos segundos e tende a passar despercebida pelas pessoas ao redor.

Crise de ausência e epilepsia: qual a relação?

Primeiro, cabe esclarecer que a epilepsia é uma doença neurológica que nem sempre tem causa conhecida.

O Ministério da Saúde a define como:

“Uma alteração temporária e reversível do funcionamento do cérebro, que não tenha sido causada por febre, drogas ou distúrbios metabólicos e se expressa por crises epilépticas repetidas.”

Está aí a relação entre essas duas condições: a epilepsia pode se manifestar por crises de ausência e outras crises epilépticas.

Desde que haja mais de um episódio.

Vale lembrar que, além da crise de ausência, existem várias outras modalidades de crise convulsiva, a exemplo da tônico-clônica e mioclônica.

A crise tônico-clônica é mais simples de identificar, combinando membros rígidos, movimentos descontrolados, salivação e gemidos.

Já a mioclônica provoca uma sensação de choque e movimentos não intencionais na vítima.

Tanto as crises epilépticas quanto a epilepsia têm origem em perturbações no processo de comunicação entre os neurônios.

A diferença entre elas é que, na epilepsia, as crises ocorrem mais de uma vez.

Sintomas de crise de ausência

Os sintomas típicos de uma crise de ausência são:

  • Perda da consciência
  • Pausa imediata na atividade que estiver fazendo, seja um movimento, uma conversa ou qualquer outra coisa
  • Olhar perdido ou vago
  • Olhos virados para cima
  • Ausência de resposta a estímulos
  • Repentino retorno à atividade anterior depois de segundos, sem recordações sobre a crise.

Embora o mais comum seja ficar parado durante a crise, há casos em que o paciente realiza movimentos repetitivos.

Piscar sem parar e ficar mastigando são alguns exemplos.

De qualquer forma, os demais sinais de desligamento sempre estarão presentes.

É possível ter crise de ausência dormindo?

Sim, dá para ter uma crise de ausência dormindo, contudo, será complicado diagnosticar essa condição.

Isso porque a crise de ausência se enquadra no grupo de convulsões que levam à perda da consciência.

Por consequência, o paciente não se lembra de ter sofrido uma crise, mesmo quando é tônico-clônica e causa movimentos bruscos.

Notar uma crise de ausência durante o sono será ainda mais difícil, pois sua manifestação é discreta, ainda que o paciente esteja acordado.

Episódios de ausência

Na crise de ausência, o cérebro para de funcionar de forma temporária e reversível

Tratamentos para crise de ausência

Ao observar sintomas de crises de ausência, procure auxílio médico para confirmar ou afastar essa suspeita.

O diagnóstico é feito com base na entrevista com o paciente ou responsável (anamnese), combinada a um eletroencefalograma (EEG).

Esse teste registra a atividade elétrica cerebral, evidenciando anormalidades que possam estar por trás da convulsão.

Uma vez confirmada a crise convulsiva, o especialista indica o melhor tratamento, de acordo com fatores como a idade e a gravidade dos episódios.

Uma das terapias mais comuns é feita com base em antiepilépticos – medicamentos capazes de prevenir as descargas elétricas alteradas e, como resultado, de acabar com as crises.

Outras vezes, as crises podem sumir sem qualquer tratamento.

E, em casos raros, é recomendada cirurgia para corrigir a dinâmica de comunicação entre as células do cérebro.

Crise de ausência tem cura?

Depende do caso.

Na maioria das vezes, a crise de ausência surge em crianças entre os 6 e 7 anos, permanece por algum tempo e desaparece de maneira espontânea.

Nessas situações, não é preciso tratar o paciente.

No entanto, há casos em que a quantidade de crises aumenta quando a pessoa cresce.

Ou evolui para formas mais graves de crise convulsiva, incluindo movimentos involuntários e quedas.

Crise de ausência infantil

Meninos e meninas em idade escolar podem enfrentar a crise de ausência infantil.

Como tem alta probabilidade de cura espontânea, essa condição é considerada benigna por especialistas.

No entanto, requer acompanhamento médico para evitar complicações.

O diagnóstico também ajuda a diferenciar a crise convulsiva de desatenção ou desinteresse por parte da criança.

Afinal, um dos sinais que acendem a luz de alerta para os pais é a queda no rendimento escolar e na participação em sala de aula.

Qual médico atende esse tipo de crise?

O médico capacitado para diagnosticar e tratar a crise de ausência é o neurologista.

Ou o neuropediatra, especialista no acompanhamento de males neurológicos durante a infância.

Crises de epilepsia

As consultas com neurologista online podem ser agendadas pela plataforma digital: é rápido e fácil

Consulta online com neurologista

Episódios convulsivos como as crises de ausência têm impacto negativo na rotina do paciente, exigindo uma avaliação médica.

Graças à plataforma de telemedicina, as consultas podem ser feitas a distância, no conforto da sua casa.

Marcar um atendimento com o neurologista online no sistema Morsch é simples e rápido, veja:

  • Comece acessando a página de agendamentos
  • Use o campo de buscas para selecionar a especialidade Neurologia e escolha o profissional de sua preferência
  • Defina um entre os horários de agendamento, ao lado da identificação do médico
  • Você será redirecionado para uma página de login. Se não tiver cadastro, selecione “Criar conta”
  • Preencha o formulário com informações de identificação e prossiga
  • Crie uma senha e acesse o sistema
  • Confirme o horário da teleconsulta e faça o pagamento
  • Meia hora antes do atendimento, você vai receber o link de acesso à sala virtual via WhatsApp ou SMS.

 

Conclusão

Identificar uma crise de ausência é importante para buscar o suporte de um neurologista rapidamente.

Neste texto, comentei os sintomas dessa condição, que pode ser passageira ou se repetir por anos.

De qualquer forma, o paciente pode ter mais qualidade de vida quando recebe tratamento.

E a plataforma de teleconsulta Morsch está pronta para ajudar você nessa rotina de cuidados.

Gostou do artigo? Então, compartilhe.

Receba os próximos conteúdos assinando a newsletter.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE