O que é acreditação hospitalar, como funciona e quais são os benefícios?

Por Dr. José Aldair Morsch, 30 de abril de 2021
Acreditação hospitalar: o que é, como funciona e quais são os benefícios?

A acreditação hospitalar é um instrumento fundamental para que as unidades de saúde ampliem a qualidade, a segurança e a eficiência dos serviços prestados aos pacientes.

Trata-se de um processo voluntário de análise, avaliação e educação promovido por órgãos acreditadores, que exige grandes esforços de adequação das equipes médicas, mas que traz resultados muito positivos para toda a unidade.

O que é acreditação hospitalar e quais são os tipos?

Basicamente, a acreditação hospitalar consiste em um processo de avaliação de organizações que prestam serviços na área da saúde.

Nela, são analisados os requisitos estipulados pelos órgãos acreditadores da área, que quando devidamente aplicados, contribuem para ampliar a qualidade e a segurança dos serviços realizados.

Existem dois tipos de acreditação hospitalar:

  • Nacional: feita por entidades do país-sede da empresa e normalmente tem apenas valor regional
  • Internacional: realizada por órgãos independentes internacionais, com validade mundial e fiscalização pelos maiores hospitais do planeta.

Inclusive, os dois tipos de acreditação podem ser obtidas por uma mesma unidade, e cabe à sua administração determinar quais são as mais vantajosas a se obter.

As diferentes entidades (que apresentarei adiante no artigo) possuem diversos níveis de acreditação. Quanto melhor for o desempenho do hospital em cada delegação, maior será seu nível certificado.

Para entender melhor como isso funciona, veja abaixo quais são os principais objetivos da acreditação hospitalar.

Quais são os objetivos da acreditação hospitalar?

Como citei anteriormente, o processo de adesão à acreditação hospitalar ocorre de maneira voluntária.

Ou seja, o próprio hospital decide se quer ser avaliado pelas organizações acreditadoras, a fim de determinar se todo o seu gerenciamento é realmente eficiente, ou se possui pontos passíveis de melhorias.

Sendo assim, mais que uma ferramenta pública de reconhecimento e certificação da instituição, a acreditação é também um instrumento fundamental para a busca da melhoria contínua nas unidades de saúde. Por meio dela, é possível:

  • Ampliar o desempenho das ações gerenciais;
  • Aumentar a qualidade dos serviços prestados;
  • Impulsionar os resultados do hospital ou da clínica, que passa a ganhar mais destaque em um mercado cada vez mais competitivo.

Além disso, a acreditação hospitalar é importante para que o negócio de saúde se torne estável, pois o aprimoramento constante garante também a redução de custos e a otimização de recursos, que são fundamentais para se manter, crescer e até superar eventuais crises.

Qual é a diferença entre certificação e acreditação hospitalar?

Quando tratamos sobre acreditação hospitalar, é comum que algumas pessoas confundam o conceito com o de certificação. Porém, existem diferenças e ambos podem funcionar de maneira complementar.

A acreditação visa estabilizar o desempenho de uma unidade de saúde, quando um órgão acreditador atesta a eficiência gerencial da mesma e oferece referências para que suas melhorias sejam contínuas.

Já a certificação, consiste apenas na asseguração por escrito de uma terceira parte competente sobre a conformidade de determinado serviço, produto ou procedimento.

Em geral, enquanto a acreditação confere competência técnica à instituição para a prática dos meios contínuos de avaliação de conformidade, a certificação consiste apenas no ato de exercer essa avaliação.

Por dentro dos desafios da acreditação hospitalar

Por ser um processo minucioso e que exige total dedicação das equipes de saúde, a obtenção da acreditação hospitalar pode ser desgastante.

Nesse sentido, é fundamental que todos os esforços conjuntos sejam geridos de maneira adequada e equilibrada, para que todos os profissionais estejam prontos para reconhecer problemas e estipular sua superação.

Atender aos requisitos dos órgãos acreditadores e determinar um processo de melhorias contínuas em um primeiro momento pode trazer riscos para a produtividade dos serviços hospitalares e até para as capacidades dos médicos e demais profissionais envolvidos.

Com isso em mente, cabe à gestão agir diretamente para que não haja interferências dessa natureza durante os esforços para a acreditação hospitalar, pois eles podem inclusive comprometer a qualidade avaliada e inviabilizar sua adesão.

Quando os impactos e desgastes iniciais são superados, esses desafios podem ser inclusive revertidos. Isso porque, com o aperfeiçoamento sendo parte da cultura organizacional, os times passam a ser mais motivados e a ter melhores condições gerais de atuar com qualidade, bem-estar e tranquilidade na obtenção de resultados.

Como funciona a acreditação hospitalar?

A acreditação hospitalar depende do cumprimento de certos pré-requisitos, que podem variar de acordo com cada entidade acreditadora.

Como funciona a acreditação hospitalar

Em geral, essas exigências incluem a apresentação das licenças sanitárias, a constituição legal há mais de um ano, alvará de funcionamento, entre outras questões técnicas semelhantes.

Com toda a documentação em dia, o início do processo ainda demanda algumas práticas, que incluem:

Organização interna

A avaliação demanda o engajamento de todos os profissionais envolvidos na unidade de saúde, e é preciso que os mesmos tenham domínio sobre os critérios de acreditação e os priorizem em suas rotinas.

Além disso, a administração do hospital ou da clínica precisa lidar com as adequações exigidas, direcionando verbas para reformas na infraestrutura, para a adequação de determinados serviços, entre outros pontos previstos nas avaliações.

Coordenador responsável

Por mais que a acreditação hospitalar exija esforços coletivos, ela precisa ser gerenciada por um único profissional incumbido de lidar com todo o processo.

Esse responsável pode ser alguém da própria equipe da unidade, que precisa ser capacitado para a tarefa, ou ainda um consultor externo contratado. Sua função é:

  • Monitorar todos os procedimentos;
  • Reconhecer as mudanças necessárias para a adaptação;
  • Garantir a transparência das adequações, mantendo contato constante com o time de direção hospitalar.

Para dar apoio, agilidade e conformidade a essas tarefas, também é fundamental criar um comitê de acreditação, composto por profissionais multidisciplinares, capazes de lidar com as diferentes demandas da unidade no cumprimento dos requisitos.

Capacitação profissional

Para que a acreditação hospitalar seja possível, todos os serviços prestados na unidade de saúde devem estar alinhados aos requisitos e parâmetros de melhorias contínuas estipulados pelos órgãos acreditadores.

Como os profissionais de uma clínica ou hospital são diretamente responsáveis pelo cumprimento de suas atividades, é imprescindível promover uma capacitação completa com toda a equipe.

Assim, todo o quadro interno estará alinhado às exigências, não só para desempenhar suas funções com excelência, mas também para lidar com quesitos de liderança, procedimentos, gerenciamento de riscos, estratégias, entre outros de natureza semelhante.

Alinhamento de terceiros

Não são apenas os profissionais internos que são responsáveis pela qualidade das práticas de uma unidade de saúde, mas também fornecedores e parceiros em geral.

Para adequar-se às exigências da acreditação, muitas vezes pode ser necessário adaptar, capacitar ou mesmo trocar os responsáveis externos pelos insumos, pelos equipamentos e materiais e até por serviços como limpeza, lavanderia e alimentação.

Escolha de órgão acreditador

Todas as práticas mencionadas até aqui precisam ser guiadas pelos requisitos próprios de uma entidade acreditadora.

Como mencionei anteriormente, esse órgão pode ser nacional ou internacional, e inclusive é possível credenciar-se em mais de uma opção. Confira no item seguinte algumas das mais consagradas certificações da área.

Principais certificações para acreditação hospitalar

Principais certificações para acreditação hospitalar

A melhor maneira de compreender como funciona a acreditação hospitalar é tendo ciência sobre os órgãos acreditadores, nacionais ou internacionais, e suas principais características.

 Confira os principais deles:

Accreditation Canada

Como o nome sugere, trata-se da acreditação hospitalar internacional do Canadá. Sua fundamentação se dá por três princípios: 

  • Medicina baseada em evidências;
  • Governança clínica;
  • Redução da sobrecarga dos colaboradores.

Além de coordenar padrões de alto desempenho, segurança e qualidade, a certificação também é voltada ao pleno entendimento dos procedimentos internos e na retirada de todas as práticas que não agregam valor à unidade.

Healthcare Information and Management Systems Society (HIMSS)

A acreditação feita pela HIMSS, uma organização internacional sem fins lucrativos, visa definir as condições fundamentais para que um hospital possa implementar ferramentas de inovação. 

Assim, sua principal finalidade é aprimorar as assistências em saúde com o apoio da tecnologia.

Joint Commission International (JCI)

No contexto mundial, a norte-americana JCI é considerada uma das principais entidades acreditadoras. 

Trata-se de uma certificação completa, que visa desde a melhoria dos cuidados junto aos pacientes, até a criação de melhores condições de atuação para os profissionais e formas de aprimorar o gerenciamento interno.

National Integrated Accreditation for Healthcare Organizations (NIAHO)

A NIAHO também é estadunidense, mas tem como foco específico otimizar os resultados hospitalares. A partir disso, ela é voltada a uma visão gerencial estratégica e à garantia de segurança entre os pacientes. 

Assim como no caso anterior, essa acreditação possui grande credibilidade no contexto brasileiro.

Organização Nacional de Acreditação (ONA)

Por sua vez, a brasileira ONA é considerada a principal acreditadora do país. Sua certificação é fonte de grande prestígio no cenário nacional, pois é voltada a processos de aprimoramento contínuo da qualidade, maximização da segurança, eficiência de gestão e até a valorização da marca da unidade de saúde.

Programa de acreditação Amil

Já a Amil tem como foco as empresas de odontologia, sendo inclusive a primeira acreditadora da área no Brasil. Ela oferece consultoria gratuita às unidades do segmento odontológico, além de condições especiais de financiamento junto ao IBES.

QMentum

Assim como a primeira acreditadora mencionada, o QMentum é canadense e seus requisitos têm alcance mundial. Também é amplamente utilizado pelas unidades brasileiras e tem como foco a biossegurança e a maximização na qualidade dos serviços médicos.

Como se preparar e obter essas certificações?

Como se preparar e obter essas certificações

Levando em consideração que cada entidade mencionada no item anterior possui requisitos e parâmetros próprios de acreditação, podemos concluir que não existe uma única fórmula para assegurar esse tipo de certificação em clínicas e hospitais.

Contudo, alguns cuidados básicos, comuns a todos os casos, são fundamentais para ter sucesso em todo o processo, pois dão condições para que a unidade se adeque aos padrões mundiais de melhorias contínuas e excelência em saúde. São eles:

Diagnóstico situacional

Em primeiro lugar é preciso identificar a situação atual dos processos internos e como a unidade se situa no mercado geral de saúde.

Isso porque, só é possível entender como estipular melhorias tendo uma visão precisa sobre a realidade a ser aprimorada.

Inclusive, essa primeira análise serve até para determinar qual é o tipo de acreditação desejada, já que a mesma deve ser voltada às demandas específicas que a empresa deseja melhorar e ter melhores chances de obter uma boa avaliação.

Plano de ação

Com base na análise citada acima, e nos critérios da acreditadora definida, também é preciso elaborar um plano focado nas melhorias desejadas.

Esse planejamento precisa ter clareza e metas bem definidas, com um responsável pela implementação e um comitê de apoio (conforme citei no item sobre o funcionamento da acreditação) para viabilizar todas as ações. 

Auditorias internas

Para certificar-se de que o planejamento está atingindo os resultados desejados, também é necessário realizar auditorias internas, por meio de um comitê multidisciplinar. Só assim o hospital pode determinar que os requisitos desejados estão sendo cumpridos e que é possível conquistar os níveis desejados de acreditação.

Auditoria com a entidade acreditadora

Com o plano de ação em prática e devidamente auditado, os gestores da unidade podem definir se a mesma está pronta para obter a acreditação hospitalar.

A partir disso, basta procurar alguma das entidades que citei no item anterior e submeter-se às auditorias e procedimentos definidos pela mesma.

Nesse ponto, é importante pesquisar profundamente sobre cada órgão, seus parâmetros e determinar se ele realmente é viável e vantajoso para a clínica ou hospital.

Quais são os benefícios da acreditação hospitalar?

Com todos os conceitos apresentados até aqui, é fácil perceber como a acreditação hospitalar pode ser vantajosa para as unidades de saúde.

Por atestar a qualidade dos serviços das clínicas e dos hospitais, e por oferecer os meios para a devida obtenção de melhorias contínuas, ela gera benefícios significativos, como:

  • Garantia de segurança para os pacientes e profissionais de saúde;
  • Aumento significativo na qualidade dos serviços prestados, com consequente ampliação dos lucros;
  • Maior estabilidade institucional e melhores condições de desenvolvimento;
  • Integração entre diferentes departamentos e profissionais de saúde, por meio da unificação de seus interesses e objetivos conjuntos;
  • Melhores condições de trabalho e do clima organizacional, graças às condições laborais ideais e focadas na melhoria contínua de procedimentos;
  • Reconhecimento e melhor imagem da unidade perante os profissionais de saúde, público e sociedade.

Use a tecnologia a seu favor

Um ponto importante a ser considerado durante as avaliações para a acreditação hospitalar são os sistemas utilizados pela unidade de saúde.

Isso porque, além de critérios gerenciais, de qualidade e de segurança, softwares de gestão também são levados em consideração, pois são eles que garantem a devida organização dos dados internos e do fluxo ideal de serviços.

Além disso, com um hospital ou clínica digital, é possível monitorar em tempo real o andamento dos atendimentos, sua performance e as variações que têm influência direta sobre cada andamento, permitindo melhorias em tempo real.

Nesse sentido, muitos exemplos poderiam ser mencionados, desde:

  • O uso de prontuários eletrônicos com assinatura digital (que tornam as informações mais práticas e acessíveis);
  • Ferramentas para teleconsultas (que democratizam o acesso à medicina e ajudam a superar as necessidades impostas pelo distanciamento social);
  • Gerenciadores financeiros;
  • Equipamentos de ponta para exames;
  • APIs de organização, e assim por diante.

Atualmente, inúmeras possibilidades são oferecidas pela tecnologia, e cabe a cada organização definir quais são as inovações ideais para aprimorar suas atividades, ampliar a excelência oferecida aos pacientes e se adequar aos critérios de acreditação hospitalar.

A Telemedicina Morsch é referência nessa área e já otimiza o gerenciamento de mais de 1.000 empresas de saúde ao redor do Brasil. Clique aqui e conheça os benefícios de nossa plataforma.

Conclusão

Como expliquei ao longo do artigo, a acreditação hospitalar não é só um meio para atestar a qualidade de uma unidade de saúde, mas sim uma importante ferramenta de desenvolvimento, monitoramento e adequação em prol de melhorias contínuas.

Isso porque, ao escolher o órgão acreditador ideal e adotar as medidas certas para cumprir seus requisitos, as clínicas e hospitais podem:

  • Ampliar a segurança de seus procedimentos
  • Estabilizar-se no mercado;
  • Agregar valor aos seus serviços;
  • Criar melhores condições de trabalho;
  • Melhorar sua imagem perante o público;
  • Entre inúmeros outros benefícios semelhantes.

Se você gostou de saber mais sobre a acreditação hospitalar e quer ficar por dentro de ainda mais informações indispensáveis para o desenvolvimento da sua empresa, não deixe de acompanhar nossos próximos artigos. 

Clique aqui para assinar a newsletter e compartilhe o conteúdo com os seus colegas!

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE