CID M65 – Sinovite e tenossinovite (bainhas tendíneas e tendões)

Por Dr. José Aldair Morsch, 21 de abril de 2022
CID M65

CID M65 é o código da Classificação Internacional de Doenças para Sinovite e tenossinovite.

Falo aqui do significado do CID M65, de seus subtipos e da conduta médica recomendada.

Ao final, apresento algumas soluções sob medida que podem qualificar a assistência médica nesses casos.

CID M65: o que significa?

O CID M65 representa inflamações que comprometem as bainhas tendíneas e os tendões.

Sinovite é a inflamação dos tecidos sinoviais.

A tenossinovite se caracteriza pelo mesmo tipo de inflamação, mas envolvendo os tendões na passagem por regiões onde há mudança na direção da aplicação da força.

O CID M65 pode ser acrescido do código de localização:

  • 0: Múltiplas localizações
  • 3: Antebraço
  • 4: Mão
  • 5: Região pélvica e sacroilíaca
  • 6: Perna
  • 7: Tornozelo e pé
  • 8: Outras
  • 9: Localização não especificada.

O código M65 ainda exclui:

  • Sinovite crônica crepitante da mão e do punho (M70.0)
  • Lesão atual – ver lesão do ligamento e do tendão por região do corpo, transtornos de tecidos moles consequentes ao uso, uso excessivo e à pressão (M70.-).

E possui sete subcategorias:

  • M65.0: Abscesso da bainha tendínea
  • M65.1: Outras (teno)sinovites infecciosas
  • M65.2: Tendinite calcificada
  • M65.3: Dedo em gatilho
  • M65.4: Tenossinovite estilóide radial [de Quervain]
  • M65.8: Outras sinovites e tenossinovites
  • M65.9: Sinovite e tenossinovite não especificadas.

 

Conduta médica para o CID M65

Neste tópico, reproduzo recomendações para diagnóstico e tratamento do CID M65 com base no Manual de Procedimentos para Doenças Relacionadas ao Trabalho do Ministério da Saúde e Organização Pan-Americana da Saúde.

Diagnóstico

O primeiro passo para a elaboração do diagnóstico do CID M65 é a realização da anamnese médica.

Listo abaixo exemplos de perguntas:

  • Você costuma fazer movimentos repetitivos no trabalho ou em outra atividade?
  • Caso positivo, esses movimentos exigem força?
  • Você poderia mostrar onde dói?
  • Essa dor é constante ou passa com repouso?
  • Essa dor aumenta em alguma situação, como frio ou estresse?

Pacientes com CID M65 podem apresentar três padrões de dor:

  • Músculo-tendinosa: localizada sobre os músculos ou tendões, é agravada pela contração e tem caráter difuso
  • Nevrálgica: localizada na distribuição dos nervos periféricos ou raízes nervosas, podendo ser acompanhada de parestesia e entorpecimento na mesma distribuição ou generalizada pelo corpo, irradiada a partir do sítio de dor no membro superior
  • Articular: localizada em uma ou mais articulações.

 

Tratamento

Entre os procedimentos para o tratamento do CID M65 destacados pelo documento, estão:

  • Educação do paciente sobre as causas da dor e o tratamento
  • Orientação postural
  • Terapia de gelo ou calor, por 20 minutos, três vezes ao dia
  • Repouso com afastamento da atividade
  • Splint noturno de interfalangeana proximal (IFP) em 30º de flexão.

Caso o tratamento conservador não encontre boa resposta clínica, a liberação cirúrgica pode ser indicada.

Medicamentos

Anti-inflamatórios não esteroides podem ser prescritos para aliviar os sintomas.

Serviços Morsch para o CID M65 

Abordei nos tópicos anteriores o CID M65.

Expliquei o significado, listei as subcategorias e reproduzi recomendações para o diagnóstico e tratamento.

Em caso de dúvidas e outras necessidades, reforço que você pode contar com os serviços da Telemedicina Morsch.

É possível debater sobre diagnósticos com um médico especialista por meio da teleconsultoria.

Trata-se de uma comunicação bidirecional entre profissionais de saúde.

Caso seja preciso, você também pode encaminhar seu paciente a uma consulta com um especialista para ampliar a investigação ou solicitar uma segunda opinião médica.

Também emitimos laudos de exames com agilidade e segurança.

Conheça a nossa plataforma com uma avaliação gratuita ou faça contato.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE