CID F90 – Transtornos hipercinéticos – Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH)

Por Dr. José Aldair Morsch, 1 de março de 2022
CID F90

CID F90 é o código para transtornos hipercinéticos segundo a Classificação Internacional de Doenças.

Apresento neste texto o significado, subcategorias e conduta médica para tal condição.

Ao final, listo serviços que podem qualificar a assistência médica em casos de CID F90.

CID F90: o que significa?

O CID F90 – Transtornos hipercinéticos é amplamente conhecido como Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH).

Em síntese, o DATASUS define CID F90 como:

“Grupo de transtornos caracterizados por início precoce (habitualmente durante os cinco primeiros anos de vida), falta de perseverança nas atividades que exigem um envolvimento cognitivo, e uma tendência a passar de uma atividade a outra sem acabar nenhuma, associadas a uma atividade global desorganizada, incoordenada e excessiva”.

Esta CID exclui:

  • Esquizofrenia (F20)
  • Transtornos ansiosos (F41)
  • Transtornos globais do desenvolvimento (F84)
  • Transtornos humor [afetivos] (F30-F39).

E possui quatro subcategorias:

  • F90.0: Distúrbios da atividade e da atenção
  • F90.1: Transtorno hipercinético de conduta
  • F90.8: Outros transtornos hipercinéticos
  • F90.9: Transtorno hipercinético não especificado.

 

Conduta médica para o CID F90

Destaco agora a conduta médica recomendada para casos classificados como F90.

Anamnese médica

Uma vez que a CID F90 costuma se manifestar na infância, uma anamnese médica com pais ou responsáveis é recomendável.

Indico abaixo exemplos de perguntas:

  • Descreva o comportamento rotineiro do(a) seu(a) filho(a)
  • Você o(a) percebe inquieto(a), com dificuldades em ficar sentado(a) ou parado(a) em algum lugar?
  • Costuma se machucar por imprudência?
  • Atos de indisciplina parecem ser planejados ou espontâneos?
  • Como é a interação com adultos?
  • Ele(a) fala bastante?
  • Ele(a) costuma esquecer-se de algo (como um brinquedo ou material escolar)?

 

Avaliações complementares

Artigo publicado no Brazilian Journal of Psychiatry por um grupo liderado pelo doutor em psiquiatria Luis Augusto Rohde, presidente da World Federation of ADHD, recomenda a realização de avaliações complementares como:

  • Preenchimento da Escala de Conners por professores
  • Avaliação neurológica para excluir possíveis outras condições
  • Testagem psicológica com a Escala Wechsler.

 

Procedimentos

Segundo o estudo citado, o tratamento para CID F90 deve abranger intervenções psicossociais e psicofarmacológicas.

Estão entre as recomendações:

  • Educação dos pais ou responsáveis
  • Orientação a professores
  • Psicoterapia individual.

 

Medicamentos

O artigo cita pesquisas que comprovam eficácia de estimulantes no tratamento da CID F90.

Sendo o metilfenidato o único disponível no Brasil.

“A dose terapêutica normalmente se situa entre 20 mg/dia e 60 mg/dia (0,3 mg/kg/dia a 1 mg/kg/dia)”, aponta trecho.

Recomenda-se a administração das doses pela manhã e por volta das 12h.

O Texas Children’s Medication Algorithm Project indica, para quando houver necessidade, acrescentar um inibidor seletivo da recaptação de serotonina.

Como em muitos casos os pacientes são crianças, deve-se atentar para possíveis efeitos adversos.

Serviços Morsch para o CID F90

Neste conteúdo, apresentei o significado e as subcategorias da CID F90.

Também trouxe informações sobre diagnóstico e tratamento.

Havendo necessidade, a Telemedicina Morsch oferece soluções diversas.

Na teleconsultoria, você entra em contato com um de nossos especialistas em várias áreas médicas.

Nelas, o objetivo é dirimir dúvidas e debater diagnósticos.

Se for preciso, é possível encaminhar o paciente para consulta com um especialista para ampliar a investigação.

Ou mesmo solicitar uma segunda opinião médica.

Também emitimos laudos de exames com rapidez e segurança.

Faça uma avaliação gratuita para conhecer a nossa plataforma ou entre em contato.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE