Por que a telemedicina é confiável?

Por Dr. José Aldair Morsch, 22 de outubro de 2015
Porque a telemedicina é confiável?

Com o desenvolvimento de tecnologias na medicina convencional, fica a grande pergunta: a Telemedicina é confiável?

Como já se sabe, o conceito de Telemedicina é uma das maiores provas de como os avanços tecnológicos estão contribuindo com a medicina e, como consequência, com a saúde e a qualidade de vida das pessoas.

O assunto que está em foco nesse momento é a confiabilidade dos sistemas usados pelas empresas que prestam esse serviço.

Vamos entender nesse artigo como funciona a telemedicina e o que tem por trás dessa tecnologia.

Inicio com o que é a Telemedicina

A Telemedicina e a Telessaúde possibilitam a comunicação de médicos e pacientes, bem como médicos e médicos, estando em diferentes locais no globo terrestre.

Solicite um orçamento

Por meio das telecomunicações e tecnologias de informação, chamada de teleconferência, tudo acontece em tempo real.

Também é possível realizar exames e salvar vidas usando uma plataforma de telemedicina. em nuvem.

Não podemos confundir Telemedicina com Telessaúde

As palavras podem ser parecidas, mas o conceito é diferente.

A atividade de monitorar pacientes, disponibilizar cursos online, treinamentos, aplicativos e exames médicos entre outros é tarefa da Telessaúde.

A Telemedicina é uma ferramenta exclusiva para envio de exames e recebimento dos laudos via internet, dentro da Telessaúde.

Quero saber mais sobre a diferença de Telemedicina e Telessaúde

As atribuições da Telemedicina

Um dos serviços que fazem parte da Telemedicina é a interpretação de exames e liberação de laudos a distância.

Isso já é feito com eletroencefalograma e eletrocardiograma, por exemplo, que são bem precisos para o diagnóstico de determinadas doenças neurológicas como epilepsia ou cardiológicas como infarto agudo do miocárdio.

Muitas vezes, se tornam ainda mais eficazes quando são analisados por grandes especialistas, que nem sempre estão próximos do paciente, por isso a expressão laudo a distância.

Imagine um paciente com dor no peito numa emergência de um hospital em um local remoto que só tem um clínico geral para atender.

Ter uma ferramenta com a Telemedicina muda o futuro de uma pequena cidade sem especialistas.

Em poucos minutos após realizar o eletrocardiograma o clínico recebe o resultado do exame pela internet, através da plataforma de Telemedicina em nuvem e pode tomar a conduta ideal para salvar a vida daquele paciente.

A Telemedicina é confiável?

O constante ataque de hackers e a qualidade do serviço oferecido coloca em questão a confiabilidade dos sistemas informatizados que permitem a utilização da Telemedicina.

  • Será que eles são seguros e não comprometem o sigilo médico e a privacidade do paciente?
  • Será que laudos médicos e interpretações de exames vindos de longe não podem colocar uma vida em risco pela imprecisão?

Falando do ponto de vista técnico, onde envolve arquitetura de software, servidor em nuvem, criptografia dos dados transferidos, podemos dizer que a Telemedicina está no mesmo nível de transações bancárias.

Saber se a Telemedicina é confiável do ponto de vista humano, depende diretamente de vários fatores:

  • Dos médicos que se propõem a usar a  Telemedicina como fonte de renda, neste caso devem prestar um serviço de excelência,
  • Aqueles que atendem o paciente e optam por enviar os exames para este especialista que está logado na plataforma de Telemedicina onde devem executar e realizar os exames corretamente.
  • Fazer uma interpretação do exame sem ter contato pessoal com o paciente e confiar que o técnico executou o exame de forma correta.
  • Os médicos só podem utilizar esse recurso da tecnologia quando têm a certeza de que essa é a solução mais viável, pensando sempre no paciente.

O médico que vai solicitar a opinião do especialista que loga na plataforma de Telemedicina para o seu paciente, deve garantir que ele tem condições de enviar todas as informações necessárias e por um meio seguro.

Enquanto isso, o que vai receber os exames via internet se compromete a emitir um parecer ou um laudo médico apenas se tiver dados suficientes para fazer isso, sem submeter o paciente ao risco de um resultado errôneo.

Isso significa que o que garante a segurança da Telemedicina é o compromisso de ética médica, assim como em todos os outros ramos da própria medicina.

O Conselho Federal de Medicina procura emitir pareceres sobre as regras de funcionamento dos serviços de Telemedicina e tem sua ouvidoria para acompanhar possíveis denúncias.

Já em relação à confiabilidade do ponto de vista técnico, é uma responsabilidade das empresas que operam os sistemas, que fazem essa intermediação entre médicos e pacientes a uma longa distância.

Felizmente, a evolução tecnológica permite também que os softwares e equipamentos sejam cada vez mais protegidos.

A Telemedicina é confiável no Brasil

Aqui no Brasil, a Telemedicina ainda está dando os seus primeiros passos, essa frase era de 2015. Estou reescrevendo esse post e agora em 2017 temos uma estrutura sólida, normatizações, investimentos do governo federal e setor privado, várias startups surgindo, tudo á pleno vapor.

Veja os números do setor no Brasil com dados recentes

Agora  é mais evidente em outra perspectiva: a educacional, ou seja, a educação médica continuada e até mesmo a formação à distância para profissionais da saúde, em áreas que possibilitam isso.

A área de exames cresceu muito, podemos afirmar que num breve futuro será mais frequente exames por meio da Telemedicina do que os com médicos presenciais. É natural esse avanço, ele acompanha a adoção da tecnologia em todos os setores, com muito mais confiança da população em geral.

Mas a ideia é que aos poucos esse recurso se difunda mais pelo país e que exames complexos como tomografia, ressonância magnética possam ter uma interpretação múltipla, de profissionais que são referências no mundo todo, em prol da recuperação e da cura dos seus pacientes.

Em resumo, a adoção do uso da Telemedicina Morsch superou a visão ética e de insegurança, fazendo parte das nossas vidas.

É uma escolha sem volta, que traz benefícios únicos para locais de pouco acesso e que agora contam com especialistas virtuais que trazem melhor qualidade de vida para aquela população.

Compartilhe esse conhecimento, assine nosso blog e se mantenha informado!

Dr. José Aldair Morsch – Cardiologista – Especialista em Telemedicina

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG - Fundação Universidade do Rio Grande - RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE

Entre em contato por WhatsApp
Enviar mensagem pelo WhatsApp