CID E10 – Diabetes mellitus insulino-dependente (Tipo 1)

Por Dr. José Aldair Morsch, 2 de maio de 2022
CID E10

CID E10 é o código para Diabetes mellitus insulino-dependente na Classificação Internacional de Doenças.

Abordo a seguir o significado do CID E10 e listo recomendações de procedimentos para diagnóstico e tratamento.

Acompanhe até o final e conheça também soluções capazes de qualificar o atendimento médico nesses casos.

CID E10: o que significa?

O CID E10 – Diabetes Mellitus insulino-dependente também é chamado Diabetes tipo I.

Nessa condição, o sistema imune ataca e destrói as células beta pancreáticas, responsáveis pela produção de insulina.

Por isso, o paciente assim classificado precisa tomar insulina frequentemente, correndo risco de morte se suspender o tratamento.

Devido à sua característica, o Diabetes tipo I é considerado uma doença autoimune.

O CID E10 inclui:

  • Diabetes (mellitus) início na juventude
  • Diabetes (mellitus) instável
  • Diabetes (mellitus) propenso à cetose
  • Diabetes (mellitus) tipo I.

Caso a condição tenha sido induzida por alguma droga, o código adicional de causa externa pode ser usado para identificar a substância.

O CID E10 exclui:

  • Diabetes mellitus na gravidez, parto ou puerpério (O24.-)
  • Diabetes mellitus neonatal (P70.2)
  • Diabetes mellitus relacionado com a desnutrição (E12.-)
  • Glicosúria SOE (R81)
  • Glicosúria renal (E74.8)
  • Hipoinsulinemia pós-cirúrgica (E89.1)
  • Intolerância à glicose (R73.0).

Esse CID possui 10 subcategorias:

  • E10.0: Diabetes mellitus – com coma
  • E10.1: Diabetes mellitus insulino-dependente – com cetoacidose
  • E10.2: Diabetes mellitus insulino-dependente – com complicações renais
  • E10.3: Diabetes mellitus insulino-dependente – com complicações oftálmicas
  • E10.4: Diabetes mellitus insulino-dependente – com complicações neurológicas
  • E10.5: Diabetes mellitus insulino-dependente – com complicações circulatórias periféricas
  • E10.6: Diabetes mellitus insulino-dependente – com outras complicações especificadas
  • E10.7: Diabetes mellitus insulino-dependente – com complicações múltiplas
  • E10.8: Diabetes mellitus insulino-dependente – com complicações não especificadas
  • E10.9: Diabetes mellitus insulino-dependente – sem complicações.

 

Conduta médica para o CID E10

Destaco agora a conduta médica recomendada para casos de CID E10.

Este tópico é embasado pelo Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas – Diabete Melito Tipo 1, do Ministério da Saúde.

Veja abaixo os procedimentos recomendados.

Diagnóstico

O diagnóstico do CID E10 costuma ser diagnosticado entre a infância e o início da fase adulta.

Os primeiros sinais costumam ser sintomas de hiperglicemia grave, como:

  • Poliúria
  • Polidipsia
  • Polifagia
  • Noctúria
  • Perda de peso inexplicada.

Sem o devido tratamento, o paciente pode evoluir para Cetoacidose Diabética (CAD), correndo risco de morte.

O diagnóstico pode ser confirmado com qualquer dos seguintes exames e resultados:

  • Glicemia aleatória acima de 200 miligramas por decilitro (mg/dL) com sintomas de hiperglicemia
  • Glicemia em jejum de 8 horas ≥ 126 mg/dL em duas ocasiões
  • HbA1c ≥ 6,5% em duas ocasiões
  • Glicemia de duas horas pós-sobrecarga ≥ 200 mg/dL.

Uma vez confirmado o diagnóstico de CID E10, o tratamento com insulina deve começar imediatamente.

Tratamento

O tratamento da CID E10 é baseado em cinco componentes principais:

  • Educação sobre diabetes: o paciente deve compreender sobre o controle glicêmico, a importância da insulina e a quantidade de carboidratos nas refeições
  • Insulinoterapia: incluir uma insulina basal de ação intermediária ou prolongada e uma insulina de ação rápida tipo bolus, com pelo menos três aplicações diárias
  • Automonitorização glicêmica
  • Orientação nutricional
  • Prática monitorada de exercício físico.

A cada seis meses, o paciente deve passar por uma reavaliação em relação à hipoglicemia e aos critérios de manutenção.

Em caso de mudanças, o tratamento deve ser reavaliado.

Serviços Morsch para o CID E10

Falei aqui do CID E10.

Expliquei seu significado e listei recomendações conforme protocolo oficial do Ministério da Saúde.

Se você tiver alguma dúvida, conte com os serviços oferecidos pela Telemedicina Morsch.

Coordeno um time de especialistas em diversas áreas médicas.

Todos estão à disposição para realizar uma consulta com um especialista para ampliar a investigação e fornecer uma segunda opinião médica.

Encaminhando seu paciente, você garante a ele a economia e comodidade da teleconsulta.

Se o encaminhamento não for necessário, tire suas dúvidas em uma teleconsultoria.

Também emitimos laudos de exames de forma ágil e segura.

Faça uma avaliação gratuita da nossa plataforma ou entre em contato.

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FAMED - FURG – Fundação Universidade do Rio Grande – RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia e Cardiologia Pediátrica pela PUCRS. Linkedin

COMPARTILHE