Como melhorar a qualidade do Eletroencefalograma?

Por Dr. José Aldair Morsch, 21 de outubro de 2015
qualidade do eletroencefalograma

A qualidade do eletroencefalograma  é fator primordial para que o Neurologista possa interpretar o exame e liberar um laudo com a segurança do diagnóstico feito a distância.

Devemos observar pequenos detalhes que fazem toda a diferença para entregar um exame de qualidade e diagnóstico correto ao seu paciente.

Trata-se de um exame bem preciso e extremamente importante para diagnosticar anomalias cerebrais relacionadas à atividade elétrica dos neurônios.

Atualmente, mesmo as clínicas que não contam com a colaboração de médicos especialistas em neurologia podem oferecer o exame aos seus pacientes, buscando a interpretação e os laudos médicos de profissionais usando a  Telemedicina.

O Eletroencefalograma é considerado um dos exames clínicos mais difíceis de ser realizado.

Solicite um orçamento

O grau de dificuldade é muito grande, pois depende de muitos fatores, como posição dos eletrodos, configuração do aparelho, etc…

Nesse artigo você conhecerá macetes que lhe ajudarão a melhorar a qualidade do seu exame.

Conheça os 8 detalhes que são imprescindíveis para melhorar a qualidade do Eletroencefalograma:

1- Orientar o paciente para que, no dia anterior ao exame, substitua o shampoo por sabão de coco na hora de lavar os cabelos;

2- Durante o exame, optar por um notebook sem cabos de energia ligados à tomada, pois isso evita possíveis interferências;

3- Jamais permitir a entrada de celulares dentro da sala de exame;

4- Durante a realização do procedimento, desligar o ventilador e o ar-condicionado;

5- Caso o aparelho usado no eletroencefalograma tenha sido instalado em um computador de mesa, recomenda-se contratar um eletricista para fazer um aterramento correto e seguro, de acordo com as normas do equipamento. Se necessário, algum representante da fábrica deve estar presente;

6- Se o paciente que fará o exame tiver cabelos compridos, recomenda-se que sejam feitos quatro rabos-de-cavalo, para que o cabelo fique bem dividido e os eletrodos possam ficar o mais próximos possível do couro cabeludo;

7- Antes de dar sequência ao eletroencefalograma, o profissional tem a obrigação de se certificar de que todos os eletrodos estão bem firmes, aproximando com a mão no couro cabeludo para verificar a pasta que cola o eletrodo no couro cabeludo esteja tendo contato adequado.

8- A clínica também precisa adquirir as toucas que são fabricadas especificamente para a realização do eletrocardiograma. São alguns tamanhos diferentes, conforme a cabeça do paciente que fará o exame, desde a criança até o adulto. No geral, são quatro toucas e o custo pode chegar até R$ 4 mil reais levando-se em conta o valor do dólar nesse momento.

A Telemedicina auxilia nos exames e orienta na qualidade do Eletroencefalograma

Assim como alguns cuidados favorecem na qualidade do eletroencefalograma e execução do exame com perfeição, existem fatores que podem atrapalhar.

O primeiro deles é quando os técnicos não são capacitados para realizar o exame de maneira adequada e não conhecem os benefícios da telemedicina, ou seja, não conseguem receber o treinamento adequado a distância.

Além disso, o próprio perfil do paciente pode dificultar, quando ele é agitado demais, não segue as orientações ou tem problemas mentais.

Examinar crianças recém-nascidas também pode ser um grande desafio.

Mas independentemente das adversidades, o eletroencefalograma não pode deixar de ser realizado, dada a sua capacidade de diagnosticar problemas e possibilitar os melhores tratamentos.

Por isso, para as clínicas que não possuem especialistas no ramo, a melhor opção realmente é investir em telemedicina.

Por meio dela, o exame pode ser realizado na clínica e enviado para uma interpretação usando uma plataforma de telemedicina, de onde vem também o laudo. Com a tecnologia, o diagnóstico pode ser dado em tempo real.

QUERO SABER MAIS SOBRE A TELEMEDICINA

Quero comprar um eletroencefalograma, que marca devo escolher?

As marcas disponíveis no mercado são boas. O que deve ser respeitado é o registro na ANVISA. Tem aparelhos para todos os bolsos, então é importante ver exatamente o que pretende fazer para não queimar dinheiro.

Lembre-se que existem pelo menos 3 tipos de exames. O Eletroencefalograma Clínico, Ocupacional e com mapeamento cerebral. O aparelho deve ser capaz de realizar todos.

QUERO CONHECER ALGUMAS MARCAS DE ELETROENCEFALOGRAMA

Para que o emprego da telemedicina seja bem sucedido, é preciso que os aparelhos que a viabilizam sejam instalados da maneira correta e que todos os técnicos que vão se envolver no setor recebam o treinamento certo. Isso garante a qualidade do processo e, principalmente, a segurança dos pacientes que irão passar por ele buscando mais saúde e qualidade de vida.

Não temos recursos para comprar o aparelho, podemos alugar?

SIM. A Telemedicina Morsch oferece o aparelho em comodato. O cliente paga uma mensalidade e recebe mensalmente 30 laudos de cortesia. O técnico da clínica é treinado remotamente e em pouco tempo está apto para realizar o exame e enviar para nossa central de telemedicina onde os especialistas interpretam o exame e liberam o laudo médico em 30 minutos.

Gostou do conteúdo? Compartilhe nas redes! Assine nosso blog!

Dr. José Aldair Morsch – Especialista em Telemedicina

Dr. José Aldair Morsch
Dr. José Aldair Morsch
Cardiologista
Médico formado pela FURG - Fundação Universidade do Rio Grande - RS em 1993 - CRM RS 20142. Medicina interna e Cardiologista pela PUCRS - RQE 11133. Pós-graduação em Ecocardiografia pela PUC-RS. Pós-graduação em Cardiologia Pediátrica pela PUC-RS. Linkedin

COMPARTILHE

Entre em contato por WhatsApp
Enviar mensagem pelo WhatsApp